You are on page 1of 48

Educação 1º; 2º Brincadeiras Brincadeiras e (EF12EF01) Experimentar brincadeiras e Na elaboração do currículo, pode-

Física e jogos jogos da Experimentar, fruir e jogos da cultura popular se partir das características locais,
cultura popular recriar diferentes presentes no contexto estipulando experiências de
presentes no brincadeiras e jogos da comunitário e regional significa brincadeiras e jogos que fazem
contexto cultura popular se apropriar de aprendizagens parte do contexto comunitário e
comunitário e presentes no contexto que só podem ser acessadas regional, propondo experiências
regional comunitário e regional, pela experiência corporal, ou positivas aos alunos. Ao participar
reconhecendo e seja, devem ser efetivamente de uma brincadeira ou jogo que
respeitando as vivenciadas. O fruir se relaciona exige movimentos com os quais
diferenças individuais de às aprendizagens que permitem não se está acostumado, é natural
desempenho dos ao aluno desfrutar da realização que haja insegurança ou
colegas. de uma determinada prática dificuldade, e é nesse momento
corporal ou apreciá-la quando que as diferenças se evidenciam. É
realizada por outros. Recriar é interessante que o currículo local
um processo complexo, que proponha uma organização com a
demanda uma série de outras prática de brincadeiras e jogos
aprendizagens e que, nesse com exigência de habilidades
grupo etário, pode se motoras mais simples para as mais
desenvolver, por exemplo, complexas, e que possibilite aos
solicitando que recriem uma alunos discutirem sobre as
brincadeira que praticam em habilidades que podem
casa para mostrar aos colegas, desenvolver ao praticá-las,
adaptando os materiais e trabalhando uma atitude positiva
espaços disponíveis na escola. As com relação às diferenças e à
brincadeiras e jogos da cultura possibilidade de aprender e
popular presentes no contexto desenvolver-se continuamente. A
comunitário e regional referem- mesma relação se estabelece com
se a práticas que fazem parte do as capacidades físicas. As
dia a dia dos alunos, aquelas que diferenças de força muscular,
praticam e aquelas que velocidade ou agilidade entre os
observam outras pessoas alunos interferem no desempenho
praticando. Desenvolver essa durante as práticas de
habilidade reconhecendo e brincadeiras e jogos. O
respeitando as diferenças desenvolvimento da habilidade
individuais de desempenho dos possibilita a identificação e o
colegas possibilita a exploração estudo das capacidades físicas
de dois importantes aspectos exigidas nas brincadeiras e jogos,
relacionados ao movimento: 1. assim como a importância desses
Habilidades motoras: são todos atributos para o dia a dia. O
os movimentos que reconhecimento dessas
aprendemos, são incorporados e características possibilita o
podem ser utilizados em tarefas desenvolvimento das habilidades
cada vez mais específicas. 2. (EF12EF02) e (EF12EF03) para
Capacidades físicas: são estes anos, e a conexão com as
características que nossos habilidades (EF35EF01) e
movimentos apresentam e que (EF35EF02). Uma possibilidade de
podem ser aprimorados, como a organização da habilidade por
força muscular, o equilíbrio e a anos segundo um critério de
velocidade. complexidade pode ser por meio
das habilidades motoras — das
mais simples, como correr, saltar,
rolar, chutar, arremessar, para as
mais complexas, como correr e
quicar a bola, arremessar ou
chutar uma bola a um alvo
específico. Há, aqui,
oportunidade de trabalho
interdisciplinar com as habilidades
(EF01HI05), de História; e
(EF01GE02), de Geografia,
voltadas à identificação de
semelhanças e diferenças de jogos
e brincadeiras de diferentes
tempos e lugares.

Educação 1º; 2º Brincadeiras Brincadeiras e (EF12EF02) Explicar, por Explicar sobre as brincadeiras e Os relatos dos alunos sobre as
Física e jogos jogos da meio de múltiplas jogos do contexto comunitário e brincadeiras e jogos que praticam
cultura popular linguagens (corporal, regional por meio de múltiplas e observam outros praticando no
presentes no visual, oral e escrita), as linguagens significa conhecer e seu dia a dia podem servir de
contexto brincadeiras e os jogos saber utilizar os quatro tipos de ponto de partida para o
comunitário e populares do contexto linguagens propostas na desenvolvimento da habilidade. A
regional comunitário e regional, habilidade: 1. Linguagem partir desses relatos, pode-se
reconhecendo e corporal: forma de comunicação pesquisar as origens dessas
valorizando a não-verbal que abrange gestos, práticas, como esses jogos
importância desses posturas, expressões faciais, chegaram até eles e a sua
jogos e brincadeiras movimentos do corpo, entre importância para a preservação da
para suas culturas de outros; 2. Linguagem visual: cultura, como brincadeiras que
origem. qualquer tipo de comunicação imitam ações dos adultos, por
que se dá por meio de imagens e exemplo, brincar de cozinhar ou
símbolos, como fotos e vídeos; brincar de dirigir carrinhos. Além
3. Linguagem oral: utilizando a disso, pode-se identificar quais
fala e em presença de agentes da comunidade (em
interlocutor;4. Linguagem associações, idosos, pessoas do
escrita: na qual o contato com o convívio do aluno, universidades)
interlocutor é indireto. As são fontes para o resgate dos
brincadeiras e jogos da cultura jogos e brincadeiras locais e
popular presentes no contexto regionais. Uma possibilidade de
comunitário e regional referem- organização da habilidade por
se a práticas que fazem parte do anos segundo um critério de
dia a dia dos alunos, aquelas que complexidade pode propor que os
praticam e aquelas que alunos expliquem inicialmente
observam outras pessoas brincadeiras e jogos que praticam
praticando. Ao identificar as e, a seguir, brincadeiras e jogos
origens dos jogos e brincadeiras que pessoas do seu convívio
do contexto comunitário e praticam e praticavam, ampliando
regional, os alunos devem para brincadeiras e jogos da sua
reconhecer que essas práticas comunidade local.
foram transmitidas de geração
em geração e sofreram
transformações e adaptações de
acordo com as características do
ambiente físico e social no qual
foram praticadas até chegar a
eles. Essa percepção gera um
sentido de continuidade,
preservação e valorização das
culturas nas quais essas
brincadeiras e jogos se
originaram.
Educação 1º; 2º Brincadeiras Brincadeiras e (EF12EF03) Planejar e Planejar e utilizar estratégias Na elaboração do currículo, é
Física e jogos jogos da utilizar estratégias para refere-se ao conhecimento possível contextualizar e
cultura popular resolver desafios de originado pela observação e aprofundar esta habilidade
presentes no brincadeiras e jogos análise das próprias experiências propondo a análise das
contexto populares do contexto corporais e daquelas realizadas características das brincadeiras e
comunitário e comunitário e regional, por outros. Trata-se de um ato jogos do contexto comunitário e
regional com base no intencional, orientado a regional, como número de
reconhecimento das formular e empregar estratégias participantes, materiais, regras,
características dessas de observação e análise para: (a) espaços, exigências físicas ou
práticas. resolver desafios peculiares à habilidades motoras necessárias
prática realizada; (b) apreender para a sua prática. A análise das
novas modalidades; (c) adequar características das brincadeiras e
as práticas aos interesses e às jogos possibilita que identifiquem
possibilidades próprios e aos das os desafios impostos pelas
pessoas com quem se práticas e planejem soluções para
compartilha a sua realização. a realização de todos — por
Para isso, os alunos necessitam exemplo, um movimento muito
se apropriar de aprendizagens complexo exigido pela atividade,
propostas nas habilidades como em uma brincadeira ou jogo
(EF12EF01) e (EF12EF02), que no qual deve-se atingir um alvo
possibilitam a eles ter condições específico e os alunos não têm
de realizar de forma autônoma essa habilidade desenvolvida;
uma determinada prática nesse caso, pode-se aproximar o
corporal. As brincadeiras e jogos alvo ou aumentar o seu tamanho.
da cultura popular presentes no Outro exemplo é a modificação ou
contexto comunitário e regional adaptação de regras às
referem-se a práticas que fazem características dos alunos,
parte do dia a dia dos alunos, tornando-as mais flexíveis, ou às
aquelas que praticam e aquelas características do espaço, como
que observam outras pessoas em um jogo de futebol realizado
praticando. O reconhecimento em locais pequenos, onde se
das características dessas elimina as laterais do campo. Em
práticas significa identificar quais muitos casos, os alunos já
as habilidades motoras e realizam essas adaptações nos
capacidades físicas necessárias, locais onde moram. Pode-se
quais as regras, os materiais, os solicitar que compartilhem essas
espaços necessários ou número experiências com os colegas para
de participantes, a fim de que auxiliar na solução dos desafios
tenham informações para identificados por eles. A
planejar as modificações e possibilidade de organização da
adaptações às práticas para que habilidade pelos anos pode ser
todos participem. estabelecida por um critério de
complexidade da brincadeira ou
jogo, por exemplo, utilizando
regras mais flexíveis para regras
menos flexíveis, ou de
brincadeiras e jogos que exijam
menos habilidades motoras para
outros que requerem habilidades
motoras mais complexas.
