You are on page 1of 14

QUESTÕES TEXTO DAS QUESTÃO GAB.

COMENTÁRIOS
(CESPE-TCDF/Auditor/2002) De acordo com a doutrina dominante, a
Esta afirmação e assinada por Aliomar Baleeiro "despesa pública é a aplicação de certa quantia
despesa pública é a aplicação de certa quantia, por parte da autoridade ou
A1 C em dinheiro, por parte da autoridade ou agente público competente, dentro de uma autorização
do agente público competente, dentro de uma autorização legislativa,
legislativa, para execução de fim a cargo do governo".
para a execução de um fim a cargo do governo.

O enunciado da questão aborda a função "Encargos Especiais" que constitui uma agregação
neutra, conforme art.1º, §2º, da Portaria MPOG nº 42/1999. A classificação funcional, por
funções e subfunções, busca responder basicamente à indagação "em que" área de ação
(CESPE-TCU/Analista/2004) A classificação funcional da despesa governamental a desepsa será realizada. Cada atividade, projeto e operação especial identificará
engloba funções e subfunções e têm por finalidade agregar conjuntos de a função e a subfunção ás quais se vinvulam.
despesas do setor público. Uma das funções refere-se às despesas às quais FIQUE LIGADO! “Encargos Especiais” é uma função muito cobrada em concursos públicos.
A2 C
não se possa associar um bem ou serviço a ser gerado no processo Atualmente as funções constituem um universo de 28 itens, dentre todas as funções existentes
produtivo corrente, tais como dívidas, ressarcimentos, indenizações e uma é bastante exigida em concursos públicos: “Encargos Especiais”. A função “Encargos
outras, o que implica, portanto, uma agregação neutra. Especiais” engloba as despesas em relação as quais não se possa associar um bem ou serviço a
ser gerado no processo produtivo corrente, tais como: dívidas, ressarcimentos, indenizações, e
outras afins, representando, portanto, agregação neutra. (art. 1º, § 2º, Portaria MPOG nº 42/99).
(Aula 4: Despesa Pública, pág.14, Classificação Funcional, parte "Fique Ligado", de Prof. Fernando Gama e cristina Martins).

(CESPE-Paraná Previdência/2002) São consideradas inversões


As Inversões Financeiras correspondem a uma despesa de capital da qual não resulta a
financeiras, dentro do grupo de despesas de capital, as despesas para
aquisição ou formação de um bem novo. Como exemplo é aquisição de um bem já em
A3 aumento do capital de entidades ou empresas que visem a objetivos C
utilização. (Aula 4: Despesa Pública, pág.8/9, Definição de Inversões Financeiras segundo
comerciais ou financeiros, excetuando as operações bancárias ou de
Portaria nº 163/2001, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins).
seguros.

Investimentos são considerados segundo §4º, do art. 12, da Lei nº 4.320/1964 como: Despesas
orçamentárias com o planejamento e a execução de obras, inclusive com a aquisição de imóveis
(CESPE-TRT-10ª Reg./Analista/2004) A construção de um prédio pelo
A4 C considerados necessários à realização destas últimas, e com a aquisição de instalações,
poder público é classificada como investimento.
equipamentos e material permanente. (Aula 4: Despesa Pública, pág.8, Definição de
Investimentos, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins).

(CESPE – Procurador Ministério Público/TCU/2004) É vedada a


A5 C O comando da questão está conforme o art. 60, da Lei nº 4.320/1964.
realização de despesa sem prévio empenho.

A questão traz o conceito de liquidação de despesa previsto no art. 63, da Lei nº 4.320/1964,
onde menciona que a liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo
(CESPE – Procurador Ministério Público/TCU/2004) A liquidação da
credor tendo por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito.
A6 despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor, tendo C
A Lei nº 4.320/1964 determina que o pagamento da despesa só será efetuado quando ordenado,
por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito.
após sua regular liquidação.(Aula 4: Despesa Pública, pág.19, Conceito de Liquidação de
Despesas, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins).
Nos programas de trabalho deve-se classificar orçamentariamente a natureza da despesa
conforme estabelecido na Portaria Interministerial STN nº 163/2001.
Assim, na LOA, a discriminação da despesa, quanto à sua natureza, far-se-á, no mínimo, por
categoria econômica, grupo de natureza de despesa e modalidade de aplicação (Art. 6º, da
Portaria STN nº 163/2001).
Os grupos de natureza de despesa são determinados pelas Portarias STN nº 163/2001 e
211/2001, da seguinte forma:
1 - Pessoal e Encargos Sociais – Despesa de custeio (despesa corrente).
2 - Juros e Encargos da Dívida – Despesa de custeio (despesa corrente).
3 - Outras Despesas Correntes – Despesa de custeio (despesa corrente).
4 – Investimentos – Despesa de capital
(CESPE – Analista Administrativo/STF – 2008 q.97) A forma de
5 - Inversões Financeiras– Despesa de capital
execução de determinado programa condiciona a classificação da despesa
6 - Amortização da Dívida– Despesa de capital
por categoria econômica. Por exemplo, se o ente público oferece
7 - Reserva do RPPS (*)
A7 diretamente programas de alfabetização, haverá predominância de C
8 - Reserva de Contingência (*)
despesas correntes, com pessoal e encargos; se esses serviços forem
na Minuta do Manual de Despesa Pública.
terceirizados, haverá também predominância de despesas correntes, só
Muito Importante! É necessário entender o que significa cada dígito:
que com serviços de terceiros.
1º dígito Identifica a categoria econômica da despesa.
2º dígito Identifica o grupo de natureza da despesa.
3º e 4º dígitos Identifica a modalidade de aplicação.
5º e 6° dígitos Identifica o elemento da despesa (objeto de gasto).
Exemplificando a classificação acima temos: Os dígitos 3.3.90.36, representam:
1º dígito: 3 – Categoria econômica. Despesas correntes.
2º dígito: 3 – Grupo de natureza da despesa.
Outras despesas correntes
3º e 4º dígitos: 90 – Modalidade de aplicação da despesa.
Aplicações diretas.
5º e 6º dígitos: 36 – Elemento da despesa. Serviço de terceiros – pessoa física.

