You are on page 1of 4

1.

Avaliação dos alunos


O Conselho de Turma, após cuidadosa apreciação, procedeu ao registo dos níveis atribuídos
aos alunos, às diversas áreas curriculares disciplinares e não disciplinares, nos documentos
previstos por lei.

2.Caracterização global da Turma quanto ao aproveitamento;


No que concerne ao aproveitamento, o conselho de turma considerou-o satisfatório, apesar de
existirem seis alunos com planos, sendo quatro de recuperação e dois de acompanhamento. À
semelhança do primeiro período, os docentes, a fim de tentarem colmatar as dificuldades de
aprendizagem sentidas por alguns alunos e a falta de empenho demonstrada por outros,
continuarão a ajustar estratégias, no sentido de motivar os alunos para o estudo, de lhes incutir
algum interesse e de os incentivar para algumas das mais-valias que poderão usufruir com
uma atitude mais responsável e consciente. Por outro lado, continuarão a tentar individualizar o
ensino sempre que possível, responsabilizar os Encarregados de Educação, valorizar o
trabalho desenvolvido pelos alunos, verificar a organização do caderno diário, bem como a
elaboração de pequenas tarefas de trabalho de casa e diversificar as actividades, a fim de
contribuírem para um crescente empenho e interesse dos alunos em relação às tarefas
escolares.

3.Caracterização global da Turma quanto ao comportamento;


Relativamente ao comportamento da turma, este foi considerado pouco satisfatório, pois os
alunos continuam a ser bastante conversadores, distraídos, agitados e desconcentrados,
destacando-se pela negativa os alunos números: quatro, António Dias, sete, Daniel Babo, oito,
Diogo Santos, onze, João Santos, treze, José Sousa, quinze, Luís Sousa, dezasseis, Luís
Mendes, dezanove, Rafael Silva, vinte e um, Roberto Faria e vinte e três, Rui Cunha. É de
salientar que estes elementos continuam a demonstrar ainda não terem interiorizado as regras
básicas de comportamento dentro da sala de aula provocando, por vezes, a dispersão dos
restantes elementos, o que prejudica o rendimento escolar dos mesmos. Os docentes da turma
vão continuar atentos a esta realidade e, na medida do possível, vão continuar a uniformizar as
medidas de actuação e terem uma acção firme, para que os referidos alunos modifiquem estas
atitudes perturbadoras. Do conjunto de estratégias que têm vindo a ser implementadas é de
referir: as constantes advertências e comunicações das ocorrências, via caderneta ou caderno
diário, já que a maior parte das vezes os alunos não se fazem acompanhar da respectiva
caderneta, aos Encarregados de Educação dos alunos perturbadores e à Directora de Turma.
Por sua vez, a Directora de Turma tem mantido os Encarregados de Educação informados
acerca de todos estes comportamentos inadequados, quer através de caderneta, quer através
do horário de atendimento semanal, quer ainda através de contacto telefónico.

4.Coordenação das actividades da Turma;


Alguns alunos da turma participaram no Concurso Canguru Matemático dois mil e onze que se
realizou no passado dia dezassete de Março.
Os alunos também participaram no desfile de Carnaval que se realizou no dia quatro de Março.

5.Identificação de situações de risco de abandono ou de fraca assiduidade e medidas


tomadas ou a tomar;
No que à assiduidade diz respeito, não há a salientar situações de risco de abandono ou de
fraca assiduidade injustificada.

6.Elaboração dos Planos de Recuperação e Desenvolvimento (despacho-normativo


50/2005 de 9/11/2005);
Não foram elaborados novos planos de recuperação e nenhum aluno apresenta os requisitos
necessários à elaboração de um plano de desenvolvimento.

