You are on page 1of 34

Westfalia Separator

do Brasil Ltda
Mechanical Separation
Division

Refino de Óleos Vegetais

O Processo Passo a Passo

Eng. Renato Dorsa


1
OBJETIVOS DO REFINO
1. Remoção de produtos indesejáveis presentes no óleo bruto
 ácidos graxos livres (acidez)
 fosfolipídeos (gomas)
 produtos de oxidação
 metais
 outros

2. Redução do nível de pigmentos.

3. Preservação do valor vitamínico.


(vitamina E ou tocoferol - um antioxidante natural)

4. Mínima perda de triglicerídeos (óleo).

5. Proteção do óleo contra degradação.


2
PROCESSOS QUE ENVOLVEM O REFINO

1. Degomagem: redução do nível de fosfolipídeos (gomas).

2. Neutralização: redução da acidez.

3. Clarificação ou branqueamento: remoção de pigmentos e metais.

4. Desodorização: redução de voláteis que produzem odores.

3
NEUTRALIZAÇÃO

Objetivo:

Etapa do processamento de óleos e gorduras que visa a


remoção dos ácidos graxos livres.

Para esta remoção podem ser utilizadas duas principais formas:

1. Neutralização: remoção por reação química com produto


alcalino (soda cáustica por exemplo).

2. Refino físico: remoção por destilação em alta temperatura e


alto vácuo.

4
REPRESENTAÇÃO DO TRIGLICERÍDIO
(ÓLEO OU GORDURA VEGETAL)

O H H H H H H H H H H H H H H H H H
H
O C C C C C C C C C C C C C C C C C C H
H H H H H H H H H H H H H H H H H H C O H H H H H H H H H H H H H H H H H
H C C C C C C C C C C C C C C C C C C O C H
H H H H H H H H H H H H H H H H H H C O H H H H H H H H H H H H H H H H H
C C C C C C C C C C C C C C C C C H
H O C
H H H H H H H H H H H H H H H H H

Ácido Glicerol ou
esteárico propanotriol

TRI-ESTEARATO DE GLICERINA
5
REPRESENTAÇÃO DO ÁCIDO GRAXO LIVRE

(“ACIDEZ DO ÓLEO”)

H H H H H H H H H H H H H H H H H
O
H C C C C C C C C C C C C C C C C C C
O H
H H H H H H H H H H H H H H H H H

Radical
“ácido” H+

ÁCIDO ESTEÁRICO (C18 H38 O2)


6
NEUTRALIZAÇÃO QUÍMICA
através de reação com soda cáustica)

Radical
“álcali” OH-
Radical
“ácido” H+

H H H H H H H H H H H H H H H H H
O
H C C C C C C C C C C C C C C C C C C

H H H H H H H H H H H H H H H H H
O H H - O - Na

Ácido graxo + soda


= borra (sabão) + água (H2O)

7
REFINO QUÍMICO (ALCALINO)

O refino é composto das seguintes etapas:


1. Condicionamento:
Os fosfatídeos não hidratáveis são modificados para uma forma
hidratável, ou seja, os complexos metal/fosfatídeo são quebrados
através de ácidos em sais metálicos e ácido fosfatídico.
2. Neutralização:
Os ácidos graxos livres são transformados em sabões de sódio
por reação com soda cáustica e separados.
3. Lavagem:
O residual de sabões é removido do óleo através de solubilização
dos mesmos em água quente.
4. Secagem
A umidade residual é removida através de secagem a vácuo. 8
ETAPAS DO REFINO ALCALINO
1. Condicionamento 2. Neutralização

mistura

85oC

Ácido Retenção
fosfórico (tempo de contato)
óleo bruto

9
ETAPAS DO REFINO ALCALINO
2. Neutralização

centrifugação
mistura
do
condicionamento 3. Lavagem

Soda
cáustica Retenção
(tempo de contato) Sabões
(borra)

10
ETAPAS DO REFINO ALCALINO
3. Lavagem

centrifugação
mistura
da
neutralização 4. Secagem
95oC

Água
(~ 10%) Água +
sabões

11
ETAPAS DO REFINO ALCALINO
4. Secagem água

vapor

Sistema de vácuo

da lavagem

Secador
Óleo neutro/seco

12
Neutralização Passo a Passo

O óleo a ser tratado é


conduzido do tanque FIT 201
de óleo bruto pela Vem dos
tanques
bomba PB 101 ao externos

trocador de calor HE
201 onde é aquecido
até a temperatura de
processo. Um medidor PB 101 HE 201
de vazão controla a
vazão de processo e o
sistema de dosagem.
13
Anotações