Educação 1º; 2º Brincadeiras Brincadeiras e (EF12EF04) Colaborar na Colaborar na proposição e na Na elaboração do currículo, é
Física e jogos jogos da proposição e na produção de alternativas para a interessante desenvolver
cultura popular produção de alternativas prática refere-se às aprendizagens sobre a relação
presentes no para a prática, em aprendizagens que possibilitam entre o ser humano e o ambiente
contexto outros momentos e ao aluno ter condições de físico, que estabelece interações
comunitário e espaços, de brincadeiras realizar de forma autônoma uma com a disciplina de Geografia. A
regional e jogos e demais determinada prática corporal todo momento, realizamos
práticas corporais não só durante as aulas, como movimentos em diferentes
tematizadas na escola, também para além delas. Em ambientes físicos, aos quais
produzindo textos (orais, outros momentos e espaços podemos nos adaptar e
escritos, audiovisuais) significa que os alunos transformar de acordo com nossa
observem, fora das aulas de necessidade. À medida que os
para divulgá-las na educação física, espaços que alunos propõem alternativas para
escola e na comunidade. frequentam, como pátios, práticas em outros ambientes,
praças, praias, terrenos vazios, devem pensar em adaptações e
entre outros, e, a partir das suas transformações possíveis,
características, como dimensões respeitando a si e ao ambiente no
ou equipamentos disponíveis, qual se encontram. Outra possível
proponham maneiras de se interação com outras disciplinas
praticar as brincadeiras e jogos refere-se às produções de textos
que aprenderam na escola. A (orais, escritos e audiovisuais),
habilidade amplia a proposta de que relacionam a habilidade à
produção e divulgação para Língua Portuguesa, nos eixos
outras práticas corporais, como produção de textos e oralidade, e
danças, esportes e ginásticas. ao uso de tecnologias. Uma
Para divulgar as produções de possibilidade de aumento no
alternativas para as práticas, os critério de complexidade entre os
alunos devem produzir textos anos para a habilidade pode
orais, textos escritos ou textos propor inicialmente que se
audiovisuais (combinando som e experimente e discuta sobre
imagem), possibilitando a brincadeiras e jogos praticados
interação com outras disciplinas, em pequenos espaços e grandes
como Língua Portuguesa e Artes. espaços, partindo para a
adaptação dos locais disponíveis
na escola para a sua prática, até a
observação e proposição de
alternativas para a prática em
outros espaços que frequentam
fora das aulas de Educação Física,
apropriando-se do espaço social e
coletivo que dialoga com o
entorno da escola.
Educação 1º; 2º Esportes Esportes de (EF12EF05) Experimentar os esportes Na elaboração do currículo, é
Física marca Experimentar e fruir, significa se apropriar de possível propor o estudo das
Esportes de prezando pelo trabalho aprendizagens que só podem ser características dos movimentos
precisão coletivo e pelo acessadas pela experiência necessários para execução dos
protagonismo, a prática corporal, ou seja, devem ser elementos comuns aos esportes
de esportes de marca e efetivamente vivenciadas. O de marca e precisão, como as
de precisão, fruir se relaciona às habilidades motoras de correr,
identificando os aprendizagens que permitem ao saltar, lançar e arremessar, e as
elementos comuns a aluno desfrutar da realização de capacidades físicas requisitadas
esses esportes. uma determinada prática durante as práticas, como a força
corporal ou apreciá-la quando muscular, a potência muscular e a
realizada por outros. O trabalho velocidade. A partir da
coletivo e o protagonismo são identificação dos aspectos das
ações importantes presentes nos modalidades, pode-se investigar
esportes. O protagonismo quais esportes os alunos
prevalece nas modalidades conhecem com essas
individuais, como no salto em características, quais podem ser
distância e no tiro ao alvo, mas é classificados como esportes de
importante também nos marca e precisão, quais são
esportes coletivos, visto que o individuais, quais são coletivos e
aluno deve se empenhar em que adaptações podem ser feitas
realizar a sua função para o bem para que consigam praticar esses
coletivo. O trabalho coletivo esportes na escola. A prática de
ocorre quando um grupo de uma modalidade, que pode ser,
pessoas se dedica a realizar uma ao mesmo tempo, individual e
tarefa, como nos esportes coletiva, pode levar a reflexões
coletivos, e possibilita troca de acerca do trabalho coletivo e do
experiências, ajuda mútua, protagonismo, como, por
aprendizagem de novas exemplo, ao propor corridas
habilidades motoras e individuais (corrida em linha reta,
compartilhamento de decisões. corrida com obstáculos, corrida
Os alunos devem identificar os carregando objetos) e, a seguir, o
elementos comuns aos esportes mesmo tipo de corrida em
de marca, que se caracterizam revezamento e, ao final, discutir
por comparar os resultados sobre as diferenças entre os dois
registrados em segundos, tipos e sobre o que sentiram os
metros ou quilos; e esportes de alunos ao participar de ambas.
precisão, que se caracterizam Ainda, esta habilidade pode ser
pelo ato de arremessar ou lançar contextualizada comparando os
um objeto, procurando acertar movimentos com situações do dia
ou aproximá-lo de um alvo a dia dos alunos, como a
específico. A experimentação necessidade da força muscular ao
dos esportes de marca e carregar uma sacola, subir escadas
precisão e a identificação de ou subir em uma árvore. O
suas características serão aumento do critério de
utilizados em anos posteriores e complexidade durante os anos
conectam essa habilidade às pode ser estabelecido partindo de
habilidades (EF67EF03), aprendizagens das modalidades
(EF67EF04) e (EF67EF05). dos esportes de marca e precisão
que exigem movimentos mais
simples, como a corrida e o
lançamento em um alvo estático,
para modalidades com
movimentos mais complexos,
como as provas de arremesso com
giro, revezamento e com alvos
que exijam mais habilidades
motoras para a precisão.
Educação 1º; 2º Esportes Esportes de (EF12EF06) Discutir a Discutir é um processo Na elaboração do currículo, a
Física marca importância da complexo, que demanda uma discussão sobre as normas e
Esportes de observação das normas série de outras aprendizagens, regras dos esportes pode ser
precisão e das regras dos como analisar a situação, ampliada para uma reflexão sobre
esportes de marca e de defender pontos de vista, as condutas dos alunos em todos
precisão para assegurar levantar questões e, que nesse os momentos, tanto na escola
a integridade própria e grupo etário, pode representar o como nos ambientes que
as dos demais escutar as falas do professor e frequentam no seu dia a dia.
participantes. colegas, formular perguntas Vivemos em uma sociedade onde
sobre o tema, solicitar as regras foram estabelecidas com
esclarecimentos quando finalidades semelhantes às
necessário e procurar expressar- encontradas nos esportes, que
se com clareza para ser bem são a segurança e a equidade. O
compreendido. Esportes de exercício da discussão e reflexão
marca se caracterizam por possibilita inter-relações com o
comparar os resultados componente Língua Portuguesa
registrados em segundos, no desenvolvimento do
metros ou quilos; e esportes de intercâmbio oral no contexto
precisão, pelo ato de arremessar escolar, no qual os alunos podem:
ou lançar um objeto, procurando 1. Expressar-se com
acertar ou aproximá-lo de um autoconfiança, apresentando
alvo específico. Observar as informações e esclarecendo
normas e regras nesses esportes dúvidas; 2. Escutar com atenção
significa, entre outras coisas, as instruções orais, acordos e
perceber que são estabelecidas combinados que organizem a
para garantir a segurança e convivência em sala de aula; 3.
equidade entre os participantes. Escutar com atenção os colegas e
reconhecer a sua vez de falar. O
aumento de complexidade
durante os anos pode ser
estabelecido inicialmente
levando-se em conta as
características e a importância das
regras no esporte e nas aulas de
Educação Física para, no segundo
ano, propor a sugestão de que os
alunos adaptem as regras das
modalidades esportivas às
características do grupo. Há, aqui,
oportunidade de trabalho
interdisciplinar em conjunto com
as habilidades (EF01LP21), da
Língua Portuguesa
Educação 1º; 2º Ginásticas Ginástica geral (EF12EF07) Experimentar os elementos Na elaboração do currículo, é
Física Experimentar, fruir e básicos da ginástica significa se interessante considerar que
identificar diferentes apropriar de aprendizagens que existem elementos básicos da
elementos básicos da só podem ser acessadas pela ginástica que fazem parte do
ginástica (equilíbrios, experiência corporal, ou seja, universo dos alunos. Correr,
saltos, giros, rotações, devem ser efetivamente saltar, manipular objetos, rolar,
acrobacias, com e sem vivenciadas. O fruir se relaciona equilibrar-se são habilidades
materiais) e da ginástica às aprendizagens que permitem motoras presentes tanto nas
geral, de forma ao aluno desfrutar da realização ginásticas como em outras
individual e em de uma determinada prática práticas das quais participam,
pequenos grupos, corporal ou apreciá-la quando como nos jogos e brincadeiras. Na
adotando realizada por outros. Identificar ginástica, esses movimentos são
procedimentos de os diferentes elementos básicos realizados com uma técnica mais
segurança. da ginástica refere-se à elaborada, que pode causar
aprendizagem sobre as insegurança e desconforto em
habilidades motoras, que são alunos menos habilidosos ou que
todos os movimentos que não estejam acostumados aos
aprendemos e que são movimentos. Portanto, a
incorporados ao nosso acervo aquisição da técnica deve ser
motor e podem ser utilizados em desenvolvida gradativamente,
tarefas cada vez mais levando em conta as
específicas. Ao identificar os características individuais. A
elementos básicos requeridos na aprendizagem de procedimentos
ginástica e na ginástica geral, os de segurança pode ser
alunos devem observar quais desenvolvida a partir da própria
procedimentos adotar para experimentação dos alunos. À
conseguir realizá-los de forma medida que se deparam com
segura, como, por exemplo, alguma dificuldade durante a
realizar uma cambalhota com a prática, compartilham com os
ajuda do amigo ou providenciar colegas e o professor, que
um material, como um colchão, analisam e propõem soluções
para amenizar a queda durante para que as dificuldades sejam
um salto. superadas na realização da
atividade. Uma possibilidade de
organização da habilidade por
anos consiste em considerar como
critério a complexidade de
solicitação das habilidades
motoras, iniciando com as mais
simples, de acordo com as
características dos alunos, para as
mais complexas. Há, aqui,
oportunidade de trabalho
interdisciplinar com as habilidades
(EF15AR08), (EF15AR10),
(EF15AR11), de Arte; (EF01MA11),
(EF02MA12), da Matemática;
(EF02GE10), da Geografia; e
(EF12EF11), da própria Educação
Física, voltadas à experimentação,
descrição e representação de
movimentos de pessoas e objetos
no espaço.

