You are on page 1of 17

DE LESTE 3

OFICINA PEDAGÓGICA
ORIENTAÇÃO TÉCNICA
2º ENCONTRO

EQUIPE CICLO I
23/02/2010
PAUTA DO DIA

n COMBINADOS PCOPs e PCs


n ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA DE


RECUPERAÇÃO PARALELA (SUPERVISORA EDNA)
n
n RECUPERAÇÃO PARALELA CICLO I
n
n ALMOÇO
n
n COMPARATIVO DOS MAPAS
n
n SONDAGEM

COMBINADOS 2010
Orientação técnica

n Horário das 08:30 às 17:30


n Dia: todas as terças-feiras
n Organização do ambiente (cadeiras e lixo)
n Conversas paralelas
n Celular silencioso
n
De responsabilidade do PC

n Assinar todas as listas (recibo / presença)


n Entrega (planilhas de levantamentos, resultados das sondagens e outros)
Obs.: O não cumprimento será encaminhando para o Supervisor
responsável da U.E e também para o Dirigente
n Evitar sair da sala durante a reunião
n Abrir o e-mail pessoal / pedagógico no mínimo duas vezes ao dia (manhã e
tarde)
n O diretor deverá justificar a ausência para Dirigente através de ofício
n Organizar os materiais que serão acompanhados durante a visita da PCOP

n
Ler e Escrever

n Organização dos grupos (será realizado pela Formadora Regina Câmara)


n Certificado do curso Ler e Escrever está relacionado com a entrega dos
trabalhos e a frequência
n Respeitar as datas de entrega dos trabalhos pessoais e a formação dos
grupos

Bolsa Alfabetização
n Aguardar informações, pois até o momento as Faculdades não fecharam
contrato com a FDE
n Documentações: encaminhamentos, folha de frequência
n Acolhida do aluno pesquisador
n Digitação: sempre no primeiro dia útil de cada mês
n Algumas considerações: trocas de horário só poderá ser efetuada na D.E.
 O aluno-pesquisador não poderá ser encaminhado para a sala do primeiro
ano (1º ano) e sim para o segundo ano (2º ano) que equivale a antiga
primeira série.
n Desativação: somente através de ofício, que deverá ser encaminhado a
D.E . aos cuidados da Equipe do Ciclo I
n
ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA
DE RECUPRAÇÃO PARALELA
n
n
v 1 – IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR

v 2 – DIRETRIZES GERAIS DE ATENDIMENTO


 Considerando o princípio básico que fundamenta o processo de ensinar e


aprender e o respeito a pluralidade dos ritmos e características dos alunos;
o compromisso da escola de atender a essa pluralidade, proporcionando
oportunidades diversificadas que assegurem efetivamente aos alunos
condições favoráveis à superação das dificuldades encontradas em seu
percurso escolar que os estudos de recuperação é um direito garantido. A
recuperação se dará de forma contínua, paralela e ao final do ciclo.

n
v 2.1 – Critérios de Agrupamentos

n Prioritariamente, em grupos de alunos do mesmo nível de ensino,


organizados por classe/série, por dificuldades de aprendizagem.
n O atendimento em grupos deve reunir alunos com dificuldades
semelhantes.
n Em caráter excepcional, e de forma individualizada, para aqueles alunos
que necessitam, temporariamente, de um trabalho específico.
n O atendimento individualizado de estudos de recuperação paralela, por se
revestir de caráter pontual, transitório e circunstancial somente deverá
ocorrer quando a especificidade das dificuldades/necessidades
apresentadas pelo aluno o impossibilita de compor de imediato, os
respectivos grupos de estudos, caracterizando-se como um caso
especial, que poderá comportar, inclusive, a participação concomitante
do aluno nas duas formas de atendimento.
v 2.2 – Locais e horários disponíveis
v As aulas deverão ser desenvolvidas em horário não coincidente com a
frequencia dos alunos às aulas regulares da classe a que pertence,
podendo, ser realizada na pré ou pós aulas, no contraturno ou aos
sábados.
v Em havendo necessidade das aulas de recuperação paralela virem a ser
desenvolvidas em local estranho ao âmbito escolar, o atendimento às
dificuldades de aprendizagem individualizado somente poderá ocorrer
em espaço próprio da Unidade Escolar.
v Devido às diferentes formas de atendimento aos alunos o horário das aulas
e por consequência do(s) professor (es), deve ser flexível, na medida
em que a composição dos grupos ou o trabalho individualizado, pode ou
deve ser alterado.
v O horário das aulas de recuperação deverá ser elaborado de forma a
contemplar no, caso de escolas com até 15 (quinze) classes, o mínimo
de três dias por semana, desde que assegurado o atendimento aos
alunos.
v Ciclo I : total de 4 horas de Estudo de Recuperação, sendo no mínimo 2
horas e no máximo 3 horas com aluno em dificuldade de aprendizagem.
O restante das horas de estudo poderá ser coletivo ou individual, para
as horas de Estudo é necessário elaborar um Plano de Estudo.