Inicialmente veremos os conceitos e as perspectivas referentes a Inversões financeiras e


Investimentos.
Inversões Financeiras: despesas com a aquisição de imóveis ou bens de capital já em
utilização; aquisição de títulos representativos do capital de empresas ou entidades de qualquer
espécie, já constituídas, quando a operação não importe aumento do capital; e com a
(CESPE – Analista Administrativo/STF – 2008 q.98) Na instalação de um
constituição ou aumento do capital de empresas.
órgão público recentemente criado, para que haja contribuição do setor
Investimentos: despesas com o planejamento e a execução de obras, inclusive com a aquisição
A9 público para a formação do Produto Interno Bruto, deve-se optar pela C
de imóveis considerados necessários à realização destas últimas, e com a aquisição de
construção de um prédio, em vez de, simplesmente, adquirir um imóvel já
instalações, equipamentos e material permanente.
construído.
Pode-se extrair dos conceitos de inversões financeiras e investimentos, que este último contribui
para a formação do PIB, em especial quanto a realização de obras e instalações.
O PIB (Produto Interno Bruto), é a soma de todos os bens e serviços produzidos num período (mês, semestre, ano) numa determinada região (país, estado, cidade, continente).
Na situação apresentada na questão (instalação de um órgão público recentemente criado), para que haja contribuição do setor público para a formação do PIB, deve-se optar pela con
Caso opte em adquirir um imóvel já construído, não haverá contribuição para formação do PIB, posto que se trata de uma inversão financeira. Esse bem já contribuiu para a formação

(CESPE - Contador - Pref. Vila Velha 2008 q.119)Acerca da Lei Federal


n./ 4.320/1964, julgue o item: Os empenhos não liquidados com vigência
A10 C
plurianual só serão classificados como restos a pagar no último ano de
vigência do crédito.
(CESPE-Analista IMMEQ-Contador 2007 q. 118) A contabilidade é
exercida mediante as atividades de registro, tratamento e controle das
operações relativas à administração orçamentária, financeira e
patrimonial, com vistas à elaboração das demonstrações contábeis.
A contabilização está correta, a transação mencionada na questão provoca uma alteração no
A11 Considerando a seqüência dos eventos contábeis, julgue os itens que se C
Patrimônio da entidade, ocorrendo uma variação ativa com reflexo no sistema patrimonial.
seguem, relativos a registros contábeis efetuados.
A compra de um veículo para uso de uma entidade é contabilizada como
mutação ativa no sistema patrimonial, pois representa variação
patrimonial ativa decorrente da execução orçamentária.

(CESPE - Analista IMEQ - Contador - 2007/q. 120) No caso da alienação


de bens permanentes, a receita deve ser registrada pelo valor
A12 C
efetivamente arrecadado (sistema financeiro), sendo dada baixa no bem
alienado pelo valor contábil (sistema patrimonial).

A Lei nº 4.320/1964 em seu artigo 12, quando trata do grupo de natureza da despesa de Capital,
classifica em: Investimentos, Inversões Financeiras e Transferências de Capital. Todavia, o
Manual de Despesas Públicas disponível no sitio do STN e amparada na portaria nº 163/2001,
traz a seguinte classificação quanto a natureza da despesa de capital: 4 - INVESTIMENTOS; 5
- INVERSÕES FINANCEIRAS; 6 - AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA.
(CESPE – 2004 – Contador - Agência de Defesa Agropecuária do Estado
IMPORTANTE! O artigo 12 da lei 4320/64 classifica a despesa nas seguintes categorias
do Pará) Conforme o dispositivo constitucional, as despesas de capital
econômicas:
ocupam lugar central no plano. Desde a edição da lei n.º 4.320/1964, a
DESPESAS CORRENTES
despesa de capital é uma categoria de classificação de despesas
A13 C Despesas de Custeio.
incorporada aos orçamentos públicos. Compreende as subcategorias
Transferências Correntes.
investimentos, inversões financeiras e transferências de capital, ou seja,
os recursos transferidos a outros entes para aplicação em despesas de
DESPESAS DE CAPITAL
capital.
Investimentos.
Inversões Financeiras.
Transferências de Capital.
(Aula 4: Despesa Pública, pág. 8/9, Classificação da Despesas, "Importante", de Prof. Fernando
Gama e Cristina Martins)

Toda e qualquer despesa pública para ser realizada deve ser alocada dentro de uma função, a
partir dessa função, as despesas serão distribuídas nas subfunções. As características descritas
(CESPE – ACE/TCU – 2004) A classificação funcional da despesa
na questão refere-se a função encargos especiais. Buscando melhor esclarecer o assunto, veja
engloba funções e subfunções e têm por finalidade agregar conjuntos de
as características da subfunção: I) Identifica a natureza básica das ações do governo, a partir das
despesas do setor público. Uma das funções refere-se às despesas às quais
A14 C funções. II) Poderão ser combinadas com funções diferentes daquelas a que estão relacionadas
não se possa associar um bem ou serviço a ser gerado no
– regra da tipicidade. FIQUE LIGADO!
processo produtivo corrente, tais como dívidas, ressarcimentos,
“Encargos Especiais” é uma função muito cobrada em concursos públicos.(Aula 4: Despesa
indenizações e outras, o que implica, portanto, uma agregação neutra.
Pública, pág. 8/9, Classificação da Despesas, "Importante", de Prof. Fernando Gama e Cristina
Martins)
De acordo com o §2º, do art.60 da Lei nº 4.320/1964, o Empenho estimativo é utilizado para
despesas de valor não conhecido previamente e com base periódica, normalmente não
homogênea, a exemplo das contas de tarifas públicas, água, luz, telefone, etc.
É utilizado nas situações em que não é possível a determinação prévia do valor exato da
2. (CESPE – TRE/AL - 2004) Para despesas com energia elétrica e despesa, podendo o pagamento ser efetuado uma única vez ou parceladamente. Por essa razão,
A15 C
consumo de água, é utilizado o empenho por estimativa. estima-se um valor e se estabelece um cronograma de pagamento. As despesas mencionadas no
comando da questão se enquadra nessa situação. ATENÇÃO! Será feito por estimativa o
empenho cujo montante não se possa determinar, e é permitido o empenho global: de despesas
contratuais e outras sujeitas a parcelamento. Aula 4: Despesa Pública, pág. 21, Empenho
Estimativo, "Atenção!", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)

As Despesa extra-orçamentária são do tipo de despesa que não consta na lei orçamentária anual,
compreendendo as diversas saídas de numerários, decorrentes do pagamento ou recolhimento,
6. (CESPE – STM –2004) Despesa extra-orçamentária constitui uma
tais como: Depósitos; Cauções; Pagamentos de restos a pagar;
saída financeira decorrente de recursos recebidos anteriormente, como,
A16 C Resgate (pagamento) de operações de crédito por antecipação da receita; ou seja, quaisquer
por exemplo, cauções em dinheiro, depósitos de terceiros e salários não
saídas para pagamentos das entradas de recursos transitórias, etc.
reclamados.
Débitos de tesouraria (antecipação de receita orçamentária). Aula 4: Despesa Pública, pág. 7,
"Despesa Extra-Orçamentárias", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)