Educação 1º; 2º Ginásticas Ginástica geral (EF12EF08) Planejar e Planejar e utilizar estratégias Na elaboração do currículo, pode-
Física utilizar estratégias para refere-se ao conhecimento se propor a análise dos
a execução de diferentes originado pela observação e movimentos realizados para se
elementos básicos da análise das próprias vivências identificar os elementos das
ginástica e da ginástica corporais e daquelas realizadas ginásticas. Correr, saltar,
geral. por outros. Trata-se de um ato manipular objetos, rolar,
intencional, orientado a equilibrar-se são habilidades
formular e empregar estratégias motoras presentes nas ginásticas
de observação e análise para: (a) e é importante que os currículos
resolver desafios peculiares à proponham a sua experimentação
prática realizada;(b) apreender de modo que os alunos se
novas modalidades; (c) adequar apropriem desses movimentos de
as práticas aos interesses e às acordo com as suas características
possibilidades próprios e aos das individuais. Uma possibilidade de
pessoas com quem compartilha organização da habilidade por
a sua realização. A ginástica anos consiste em considerar como
geral tem como características a critério a complexidade de
não competição, a diversidade solicitação das habilidades
musical, a utilização de motoras, iniciando com as mais
elementos da cultura e o prazer simples, de acordo com as
pela prática. É uma modalidade características dos alunos, para as
utilizada, por exemplo, nas mais complexas.
aberturas de jogos olímpicos e
mundiais de futebol. A execução
dos diferentes elementos
básicos da ginástica e da
ginástica geral pressupõem a
aprendizagem sobre as
habilidades motoras, que são
todos os movimentos que
aprendemos e que são
incorporados ao nosso acervo
motor e podem ser utilizados em
tarefas cada vez mais
específicas.
Educação 1º; 2º Ginásticas Ginástica geral (EF12EF09) Participar da Participar da ginástica geral Na elaboração do currículo, é
Física ginástica geral, significa se apropriar de importante que se proponham
identificando as aprendizagens que só podem ser práticas nas quais os alunos
potencialidades e os acessadas pela experiência identifiquem a ação das regiões
limites do corpo, e corporal, ou seja, devem ser corporais e as suas possibilidades
respeitando as efetivamente vivenciadas. A de movimentos, como
diferenças individuais e ginástica geral tem como movimentar-se utilizando as
de desempenho características a não mãos, os pés, os braços, o tronco,
corporal. competição, a diversidade a cabeça e o pescoço durante a
musical, a utilização de prática das ginásticas, de outras
elementos da cultura e o prazer práticas corporais, assim como
pela prática. É uma modalidade outros movimentos que os alunos
utilizada, por exemplo, nas realizam no seu dia a dia. Na
aberturas de jogos olímpicos e identificação das potencialidades
mundiais de futebol. As e limites do corpo, a habilidade
potencialidades e os limites do possibilita também que se
corpo relacionado aos estabeleça relações com Ciências.
movimentos permitem que os Uma possibilidade de organização
alunos reconheçam que nosso da habilidade por anos consiste
corpo é estruturado para realizar em considerar como critério a
esses movimentos: temos ossos, complexidade de solicitação dos
músculos, articulações, coração, movimentos e a solicitação de
pulmões, cérebro e sistema mais capacidades físicas durante a
nervoso que atuam em sua realização. Por exemplo, a
conjunto, possibilitando uma solicitação da capacidade física de
grande quantidade de equilíbrio em um movimento
movimentos. Desenvolver essa estático sobre a trave, banco ou
habilidade reconhecendo e linhas da quadra e o movimento
respeitando as diferenças de equilíbrio presente ao
individuais de desempenho dos manipular objetos em movimento,
colegas possibilita a exploração como uma corda ou bolas, ou,
de dois importantes aspectos ainda, durante um salto e queda
relacionados ao movimento: 1. após uma corrida.
Habilidades motoras: são todos
os movimentos que
aprendemos, são incorporados e
podem ser utilizados em tarefas
cada vez mais específicas; 2.
Capacidades físicas: são
características que nossos
movimentos apresentam e que
podem ser aprimorados, como a
força muscular, o equilíbrio e a
velocidade.
Educação 1º; 2º Ginásticas Ginástica geral (EF12EF10) Descrever, Descrever as características dos Na elaboração do currículo, é
Física por meio de múltiplas elementos básicos da ginástica e possível explorar linguagens que
linguagens (corporal, da ginástica geral pressupõe que mais se aproximam do contexto
oral, escrita e os alunos devem se apropriar e dos alunos para explicar sobre as
audiovisual), as saber utilizar os quatro tipos de ginásticas e ginástica geral,
características dos linguagens propostas na fazendo uso de interações com o
elementos básicos da habilidade: 1. Linguagem eixo "escrita" de Língua
ginástica e da ginástica corporal: forma de comunicação Portuguesa, na unidade temática
geral, identificando a não-verbal que abrange gestos, Estratégias de produção do texto,
presença desses posturas, expressões faciais, onde se discute a finalidade da
elementos em distintas movimentos do corpo, entre escrita, para quem escrever , onde
práticas corporais. outros; 2. Linguagem oral: o texto vai circular, qual o suporte
utilizando a fala e em presença do texto e a linguagem utilizada. O
de interlocutor; 3. Linguagem currículo local pode também
escrita: na qual o contato com o estabelecer relações entre as
interlocutor é indireto; 4. habilidades motoras e as
Linguagem audiovisual: que capacidades físicas presentes nos
utiliza as linguagens verbal, elementos básicos da ginástica e
sonora e visual para transmitir da ginástica geral, e as práticas
uma mensagem. Os elementos corporais que fazem parte da
básicos das ginásticas cultura local, como nas danças
apresentam determinadas regionais, jogos e brincadeiras,
capacidades físicas, que são esportes ou situações do dia a dia
características que nossos dos alunos. Um critério para
movimentos apresentam e que organização da habilidade por
podem ser aprimoradas, como a anos pode considerar utilizar
força muscular, a agilidade, o linguagens mais usuais para as
equilíbrio e a velocidade. Os menos usuais ou a utilização de
alunos devem identificar os várias linguagens em sincretismo,
elementos básicos das ginásticas ou seja, ao mesmo tempo, para
(equilíbrios, saltos, giros, descrever as características dos
rotações, acrobacias, com e sem elementos básicos da ginástica e
materiais) em outras práticas da ginástica geral.
corporais, como nos jogos e
brincadeiras, esportes e danças.

