You are on page 1of 53

MOLDAGEM

POR
INJEÇÃO

by Torres -
2006
MATÉRIA PRIMA

MÁQUINA

MOLDE

PRODUTO FINAL
A Máquina de Injeção
Funil de Alimentação do Material
Sistema de
Extração Molde

Unidade de Unidade de
Fechamento Injeção

3
O Molde de Injeção
Funções do Molde Sistemas do Molde
Dar forma ao materialCavidade e Machos
Conduzir material até aSistema de alimentação
cavidade
Expelir ar da cavidade duranteSistema de ventagem
preenchimento(saídas de ar)
Manter suas partes alinhadasSistema de alinhamento
durante todo processo
Resfriar o materialSistema de resfriamento
Abrir para permitir extraçãoLinha de separação
Extrair o produto moldadoSistema de extração 4
Cavidade e Machos

5
Cavidade e Machos

6
Sistema de Alimentação

Distribuir material para as cavidades


Balancear preenchimento de múltiplas
cavidades
Balancear preenchimento de cavidades com
múltiplos pontos de injeção
Minimizar refugo
Facilitar extração
Maximizar eficiência de consumo de energia
Controlar tempo de preenchimento,
pressurização e recalque
7
Sistema de Alimentação
(Canal frio)
 Alimentação direta  Alimentação indireta

8
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)
Aquecimento Aquecimento
Canal isolado
com torpedo externo

9
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)

10
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)

11
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)

12
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)
 Redução do custo do produto
 de mão-de-obra

 de matéria-prima

 de energia

 Redução do tempo de ciclo


 Menor tempo de resfriamento

 Menor curso de abertura

 menor tempo de injeção

13
Sistema de Alimentação
(Câmara Quente)
 Emprego de injetoras mais baratas
 Menor capacidade de plastificação
 Menor pressão de injeção
 Menor força de fechamento
 Melhoria na qualidade do produto
 Não há contaminação/degradação de moídos
finos
 Maior uniformidade de pressão na cavidade
 Melhor controle da velocidade de escoamento
 Não há problemas de desbalanceamento
14
Sistema de Alimentação
(Balanceamento)
 Moldes desbalanceados:
 Desequilíbrio na força de afastamento das faces

 Formação de rebarbas

 Desgaste desequilibrado das colunas da máquina

Balanceamento

Maior área Áreas


15
iguais
Sistema de Alimentação
(Balanceamento)
 Moldes desbalanceados:
 Preenchimento não
simultâneo das
cavidades
 Variação de temperatura
de massa, pressão e
velocidade de
escoamento 
Irregularidade nas
propriedades do produto
16
Sistema de Alimentação
(Balanceamento)
 Balanceamento natural:
 Queda de pressão deve ser igual para todas as
cavidades:
 Disposição das cavidades  mesma distância do
canal de injeção à entrada da cavidade
 Canais de distribuição com tamanhos diferentes

Balanceamento
17
Sistema de Alimentação
(Balanceamento)
 Moldes “Família”

18
Sistema de Alimentação
(Bucha de Injeção)
 Não deve se solidificar antes de qualquer outra
parte do sistema de alimentação ou cavidade
 Deve permitir fácil desmoldagem

19
Sistema de Alimentação
(Geometria do Canal)
 Considerações de projeto:
 Resistência ao escoamento

 Troca de calor com o molde

 Facilidade de fabricação do molde

20
Sistema de Alimentação
(Geometria do Canal)
 Diâmetro hidráulico  quanto maior, menor a
resistência ao escoamento
 Dh= 4A/P (4*área/perímetro)

21
Sistema de Alimentação
(Geometria do Canal)
 Dimensionamento em função de:
 comprimento do caminho de fluxo
 massa da peça
 espessura nominal da peça
 viscosidade do material
 Diâmetro do canal deve ficar entre 2 e 10 mm
 ABS  4,8 a 9,6 mm
 PS  3,2 a 9,6 mm
 Nylon  1,6 a 9,6 mm
 Acrílico  8,0 a 9,6 mm
 PVC rígido  6,4 a 16 mm

22
Sistema de Alimentação
(Geometria do Canal)
 Exemplo: Peça em ABS com 300 g, espessura 3 m e
canais com comprimento 200 mm  5,8 *1,29 = 7,5 mm

