You are on page 1of 22

GESTÃO DE CUSTOS

Aula 07/03/2018

Profa. Daniela Sanjuan


Quanto ao comportamento

O comportamento dos custos em relação ao volume


permite analisar as variações nos custos totais e
unitários em relação a diferentes volumes de
produção.

FIXOS OU VARIÁVEIS?
Fixos
São custos que, em determinado período de tempo e em
certa capacidade instalada, não variam, qualquer que seja o
volume de atividade da empresa. Existem mesmo que não
haja produção.

É importante destacar que a natureza de custos fixos ou


variáveis está associada aos volumes produzidos e não ao
tempo.

Exemplo: Aluguel e Depreciação


Variáveis
seu valor total altera-se diretamente em função das
atividades da empresa. Quanto maior a produção, maiores
serão os custos variáveis.

Exemplos de custos variáveis podem ser expressos por meio


dos gastos com matérias-primas e embalagens. Quanto
maior a produção, maior o consumo de ambos.
PRÁTICA 1
A Fábrica de sorvetes Ice King Ltda apresenta os seguintes
custos e despesas :
Propaganda R$ 12.000,00 ao mês
Embalagem R$ 2,50 por pote
Aluguel da Fábrica R$ 8.000,00 ao mês
Depreciação máquinas e equipamentos R$ 5.000,00 ao mês
Matéria Prima R$ 20,00 por pote
Considerando uma produção de 10.000 unidades no mês,
indique:
- O custo fixo total
- O custo variável total e custo variável unitário.
- O custo do pote total e unitário.
Prática 2
No mês passado, a empresa Xulipa Ltda apresentou os seguintes
custos:
- Matéria prima: R$ 15.000,00
- mão de obra direta: R$ 20.000,00
- energia elétrica: R$ 2.000,00
- aluguel do prédio: R$ 7.000,00
- telefone: R$ 500,00
Nesse período a empresa fabricou 20 unidades do produto Z.
Determine:
A – o custo unitário do produto Z
B – o custo unitário de Z caso a empresa tivesse fabricado 25
unidades
Reflexão
Os custos fixos apresentam uma
característica interessante: são variáveis
quando calculados unitariamente em
função das economias em escala.

Assim como os custos fixos, os custos


variáveis também possuem uma
interessante característica: são
genericamente tratados como fixos em sua
forma unitária;
Despesas
De forma similar aos custos, as despesas
também podem receber esta classificação:

Despesas fixas: não variam em função do


volume de vendas. Exemplo: aluguel e seguro
das lojas, propaganda;
Despesas variáveis: variam de acordo com as
vendas. Exemplo: comissões de vendedores,
gastos com fretes (?).
Prática 3: Classifique em Investimento, Perda
Despesa, Custo, ... E se são fixos ou variáveis.
Comissões sobre vendas
Consumo de açúcar em fábrica de doces
Energia elétrica – consumo da área administrativa
Energia elétrica – consumo da área industrial
Fretes de entregas
Aquisição de veículo para entregas
Fretes de insumos produtivos
Gastos com depreciação da fábrica
Gastos com depreciação de computadores das lojas
Gastos com manutenção fabril
Compra de máquina industrial
Gastos com seguros das fábricas
Classifique em Investimento, Perda Despesa,
Custo, ... E se são fixos ou variáveis.
Gastos com seguros das lojas
Gastos com supervisão da linha de produção
Aquisição de Matéria Prima
Consumo de matéria prima no processo fabril
Contratação de propaganda no jornal
Consumo de material de escritório
Embalagem consumida na indústria
Tempo de greve do pessoal da fábrica
Salários e encargos do pessoal do RH
Combustível gasto pelo veículo dos vendedores
Custo Unitário e Total
Os sistemas de custos normalmente possuem recursos
para informar os custos totais e unitários de produção.
O custo unitário é obtido através da divisão de uma
quantidade total de custos por um número de
unidades, unidades estas que podem ser expressas
como por exemplo: por horas trabalhadas, itens
produzidos, embalagens transportadas, etc.
Supondo-se que num certo período, para produzir
1000 cadeiras, os custos totais de uma empresa foram:

Custo Variável: R$ 30.000


Custo Fixo: R$ 15.000
Custo Total: R$ 45.000
Custo Unitário = R$ 45.000 ÷ 1000 = R$ 45,00
Atenção !!!