Segundo a definição da Lei nº. 4.320/1964, o Empenho é o ato emanado de autoridade


competente que cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de
condição (art. 58), ou seja, a despesa é considerada pela lei 4320/1964 no ato do empenho de
forma contábil. Assim, a despesa empenhada no ano de 2003 pertence ao exercício de 2003,
7. (CESPE – STM –2004) A despesa empenhada no ano de 2003 pertence mesmo que o bem ou serviço adquirido tenha sido entregue no exercício de 2004.
A17 àquele exercício, mesmo que o bem ou serviço adquirido tenha sido C Em Atendimento ao artigo 35 da Lei 4320/64, a despesa orçamentária deverá ser reconhecida
entregue no exercício de 2004. no exercício financeiro em que for realizada, independentemente do momento em que ocorrer
seu pagamento, ou seja, a despesa deve ser reconhecida pelo regime de competência e não de
caixa. IMPORTANTE! Na contabilidade pública adota-se o regime contábil misto: regime de
caixa para a receita e de competência para despesa. Aula 4: Despesa Pública, pág. 6, Regime de
competência, item "Importante", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)

(CESPE/AUDITOR/AGE/ES/2004) Acerca da contabilidade pública, A Contabilidade pública considera como despesa durante o exercício o estágio da liquidação,
com base nas disposições da Lei n.º 4.320/1964, julgue o item. somente no final do exercício é considerada a despesa pela estágio do empenho para subsidiar a
inscrição dos restos a pagar.
No decorrer do exercício, a despesa só pode ser contabilizada em sua ATENÇÃO! A Secretaria do Tesouro Nacional – STN considera, durante o exercício
A18 C
segunda fase de execução, a liquidação, quando já foi efetivamente financeiro, a despesa pela sua liquidação, entretanto para fins de encerramento do exercício
incorrida. Ao final do exercício, porém, a despesa será registrada em sua financeiro, toda a despesa empenhada e não anulada até 31 de dezembro, será considerada
primeira fase, quando serão inscritos em rubrica própria todos os despesa nas demonstrações contábeis. Aula 4: Despesa Pública, pág. 24, Contabilização da
empenhos que ainda não foram pagos. Despesa "Atenção!", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)
(PROCURADOR/TCDF/CESPE/2002) Com relação à execução
orçamentária e á luz da Constituição da República e da Lei 4320/64, O item está correto, pois nenhuma despesa poderá ser realizada sem prévio empenho, conforme
julgue o item a seguir: determina o art. 60, da Lei nº 4.320/64. FIQUE LIGADO! Não pode haver, em hipótese
A19 C
É ilegal a realização de uma determinada despesa não-empenhada, alguma, despesa sem prévio empenho. Aula 4: Despesa Pública, pág. 24, Empenho da Despesa
mesmo que se proceda ao empenho dela imediatamente após a sua "Fique Ligado!", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)
realização.

(PROCURADOR/TCDF/CESPE/2002) Com relação à execução


orçamentária e á luz da Constituição da Republica e da Lei 4320/64,
O item está correto, pois é essa a condição necessária para o regular pagamento de uma
julgue o item a seguir:
A20 C despesa, conforme determina o art. 62, da Lei nº 4.320/1964. Aula 4: Despesa Pública, pág. 24,
Só é válido o pagamento de uma determinada despesa se efetuada
Pagamento da Despesa, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)
após a regular liquidação dela.

O item está correto, pois é o que nos demonstra o art. 13, da Lei nº 4.320/1964. Inversões
Financeiras: são as dotações destinadas à aquisição de imóveis ou de bens de capital já em
(CESPE/AU/2002) Despesa pública é o somatório dos gastos feitos pelo
utilização, à obtenção de títulos representativos do capital de empresas ou entidades de
Estado para a realização de obras e para a prestação dos serviços
qualquer espécie, já constituídas, quando a operação não importe aumento de capital; e, ainda, a
públicos. Com relação à despesa pública, tendo em vista a lei 4320/64 e
A21 C constituição ou aumento de capital de entidades ou empresas que visem objetivos comerciais ou
as lições doutrinárias, julgue os item a seguir:
financeiros, inclusive operações bancárias ou de seguro. No conceito econômico, as inversões
Classificam-se como inversões financeiras as dotações destinadas à
financeiras não geram serviço que contribuem para o acréscimo ou implemento do Produto
aquisição de imóveis ou de bens de capital já em utilização.
Interno Bruto – PIB. (Aula 4: Despesa Pública, pág. 8, Inversões Financeiras , de Prof.
Fernando Gama e Cristina Martins)

(CESPE/AU/2002) Despesa pública é o somatório dos gastos feitos pelo A questão está correta, esses dois estágios pertencem ao processo de execução da despesa,
Estado para a realização de obras e para a prestação dos serviços conforme os art's. 58 a 65, da Lei nº 4.320/1964. ESTÁGIOS
públicos. Com relação à despesa pública, tendo em vista a lei 4320/64 e DA DESPESA - Apesar de haver certa divergência quanto aos estágios da despesa, a doutrina
A22 C
as lições doutrinárias, julgue os item a seguir: majoritária entende que a legislação prevê quatro estágios da despesa: fixação, empenho,
Empenho e liquidação são estágios das despesas públicas. liquidação e pagamento. Sendo estágios da execução: empenho, liquidação e pagamento. (Aula
4: Despesa Pública, pág. 19, Estágios da Despesa, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)

(CESPE/ACE/TCDF/2002) Acerca da organização e da classificação da


despesa nas leis orçamentárias, julgue o item a seguir: Essa portaria de fato passou a ser mais um instrumento para a implementação do orçamento-
Corrigindo deficiências quanto à classificação funcional- programa no Brasil. Outra alteração introduzida por esta portaria foi nos anexos da Lei nº
A23 C
programática, a nova estrutura programática estabelecida pela portaria nº 4.320/1964, objetivando uma uniformidade da informações demonstratadas nos demonstrativos
42/99 passa a ser uma instrumento para a adoção do orçamento-programa contábeis.
no Brasil.

