You are on page 1of 19

Curso de Violã o

Harmonizaç ã o Bá sica

Apostila 2

Curso idealizado
por

J.Galocha

Professor Galocha Atividades Artí sticas

www.blogdoviolao.com
Formação da Escala Maior

Para entendermos como harmonizar uma música,


devemos primeiro entender a escala maior.
Observe a escala de Dó:

Observe que temos ½ tom entre a 3º e 4º,7ºe 8º


nota ,onde não existe sustenido.
Para que uma escala seja considerada maior, ela deve
ter o mesmo padrão da escala de Dó Maior.
Observe a escala de Ré:

Podemos notar que não aconteceu o ½ tom entre a


3ºe 4º ,7ºe 8º nota da escala,sendo assim teremos
que fazer alguns ajustes com as notas sustenidas.
Observe agora:

Note que foi usado o Fá# como 3º nota da escala e Dó#


com 7º,dessa forma conservamos o padrão Maior.
Montando a escala ,ela fica assim:

Todas demais escalas devem obedecer a esse padrão,


caso contrário não serão consideradas Maiores.

Como exercício o aluno deverá montar e decorar todas


as escalas maiores.
Monte as escalas :

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó

Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó Ré

Mi Fá Sol Lá Si Dó Ré Mi

Fá Sol Lá Si Dó Ré Mi Fá

Sol Lá Si Dó Ré Mi Fá Sol

Lá Si Dó Ré Mi Fá Sol Lá

Si Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

• Muita atenção na escala de Fá!


• Nunca altere as primeiras notas ou as que
você já passou!
Escala menor relativa

Toda escala maior gera uma escala menor,basta


começarmos a escala maior da 6ºnota e manter a
mesma escala que teremos a Escala Menor Relativa,
sendo assim devemos decorar a relação entre as duas
escalas!

Note que as duas escalas possuem as mesmas notas!

Decore a Relação entre as escalas:

Dó maior-----------------Lá menor
Ré maior-----------------Si menor
Mi maior-----------------Do#menor
Fá maior-----------------Ré menor
Sol maior----------------Mi menor
Lá maior-----------------Fá#menor
Si maior-----------------Sol#menor
Formação do
Campo Harmônico Maior
Para obtermos o campo harmônico maior,basta
aplicar uma pequena regra na escala maior.
Observe:
1ºnota da escala = acorde maior
2ºnota da escala = acorde menor
3ºnota da escala = acorde menor
4ºnota da escala = acorde maior
5ºnota da escala = acorde dominante
6ºnota da escala = acorde menor
7ºnota da escala = acorde meio diminuto

Exemplo:
1º - Dó = C
2º - Ré = Dm
3º - Mi = Em
4º - Fá = F
5º - Sol = G7
6º - Lá = Am
7º - Si = Bm7(b5)
Campo harmônico menor

Podemos extrair o campo harmônico menor do campo


harmônico maior, para isso basta fazer algumas
adaptações .

Observe que a mudança aconteceu no acorde de da


3º nota, no campo harmônico de Dó maior a nota Mi
era um acorde menor, quando passou para o campo
harmônico menor, a nota Mi passou a ser a 5º nota
que por regra tem de ser dominante.

Como exercício monte os demais campos


harmônicos menores .
Acordes de Preparação

O acorde dominante tem uma função especial dentro


do campo harmônico chamada de preparação,sendo
assim devemos decora-las !

Preparação Resolução

C7 F, Fm ou F7
D7 G, Gm ou G7
E7 A, Am ou A7
F7 Bb, Bbm ou Bb7
G7 C, Cm ou C7
A7 D, Dm ou D7
B7 E, Em ou E7

Exemplo:
CA7DmB7EmC7FD7G7E7Am Bm7(b5)
• O acorde meio-diminuto não tem preparação!
• Todo 5ºgrau prepara o primeiro!
Acordes Sub 5
(substituto da dominante)
O acorde dominante pode ser substituído por outro
acorde dominante que se encontra meio tom acima do
acorde de resolução.
Observe:

Preparação normal Substituindo

C E7 Am C Bb7 Am

O acorde de E7 foi substituído pelo acorde de Bb7 que


se encontra meio-tom acima da resolução Am.
Sempre devemos usar o sub 5 na versão bemol ao
invés de sustenido!

Exemplo:

C Eb7 Dm F7 Em Gb7 F Ab7 G7 Bb7 Am Bm7(b5)

O acorde sub5 de C é Db7!