É preferível a utilização de bomba volumétrica


em lugar da bomba centrífuga pois produz uma
vazão mais constante, sem oscilações.
A temperatura ideal para neutralização do óleo
de soja é da ordem de 85 graus.
O trocador de calor a placas não deve trabalhar
com vapor com temperatura acima de 120
graus centígrados para não danificar as juntas.
O purgador deve ser de bóia ou termostático
para não produzir choques.
14
Neutralização Passo a Passo
Após aquecido, o óleo
TQ 204
recebe através do
sistema de dosagem
quantidade pré
determinada de ácido
fosfórico que tem por
finalidade condicionar as
BV 102 gomas existentes,
TQ 102 MC 203 passando a seguir pelo
misturador MC 203 e
pelo tanque de contato
óleo-ácido TQ 204.
15
Detalhe do sistema de dosagem
retorno

Tanque de
Válvula de soda
contrapressão diluída

Circulação

Filtro
Bomba de duplo
circulação

Medidor
magnético

Dosagem Válvula de
controle
Retenção
Linha de produto

16
Anotações

Este sistema de dosagem apresenta as


seguintes características:
• Dosagem contínua sem pulsos.
• Rangeabilidade elevada atendendo a grandes
variações de vazão e de concentração.
• Possibilidade de alterações nas dosagens
sem descontinuidade no processo.
• Segurança na dosagem pela efetiva medição
das quantidades de reagentes.
17
Neutralização Passo a Passo

A seguir o óleo é
colocado em contato TQ 206

com a soda cáustica


na concentração
adequada proveniente
do um sistema de
dosagem, passando
pelo misturador MC BV 103
205 e pelo tanque de
reação TQ 206. Este TQ 103
MC 205

processo neutraliza os
ácidos graxos livres. 18
Detalhe do tanque de reação

O tanque de reação,
dividido em
Bafles
compartimentos,
faz com que o tempo de Discos
separadores
reação e o contato com a
soda seja homogêneo Agitador

sem destruição dos


flocos de sabão, evitando Câmaras

formação de emulsão e
facilitando o trabalho de
separação.
19
Neutralização Passo a Passo

O sabão produzido SE 207


pela reação com a
soda cáustica é então
separado na
centrífuga SE 207
sendo descarregado
para o tanque de TQ 104

borra TQ 104.
BV 104
A bomba BV 104
envia a borra para o
tanque externo.
20
Neutralização Passo a Passo
O óleo neutro possui um
conteúdo de sabões que
deve ser removido. Para
isto o óleo passa por um
SE 210 segundo trocador de calor
HE 208 onde é aquecido
até a temperatura de
lavagem. A lavagem é feita
MC 209
pela dosagem de uma
quantidade pré
determinada de água
HE 208
quente, misturada ao óleo
através do misturador MC
209 e em seguida separada
na centrífuga SE 210. 21
Anotações

A quantidade de água de lavagem é definida


em função do teor de sabões compatível com o
processo. Uma mínima quantidade de água
pode ser utilizada nesta remoção, deixando o
teor de sabões residual compatível com o
processo posterior de branqueamento ou uma
quantidade maior pode ser utilizada em
recirculação, com adição de ácido de forma a
manter o pH na faixa de 6, evitando-se ao
máximo a formação de efluente líquido.

22
Neutralização Passo a Passo

Sistema de O óleo que sai do


vácuo
processo de lavagem
com um alto teor de
umidade é a seguir seco
SV 214
no secador a vácuo
SV 214 e enviado
através da bomba BC
Óleo seco
107 ao tanque de óleo
neutro que alimenta o
branqueamento.
BC 107

23
Função da Soda Cáustica

A soda é a responsável pela neutralização dos ácidos


graxos livres, transformando-os em sabões.
A quantidade de soda é portanto calculada em função do
teor ácidos graxos livres e da porcentagem de gomas.
Teoricamente:
40 g de soda neutralizam 282 g de ácido oleico.
O excesso soda insolubiliza as gomas no óleo permitindo
sua separação.
(Gomas + Sabões = Borra)
A borra arrasta pigmentos por adsorsão.
Os fosfatídeos não hidratáveis permanecem no óleo.
24
Fatores que afetam as reações