n
v
v 3 – ESTRATÉGIAS DE DIAGNÓSTICO
v Ações resultantes de reuniões de trabalho (Conselhos de classes bimestral
e final; HTPC, pontuando as intervenções pedagógicas para viabilizar a
retomada dos conhecimentos, saberes e conceitos não compreendidos
pelos alunos).
v Avaliação diagnóstica dos alunos encaminhados para recuperação, com
vistas a um maior detalhamento das dificuldades apresentadas
preliminarmente pelo professor da classe.
v Avaliação sistemática do desempenho dos alunos na recuperação paralela
e nas aulas regulares.
v
v 4 – ESTRATÉGIAS DE ENSINO
v Atividades significativas e diversificadas.
v Utilização de diferentes materiais e ambientes pedagógicos.

v
v 5 – ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO
v Identificação detalhada das dificuldades de aprendizagem dos alunos.
v Avaliação continua dos alunos atendidos, aferindo os avanços
conquistados, com vistas à sua permanência ou não nas atividades de
recuperação.
v Incorporação da avaliação das atividades de recuperação, na síntese do
desempenho bimestral obtido pelo aluno na respectiva disciplina.
v
v 6 – ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO
v Orientações técnicas promovidas pela Diretoria de Ensino
v Participação em HTPC
v Estímulo e motivação à auto formação.

v 7 – ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO AOS PAIS E RESPONSÁVEIS


v Informar aos pais e responsáveis as dificuldades apresentadas pelos
alunos, bem como a necessidade e objetivos da recuperação, os
critérios de encaminhamento e a forma de realização.

n
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
 ALÉM DA PROPOSTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA, A ESCOLA
DEVERÁ ELABORAR UM PLANO BIMESTRAL DE ACOMPANHAMENTO
DOS AGRUPAMENTOS.

v O PLANO DE ACOMPANHAMEMNTO DEVERÁ CONTER:


 1 – Critérios do agrupamento
 2 – Dia e horário
 3 – Local
 4 – Professor Regente
 5 – nomes dos alunos do agrupamento, identificando:
 série
 Síntese das dificuldades verificadas por meio de avaliação diagnóstica
 Expectativas de aprendizagem (gerais)
 Conteúdos/ encaminhamentos didáticos (síntese)
 Procedimentos avaliativos (síntese)
HÁ NECESSIDADE DA ELABORAÇÃO DE UM PORTFÓLIO DE CADA

AGRUPAMENTO
v

v
RECUPERAÇÃO PARALELA
CICLO I
Resolução SE 92, de 8-12-2009

 Dispõe sobre estudos de recuperação aos alunos do ciclo I do ensino


fundamental das escolas da rede pública estadual

O Secretário da Educação, à vista do que lhe representou a Coordenadoria de


Estudos e Normas Pedagógicas e considerando:
O respeito à pluralidade dos ritmos e características dos alunos no processo

de aprendizagem;
A necessidade de diagnósticos precisos e claros das dificuldades dos alunos

no processo de aprendizagem;
A responsabilidade da escola de compartilhar os diagnósticos, atender a

pluralidade de demandas e garantir a oferta de diversas oportunidades de


aprendizagem; e
A comprovação do aumento das oportunidades de recuperação da

aprendizagem quando esta ocorre sob a responsabilidade direta do


professor da classe, resolve:
Artigo 1º - a partir de 2010, todos os professores do ciclo I, 1º ao 5º ano do

ensino fundamental, farão jus a seis horas de trabalho pedagógico, para


garantir, de forma continua e imediata, oportunidades de estudos de
recuperação, objetivando superar as dificuldades encontradas pelos alunos
no processo de escolarização.