7.Avaliação dos Planos de Acompanhamento, Recuperação, Desenvolvimento e das


aulas de recuperação e de apoio em funcionamento;
Seguidamente, o Conselho de Turma pronunciou-se em relação aos Planos de
Acompanhamento dos alunos número doze, José Magalhães, e vinte e três, Rui Cunha, tendo
os mesmos sido reformulados. No caso do primeiro aluno referido, foram acrescentadas a
disciplina de Ciências Físico-químicas e a área curricular não disciplinar de Área de Projecto. O
Conselho de Turma referiu, também, que as modalidades implementadas são adequadas às
dificuldades diagnosticadas, apesar de não estarem ainda a surtir o efeito desejado pelo pouco
empenho manifestado.
Em relação aos Planos de Recuperação, foram reformulados os planos dos seguintes alunos:
treze, José Pedro, tendo sido acrescentada a disciplina de Matemática; número dezanove,
Rafael Silva, ao qual se acrescentou a área curricular não disciplinar de Formação Cívica. O
Conselho de Turma verificou que, até ao momento, estes alunos têm demonstrado pouco
interesse e empenho em superar as dificuldades diagnosticadas, nomeadamente nas aulas de
apoio, quer de Língua Portuguesa, quer de Matemática.
Quanto aos Encarregados de Educação destes alunos, todos tomaram conhecimento dos
Planos de Recuperação e mostraram-se preocupados face ao percurso escolar dos respectivos
educandos e comprometeram-se a acompanhar mais de perto todo o trabalho dos mesmos.
Foram entregues à Directora de Turma os relatórios das aulas de apoio das disciplinas de
Língua Portuguesa e de Matemática, que seguem anexos a esta acta. Foi excluído das aulas
de apoio a Matemática, conforme proposta da docente que a lecciona, o aluno dezanove,
Rafael Silva, por manifestar falta de empenho e interesse por estas aulas, perturbando
constantemente os restantes alunos e o normal funcionamento das mesmas.

8.Coordenação da Área de Projecto


Em Área de Projecto, durante o segundo período, a turma trabalhou em dois projectos
paralelos. O primeiro, intitulado “Polirritmia Desportiva”, esteve relacionado com os trabalhos
desenvolvidos durante o primeiro período, sob o tema “Música e Desporto”. O projecto foi
essencialmente prático e consistiu numa peça com percussão corporal, que estudámos e
adaptámos. A turma foi dividida em grupos que representavam os vários desportos praticados
pelos alunos. Assim, foram utilizados “instrumentos” de desporto – raquetes de ténis, sticks de
hóquei, óculos de natação e bolas de futebol e basquetebol – para produzir os sons. Havia
ainda o grupo “claque” que produzia os ritmos com palmas. Este projecto foi apresentado no
Concerto de Carnaval do Conservatório do Vale do Sousa, no Auditório Municipal de Lousada,
no passado dia cinco de Março.
O outro projecto foi desenvolvido individualmente, e consistiu na elaboração do Curriculum
Vitae de cada aluno.

9.Coordenação do Plano de Informação aos Alunos;


As actividades estão a decorrer de acordo com a respectiva planificação.

10.Conclusão do Projecto Curricular de Turma;


O Projecto Curricular de Turma encontra-se concluído, podendo ser reformulado sempre que
for pertinente.

11.Coordenação da articulação curricular;


As articulações curriculares estão a ser realizadas conforme o previsto.

12.Verificação do Livro de Ponto;


Foi verificado o livro de ponto, estando exarados todos os sumários, números de aula e
assinaturas.