Acorde Diminuto de Passagem
O acorde Diminuto é muito usado para unir dois
acordes de uma música, e são classificados em:

Acorde Diminuto Ascendente- quando alcança o acorde


de resolução subindo cromaticamente com um acorde
Diminuto.
Exemplo:

C C#º Dm
Observe que entre Dó e Ré entra o Dó Sustenido!

Acorde Diminuto Descendente- quando alcança o acorde


de resolução com um acorde Diminuto que se encontra
meio- tom acima do mesmo.
Exemplo:

C Ebº Dm
Observe que o Mi bemol está substituindo o
Ré sustenido que se encontra logo após do Ré!

Como exercício aplique o Diminuto de passagem no


campo harmônico em todas tonalidades.
Acordes Invertidos

Os acordes são invertidos quando não temos a Tônica


do acorde no baixo (nota mais grave),no lugar da Tônica
teremos a 3° ,5º ou a 7º graus da escala.

Exemplo:
T 3° 5°
Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

O acorde de C é formado com a escala de Dó Maior com


a combinação da Tônica,3º e 5º graus que juntos formam
o acorde.
Se utilizarmos a 3° nota no baixo ao invés da Tônica
teremos a primeira inversão!
Observe:
3º 5º T
Mi Sol Dó

Com essa formação teremos um acorde na primeira


inversão ,é importante ressaltar que se o acorde for
menor ele tem a 3° nota abaixada em meio-tom, sendo
assim seu baixo também será meio-tom abaixo!
Acordes Maiores
1º inversão
Vamos decorar os acordes maiores na 1ºinversão !

Abaixando a nota do baixo que é a 3º nota em meio-tom,


o acorde passara para forma menor!

13
Acordes menores
1º inversão
Vamos decorar os acordes menores na 1ºinversão !
Acordes na 2º inversão

Os acordes abaixo possuem a 5º no baixo!

É muito comum ficar alternando o baixo entre a tônica e


a 5º, principalmente no Samba!
A 3º Inversão
Os acordes são considerados na 3º inversão quando
possuem o 7º grau menor, ou seja, a 7º nota da escala
abaixada em meio-tom,no lugar da Tonica.

Observe:

1 2 3 4 5 6 7
Dó Ré Mi Fá Sol Lá Sib

No exemplo acima, a 7º nota da escala era a nota


si, que foi abaixada em meio-tom com o auxílio do
bemol para que fosse considerada 7º menor.

Observe:

1 2 3 4 5 6 7
Mi Fá# Sol# Lá Si Dó# Ré

Neste outro exemplo, a 7º nota foi abaixada em


meio-tom simplesmente tirando o sustenido(#).
Acordes na 3º inversão
O acorde na 3º inversão é um acorde de
preparação e resolve na 1º inversão!
Exemplo:
C/Bb= C7 resolve em F/A= F
Cadencial II-V-I

O cadencial II-V-I é muito usado para estilizar uma


harmonia , criando um arranjo personalizado.
O cadencial pode anteceder tanto um acorde maior
quanto um menor ,para isso basta aplicar os graus
correspondentes do campo harmônico.
Observe:

I II III IV V VI VII
C Dm Em F G7 Am Bm7(b5)

Dm G7 C = Cadencial de Dó maior

Se aplicarmos no campo harmônico menor, vamos ter:

I II III IV V VI VII
Am Bm7(b5) C Dm E7 F G7

Bm7(b5) E7 Am = Cadencial de Lá menor

Como exercício aplique o cadencial II-V-I no


campo harmônico em todas tonalidades.
Harmonizando
Vamos aplicar nossos conhecimentos na primeira parte
da famosa composição de Luís Gonzaga, Asa Branca.

Asa Branca

C F
Quando olhei a terra ardendo,
C G7 C
Qual fogueira de São João,
F
Eu perguntei ai a Deus do Céu ai,
G7 C
Porque tamanha judiação.

Observe que foram usados somente os acordes do


campo harmônico .
Podemos sofisticar essa harmonização com nossos
conhecimentos, para isso devemos usar de bom senso,
pois nem sempre aquilo que é correto teoricamente
funcionará na prática!
Observe e analise as mudanças!

Asa Branca

C Gm C7 F Dm
Quando olhei a terra ardendo,
G7 C C#º Dm Db7 C Dm
Qual fogueira de São João,
G7 C C/Bb F/A
Eu perguntei ai a Deus do Céu ai,
Dm G7 C
Porque tamanha judiação.

Nesse arranjo foi usado: Cadencial II-V-I, Cadencial

com Sub 5, Diminuto ascendente, Acordes invertidos.

Existem várias possibilidades de harmonização, crie


a sua e toque diferente de outros instrumentistas!