Educação 1º; 2º Danças Danças do (EF12EF11) Experimentar diferentes danças Na elaboração do currículo, pode-
Física contexto Experimentar e fruir do contexto comunitário e se partir de vivências de danças
comunitário e diferentes danças do regional significa se apropriar de que fazem parte do contexto
regional contexto comunitário e aprendizagens que só podem ser comunitário e regional, propondo
regional (rodas acessadas pela experiência experiências positivas aos alunos.
cantadas, brincadeiras corporal, ou seja, devem ser Ao participar de uma dança que
rítmicas e expressivas), e efetivamente vivenciadas. O exige movimentos com os quais
recriá-las, respeitando fruir se relaciona às não se está acostumado ou que
as diferenças individuais aprendizagens que permitem ao proponha interação com os
e de desempenho aluno desfrutar da realização de outros, alguns alunos sentem-se
corporal. uma determinada prática inseguros e é nesse momento que
corporal ou apreciá-la quando as diferenças se evidenciam. É
realizada por outros. Danças do interessante que o currículo local
contexto comunitário e regional proponha uma aprendizagem
são aquelas que os alunos sobre as danças do contexto
reconhecem, praticam e comunitário e regional partindo
observam outros praticando no de habilidades motoras mais
ambiente social que simples para as mais complexas,
frequentam. Recriar danças é estimulando os alunos a interagir
um processo complexo, que com os colegas, e que possibilite a
demanda uma série de outras eles relatar o que sentiram
aprendizagens. Nesse grupo durante as práticas. A mesma
etário, espera-se, por exemplo, relação se estabelece com as
que o aluno utilize diferentes capacidades físicas. As diferenças
gestos para marcar o ritmo, de agilidade, coordenação, ritmo
como palmas, sapateados, ou equilíbrio entre os alunos
percussão corporal ou em latas, interferem no desempenho
baldes ou bastões contra o chão, durante as práticas de danças. O
utilizando seu repertório currículo local pode propor a
corporal para o improviso e a identificação e o estudo das
criação. O reconhecimento e capacidades físicas exigidas nas
respeito às diferenças de danças, assim como a importância
desempenho evidenciadas nas desses atributos para o dia a dia.
experimentações possibilita a Uma possibilidade de organização
aprendizagem de importantes da habilidade por anos pode
aspectos relacionados ao seguir um critério de
movimento: 1. Habilidades complexidade das habilidades
motoras: são todos os motoras, das mais simples para as
movimentos que aprendemos, mais complexas.
são incorporados e podem ser
utilizados em tarefas cada vez
mais específicas, que, nas
danças, estão presentes em um
de seus elementos constitutivos:
os gestos; 2. Capacidades
físicas: são características que
nossos movimentos apresentam
e que podem ser aprimoradas,
como o equilíbrio, a flexibilidade
e a coordenação motora. São
muito importantes para a
aptidão física e para a saúde, e
evidenciam as diferenças de
desempenho corporal durante
as práticas.

Educação 1º; 2º Danças Danças do (EF12EF12) Identificar os Identificar significa que os Na elaboração do currículo,
Física contexto elementos constitutivos alunos devem constatar, por sugere-se que os alunos
comunitário e (ritmo, espaço, gestos) meio da vivência e observação, identifiquem a presença das
regional das danças do contexto quais são os elementos capacidades físicas durante as
comunitário e regional, constitutivos das danças: 1. práticas das danças. Além do
valorizando e Ritmo: é uma qualidade ritmo, que é um elemento
respeitando as presente nas danças, em outras constituinte das danças, outras
manifestações de práticas corporais, como pular capacidades, como a coordenação
diferentes culturas. corda, e em diferentes situações motora, o equilíbrio, a agilidade a
do dia a dia. Na dança, o ritmo é flexibilidade, entre outras, estão
um movimento que ocorre com presentes nessa prática. Outro
uma recorrência regular; 2. ponto que pode ser explorado
Espaço: todo movimento que pelo currículo é o de que os
realizamos ocorre em um alunos experimentem e
ambiente físico ou espaço em identifiquem quais são as
uma relação de interação, habilidades motoras necessárias
adaptação e transformação. Ao para a prática das danças. Nessa
dançar, os alunos movimentam- fase, é recomendável situar o foco
se pelos espaços, interagindo na ampliação de aprendizagens de
com os ambientes e com os movimentos, e não na execução
colegas, conhecendo a si da técnica da dança em si. É
próprios e reconhecendo o importante propor situações de
outro; 3. Gestos: o estudo dos aprendizagens nas quais os alunos
gestos nas danças possibilita a utilizem os movimentos da dança
análise tanto de elementos para conhecer-se, relacionar-se
técnicos, ao se identificar o com os outros e explorar os
movimento do corpo ou parte espaços. O relato dos alunos
dele, como um giro ou um sobre as danças que praticam e
sobrepasso, como o movimento observam outros praticando no
aliado a um significado, que seu dia a dia podem servir de
constitui a expressão daquilo ponto de partida para que eles
que é observado nos pesquisem sobre as origens
movimentos de quem dança. A dessas práticas, como essas
aprendizagem sobre as danças chegaram até eles e a sua
diferentes manifestações das importância para a preservação da
danças do contexto comunitário cultura, como as danças típicas
e regional, como as danças de das festas regionais ou danças
roda, danças de rua, danças folclóricas da sua região. Além
clássicas, danças folclóricas, disso, pode-se identificar quais
danças de salão, entre outras, agentes da comunidade (em
possibilita que os alunos associações, idosos, pessoas do
reconheçam que essas práticas convívio do aluno, universidades)
foram transmitidas de geração são fontes para o resgate das
em geração e sofreram danças do contexto comunitário e
transformações e adaptações de regional. Uma possibilidade de
acordo com as características do organização da habilidade por
ambiente físico e social até anos segundo um critério de
chegar a eles. Essa percepção complexidade pode propor que os
gera um sentido de alunos expliquem inicialmente
continuidade, respeito e danças que praticam e, a seguir,
danças que pessoas do seu
valorização às manifestações de convívio praticam e praticavam,
diferentes culturas. ampliando danças típicas da sua
comunidade local. Há, aqui,
oportunidade de trabalho
interdisciplinar com as habilidades
(EF01LP04), da Língua Portuguesa;
e (EF12AR14), da Arte, voltadas à
percepção e registro dos
elementos constitutivos do som e
da música.
Educação 3º; Brincadeiras Brincadeiras e (EF35EF01) Experimentar brincadeiras e Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º e jogos jogos Experimentar e fruir jogos populares do Brasil e do adequado que se estabeleça
populares do brincadeiras e jogos mundo, incluindo aqueles de relações com outros
Brasil e do populares do Brasil e do matriz indígena e africana componentes, por meio de
mundo mundo, incluindo presentes no contexto experiências de leituras que deem
Brincadeiras e aqueles de matriz comunitário e regional, significa suporte para aprendizagens sobre
jogos de matriz indígena e africana, e se apropriar de aprendizagens como o povoamento e a formação
indígena e recriá-los, valorizando a que só podem ser acessadas das culturas das diversas regiões
africana importância desse pela experiência corporal, ou do país influenciaram as práticas
patrimônio histórico seja, devem ser efetivamente dos jogos e brincadeiras do Brasil
cultural. vivenciadas. O fruir se relaciona de matriz indígena e africana. É
às aprendizagens que permitem interessante que os alunos sejam
ao aluno desfrutar da realização apresentados a conceitos sobre
de uma determinada prática patrimônio cultural para que
corporal ou apreciá-la quando reconheçam e valorizem as
realizada por outros. Recriar é aprendizagens sobre os jogos e
um processo complexo, que brincadeiras que não fazem parte
demanda uma série de outras do seu cotidiano. Uma
aprendizagens, e que, nesse possibilidade de organização da
grupo etário, pode se habilidade por anos pode seguir
desenvolver, por exemplo, alguns critérios: a) Jogos e
solicitando que, após a brincadeiras com regras e
aprendizagem de uma exigências motoras mais simples
brincadeira ou jogo popular do para as mais complexas; b)
Brasil e de matriz indígena e Aprofundamento na
africana que não conhecem, os aprendizagem sobre a cultura na
alunos dialoguem e se qual as brincadeiras e jogos se
organizem para recriar essas originaram; c) Identificação de
práticas corporais utilizando os jogos e brincadeiras que se
materiais e espaços disponíveis manifestam de modo semelhante
na escola. Os alunos devem na maneira de jogar em diferentes
reconhecer e valorizar que as locais, mas que possuem nomes e
brincadeiras e jogos populares movimentos adaptados à cultura
do Brasil e do mundo, incluindo local. Há, aqui, oportunidade de
aqueles de matriz indígena e trabalho interdisciplinar com as
africana, fazem parte do habilidades (EF15AR24), da Arte; e
patrimônio cultural de um povo, (EF04LP12) e (EF04LP13), da
constituindo um conjunto de Língua Portuguesa, voltadas à
práticas que remetem à história, compreensão de instruções sobre
à memória e à identidade desse jogos e brincadeiras.
povo.
Educação 3º; Brincadeiras Brincadeiras e (EF35EF02) Planejar e Planejar e utilizar estratégias Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º e jogos jogos utilizar estratégias para refere-se ao conhecimento importante que os alunos possam
populares do possibilitar a originado pela observação e reconhecer que os aspectos de
Brasil e do participação segura de análise das próprias experiências segurança para realização das
mundo todos os alunos em corporais e daquelas realizadas práticas corporais incluem
Brincadeiras e brincadeiras e jogos por outros. Trata-se de um ato aprendizagens sobre: 1.
jogos de matriz populares do Brasil e de intencional, orientado a Habilidades motoras: são os
indígena e matriz indígena e formular e empregar estratégias movimentos requisitados para
africana africana. de observação e análise para: (a) realização das práticas. As aulas
resolver desafios peculiares à devem propor experiências
prática realizada; (b) apreender positivas ao aluno, porém, quando
novas modalidades; (c) adequar participa de uma brincadeira ou
as práticas aos interesses e às jogo que exige movimentos com
possibilidades próprios e aos das os quais não está acostumado, é
pessoas com quem compartilha natural que esse aluno sinta
a sua realização de forma insegurança. O currículo local
segura. Nesta habilidade, pode propor situações de
brincadeiras e jogos populares aprendizagens nas quais os alunos
do Brasil e do mundo, incluindo experimentem as práticas
aqueles de matriz indígena e corporais, socializem as sensações
africana, referem-se a práticas e dificuldades advindas delas e
que podem ser menos familiares discutam sobre possibilidades de
aos alunos, exigindo que o adaptação aos movimentos
professor proponha atividades requisitados para que todos
que não necessariamente fazem pratiquem e proponham
parte de seu cotidiano. gradativamente um aumento da
complexidade de movimentos
conforme superam as dificuldades
encontradas. 2. Capacidades
físicas: são características ou
qualidades que os movimentos
apresentam e podem ser
aprimorados, como a força
muscular, a velocidade e a
agilidade. Em um jogo que exige
muita força muscular, como, por
exemplo, em um cabo de guerra,
as diferenças dessa capacidade
entre os alunos podem ocasionar
situações de risco. É importante
discutir sobre as diferenças de
força procurando: (a) soluções
para que todos participem com
equidade; (b) discutir sobre a
importância do desenvolvimento
da força muscular não só para a
realização das práticas, mas
também para outras tarefas do
dia a dia, como carregar sacolas e
mochilas ou subir escadas. 3.