23
Sistema de Alimentação
(Geometria do Canal)
 Canais de pequeno diâmetro:
 Aumentam geração de calor por dissipação

viscosa
 Minimizam desperdício de material

 Canais devem ter diâmetro menor que o do canal


da bucha de injeção
 Diâmetro de ramificações dos canais:
 D
ramo = Dprincipal * N (N= número de ramos)
1/3

 Polimento dos canais para facilitar extração


24
Sistema de Alimentação
(Poço Frio)
 Evitar que o material mais frio da frente de fluxo
entre na cavidade

25
Sistema de Alimentação
(Tipos de Entrada)

Entrada direta Entrada


convencional (edge
gate) 26
Sistema de Alimentação
(Tipos de Entrada)

Entrada em
filme

Entrada em Entrada em
disco ou anel 27
Sistema de Alimentação
(Tipos de Entrada)
Entrada
em aba
(tab)

Entrada em
leque

Entrada
sobreposta 28
Sistema de Alimentação
(Separação do Canal)

29
Sistema de Alimentação
(Separação do Canal)

MOLDES COM 3
PLACAS

30
Sistema de Alimentação
(Separação do Canal)

MOLDES COM 3
PLACAS 31
Sistema de Ventagem
(Saída de Ar)

 Eliminar ar da cavidade
durante o preenchimento
 Canais na superfície de
fechamento
 Folga dos pinos extratores

32
Sistema de Resfriamento

33
Sistema de Resfriamento
(Dimensionamento)

34
Sistema de Resfriamento
(Machos)

35
Sistema de Resfriamento
(Pequenas peças)

36
Sistema de Resfriamento
(Pequenas peças)

37
Sistema de Alinhamento
(Colunas e Buchas)
 Pinos e buchas-guia:
 Evitar que pressão na
cavidade desalinhe as
placas porta-cavidade
 Garantir perfeito
fechamento do molde

COLUNA DESLOCADA
38
Sistema de Alinhamento
(Áreas Cônicas)
 Linhas de separação com
áreas cônicas:
 Evitar que pressão na
cavidade desalinhe as
placas porta-cavidade
 Garantir perfeito
fechamento do molde

39
Sistema de Alinhamento
(Centragem)
 Anel centragem:
 Garantir alinhamento
do canal do bico de
injeção da máquina
com o canal da
bucha de injeção do
molde

40
Sistema de Alinhamento
(Centralizadores)

Área Cônica
Placa de com Placa de
Fechamento Fechamento

41
Sistema de Extração

 Tipos:
 Extração Manual

 Extração Mecânica

 Extração Mecânica acionada por hidráulica

 Extração Pneumática

 Extração Hidráulica

 Extração Rotativa (com acionamento


manual, mecânico ou elétrico)

42
Sistema de Extração
(Mecânica – Convencional)
 Extratores:
 Pinos
 Lâminas
 Camisas ou luvas
 Placa
 Reposicionamento dos
extratores:
 Pino de retorno
 Mola
 Hidráulico
 Alinhamento / guia
 Pinos e buchas-guia
43
Sistema de Extração
(Mecânica por Hidráulica)
 Igual à convencional,
porém com uma barra
de acionamento
hidráulico para
possibilitar controle da
extração independente
da velocidade e pressão
de abertura do molde

44
Sistema de Extração
(Regras Básicas)
 Peças não podem ter paredes paralelas à
direção de abertura do molde  ângulo de
extração
 Peças e canais devem ser deslocados para o
lado móvel, pois é desse lado que está a barra
extratora da máquina:
 Contração natural sobre o macho  macho
deve ficar do lado móvel
 Uso de artifícios de retenção dos canais

45
Sistema de Extração
(Ângulo de Extração)
 Relação entre ângulo de extração e força de
extração para PE e ABS

46
Sistema de Extração
(Retenção de Canal)
Gancho
italiano

Farpa

Colarinho
47
Sistema de Extração
(Pneumática)

48
Sistema de Extração
(Rotativa)

49
Sistema de Extração
(Lado Fixo)
 Extração por placa acionada
por corrente ou tirante

50
Machos Laterais

 Machos laterais para moldagem e extração de


peças com detalhes perpendiculares à direção
de abertura
 Gavetas ou mandíbulas acionadas por pinos
 Mandíbulas acionadas por sistema de
extração
 Mandíbulas acionadas
por tirantes
 Gavetas hidráulicas

51
Mandíbulas

52
Gavetas Hidráulica

53