§ 1º - a carga horária de trabalho pedagógico de que trata o caput deste artigo


destina-se:

a) à atuação direta dos professores em intervenções pedagógicas que


superem as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelos alunos nas
aulas regulares;
a)
b) ao acesso a subsídios pedagógicos que auxiliem o professor em sala de

aula, propiciando situações didáticas adequadas aos alunos com


dificuldades de aprendizagem;

c) à avaliação sistemática e regular do processo de recuperação contínua;


d) à atuação direta e diversificada dos professores no atendimento das


necessidades de aprendizagem dos alunos, individualmente ou em grupos


previamente constituídos.

 § 2º - o atendimento, na forma prevista na alínea “d”, poderá ocorrer com
agrupamento de alunos por série, nível de conhecimento, ou por qualquer
outra forma pedagogicamente recomendável.

 Artigo 2º - para atendimento à recuperação contínua, a unidade escolar


deverá se reorganizar continuamente de modo a assegurar o
desenvolvimento de todos os recursos disponíveis para a recuperação
previstos nesta resolução.

Artigo 3º - Todo trabalho de recuperação desenvolvido pelos professores, nas


aulas a esse fim destinadas, deverá ser programado, documentado e
previamente divulgado aos pais.
Parágrafo único - Deverão ser lançados, ao final de cada bimestre, nos

registros de avaliação dos alunos, os resultados alcançados nos estudos de


recuperação.

 Artigo 4º - Continua vigendo o Projeto Intensivo no Ciclo - PIC.


 Artigo 5º- na viabilização das atividades de recuperação dos alunos, caberá


ao Diretor e ao Professor Coordenador:

n
n
n

a) elaborar, em conjunto com os professores envolvidos, as respectivas

propostas, encaminhando-as à Diretoria de Ensino para aprovação, após a


devida análise do Supervisor de Ensino e do Professor Coordenador da
Oficina Pedagógica responsável pelo Programa “Ler e Escrever”;

b) definir, juntamente com o professor responsável pela recuperação, os


critérios de agrupamentos de alunos e ou de formação de grupos, a definição


do local, período e horário de realização e o encaminhamento de
informações aos pais ou responsáveis;

c) coordenar, implementar e acompanhar as propostas aprovadas,


providenciando as reformulações, quando necessárias;


d) disponibilizar ambientes pedagógicos e materiais didáticos que favoreçam o


desenvolvimento das atividades propostas;


e) informar aos pais as dificuldades apresentadas pelos alunos, bem como a
necessidade e objetivo da recuperação, os critérios de encaminhamento e a
forma de realização;
f) avaliar os resultados alcançados nas propostas implementadas, justificando a

necessidade de sua continuidade, quando necessário;


g) promover condições que assegurem a participação dos professores

responsáveis pela recuperação em ações de orientação técnica


desenvolvidas pela Diretoria de Ensino.

n
n
Artigo 6º - As turmas e as matrículas dos alunos encaminhadas para
recuperação paralela serão cadastradas em opção específica no Sistema
de Cadastro de Alunos do Estado de São Paulo.
Parágrafo único - As unidades escolares deverão realizar a manutenção

sistemática dos registros dos alunos encaminhados à recuperação e lançar,


ao final do semestre, o resultado alcançado ao longo dos estudos de
recuperação.

Artigo 7º - o processo de recuperação contínua criado e implantado pela


presente resolução será acompanhado e avaliado pela Diretoria de Ensino,
Coordenadorias e Equipe do Ciclo I da CENP.
Parágrafo único - a continuidade da presente proposta para os anos seguintes

dependerá dos resultados obtidos na avaliação a que está sujeita a


proposta, no ano de 2010.
n
Artigo 8º - Os casos omissos na operacionalização das diretrizes

estabelecidas pela presente resolução, quando devidamente apresentados


e justificados pela Direção e Supervisão de Ensino, serão decididos pelo
Dirigente Regional de Ensino, consultada previamente a equipe do Ciclo I
da CENP.
n
Artigo 9º - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando

n
revogadas as disposições em contrário.
HORA DO ALMOÇO