Estruturas corporais: para realizar
movimentos, utilizamos nossas
estruturas corporais. O currículo
pode propor situações de
aprendizagem que possibilitem ao
aluno adquirir conhecimentos
básicos sobre a ação das
estruturas corporais durante a
realização dos movimentos para
que reconheça potenciais e limites
corporais seus e de outros e, a
partir daí, aja propondo
estratégias para a prática segura
de todos. Uma possibilidade de
organização da habilidade por
anos segundo um critério de
complexidade pode levar em
conta a relação entre a
complexidade das práticas e a
progressão do desenvolvimento
motor e cognitivo dos alunos.
Pode-se estabelecer, como ponto
de partida, um determinado jogo
ou brincadeira, e solicitar aos
alunos que elaborem estratégias
cada vez mais complexas para a
sua realização ou partir de jogos e
brincadeiras com exigências mais
simples para exigências mais
complexas.
Educação 3º; Brincadeiras Brincadeiras e (EF35EF03) Descrever, Descrever as brincadeiras e os Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º e jogos jogos por meio de múltiplas jogos populares do Brasil e de possível propor situações de
populares do linguagens (corporal, matriz indígena e africana aprendizagem que permitam o
Brasil e do oral, escrita, pressupõe que os alunos devem aprofundamento na compreensão
mundo audiovisual), as se apropriar e saber utilizar os da identidade cultural dos povos
Brincadeiras e brincadeiras e os jogos quatro tipos de linguagens e, em particular, daqueles que
jogos de matriz populares do Brasil e de propostas na habilidade: 1. constituíram o povo brasileiro. É
indígena e matriz indígena e Linguagem corporal: forma de interessante que os alunos sejam
africana africana, explicando suas comunicação não-verbal que apresentados a conceitos sobre
características e a abrange gestos, posturas, patrimônio cultural para que
importância desse expressões faciais, movimentos possam valorizar aprendizagens
patrimônio histórico do corpo, entre outros; 2. sobre os jogos e brincadeiras que
Linguagem oral: utilizando a fala não fazem parte do seu cotidiano
cultural na preservação e em presença de interlocutor;3. e descrever sobre a sua
das diferentes culturas. Linguagem escrita: na qual o importância para a preservação
contato com o interlocutor é das culturas. A utilização das
indireto;4. Linguagem múltiplas linguagens proposta na
audiovisual: que utiliza as habilidade possibilita a interação
linguagens verbal, sonora e com a disciplina de Língua
visual para transmitir uma Portuguesa, na prática de
mensagem. Explicar as linguagem e produção de textos
características dessas práticas (escrita compartilhada e
significa identificar quais as autônoma). Uma possibilidade de
habilidades motoras e organização da habilidade por
capacidades físicas necessárias, anos segundo um critério de
quais as regras, os materiais, os complexidade pode propor o
espaços ou o número de estudo dos jogos e brincadeiras
participantes, a fim de que divididos por regiões do Brasil,
tenham informações para analisando sobre como a
planejar as modificações e formação populacional
adaptações às práticas para que influenciou as brincadeiras e
todos participem. A importância jogos, ou seja, quais práticas eram
dos jogos e brincadeiras como utilizadas pelos povos que
patrimônio histórico e como habitavam originalmente essas
elemento de preservação das regiões e que permanecem
culturas estabelece relações com preservadas e quais práticas
as aprendizagens prévias da foram trazidas pelos povos que
habilidade (EF35EF01). migraram para essas regiões. Há,
aqui, oportunidade de trabalho
interdisciplinar com as habilidades
(EF35LP20), (EF03LP22),
(EF03LP25), (EF03LP26), da Língua
Portuguesa; e (EF15AR26), da
Arte, voltadas à descrição e
comunicação de informações por
múltiplas linguagens (escrita,
audiovisual, oral, artística).

Educação 3º; Brincadeiras Brincadeiras e (EF35EF04) Recriar, Recriar é um processo complexo, Na elaboração do currículo, esta
Física 4º; 5º e jogos jogos individual e que demanda uma série de habilidade pode ser aprofundada
populares do coletivamente, e outras aprendizagens e que, partindo da relação entre o ser
Brasil e do experimentar, na escola nesse grupo etário, pode se humano e o ambiente físico. A
mundo e fora dela, brincadeiras desenvolver, por exemplo, todo momento, realizamos
Brincadeiras e e jogos populares do solicitando que, após a movimentos em diferentes
jogos de matriz Brasil e do mundo, aprendizagem de uma ambientes físicos. Nessa
indígena e incluindo aqueles de brincadeira ou jogo popular do interação, podemos nos adaptar,
africana matriz indígena e Brasil e de matriz indígena e transformar ou controlar o
africana, e demais africana que não conhecem, os ambiente de acordo com nossa
práticas corporais alunos observem e analisem os necessidade. O currículo local
tematizadas na escola, espaços disponíveis, tanto na pode propor ações que unam a
adequando-as aos escola como em outros locais escola a outras entidades do
espaços públicos que frequentam no seu dia a dia, poder público para incorporar
disponíveis. como praças, ruas, terrenos ações que possibilitem a
vazios, praias, dialoguem sobre observação e análise dos espaços
possibilidades de adequações públicos e o diálogo sobre
das brincadeiras e jogos às possíveis intervenções para
características desses espaços e melhor aproveitamento desses
se organizem para recriar essas espaços. Uma possibilidade de
práticas utilizando os materiais organização da habilidade por
disponíveis. Experimentar anos segundo um critério de
brincadeiras e jogos populares complexidade pode inicialmente
do Brasil e do mundo, incluindo propor que os alunos analisem e
aqueles de matriz indígena e proponham intervenções em
africana presentes no contexto locais disponíveis próximos à
comunitário e regional, significa escola, o que lhes dará
se apropriar de aprendizagens informações e suporte sobre
que só podem ser acessadas como agir, por exemplo, nas
pela experiência corporal, ou relações com o poder público, na
seja, devem ser efetivamente análise dos espaços, na confecção
vivenciadas. Nesta habilidade, de materiais ou adaptação
brincadeiras e jogos populares daqueles disponíveis. Em
do Brasil e do mundo, incluindo momentos posteriores, os alunos
aqueles de matriz indígena e reproduzem o processo, individual
africana, referem-se a práticas ou coletivamente, em espaços
que podem ser menos familiares próximos de onde moram,
aos alunos, exigindo que o buscando auxílio de parentes e
professor proponha atividades outras pessoas do seu convívio
que não necessariamente fazem para as intervenções.
parte de seu cotidiano.
Educação 3º; Esportes Esportes de (EF35EF05) Experimentar os esportes de Na elaboração do currículo, pode-
Física 4º; 5º campo e taco Experimentar e fruir campo e taco, rede/parede e se aprofundar esta habilidade a
Esportes de diversos tipos de invasão significa se apropriar de partir do estudo das
rede/parede esportes de campo e aprendizagens que só podem ser características dos movimentos
Esportes de taco, rede/parede e acessadas pela experiência necessários para execução dos
invasão invasão, identificando corporal, ou seja, devem ser elementos comuns aos esportes
seus elementos comuns efetivamente vivenciadas. O de campo e taco, rede/parede e
e criando estratégias fruir se relaciona às invasão, como as habilidades
individuais e coletivas aprendizagens que permitem ao motoras de rebater, correr, lançar,
básicas para sua aluno desfrutar da realização de passar, chutar, arremessar e
execução, prezando pelo uma determinada prática saltar. A experimentação dos
trabalho coletivo e pelo corporal ou apreciá-la quando esportes evidenciam as
protagonismo. realizada por outros. Os alunos capacidades físicas, como a força
devem identificar os elementos muscular, a flexibilidade, o
comuns aos esportes referidos: equilíbrio e a coordenação
1. Campo e taco: rebater a bola motora, e permitem discussões
lançada pelo adversário o mais sobre a importância do seu
longe possível, para tentar desenvolvimento tanto para a
percorrer o maior número de aptidão física relacionada ao
vezes as bases ou a maior desempenho esportivo como para
distância possível entre as bases, a saúde e qualidade de vida.
