You are on page 1of 41

m Escoamento ~> é o movimento dos fluídos (AR)

m 2 tipos:

m Laminar / Lamelar: regular

m Turbulento / Turbilhonado: irregular


m !ressão produzida pela força do impacto do
vento;
m Deixa de existir quando o vento para de
soprar;
m !ressão dinâmica é maior ~> densidade e
velocidade do escoamento maiores.
m !ressão exercida pelo ar em um corpo na
atmosfera (pressão atmosférica)

m   ~> exerce pressão 


m ïom o aumento da velocidade do escoamento
~>
m aumenta a pressão dinâmica
m diminui a pressão estática
m (ïriado com base no teorema do Bernoulli)

m Mediante escoamento uniforme:


m na parte mais estreita do tubo ~> o ar terá
maior velocidade (a fim de manter velocidade
constante após o estreitamento).
m ëuanto Õ

  for o tubo de
escoamento ~> Õ será 

do
escoamento (e vice-versa).
m Ajuda na sustentação. 2 tipos

m Õ  (mais usado na aviação ² tem o perfil


curvado
Õ Õ pois a

do vento se
torna Õ , fazendo com que a pressão seja
menor)
m 2 partes desiguais

m uÕ  (utilizado em caças, onde a sustentação


se dá no motor, não dependendo tanto das asas)
m 2 partes iguais
m A sustentação se dá pela 

 


, estática e dinâmica,

 
 

    , respectivamente.

m Πescoamento na parte superior de uma asa ou


um aerofólio forma, com os filetes de ar que
não se desviam, um Tubo de Venturi e a pressão
diminui conforme aumenta a velocidade:
m Ao atingir a parte inferior do aerofólio, o ar
em escoamento se desvia para baixo, perde
velocidade e aumenta a pressão
m A diferença de pressão entre o intradorso e o
extradorso, força a asa para Õ e para 

m A Resultante Aerodinâmica passa por um ponto


chamado ï
  

 ï
m ou Vento Aparente ~>
m Vento provocado pelo deslocamento do avião

m Tem sempre 
    ao deslocamento (ex:
avião subindo, VR descendo);

m Tem sempre a Õ
Õ



 (ex:
ângulo do avião de 10è, VR 10è) do deslocamento.

m ÿornece a

do avião
Õ
  
 
Õ
m 0ngulo formado entre a ï  e a 
  

m    
.
m ou Trajetória

m 0ngulo formado entre a ï  e o 


  
  .

m   

m uão 4 as forças que atuam no voo:

m uustentação (L) - ï!
m !eso (W) - ï
m Tração (T)
m Arrasto (D)
m Devem ser  para manter o avião no ar

m uustentação ~> força o avião para cima


Resultante aerodinâmica perpendicular ao VR;
Haverá sustentação se houver movimento;
Aumenta com o aumento da velocidade;

m !eso ~> força o avião para baixo (gravidade)


(ëuanto maior o peso do avião ~> maior o
comprimento da pista para decolagem)
m Tração ~> impulso, aceleração

m Arrasto ~> força contrária ao deslocamento

m ïom o aumento da aceleração, aumenta o


arrasto ~> isso mantém a velocidade constante.
m Œ avião realiza seus movimentos em torno de 3
eixos imaginários:

m Longitudinal
m Transversal
m Vertical

m Estes 3 eixos se cruzam no ï


m Tendência permanente do avião se manter em
equilíbrio nos seus 3 eixos imaginários;
m Relacionada com o ï
m Estabilidade Lateral ~>
diedro (ângulo entre o plano de asas e eixo transversal)
estabilizador vertical (empenagem)
m Equilíbrio ~> estabilizador horizontal
m Dão ao voo estabilidade comandada
m uinada
m Leme de Direção
m !edais
m Bancagem / Rolagem
m Ailerons
m Manch (direita/esquerda)
m Aileron diferencial ~> amplitude para cima maior que para baixo
corrigindo a tendência da guinada
m Arfagem / Tangagem
m Leme de !rofundidade / !rofundor
m Manch (para frente/para trás)
m Reduzem as tendências indesejáveis durante o
voo.
(ex.: avião com tendência de picar ~> compensador de profundor)
m ïompensador de aileron
m ïompensador de profundor
m ïompensador de leme de direção / direcional