Verifica-se que no Brasil adota o regime contábil misto, competência para as despesas e de
caixa para as receitas (Incisos I e II, do art. 35, da Lei nº 4.320/1964).
10. (CESPE – STM –2004) Despesa empenhada no último exercício e Portanto, como as despesas legalmente empenhadas pertencem ao exercício financeiro em que
A24 E
não paga é tratada no exercício atual como despesa de exercício anterior. foi empenhada, não se pode dizer que a despesa empenhada no último exercício e não paga é
tratada no exercício atual como despesa de exercício anterior, e sim, como restos a Pagar
(Processado ou Não Processado).
O empenho é uma reserva de uma parcela da dotação orçamentária e não da despesa, com quer
(CESPE/ANALISTA-ADM/ANATEL/2006) A despesa pública a questão.
representa a aplicação dos recursos dos contribuintes na manutenção das O valor do empenho não pode ser superior ao valor da dotação orçamentária, pois se o empenho
atividades do Estado. A respeito desse assunto, julgue o item: O empenho é uma parcela da dotação, como pode ser superior. A lei também veda a realização de despesa
A25 emana de autoridade competente e cria, para o Estado, a obrigação de seu E sem prévio empenho (Art. 60, da Lei nº 4.320/1964), ou seja, em qualquer situação o empenho
pagamento. O empenho reserva parcela da despesa destinada a uma deverá ser prévio e até o limite das dotações. FIQUE LIGADO! Não pode haver, em hipótese
atividade específica. O valor do empenho, na maioria dos casos, supera o alguma, despesa sem prévio empenho. Aula 4: Despesa Pública, pág. 20, Empenho, "Fique
valor da dotação. Ligado!", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)

(ANALISTA-ADM/ANATEL/2006) A despesa pública representa a


aplicação dos recursos dos contribuintes na manutenção das atividades do
Estado. A respeito desse assunto, julgue o item seguinte:
A ordem de pagamento é o despacho exarado por autoridade competente, determinado que a
O pagamento de despesas poderá existir sem a apresentação de
despesa seja paga (art. 64, da Lei nº 4.320/1964) após cumprido a devida liquidação da despesa
A26 documentos processados pela contabilidade. Nesse caso, a autoridade E
(art. 63, da Lei nº 4.320/1964). A ordem de pagamento só poderá ser consignada em
competente apresentará, ao ordenador de despesas, posteriormente, sua
documentos processados pelos serviços de contabilidade do órgão via sistema SIAFI.
justificativa e autorização da unidade gestora para tal atitude.

(CESPE/ANALISTA-ADM/ANATEL/2006) A despesa pública


representa a aplicação dos recursos dos contribuintes na manutenção das Os Restos a pagar consiste nas despesa empenhadas mas não pagas até o dia 31 de dezembro,
atividades do Estado. A respeito desse assunto, julgue o item: distinguindo-se em processadas e não-processadas.
Processadas – são as despesas que foram empenhadas e liquidadas, mas não foram pagas até
Os restos a pagar processados correspondem a despesas que dependem da 31/12. Foram cumpridas os dois primeiros estágios da despesa, restando apenas o pagamento.
A27 prestação do serviço ou da entrega do bem. Geralmente são liquidadas e E Não-Processadas – são as despesas que foram empenhadas, mas não foram liquidadas e nem
pagas no período subseqüente ao de seu fato gerador. pagas até 31/12. Foi cumprido apenas o primeiro estágio da despesa. Os restos a pagar não
processados decorem de compromissos assumidos em virtude de lei, contrato, convênios em
andamento etc.
Portanto, a questão aborda os Restos a Pagar Não Processados.

(CESPE/ANALISTA-ADM/ANATEL/2006) A despesa pública


representa a aplicação dos recursos dos contribuintes na manutenção das
atividades do Estado. A respeito desse assunto, julgue o item.
O estágio da liquidação tem por finalidade a verificação da origem e o objeto do que se deve
pagar, a importância exata a pagar, a quem se deve pagar a importância, para extinguir a
A28 A liquidação da despesa apura a origem e o objeto que se deve pagar, a E
obrigação. Nos casos de serviços, a liquidação terá por base o contrato, ajuste ou acordo
importância exata a pagar e identifica a pessoa, física ou jurídica, que
respectivo; a nota de empenho; os comprovantes de prestação de serviço.
receberá o recurso público. Um dos critérios para autorizar a liquidação
da despesa, no caso de serviços prestados, é o comprovante da prestação
do serviço contratado anteriormente.

(PROCURADOR/TCDF/CESPE/2002) Com relação à execução


orçamentária e á luz da Constituição da República e da Lei 4320/64,
O conceito estabelecido na questão é referente ao empenho, conforme art. 58, da Lei nº
julgue o item a seguir:
A29 E 4.320/1964, portanto, a questão está errada. Aula 4: Despesa Pública, pág. 20, Empenho da
A liquidação da despesa é o ato emanado de autoridade competente
Despesa, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)
que cria para o Estado obrigação de pagamento, pendente ou não de
implemento de condição.
(PROCURADOR/TCDF/CESPE/2002) Com relação à execução
orçamentária e á luz da Constituição da República e da Lei nº 4.320/64,
julgue o item a seguir:
A Constituição da República é clara quanto estabelece que qualquer despesa oriunda de
Uma vez reconhecida a notória repercussão institucional e a urgente
A30 E programa novo somente pode ser iniciada se a mesma está contida na LOA, podendo também
necessidade de um programa governamental na área social, este pode ser
essa inclusão ser originada dos créditos adicionais.
iniciado independente de sua inclusão na Lei Orçamentária Anual, desde
que expressamente autorizado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias.

(PROCURADOR/TCDF/CESPE/2002) Com relação à execução


O item esta incorreto, pois a definição expressão na questão é quanto ao estágio da liquidação
orçamentária e á luz da Constituição da República e da Lei 4320/64,
da despesa, conforme determina o art. 63, da Lei nº 4.320/1964. Enquanto o empenho da
julgue o item a seguir:
A31 E despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria para o Estado obrigação de
O empenho de uma despesa corresponde à verificação do direito
pagamento pendente ou não de implemento de condição. Aula 4: Despesa Pública, pág. 22,
adquirido pelo credor, tendo por base os títulos e documentos
Liquidação da Despesa, de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins)
comprobatórios do respectivo crédito.

(CESPE/AU/2002) Despesa pública é o somatório dos gastos feitos pelo


Estado para a realização de obras e para a prestação dos serviços
A liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor, não sendo
públicos. Com relação à despesa pública, tendo em vista a lei 4320/1964
A32 E portanto o pagamento, que é um outro estágio da despesa, conforme determina os art's. 63 a 65,
e as lições doutrinárias, julgue os item a seguir:
da Lei nº 4.320/1964, portanto o item está errado.
A liquidação da despesa consiste no pagamento ou na inscrição em
restos a pagar.