enquanto os defensores não Outro ponto refere-se à
recuperam o controle da bola; 2. importância da ênfase na
Rede/parede: arremessar, lançar participação e não no resultado.
ou rebater a bola à quadra Sugere-se que haja, no decorrer
adversária na tentativa de fazê- do desenvolvimento das aulas,
los cometer um erro, sendo momentos de reflexão nos quais
incapaz de devolvê-la; 3. os alunos possam valorizar
Invasão: comparar a capacidade aprendizagens relacionadas à
de uma equipe introduzir ou participação, como, por exemplo,
levar uma bola (ou outro objeto) a importância do trabalho em
a uma meta ou setor da equipe para se atingir um objetivo
quadra/campo defendida pelos comum, e não ao fato de terem
adversários, protegendo, ganho ou perdido uma disputa.
simultaneamente, o próprio Uma possibilidade de organização
alvo, meta ou setor do campo. da habilidade por anos segundo
Criar estratégias constitui um um critério de complexidade pode
processo complexo, que propor que os alunos
demanda uma série de outras experimentem esportes de campo
aprendizagens e que, nesse e taco, rede/parede e invasão que
grupo etário, pode se praticam para aqueles que
desenvolver, por exemplo, conhecem e não praticam,
solicitando que os alunos, ao finalizando com aqueles que não
tentar recuperar uma bola conhecem. Outro critério refere-
rebatida nos esportes de campo se à complexidade de movimentos
e taco, criem estratégias para requeridos para a prática ou às
uma distribuição dos jogadores regras que regem a modalidade.
pelo espaço. O trabalho coletivo
e o protagonismo são ações
importantes presentes nos
esportes. O protagonismo
prevalece nas modalidades
individuais, como no salto em
distância e no tiro ao alvo, mas é
importante também nos
esportes coletivos, visto que o
aluno deve se empenhar em
realizar a sua função para o bem
coletivo. O trabalho coletivo
ocorre quando um grupo de
pessoas se dedica a realizar uma
tarefa, como nos esportes
coletivos, e possibilita troca de
experiências, ajuda mútua,
aprendizagem de novas
habilidades motoras e
compartilhamento de decisões.
A identificação dos elementos
comuns aos esportes são
aprendizagens que possibilitam
aos alunos se organizar para
desenvolver práticas que
incluam a todos na execução das
modalidades.
Educação 3º; Esportes Esportes de (EF35EF06) Diferenciar Diferenciar é um processo Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º campo e taco os conceitos de jogo e complexo, que demanda uma interessante que os alunos
Esportes de esporte, identificando as série de outras aprendizagens e percebam que os conceitos de
rede/parede características que os que, nesse grupo etário, pode se jogo e esporte são utilizados de
Esportes de constituem na desenvolver, por exemplo, maneira muito similar. Por
invasão contemporaneidade e solicitando aos alunos que, após exemplo, chamamos uma partida
suas manifestações identificarem as características oficial de vôlei na televisão de
(profissional e do jogo e do esporte, observem "jogo" de vôlei, apesar de ser um
comunitária/lazer). e descrevam as principais esporte. Pode-se apresentar aos
diferenças entre as duas alunos as diversas definições de
práticas. A habilidade propõe esporte utilizadas no Brasil,
que os alunos identifiquem as investigando a sua origem e o seu
diferenças entre as práticas significado. Um exemplo é o
corporais do jogo e do esporte. "Manifesto Mundial do Esporte",
Apesar de terem características criado pela UNESCO e que divide o
comuns, no esporte formal, há esporte em esporte educacional,
regras rígidas, direcionamento voltado para crianças e
para a competição e o resultado, adolescentes em idade escolar
treinamento físico e técnico e (Fundamental e Médio), esporte
profissionalização, enquanto no de participação, praticado no
jogo, apesar da presença da tempo livre, em situações de lazer
competição, é possível a e com finalidade de bem-estar
flexibilização de regras, físico e psicológico, e esporte de
materiais e espaços para a sua alto rendimento, fundamentado
prática, e constitui uma na competição, com regras e
manifestação voltada para o normas rígidas e com o objetivo
lazer. de superação, competição e
vitória. Uma possibilidade de
organização da habilidade por
anos segundo um critério de
complexidade seria iniciar com
aprendizagens sobre as
aproximações do esporte com o
jogo, que permite a adaptação de
regras e espaços e um caráter
mais informal, até o estudo do
esporte formal, como uma
manifestação cultural de grande
impacto em nossa sociedade, que
é orientada para a competição,
exclusão dos menos hábeis,
profissionalismo, treinamento
exaustivo e regras rígidas.
Educação 3º; Ginásticas Ginástica geral (EF35EF07) Experimentar os elementos de Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º Experimentar e fruir, de ginástica geral significa se adequado que os alunos tomem
forma coletiva, apropriar de aprendizagens que contato com apresentações de
combinações de só podem ser acessadas pela ginástica geral, sejam presenciais
diferentes elementos da experiência corporal, ou seja, ou assistindo-as na televisão ou
ginástica geral devem ser efetivamente internet. A partir da observação, é
(equilíbrios, saltos, giros, vivenciadas. O fruir se relaciona importante que percebam que os
rotações, acrobacias, às aprendizagens que permitem movimentos dos praticantes
com e sem materiais), ao aluno desfrutar da realização representam algo, ou seja, as
propondo coreografias de uma determinada prática coreografias contam uma história.
com diferentes temas do corporal ou apreciá-la quando Pode-se sugerir, então, que os
cotidiano. realizada por outros. A ginástica alunos investiguem sobre eventos
geral tem como características a significativos da cultura local,
não competição, a diversidade como lendas, mitos ou outros
musical, a utilização de elementos do folclore, propondo
elementos da cultura e o prazer sequências de movimentos
pela prática. É uma modalidade ginásticos que representem esses
utilizada, por exemplo, nas eventos. Para isso, pode-se propor
aberturas de jogos olímpicos e que visitem entidades que
mundiais de futebol. A promovem as ginásticas, como
combinação de elementos da escolas de dança, centros de
ginástica geral pressupõe cultura, universidades ou outros
aprendizagens prévias das locais que possam auxiliá-los na
habilidades (EF12EF07), produção das coreografias. Uma
(EF12EF08) e (EF12EF10). A possibilidade de organização da
proposição de coreografias é um habilidade por anos segundo
processo complexo, que critérios de complexidade pode
demanda uma série de outras propor: a) Partir de coreografias
aprendizagens e que, nesse com movimentos de ginástica
grupo etário, pode se simples, propondo que os alunos
desenvolver, por exemplo, elaborem as coreografias de
solicitando aos alunos que acordo com a sua habilidades e
inicialmente identifiquem os gosto pessoal, para a proposição
movimentos que conseguem de coreografias mais elaboradas,
realizar para, a seguir, propor utilizando diferentes materiais e
combinações e elementos de com movimentos de maior
ligação entre esses elementos. complexidade; b) Partir de temas
As coreografias podem ser preexistentes, como temas do
organizadas individualmente ou folclore e da cultura local, para a
em grupos de acordo com as proposição de que os alunos
habilidades dos alunos. sugiram e criem temas mais
próximos da sua realidade. Há,
aqui, oportunidade de trabalho
interdisciplinar, com as
habilidades (EF15AR08),
(EF15AR10), (EF15AR11), da Arte;
(EF04MA16), (EF05MA15), da
Matemática; e (EF35EF09), da
própria Educação Física, voltados
à experimentação, descrição e
representação do movimento de
pessoas e objetos no espaço.
Educação 3º; Ginásticas Ginástica geral (EF35EF08) Planejar e Planejar e utilizar estratégias Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º utilizar estratégias para refere-se ao conhecimento adequado que os alunos
resolver desafios na originado pela observação e reconheçam que nosso corpo tem
execução de elementos análise das próprias vivências potencial para o movimento
básicos de corporais e daquelas realizadas devido às estruturas corporais,
apresentações coletivas por outros. Trata-se de um ato que são os ossos, as articulações,
de ginástica geral, intencional, orientado a os músculos, o coração, os
reconhecendo as formular e empregar estratégias pulmões, o cérebro e o sistema
potencialidades e os de observação e análise para: nervoso. À medida que vivenciam
limites do corpo e (a) resolver desafios peculiares à os movimentos de rotação,
adotando prática realizada; (b) apreender equilíbrio, saltos, acrobacias,
procedimentos de novas modalidades; (c) adequar entre outros, podem reconhecer
segurança. as práticas aos interesses e às as regiões corporais e as
possibilidades próprios e aos das estruturas solicitadas. Por
pessoas com quem compartilha exemplo, durante uma sequência
a sua realização. A ginástica de saltos, são solicitados
geral tem como características a principalmente os membros
não competição, a diversidade inferiores e as articulações do
musical, a utilização de tornozelo, joelho e quadril para
elementos da cultura e o prazer amortecer o impacto na
pela prática. É uma modalidade aterrissagem. Esse conhecimento
utilizada, por exemplo, nas possibilita aos alunos terem
aberturas de jogos olímpicos e autonomia para adotar medidas
mundiais de futebol. Os de segurança não só durante as
elementos básicos da ginástica aulas de Educação Física, mas
geral são: equilíbrios, saltos, sempre que se envolverem em
giros, rotações e acrobacias, com atividades físicas no seu dia a dia.
e sem materiais. Para que Na identificação das
adotem procedimentos de potencialidades e limites do
segurança, os alunos devem (a) corpo, a habilidade possibilita
reconhecer as potencialidades e também que se estabeleça
os limites do corpo, relações com Ciências. Uma
identificando que nosso corpo é possibilidade de organização da
estruturado para realizar habilidade por anos segundo um
movimentos: temos ossos, critério de complexidade relaciona
músculos, articulações, coração, esta sugestão à habilidade
pulmões, cérebro e sistema (EF35EF08), pois partir da
nervoso que atuam em elaboração de coreografias com
conjunto, possibilitando uma movimentos de ginástica simples
grande quantidade de para movimentos mais complexos
movimentos; (b) considerar dois exige mais das estruturas
importantes aspectos corporais, assim como a
relacionados ao movimento: 1. necessidade de se refletir sobre
Habilidades motoras: são todos medidas de segurança adequadas.
os movimentos que
aprendemos, são incorporados e
podem ser utilizados em tarefas
cada vez mais específicas; 2.