13.Outros assuntos (por exemplo troca de disponibilidades de horário para eventuais


permutas de aulas).
A Directora de Turma deu a conhecer os contactos que tem efectuado com os Encarregados
de Educação, dando ênfase aos aspectos que, de alguma forma, poderão ser relevantes para
a actuação didáctico - pedagógica de cada um.
Ainda nos outros assuntos, foi discutido o Projecto de Educação Sexual da escola e
apresentados os objectivos específicos, para o sétimo ano de escolaridade, abordados nas
aulas de Formação Cívica. O conteúdo que está a ser leccionado é “Saúde Sexual
Reprodutiva: Contracepção”, com incidência nos seguintes objectivos: conhecer o conceito de
planeamento familiar, classificar e descrever os diferentes métodos contraceptivos, conhecer
as vantagens e inconvenientes dos principais métodos contraceptivos, conhecer a forma de
uso dos métodos contraceptivos, conhecer os centros de saúde da localidade e o seu
funcionamento a nível de planeamento familiar e saber onde e como se podem obter os
métodos contraceptivos mais utilizados.
A professora de Ciências Físico-Químicas informou o Conselho de Turma que a turma tem
vindo a piorar o seu comportamento, em particular o primeiro turno (até ao número treze), que
no momento da entrega dos testes contesta continuadamente a sua correcção. Ainda neste
ponto, é de destacar o comportamento do aluno número quatro, António Pedro Dias, que
mesmo sendo repreendido nunca se cala, levando inclusivamente a professora, numa
determinada aula (a de sete de Abril de dois mil e onze), a colocá-lo num lugar isolado dos
seus colegas. No entanto, mesmo com esta repreensão, o aluno, aproveitando um momento de
distracção da professora, mudou de lugar (voltando para junto dos seus colegas), sendo mais
uma vez repreendido e contestando, mais uma vez, a posição da professora.
Para confirmar estas informações, na auto-avaliação destes alunos, só dois do primeiro turno e
quatro do segundo afirmaram que se portavam sempre bem, ao contrário dos restantes,
chegando mesmo um aluno a afirmar que o que menos gostou na disciplina de Ciências Físico-
químicas neste período foi “ter havido várias interrupções por causa de brincadeiras”.
No passado dia vinte e nove de Março de dois mil e onze, realizou-se o teste escrito e oral de
Formação Musical. Não tendo tido tempo de ouvir todos os alunos na realização de um
exercício de leitura, na aula de Formação Musical da turma sétimo A um, a docente aproveitou
o final da aula de Área de Projecto para o fazer. Quando tocou, às onze e quarenta e cinco,
pediu a alguns alunos, entre eles o aluno número vinte e três, Rui Rafael Cunha, para
permanecerem na sala mais um pouco, para terminarem o exercício. Durante o intervalo,
esteve a ouvir o referido exercício junto de cada aluno, encontrando-se de costas para o aluno
Rui, que estava sentado ao fundo da sala. Quando voltou a tocar, os alunos da turma sétimo A
dois voltaram a entrar na sala e dirigiram-se aos seus lugares. Foi então que o aluno número
dezanove, Rafael José Silva, se queixou que alguém teria mexido nas suas coisas, tendo
desaparecido o seu dinheiro e a sua PEN, que se encontravam no seu estojo. Questionou os
alunos que tinham ficado na sala consigo, durante o intervalo, ao que o aluno Rui acabou por
confessar que tinha tirado o dinheiro e a PEN do estojo do Rafael e colocado na bolsa de fora
da mochila. O Rafael viu que, de facto, o colega tinha mudado as coisas de lugar e que tinha
danificado a PEN, retirando uma fita-cola que envolvia o objecto. Repreendeu o Rui, dizendo
que esse assunto seria dado a conhecer ao professor Carlos Silva, professor responsável pelo
aluno no Conservatório, e comunicado à Directora de Turma. O aluno Rui saiu da sala e a aula
de Formação Musical prosseguiu. Passados cerca de dois minutos, após o Rui ter saído, o
aluno Rafael queixou-se que lhe faltaria um euro no dinheiro que o colega mexeu. Sem a
presença do Rui, não foi possível confrontar os dois alunos. A docente pediu ao Rafael para
pensar bem no dinheiro que tinha e confirmar novamente. O aluno continuou a afirmar que lhe
faltava um euro. Este assunto foi abordado novamente na aula de Formação Cívica, não tendo
sido possível apurar a verdade dos factos.