Imagine-se que agora esta mesma empresa resolva


fazer um orçamento para o próximo período, com
estimativa de produção de 800 cadeiras (queda nas
vendas), e para tanto se utilize do custo unitário do
último período para prever seus custos de
produção:

Custo Total = R$ 45,00 X 800 = R$ 36.000


Mas...
Ao final do período, a empresa observará que seus
custos totais realizados ficarão bem acima do orçado,
conforme apuração apresentada abaixo:

Custo Variável: R$ 30,00 X 800 = R$ 24.000


Custo Fixo: R$ 15.000
Custo Total: R$ 39.000

Resultará, portanto num custo total 'subestimado' em


R$ 3.000 (R$ 39.000 - R$36.000). Tendo em vista este
novo nível de produção, o custo unitário da cadeira
agora passaria a ser de:

Custo Unitário: R$ 39.000 ÷ 800 = R$ 48,75


Prática 4: Uma Confeitaria apresentou em fevereiro/2018 as
seguintes informações extraídas de seu sistema de custo:

Sabendo-se que nesse mês a confeitaria fabricou 126.000 doces do mesmo


tipo, indique o custo unitário de cada doce: ________
Subprodutos
São aqueles itens que , nascendo de forma normal durante o processo
de produção, possuem mercado de venda relativamente estável;
Exemplos:
Sementes para óleos, cascas para farinhas, bagaço de cana para
farinhas e adubos (Indústria Extrativa – Agrícola);
Serragem (Indústria de Móveis e Madeiras);
Aparas de metal (Siderurgia);
Sobras de plásticos, aço, etc.

Característica:
Pequena participação na receita da empresa;
Originam-se de desperdícios.
Sucatas
Sucatas são aqueles itens cuja venda é esporádica e realizada
(vendida) por valor não previsível na data em que surgem na produção.
Características:
Ocorrência eventual;
Falta de estabilidade quanto à comercialização;
Compradores eventuais;
Flutuação ou inexistência de preço.

Exemplos:
Equipamentos obsoletos;
Veículos sinistrados;
Imobilizados obsoletos.
Outras Nomenclaturas de Custos

CUSTOS SEMIVARIÁVEIS
Possui as duas naturezas. FIXA E VARIÁVEL

Exemplo: Energia Elétrica


Parte fixa relacionada ao funcionamento das instalações;
Parte variável relacionada à produção.
Outras Nomenclaturas de Custos

CUSTOS PRIMÁRIOS

Soma de MP + MOD.

Não são a mesma coisa que CUSTOS DIRETOS, já que nos


primários só estão esses dois itens. Assim a embalagem é um
custo direto (material de consumo), mas não é primário.
Outras Nomenclaturas de Custos

CUSTOS SECUNDÁRIOS

Custos recebidos via rateio por outros departamentos.


Será explicado quando do estudo de
departamentalização.
Outras Nomenclaturas de Custos

CUSTO DE TRANSFORMAÇÃO

Soma de todos os Custos de Produção, exceto os relativos a MP e


outros adquiridos e utilizados sem nenhuma modificação.
Custo de Transformação representa o valor do esforço da própria
empresa no processo de elaboração de um determinado item.

Compõem dos custos de transformação: mão de obra direta e


indireta, energia elétrica, materiais de consumo industrial, etc...
Bibliografia

• Almeida, Marcelo Cavalcanti. Curso de Contabilidade


Introdutória em IFRS e CPC . São Paulo; Atlas; 2014.
• BORNIA, Antonio Cezar. Análise Gerencial de Custos:
Aplicação em empresas modernas. 3ª. edição. Atlas 2010.
• LEONE, George Sebastião Guerra. Curso de contabilidade de
custos. São Paulo: Atlas, 2010.
• MARION, José Carlos. Contabilidade comercial. 8. ed. São
Paulo: Atlas, 2009.
• MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 9. ed. São Paulo:
Atlas, 2010.
• PEREZ, José Hernandez Junior. Gestão estratégica de Custos.
7. ed. São Paulo: Atlas, 2011.