m Localizados nos bordos de fuga das


respectivas superfícies primárias de comando
m 
 

 ;
m Velocidade de uTŒL ~> velocidade mínima que
o avião pode atingir sem perder sustentação;
depende do peso do avião ~> ëuanto maior o
peso do avião, maior a velocidade de stol.
m ëuando o avião sobe perde velocidade. Devido
ao grande ângulo de ataque, o VR passa a ser
turbulento e não ¶cola· na asa ~> o avião perde a
sustentação
m !ara corrigir este efeito, são utilizados os
dispositivos hipersustentadores.
m ÿunção primária ~> 
  extra
m ÿunções secundárias:
m voo em rota ~> velocidade e baixo consumo
m pouso ~> diminui velocidade sem perder
sustentação
m decolagem ~> maior velocidade e
sustentação (saída mais rápida da pista)
m ÿlaps / ulats / upoilers
m Aumenta a curvatura média da asa e aumenta o
ângulo de ataque ~> maior sustentação

m Na 

Õ ~> produz Õ 
 

Õ
   , reduzindo a quantidade de pista
necessária para atingir velocidade de decolagem

m No  ~> ocasiona Õ   , atuando


como 
 
Õ, pois:
m ue localizam no bordo de fuga das asas
m função 1è ~> aumenta sustentação
m função 2è ~> freio aerodinâmico
m 3 tipos:
m uimples
m Ventral
m ÿowler (A   ~> proporciona maior coeficiente de
sustentação ~> desloca-se para trás e para baixo ~> aumentando
a curvatura e a área do aerofólio)
m ÿendas que
 Õ 


  ~>
suavizam o escoamento de ar no extradorso,
aumentando o ângulo crítico (onde começa a
perda da sustentação
m permite voar em menor velocidade sem
perder sustentação
m permite uma maior ângulo de ataque
m retarda o aparecimento de turbilhonamento
m função secundária ~> freio aerodinâmico
m ue localizam no bordo de ataque da asa.
m Tanto os ÿlaps como
os ulots modificam a
curvatura do perfil,
possibilitando
manobras em
velocidades menores.
m ÿunção primária ~> ÿreio de velocidade Speed
Breakers ~> atuam aumentando o arrasto
m ÿunção secundária ~> perda de sustentação ~>
perturbam o escoamento do ar, que passa a ser
turbilhonado
m Relação existente entre a sustentação (L) e o
peso do avião (W)
m Em voo nivelado e sem turbulência o fator =
1
m ëualquer manobra brusca, curva, recuperação
de uma descida ou turbulência provoca o
aparecimento do fator
m Menor que 1 ~> piloto se solta do assento
m Maior que 2 ~> pode provocar desmaio
(aviões caça = ou maior que 7)
m uão feitos levando em conta o

 
m Balanceamento ~> distribuição correta dos
pesos em relação à ïMA (corda média
aerodinâmica ~> onde se encontra a resultante
das forças de sustentação da asa)
m ïentro de ravidade (ponto do avião que
permite sua suspensão em perfeito equilíbrio
m Œ ï varia levemente em voo com o
deslocamento de pessoas a bordo e com o
consumo de combustível
m Limites do ï ~> limites de % da ïMA entre os
quais o ï pode variar sem prejuízo para o
equilíbrio do avião em voo.
m !onto em torno do qual momento de nariz e de
cauda são de igual grandeza.
m Dianteiro
m aumento do consumo de combustível
m dificulta manter cauda baixa no pouso
m sobrecarga na roda do nariz
m comandos pesados ~> dificulta decolagem
m maior potência para manter velocidade
m Traseiro
m aumenta velocidade de stol ~> avião instável
m tendência de sair do chão antes de atingir a
velocidade de rotação
m LD ~> linha imaginária de referência de onde
são contadas as estações (uTAs ~> distâncias
horizontais do avião a partir da LD)
m Determinada pelo fabricante
m
m   
   
 
avião vazio (fluidos hidráulicos, combustível não
drenável, óleo, poltronas e equipamentos fixos)
m !  
   !

!BŒ = !B + tripulação com bagagem + copa
(refeições, bebidas, jornais, revistas)
m !  
 !

!Œ = !BŒ + ïombustível de decolagem
m ï  
(passageiros + bagagem + carga + correio)
m ï  " 
(carga paga + combustível de decolagem)
m ï  
   
 ïÕ #

!AZï = !BŒ + ïarga !aga
m   
 


Õ
!AD = !AZï + combustível de decolagem ou
!AD = !Œ + ïarga !aga
m   
 

!A! = !AD ² combustível consumido na etapa (trip
fuel)
m   u
$ ~> voa na velocidade do som
(340m/) ~> (o som vem depois que o avião passa)

m   u$ ~> voa abaixo da velocidade


do som ~> (o som vem antes do avião passar)

m   % $ ~> fluxo de ar em torno do


avião é misto (parte subsônico e parte
supersônico ² no extradorso da asa)
m 

&' ~> relação entre a
velocidade verdadeira e a velocidade do som.