A Despesa de Capital se presta para os gastos realizados pela Administração com


Investimentos, Inversões Financeiras e Transferência de Capital (art. 12, da Lei nº 4.320/1964).
O erro na questão está em dizer que conservações de bens imóveis é uma despesa de capital,
(CESPE/AU/2002) Despesa pública é o somatório dos gastos feitos pelo sendo que trata-se de uma despesa corrente - despesa de custeio. Despesa Corrente: são as
Estado para a realização de obras e para a prestação dos serviços despesas que não contribuem, diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de
públicos. Com relação à despesa pública, tendo em vista a lei 4320/64 e capital.São despesas destinadas a manutenção e ao funcionamento dos serviços públicos, esses
A33 E
as lições doutrinárias, julgue os item a seguir: recursos geram diminuição no patrimônio.
Despesas de Capital são voltada para a manutenção de serviços já Despesa de Capital: são as despesas que contribuem, diretamente, para a formação ou
criados ou para a realização de obras de conservação de bens imóveis. aquisição de um bem de capital, ao contrário das despesas correntes geram acréscimo
patrimonial resultante de mutação compensatória do bem.
(Aula 4: Despesa Pública, pág. 7/8, Despesa Correntes e Capital , de Prof. Fernando Gama e
Cristina Martins)

(CESPE/AU/2002) Despesa pública é o somatório dos gastos feitos pelo


Estado para a realização de obras e para a prestação dos serviços
públicos. Com relação à despesa pública, tendo em vista a lei 4320/64 e O item está incorreto, pois o pagamento de inativos e pensionistas é uma Transferência
A34 E
as lições doutrinárias, julgue os item a seguir: Corrente, de acordo com a classificação contida no artigo 12, da Lei nº 4.320/1964.
O valor referente ao pagamento de inativos é apropriado com despesa
corrente de custeio.
A questão está errada, pois o pagamento de inativos e pensionistas é uma Transferência
Corrente, de acordo com a classificação contida no artigo 12, da Lei nº 4.320/1964.
IMPORTANTE! O artigo 12 da lei 4320/64 classifica a despesa nas seguintes categorias
econômicas:
DESPESAS CORRENTES
Despesas de Custeio.
Transferências Correntes.
(CESPE-TCU/Procurador/2004) O pagamento de inativos e pensionistas
A35 E
é classificado como despesa de capital.
DESPESAS DE CAPITAL
Investimentos.
Inversões Financeiras.
Transferências de Capital.
As despesas correntes se dividem em subcategorias econômicas: despesas de custeio e
transferências correntes. (Aula 4: Despesa Pública, pág.8, Classificação Despesa segundo Lei
4320/64, parte "Importante", de Prof. Fernando Gama e Cristina Martins).

A Classificação Institucional da despesa compõe-se de 6 (seis) algarismos, conforme a Portaria


nº 163/2001. Além do mais, o código da classificação institucional compõe-se de 05 (cinco)
dígitos, sendo os dois primeiros reservados à identificação do órgão e os demias à unidade
orçamentária: 1º e 2º dígitos identificam o órgão orçamentário; e o 3º, 4º, 5º dígitos identificam
(CESPE - ANVISA/Analista/2004) O código da classificação a unidade orçamentária.
institucional da despesa compõe-se de 7 algarismos, sendo os três É IMPORTANTE! Saber o que cada dígito da codificação da despesa significa:
A36 E
primeiros reservados à identificação do órgão e os demais, à unidade 1º dígito = identifica a categoria econômica.
orçamentária. 2º dígito = identifica o grupo de natureza de despesa.
3º e 4º dígitos = identifica a modalidade de aplicação.
5º e 6º dígitos = identifica o elemento de despesa (objeto do gasto).
(Aula 4: Despesa Pública, pág.8, Classificação Despesa segundo Lei nº 4.320/1964, parte
"Importante", de Prof. Fernando Gama e cristina Martins).

A questão está errada, visto que a classificação da despesa sofreu alteração pela LDO a partir
do exercício de 1990. A classificação econômica da despesa imlementada pelo art. 12, da Lei nº
(CESPE-Caeraportos/Analista/2004) As despesas públicas são 4.320/1964 era composta por categorias econômicas, subcategorias econômicas e elementos.
classificadas em despesas correntes e de capital. Por imposição da Lei de Atualmente a classificação da despesa de acordo com art. 5º, da Portaria nº 163/2001 é
Diretrizes Orçamentárias, a classificação das despesas, a partir do composta da seguinte forma:
A37 exercício de 1990, foi alterada. A nova classificação tem um E a) “c” representa a categoria econômica; b)
desdobramento diferente do implantado pela Lei nº 4.320/1964 e é “g” o grupo de natureza da despesa;
composta por categorias: econômicas, de grupo de despesas, de c) “mm” a modalidade de aplicação; d)
modalidade de aplicação e de elemento de despesas. “ee” o elemento de despesa; e e)
“dd” o desdobramento, facultativo, do elemento de despesa. Ressalta-se
que essa é uma classificação deverá ser obervada por todos os entes.
(CESPE-TCU/Analista/2004) A classificação da despesa segundo a Veja que o Termo “subcategoria econômica” foi utilizado quando da implementação da Lei nº
natureza, que passou a ser observada na execução orçamentária de todos 4.320/1964. Todavia, com a instituição da Portaria Interministerial nº 163/2001, houve a
A38 os entes da Federação a partir do exercício financeiro de 2002, E alteração da classificação da despesa passando para : “categoria econômica, grupo de natureza
compreende: categorias econômicas, subcategorias econômicas e de despesa, modalidade de aplicação e elemento de despesa”, inclusive alcançando a sua
elementos. aplicação a todos os entes, com vista à consolidação das contas públicas nacionais.

(CESPE-SGA/Analista/2004) Na classificação da despesa segundo a sua Com a edição da Portaria Interministerial nº 163/2001, a partir de janeiro de 2002, passou a ser
natureza, o elemento de despesa tem por finalidade identificar os objetos o instrumento normativo regulamentador da nova classificação, que tem o alcance para a União,
A39 de gasto, tais como vencimentos e vantagens fixas, juros, diárias, material E Estados, Distrito Federal e Municípios. Objetiva estabelecer critérios uniformes de
de consumo, entre outros, dos quais a administração pública se serve para classificação para todos os entes (União, Estados, DF e Municípios) com vistas à consolidação
a consecução de seus fins. das contas públicas nacionais.

(CESPE-Anvisa/Analista/2004) Devem ser classificadas como A afirmação esta errada, pois trata-se da definição de Inversões Financeiras. Entretanto,
investimentos as despesas com a aquisição de imóveis ou bens de capital Investimentos representam as Despesas orçamentárias com o planejamento e a execução de
já em utilização; com a aquisição de títulos representativos do capital de obras, inclusive com a aquisição de imóveis considerados necessários à realização destas
A40 E
empresas ou entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando a últimas, e com a aquisição de instalações, equipamentos e material permanente. (Aula 4:
operação não importe aumento do capital; e com a constituição ou Despesa Pública, pág.8, Definição de Investimentos, de Prof. Fernando Gama e Cristina
aumento do capital de empresas. Martins).