Capacidades físicas: são
características que nossos
movimentos apresentam e que
podem ser aprimorados, como a
força muscular, o equilíbrio e a
coordenação motora.
Educação 3º; Danças Danças do (EF35EF09) Experimentar danças populares Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º Brasil e do Experimentar, recriar e do Brasil e do mundo e danças interessante propor situações de
mundo fruir danças populares de matriz indígena e africana aprendizagem que permitam o
Danças de do Brasil e do mundo e significa se apropriar de aprofundamento na compreensão
matriz indígena danças de matriz aprendizagens que só podem ser da identidade cultural dos povos
e africana indígena e africana, acessadas pela experiência e, em particular, daqueles que
valorizando e corporal, ou seja, devem ser constituíram o povo brasileiro.
respeitando os efetivamente vivenciadas. Essas aprendizagens são
diferentes sentidos e Recriar é um processo complexo, importantes para que os alunos
significados dessas que demanda uma série de possam perceber por que existem
danças em suas culturas outras aprendizagens e que, diferentes tipos de dança e que
de origem. nesse grupo etário, pode se são atribuídos diferentes
desenvolver, por exemplo, significados a elas de acordo com
solicitando aos alunos que a cultura local daqueles que a
utilizem as aprendizagens praticam. Uma possibilidade de
prévias sobre gestos, ritmos e organização curricular pode
espaços para movimentar-se nas propor que se estude as danças
danças populares do Brasil e do por região do Brasil, analisando se
mundo e danças de matriz existem danças que são praticadas
indígena e africana. O fruir se em todos os estados que
relaciona às aprendizagens que compõem a região, quais são as
permitem ao aluno desfrutar da danças de matriz indígena e quais
realização de uma determinada são de matriz africana, quais
prática corporal ou apreciá-la sofreram influência do
quando realizada por outros. Ao povoamento da região e quais são
identificar as origens das danças praticadas também em outras
populares do Brasil e do mundo regiões do Brasil. Uma
e danças de matriz indígena e possibilidade de organização da
africana, os alunos devem habilidade por anos segundo um
reconhecer que essas práticas critério de complexidade pode
foram transmitidas de geração propor o estudo das danças
em geração e sofreram populares do Brasil e do mundo e
transformações e adaptações de danças de matriz indígena e
acordo com as características do africana divididos por regiões do
ambiente físico e social até Brasil, inicialmente conhecendo e
chegar a eles. Essa percepção vivenciando essas danças e
gera um sentido de aprofundando a análise sobre
continuidade, preservação e como a formação populacional
valorização dos significados das influenciou as danças, ou seja,
danças para as culturas nas quais quais práticas eram utilizadas
se originaram. pelos povos que habitavam
originalmente essas regiões e que
permanecem preservadas e quais
práticas foram trazidas pelos
povos que migraram para essas
regiões. Há, aqui, oportunidade de
trabalho interdisciplinar, com as
habilidades (EF15AR08),
(EF15AR10), (EF15AR11), da Arte;
(EF04MA16), (EF05MA15), da
Matemática; e (EF35EF07), da
própria Educação Física, voltados
à experimentação, descrição e
representação do movimento de
pessoas e objetos no espaço.
Educação 3º; Danças Danças do (EF35EF10) Comparar e Comparar e identificar os Na elaboração do currículo,
Física 4º; 5º Brasil e do identificar os elementos elementos constitutivos comuns sugere-se que os alunos
mundo constitutivos comuns e e diferentes significa que os identifiquem a presença das
Danças de diferentes (ritmo, alunos devem perceber como se capacidades físicas durante as
matriz indígena espaço, gestos) em manifestam os elementos de (1) práticas das danças. Além do
e africana danças populares do ritmo, que é um movimento que ritmo, que é um elemento
Brasil e do mundo e ocorre com uma recorrência constituinte das danças, outras
danças de matriz regular; (2) espaço, que se refere capacidades, como a coordenação
indígena e africana. ao ambiente físico no qual nos motora, o equilíbrio, a agilidade, a
movimentamos em uma relação flexibilidade, entre outras, estão
de interação, adaptação e presentes nas práticas. A
transformação; (3) gesto, que é experimentação das danças deve
o movimento aliado a um ser incentivada como fator de
significado, que constitui a ampliação de repertório motor
expressão daquilo que é dos alunos e como oportunidade
observado nos movimentos de de se conhecer diferentes
quem dança. A identificação manifestações culturais da prática
desses elementos constitutivos corporal. Os alunos devem
possibilita aos alunos compará- comparar as danças populares do
los, observando quais são Brasil e do mundo e danças de
comuns e quais são diferentes matriz indígena e africana com
nas danças populares do Brasil e aquelas que conhecem em termos
do mundo e danças de matriz de exigências físicas, habilidades
indígena e africana. motoras necessárias para a sua
execução e intencionalidade
daqueles que dançam (lazer,
apresentação, ritual, celebração).
Além disso, o estudo do elemento
constituinte espaço possibilita
interações com o componente
curricular de Geografia. Uma
possibilidade de organização da
habilidade por anos segundo um
critério de complexidade pode ser
desenvolvida a partir de pesquisas
sobre as danças mais tradicionais
das regiões do Brasil e
aprofundando para danças que se
realizam em contextos mais
regionais. Por exemplo, o bumba
meu boi, que é praticado de
diferentes formas de acordo com
a localidade — se manifesta em
grandes eventos, como no festival
de Parintins, e em festas regionais
realizadas em pequenas cidades.
Educação 3º; Danças Danças do (EF35EF11) Formular e Formular e utilizar estratégias Na elaboração do currículo,
Física 4º; 5º Brasil e do utilizar estratégias para refere-se ao conhecimento sugere-se que os alunos
mundo a execução de originado pela observação e identifiquem a presença das
Danças de elementos constitutivos análise das próprias experiências capacidades físicas durante as
matriz indígena das danças populares do corporais e daquelas realizadas práticas das danças populares do
e africana Brasil e do mundo, e das por outros. Trata-se de um ato Brasil e do mundo, e das danças
danças de matriz intencional, orientado a de matriz indígena e africana.
indígena e africana. formular e empregar estratégias Além do ritmo, que é um
de observação e análise para: elemento constituinte das danças,
(a) resolver desafios peculiares à outras capacidades, como a
prática realizada; (b) apreender coordenação motora, o equilíbrio,
novas modalidades; (c) adequar a agilidade, a flexibilidade, entre
as práticas aos interesses e às outras, estão presentes nas
possibilidades próprios e aos das práticas. A experimentação das
pessoas com quem compartilha danças deve ser incentivada como
a sua realização de forma fator de ampliação de repertório
segura. Executar os elementos motor dos alunos e como
constitutivos pressupõe oportunidade de se conhecer
conhecimentos sobre (1) ritmo, diferentes manifestações culturais
que é um movimento que ocorre da prática corporal. A partir da
com uma recorrência regular; (2) experimentação, os alunos
espaço, que refere-se ao identificam e compartilham as
ambiente físico no qual nos principais dificuldades na sua
movimentamos em uma relação realização, elaborando
de interação, adaptação e coletivamente estratégias para
transformação; (3) gesto, que é que todos consigam participar das
o movimento aliado a um práticas. Esta habilidade é uma
significado, que constitui a oportunidade de os alunos se
expressão daquilo que é aprofundarem sobre as
observado nos movimentos de aprendizagens das danças,
quem dança. Os alunos devem realizando pesquisas junto a
perceber como esses elementos escolas de dança, centros
se manifestam nas danças culturais, entidades de
populares do Brasil e do mundo preservação de cultura ou
e danças de matriz indígena e universidades. Uma possibilidade
africana. de organização da habilidade por
anos pode seguir um critério de
complexidade sobre os elementos
constitutivos das danças
populares do Brasil e do mundo, e
das danças de matriz indígena e
africana. Iniciando com ritmos e
gestos mais simples, um critério
de complexidade pode ser
desenvolvido a partir do
aprofundamento dos elementos
constitutivos das danças.