 Concentração da solução de soda (12 - 20 oBé)

 Temperatura de reação (~ 85 graus)

 Tempo de contato (5 a 10 minutos)

25
Deve-se evitar:

 Saponificação do óleo
 Formação de emulsões

NaOH

tempo de contato
EMULSÕES SAPONIFICAÇÃO

temperatura

26
Concentrações de Soda

Para óleos com acidez: recomenda-se:


de 0,4 a 0,6% 12 a 14ºBé
de 0,7 a 0,9% 15 a 17ºBé
de 1,0 a 1,2% 18 a 19ºBé
de 1,3 a 1,5% 20 a 21ºBé
de 1,6 a 2,0% 22 a 24 ºBé

27
Excesso de soda em função da acidez do óleo

%AGL no óleo bruto % excesso NaOH


0,1 - 0,9 12 - 18 %
1,0 - 4,0 20 - 25 %
4,1 - 6,0 30 - 40 %
6,1 -8,0 ~ 50 %

28
Excesso de Soda
a) excesso de 0 a 5%: O óleo não é neutro; há tendência a formação de
emulsão; o controle de processo é difícil havendo tendência de quebra de
selagem na centrífuga. A acidez da matéria graxa da borra é da ordem de 50%
ou menos (baixa).

b) excesso de 5 a 15%: O óleo é neutro (acidez menor que 0,07%); a borra


apresenta superfície dura e lisa com reação neutra à fenolftaleína. A acidez da
matéria graxa se situa entre 60 e 70%.

c) excesso de 15 a 30%: A borra apresenta consistência pastosa, não


completamente fluida, reagindo lentamente à fenolftaleína com coloração
vermelha. A acidez da matéria graxa se situa próximo a 70%.

d) excesso de 30 a 50%: A borra apresenta uma consistência bastante fluida


reagindo rapidamente à fenolftaleína (vermelho intenso). A acidez da matéria
graxa se situa entre 80 a 90% e o teor de sabões no óleo neutro se apresenta
elevado.

e) excesso maior que 50%: Aparece a formação da terceira fase (solução 29


concentrada de eletrólitos). O teor de sabões no óleo neutro é alto.
Condições de lavagem

 Única:
 15% água quente (90-95 graus)

 Dupla:
 2 x 10% de água (abrandada)

 Utilizar somente água abrandada (isenta de sais


de cálcio e magnésio)

 Obs.: 1a. Lavagem ~50 ppm de sabões


2a. Lavagem ~10 ppm de sabões
30
Ajustes da Centrífuga

 Vazão:
Vazões 10% acima ou 50% abaixo da nominal implicam em
aumento das perdas ou prejuízo na qualidade do produto.
 Contra pressão:
Alta contrapressão implica em maiores perdas e baixa
implica em menor qualidade do produto final.
 Fine tuner:
Permite o melhor ajuste de vazão da fase pesada e ajuste
fino da linha de separação e portanto ajusta perdas /
qualidade, para diferentes tipos de óleos e para diferentes
vazões.

31
Pontos Relevantes na Operação

 A centrífuga ou separadora é um acelerador de decantação


e não provoca nenhuma alteração química nos produtos.
Portanto a eficiência de separação depende da preparação
anterior (dosagem, mistura, tempo de contato, temperatura).

 Para que a centrífuga opere corretamente deve-se ajustar a


linha de separação ou seja, fazer com que o início da
separação coincida com os rasgos dos canais de ascensão,
através da contrapressão de saída da fase leve.

32
Ajuste da zona de separação

Fase pesada
Pelo ajuste da
(borra)
contrapressão de
Fase leve saída da fase leve
(óleo) (óleo) podemos
deslocar a posição
da linha de
separação e fazer
com que a máquina
trabalhe nas
condições ideais de
separação.

Linha de separação 33
Planta Completa de Neutralização

Dosagem de
Dosagem de Dosagem de água de lavagem
ácido fosfórico soda concentrada

Secagem a
vácuo

Condicioname Neutralização Lavagem


nto ácido

Borra

34