(CESPE - Contador - Pref. Vila Velha 2008 q.117)Acerca da Lei Federal


A definição de Subvenções econômicas está prevista na alínea "a" do §único, do art. 18, da Lei
n./ 4.320/1964, julgue o item: As dotações destinadas a cobrir a diferença
nº 4.320/1964, vejamos: "a) as dotações destinadas a cobrir a diferença entre os preços de
A41 entre os preços de mercado e os preços de revenda, pelo governo, de E
mercado e os preços de revenda, pelo Governo, de gêneros alimentícios ou outros materiais;".
gêneros alimentícios não serão caracterizadas como subvenções
Assim, trata-se de uma subvenção econômica abordada na questão.
econômicas.

(CESPE - Contador - Pref. Vila Velha 2008 q.117)Acerca da Lei Federal


n./ 4.320/1964, julgue o item: A definição de Subvenções econômicas está prevista na alínea "a" do §único, do art. 18, da Lei
nº 4.320/1964, vejamos: "a) as dotações destinadas a cobrir a diferença entre os preços de
A42 E
As dotações destinadas a cobrir a diferença entre os preços e mercado e mercado e os preços de revenda, pelo Governo, de gêneros alimentícios ou outros materiais;".
os preços de revenda, pelo governo, de gêneros alimentícios não serão Assim, trata-se de uma subvenção econômica abordada na questão.
caracterizadas como subvenções econômicas.

(CESPE – Téc. Judiciário – TRE Alagoas – 2004) O pagamento de


O pagamento de despesas de exercícios anteriores ocorre à custa do orçamento vigente,
A43 despesas de exercícios anteriores é caracterizado como despesa extra- E
portanto, são despesas orçamentárias normais.
orçamentária.

(ESAF/AFC/2004) Sobre as Despesas Públicas da União não se pode a) Correta. Os estágios da despesa são Empenho, Liquidação e Pagamento;
afirmar que: b) Correta. Conforme demonstrado no Art. 13, da Lei nº 4.320/64. é uma Despesa corrente –
a) são estágios da despesa orçamentária o empenho, a liquidação e o Transferências Correntes
pagamento. c) Correta. Conforme demonstrado no Art. 13, da Lei nº 4.320/64. é uma Despesa de Capital –
A44 b) o pagamento de juros e encargos da dívida se caracteriza como despesa E Transferência de Capital
corrente. d) Correta. Conforme demonstrado no Art 13, da Lei nº 4.320/64. é uma Despesa de Capital –
c) amortização da dívida é uma despesa de capital. d) Inversões Financeiras
inversões financeiras são definidas como despesas de capital. e) Errada. Pois trata-se de uma Despesa de Capital, conforme demonstrado no Art. 13, da Lei nº
e) investimentos são classificados como despesas correntes. 4.320/64. é uma Despesa de Capital – Investimentos.
(CESPE – TRE/PA – Analista Judiciário – Contabilidade 2005) Para
realizar suas atividades, a administração pública adquire bens e contrata
serviços de diversas naturezas por meio de empenho. Quanto ao empenho a) Incorreta. Quando as despesas estão sujeitas a parcelamento o empenho a ser utilizado é o
da despesa, assinale a opção correta. global. Portanto, para despesas parceladas utiliza-se o empenho GLOBAL.
(A) Quando as despesas estão sujeitas a parcelamento, o empenho é b) Incorreta. Se uma despesa foi empenhada em 2004 com a finalidade de atender
realizado por estimativa. transferências a instituições públicas não tiver sido liquidada no mesmo exercício, esse
(B) Se uma despesa empenhada em 2004 com a finalidade de atender empenho deverá ser anulado SOMENTE em 31 de dezembro de 2005. Assim, pode-se inscrever
transferências a instituições públicas não tiver sido liquidada no mesmo em restos a pagar despesa de transferência liquidada e não paga. Para fins de consolidação das
exercício, esse empenho deverá ter sido anulado em 31 de dezembro contas públicas, a entidade recebedora dos recursos classifica como receita no momento da
A45 daquele ano. D liquidação pelo órgão transferidor (exceção ao regime de caixa).
(C) As despesas relativas a convênios de vigência plurianual serão c) Incorreta. As despesas relativas a convênios de vigência plurianual, ou seja, em mais de um
empenhadas pelo seu valor total no ano em que for estabelecido o exercício financeiro, serão empenhadas pelo valor realizado a cada ano. Nessa situação
convênio. geralmente se utiliza o tipo de empenho global.
(D) O número e a data da nota de empenho devem ser mencionados em d) Correta. O número e a data da nota de empenho devem ser mencionados em cláusula de
cláusula de contrato, quando os recursos financeiros indicados para contrato, quando os recursos financeiros indicados para pagamento do objeto contratado forem
pagamento do objeto contratado forem de natureza orçamentária. de natureza orçamentária.
(E) Se uma despesa for anulada no mesmo exercício no qual foi e) Incorreta. Se uma despesa for anulada no mesmo exercício no qual foi empenhada, o valor anulado não gera receita, apenas reverte à dotação. Porém, se o cancelamento da despes
empenhada, o valor anulado deverá ser revertido como receita daquele
exercício.

a) Verdadeira. Empenho da despesa é o ato emanado de autoridade competente que cria para o
(ESAF – MPU/2004 - Analista de Controle Interno) A despesa
Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição. (art. 58, da Lei nº
orçamentária deve passar por estágios. Com relação ao estágio empenho,
4.320/64). Exemplo de implemento de condição: que o fornecedor entregue os bens adquiridos
identifique a única opção falsa.
ou o prestador de serviços execute e entregue os serviços conforme pactuado com a
administração pública.
a) É o ato emanado de autoridade competente que cria para o Estado
b) Falsa. Essa opção é falsa porque não existe a modalidade de empenho extraordinário. As
obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição.
modalidades são: ordinário global e por estimativa.
b) Existem três modalidades de empenho, que são extraordinário, por
c) Verdadeira. Empenhar despesa é apenas uma autorização da autoridade competente para tal,
A46 estimativa e global. B
através de sua assinatura, ordenando, em nome do Estado, a assunção de uma obrigação.
c) Uma vez autorizado o empenho, pela autoridade competente, fica
d) Verdadeira. O empenho da despesa não poderá exceder o limite dos créditos previstos na
criada a obrigação de pagamento para o Estado, podendo ficar
LOA (concedidos) e aprovados pelo Poder Legislativo. Na União, o sistema siafi não permite,
dependendo de algumas condições ou não.
no momento do preenchimento do documento nota de empenho, que o crédito seja ultrapassado
d) O empenho da despesa não poderá exceder o limite dos créditos
(art. 59, da Lei nº 4.320/64).
concedidos.
e) Verdadeira. É vedada a realização de despesa sem prévio empenho. O prévio empenho é a
e) É vedada a realização de despesa sem prévio empenho.
autorização do ordenador de despesa.

(ESAF - AFCE-CE/TCU/2000) De acordo com o regime adotado pela


Contabilidade Pública no Brasil,
a) Incorreta. O reconhecimento da recita ocorre no momento de sua arrecadação.
a) o reconhecimento da receita dá-se somente com o lançamento, que
b) Incorreta. Como existem exceções ao regime de competência, algumas despesas são
permite a identificação do devedor
reconhecidas sem terem sido imputadas ao resultado.
b) as despesas compreendem os desembolsos, os compromissos e os
c) Incorreta. Na apuração do resultado patrimonial do exercício – RPE, na Demonstração das
encargos, quando imputados ao resultado
Variações Patrimoniais – DVP são consideradas somente as receitas e despesas orçamentárias.
A47 c) as receitas e despesas extra-orçamentárias integram o resultado D
d) Correta. Conforme explicado acima, a Secretaria do Tesouro Nacional – STN considera,
patrimonial do exercício
durante o exercício financeiro, a despesa pela sua liquidação.
d) a Secretaria do Tesouro Nacional só considera como executada
e) As receitas são consideradas pelo regime de caixa e as despesas pelo regime de competência,
orçamentariamente a despesa com a sua liquidação
com exceções, mas não é o caso das receitas e despesas antecipadas.
e) as receitas e despesas antecipadas são rateadas pelos exercícios a que
pertencerem
(CESPE-FUNDAC/PB - Contador/2008 q.41) A Lei n.º 4.320/1964 e
suas alterações estabelecem normas gerais
sobre o registro de receitas e despesas públicas. Acerca do registro de a) Correta. De acordo com classificação orçamentária vigente, material permanente integra as
despesas públicas, é correto afirmar que os gastos com despesas de capital; b)
A material permanente serão classificados como despesas de Incorreta. Conforme a classificação orçamentária atual, amortização da dívida constitui uma
A48 capital. A despesa de capital; c)
B a amortização da dívida pública serão classificados como Incorreta. Esse tipo de despesa é classificado orçamentáriamente como uma despesa de capital;
despesas correntes. d) Incorreta. As subvenções sociais é classificadas no art. 12, da Lei nº 4.320/64, como
C a constituição de fundos rotativos serão contabilizados como despesas Transferencia Correntes, integrando as Despesas Correntes.
correntes.
D subvenções sociais serão contabilizados como despesas de capital.

(NCE/UFRJ - ANTT - Analista/2008 q.56). O quarto nível da


classificação econômica da despesa orçamentária é: a) Incorreta. Esse representa o 2º nível de classificação, de acordo com a Portaria nº 163/2001;
(A) grupo de despesa; b) Incorreta. Representa o 3º Nível de classificação, de acordo com a Portaria nº 163/2001; c)
A49 (B) modalidade de aplicação; D Incorreta. Representa o 1º Nível de Classificação de acordo com a Portaria nº 163/2001; d)
(C) categoria econômica; Correta. De acordo com a Portaria nº 163/2001, o elemento de despesa representa o 4º Nível;
(D) elemento de despesa; e) Incorreta. Essa não representa a classificação da despesa contida na Portaria nº 163/01.
(E) função.

(ESAF-STN - AFC/2005) Segundo o que dispõe a Portaria


a) Incorreta. Atualmente não existe mais a classificação obrigatória do sub-elemento de
Interministerial STN/SOF nº 163, de 04/05/2001, na lei orçamentária, a
despesa. b)
discriminação da despesa, quanto à natureza, deverá ser feita:
Incorreta. O somente é uma palavra muito forte. A discriminação das naturezas de despesa, de
a) obrigatoriamente por sub-elemento de despesa. b)somente
que trata o anexo III da Portaria STN nº 163/2001 é apenas exemplificativa. Mas, deve ser no
A50 por categoria econômica e grupo de despesa. c) somente por E
mínimo, por categoria econômica, grupo de natureza de despesa e modalidade de aplicação.
categoria econômica. d) por categoria
c) Incorreta. Vide comentário da letra "b". d)
econômica e elemento de despesa. e) no mínimo por
Incorreta. Vide comentário da letra "b". e)
categoria econômica, grupo de natureza de despesa e modalidade de
Correta. Está conforme o artigo 6º, da Portaria STN/SOF nº 163/2001.
aplicação.
(ESAF - AFCE-CE/TCU/2000) De acordo com o regime adotado pela
Contabilidade Pública no Brasil, a) Incorreta. O reconhecimento da receita ocorre no momento de sua arrecadação.
a) o reconhecimento da receita dá-se somente com o lançamento, que b) Incorreta. Como existem exceções ao regime de competência, algumas despesas são
permite a identificação do devedor. reconhecidas sem terem sido imputadas ao resultado.
b) as despesas compreendem os desembolsos, os compromissos e os c) Incorreta. Na apuração do resultado patrimonial do exercício – RPE, na Demonstração das
encargos, quando imputados ao resultado. c) as Variações Patrimoniais
A51 D
receitas e despesas extra-orçamentárias integram o resultado patrimonial – DVP são consideradas somente as receitas e despesas orçamentárias.
do exercício. d) Correta. Conforme explicado acima, a Secretaria do Tesouro Nacional – STN considera,
d) a Secretaria do Tesouro Nacional só considera como executada durante o exercício financeiro, a despesa pela sua liquidação.
orçamentariamente a despesa com a sua liquidação. e) Incorreta. As receitas são consideradas pelo regime de caixa e as despesas pelo regime de
e) as receitas e despesas antecipadas são rateadas pelos exercícios a que competência, com exceções, mas não é o caso das receitas e despesas antecipadas.
pertencerem.

(ESAF - AFCE-CE/TCU/2000) Com relação à execução da despesa, a


legislação estabelece que: a) Incorreta. Os valores empenhados não podem exceder os créditos orçamentários. As despesas
a) os valores empenhados não poderão exceder a receita realizada. empenhadas cujo valor seja superior ao que foi arrecadado devem ser inscritas em restos a
b) o empenho deve ser efetuado previamente à realização da pagar ou anulados os empenhos.
despesa, podendo, em casos especiais, ser contemporâneo ou posterior. b) Incorreta. Existe a possibilidade de empenho ser contemporâneo, posterior, nunca.
c) ao final do exercício, não será anulado o empenho da despesa cujo c) Correta. Está conforme as normas do Decreto nº 93.872/86, exceção ao prazo de 31 de
A52 C
contrato estabelecer como data-limite, para a entrega do serviço, 31 de janeiro. Esse prazo está previsto em portaria da STN.
janeiro. d). Incorreta. O empenho será realizado de acordo com as medições dos serviços executados.
d) nos casos de contratos plurianuais, faz-se um empenho global pelo Não se realiza empenho de uma só vez nessa situação. È o caso de empenho global.
valor do contrato, no ato da assinatura. e) Incorreta. As despesas de exercícios anteriores são pagas a custa do orçamento vigente, ou
e) o pagamento de despesas de exercícios anteriores depende da seja, são gastos do orçamento que a despesa foi paga.
existência de saldos de disponibilidades dos exercícios anteriores.
(CGU/AFC/2008) A Despesa Pública segue um ordenamento jurídico,
com requisitos que precisam ser atendidos em uma seqüência específica,
predeterminada e ordenada. No que diz respeito a esse assunto, julgue os
itens que se seguem e marque a opção que corresponde
à ordem correta.
I. É vedada a realização da despesa sem prévio empenho, mas em casos
especiais, previstos na legislação específica, poderá ser dispensada a I) Correta. O § 1º, do Art. 60, da Lei nº 4.320/64 “ É vedada a realização de despesa sem prévio
emissão da nota de empenho. empenho. §1º Em casos especiais previstos na legislação específica será dispensada a emissão
II. Ao final do exercício, não será anulado o empenho da despesa cujo da nota de empenho”
contrato estabelecer como data-limite, para a entrega do serviço, dia 31 II) Incorreta. Pois o art. 38, da Lei nº 4320/64 “Reverte à dotação a importância de despesa
de março. anulada no exercício .......”
III. As despesas de exercícios encerrados, para as quais o orçamento III) Correto. De acordo com o art. 36, da Lei nº 4.320/64 “Consideram-se restos a pagar as
A53 respectivo consignava créditos próprios, com saldo suficiente para atendê- E despesas empenhadas mas não pagas até o dia 31/12, distinguindo-se as processadas das não-
las, que não tenha sido processadas, na época própria, e cuja obrigação processadas.”
tenha sido cumprida pelo credor, deverão ser inscritas em Restos a Pagar IV) Correto. Está de acordo com o art. 59, da Lei nº 4.320/64 “O empenho da despesa não
do exercício e pagas como tal. poderá exceder o limite dos créditos concedidos”
IV. O empenho da despesa não poderá exceder o limite dos créditos V) Incorreta. Pois o art. 58, da Lei nº 4.320/64 estabelece que “o empenho de despesa é o ato
concedidos, exceto no caso de créditos extraordinários. emanado de autoridade competente que cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou
V. Entre os estágios da despesa orçamentária, é somente na liquidação que se reconhece
não de
a obrigação
implementoa pagar.
de condição.”
a) V,V,F,V,F
b) V,V,F,F,V
c) F,V,F,F,V
d) V,F,V,F,F
e) V,F,V,V,F

A intenção do examinador da questão foi referir-se à Portaria Interministerial nº 163 (e não


1.630) de 04 de maio de 2001, que dispõe sobre normas gerais de consolidação das Contas
Públicas no âmbito da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, e dá outras providências.
Em seu artigo 3º ela define a classificação da despesa quanto à natureza:
(TCU/ACE/2006) Identifique a opção falsa com relação à classificação Art. 3º A classificação da despesa, segundo a sua natureza, compõe-se de:
da despesa pública segundo a natureza, contida na Portaria I - categoria econômica;
Interministerial n. 1.630, de 4 de maio de 2001, a ser observada na II - grupo de natureza da despesa;
execução orçamentária de todas as esferas de governo. III - elemento de despesa;
A54 a) Categoria econômica. E § 1º A natureza da despesa será complementada pela informação gerencial denominada
b) Grupo de natureza da despesa. “modalidade de aplicação”, a qual tem por finalidade indicar se os recursos são aplicados
c) Elemento de despesa. diretamente por órgãos ou entidades no âmbito da mesma esfera de Governo ou por outro ente
d) Modalidade de aplicação. da Federação e suas respectivas entidades, e objetiva, precipuamente, possibilitar a eliminação
e) Desdobramento obrigatório do elemento de despesa. da dupla contagem dos recursos transferidos ou descentralizados.
…..
§ 5º É facultado o desdobramento suplementar dos elementos de despesa para atendimento das
necessidades de escrituração contábil e controle da execução orçamentária.
Veja no parágrafo quinto que, ao contrário do que afirma a alternativa E da questão, o desdobramento do elemento de despesa é facultativo.
a) Incorreta. Pois não existe a figura de subempenha e sim a nota de subempenho, que se da
quando temos um empenho por estimativa. Regrado no § 2º do art. 60 “será feito por estimativa
(TRF 5ªR/ANALISTA JUDICIÁRIO/ADMINISTRATIVO/2008) O
o empenho da despesa que cujo montante não se possa determinar”
empenho utilizado para os casos de despesas contratuais e outras sujeitas
b) Incorreta. Pois o empenho ordinário é aquele que a administração utiliza no seu dia a dia
a parcelamentos é uma modalidade denominada
para empenhar suas despesa usuais.
c) Incorreta. Pois o empenho por estimativa é aquele que se utiliza para empenhar as despesa
A55 (A) subempenho. E
que não se pode determinar o seu valor total (tais como energia, água, gás encanado etc.)
(B) empenho ordinário.
conforme § 2º do art. 60 “será feito por estimativa o empenho da despesa que cujo montante
(C) empenho por estimativa.
não se possa determinar”
(D) empenho normal.
d) Incorreta. Pois não existe a figura do empenho normal no ordenamento jurídico brasileiro.
(E) empenho global.
e) Correto. É o que determina o § 3º do art. 60 “é permitido o empenho global de despesas
contratuais e outras, sujeitas a parcelamento.”

(TRF 5ªR/ANALISTA JUDICIÁRIO/ADMINISTRATIVO/2008) Restos


a pagar de despesas processadas são aqueles cujo empenho foi entregue
ao credor mediante o fornecimento do material, serviço ou obra e a
despesa foi considerada
A56 A
(A) liquidada.
(B) paga.
(C) subempenhada.
(D) fixada.
(E) estimada.