Educação 3º; Danças Danças do (EF35EF12) Identificar Identificar situações de injustiça Na elaboração do currículo, é
Física 4º; 5º Brasil e do situações de injustiça e e preconceito significa que os interessante que os alunos
mundo preconceito geradas alunos devem reconhecer que as identifiquem que o preconceito
Danças de e/ou presentes no danças e outras práticas parte de uma opinião ou conceito
matriz indígena contexto das danças e corporais, como os esportes, os formado antes de se ter os
e africana demais práticas jogos e brincadeiras ou as conhecimentos adequados sobre
corporais e discutir ginásticas são praticadas de o assunto. Pode-se, desse modo,
alternativas para superá- forma diferente de acordo com a propor aprofundamentos sobre
las. sua origem e o ambiente social algumas leis que possibilitam
em que se manifestam, e que o reflexões sobre os direitos dos
contato com práticas de uma brasileiros, como a Lei de Direitos
cultura muito diferente pode Humanos, o Estatuto do Índio ou
gerar situações de não aceitação o Estatuto da Igualdade Racial. Os
e intolerância. As aprendizagens alunos devem reconhecer que as
sobre as origens das práticas danças e demais práticas
corporais e o seu significado corporais são manifestações da
para aqueles que as praticam cultura corporal de movimento a
constituem elementos que todo cidadão tem direito de
importantes para se discutir e praticar. Podem-se propor visitas
debater soluções para a a instituições locais que
superação de injustiça e promovam as danças e promover
preconceitos expressos nessas diálogos com seus participantes,
manifestações. investigando quais as situações de
preconceito e injustiça que
identificam nessas práticas e
discutir alternativas para superá-
las. Uma possibilidade de
organização da habilidade por
anos poderia partir da
investigação e proposição de
combate a preconceitos nas
danças, ampliando, em anos
posteriores, para outras práticas
corporais.

Educação 3º; Lutas Lutas do (EF35EF13) Experimentar significa se Na elaboração do currículo, o


Física 4º; 5º contexto Experimentar, fruir e apropriar de aprendizagens que relato dos alunos sobre as lutas
comunitário e recriar diferentes lutas só podem ser acessadas pela presentes no contexto
regional presentes no contexto experiência corporal, ou seja, comunitário e regional e lutas de
Lutas de matriz comunitário e regional e devem ser efetivamente matriz indígena e africana que
indígena e lutas de matriz indígena vivenciadas. O fruir se relaciona conhecem, praticam e observam
africana e africana. às aprendizagens que permitem outros praticando no seu
ao aluno desfrutar da realização ambiente social pode servir de
de uma determinada prática ponto de partida para o
corporal ou apreciá-la quando desenvolvimento da habilidade. A
realizada por outros. Recriar é partir desses relatos, pode-se
um processo complexo, que experimentar e recriar as práticas,
demanda uma série de outras adaptando as regras às
aprendizagens e que, nesse características dos alunos e os
grupo etário, pode se materiais e espaços disponíveis às
desenvolver, por exemplo, exigências da modalidade. Uma
solicitando aos alunos que, após possibilidade de organização da
a experimentação de habilidade por anos poderia
modalidades de lutas presentes propor experimentações de lutas
no contexto comunitário e com movimentos e regras mais
regional e de lutas de matriz simples para lutas com exigências
indígena e africana, organizem- corporais e regras mais
se para adaptá-las as complexas.
características dos espaços e
materiais disponíveis para que
todos participem. Nesta
habilidade, lutas presentes no
contexto comunitário e regional
são aquelas que os alunos
identificam e reconhecem no
ambiente social no qual vivem.
Já as lutas de matriz indígena e
africana são as originadas nessas
culturas, e possuem significados
que variam de acordo com o seu
contexto de prática,
manifestando-se de diversas
formas, como em celebrações,
ritos de passagem, disputas
entre grupos, jogos ou
apresentações.
Educação 3º; Lutas Lutas do (EF35EF14) Planejar e Planejar e utilizar estratégias Na elaboração do currículo, esta
Física 4º; 5º contexto utilizar estratégias refere-se ao conhecimento habilidade pode ser explorada
comunitário e básicas das lutas do originado pela observação e propondo o estudo das lutas em
regional contexto comunitário e análise das próprias experiências diferentes aspectos: 1. A
Lutas de matriz regional e lutas de corporais e daquelas realizadas compreensão histórica das lutas,
indígena e matriz indígena e por outros. Trata-se de um ato que fazem parte da história
africana africana intencional, orientado a humana, inicialmente como
experimentadas, formular e empregar estratégias práticas de sobrevivência,
respeitando o colega de observação e análise para: (a) modificando-se através dos
como oponente e as resolver desafios peculiares à tempos até chegar às
normas de segurança. prática realizada; (b) apreender modalidades que conhecemos
novas modalidades; (c) adequar hoje. 2. A característica
as práticas aos interesses e às imprevisível e previsível das lutas.
possibilidades próprios e aos das As lutas de demonstração têm
pessoas com quem compartilha caráter previsível, com
a sua realização. Nesta movimentos coreografados, como
habilidade, lutas presentes no os katas. Nas lutas de
contexto comunitário e regional enfrentamento, o caráter é
são aquelas que os alunos imprevisível, pois, entre outras
identificam e reconhecem no coisas, não existe a definição de
ambiente social no qual vivem. um tempo estabelecido e sim de
Já as lutas de matriz indígena e um tempo máximo. Em uma luta
africana são as originadas nessas de judô, por exemplo, um ippon
culturas, e possuem significados define a luta independentemente
que variam de acordo com o seu do tempo.3. As habilidades
contexto de prática, motoras necessárias para a prática
manifestando-se de diversas das modalidades, como socar,
formas, como em celebrações, chutar, segurar, agarrar ou
ritos de passagem, disputas empurrar. Todas elas demandam
entre grupos, jogos ou uma técnica específica que varia
apresentações. A aprendizagem de acordo com a modalidade
sobre as normas de segurança estudada. 4. As capacidades físicas
incluem questões relativas ao presentes nas lutas, como a força
espaço, como, por exemplo, o muscular, a resistência muscular e
tipo de solo (areia, gramado, a potência muscular, que podem
piso duro), materiais (colchões ser aprimoradas com as práticas
para amortecer quedas ou luvas) das lutas. Uma possibilidade de
e a obediência às regras, organização da habilidade por
prezando o respeito ao anos poderia propor
oponente na prática das lutas de experimentações de lutas com
matriz indígena e africana. movimentos e regras mais simples
para lutas com exigências
corporais e regras mais
complexas.
Educação 3º; Lutas Lutas do (EF35EF15) Identificar as Identificar as características das Na elaboração do currículo, pode-
Física 4º; 5º contexto características das lutas lutas refere-se a aprendizagens se referir a um importante
comunitário e do contexto comunitário que permitam aos alunos aspecto a ser desenvolvido, que é
regional e regional e lutas de reconhecer que estas são a distinção entre as lutas e as
Lutas de matriz matriz indígena e práticas onde estão presentes o brigas. O aprofundamento sobre
indígena e africana, reconhecendo enfrentamento físico direto, um as características das lutas
africana as diferenças entre lutas conjunto de regras constitui ponto de partida para
e brigas e entre lutas e estabelecidas, a oposição entre esse entendimento. As lutas são
as demais práticas indivíduos, um objetivo centrado modalidades esportivas
corporais. no corpo da outra pessoa, ações compostas de regras e técnicas de
de caráter simultâneo entre os golpes sistematizados, com ações
participantes e a contra um oponente e com
imprevisibilidade. Lutas respeito entre os praticantes. O
presentes no contexto currículo pode propor a
comunitário e regional refere-se experimentação e a fruição das
àquelas que os alunos lutas do contexto comunitário e
identificam e reconhecem no regional e lutas de matriz indígena
ambiente social no qual vivem. e africana, identificando essas
Já as lutas de matriz indígena e características. A briga é o
africana são as originadas nessas enfrentamento entre duas ou
culturas, e possuem significados mais pessoas, sem regras ou
que variam de acordo com o seu fundamentos pedagógicos, com a
contexto de prática, intenção de agredir e com o uso
manifestando-se de diversas de violência desmedida. Outra
formas, como em celebrações, proposta na habilidade refere-se
ritos de passagem, disputas ao reconhecimento das diferenças
entre grupos, jogos ou entre as lutas e as demais práticas
apresentações. Reconhecer as corporais. Uma ação presente nas
diferenças entre brigas e lutas lutas que as diferenciam das
significa que os alunos devem demais e deve ser trabalhada com
aprender que as lutas são os alunos é a de que a luta tem o
modalidades esportivas objetivo centrado no corpo da
compostas de regras e técnicas outra pessoa. Essa situação muitas
de golpes sistematizados, vezes causa desconforto e recusa
enquanto que a briga é o em participar das práticas. É
enfrentamento entre duas ou aconselhável iniciar as
mais pessoas, sem regras ou experimentações das lutas com
fundamentos pedagógicos, com atividades mais simples,
a intenção de agredir e com o explorando o contato com o
uso de violência desmedida. outro, como movimentos de
deslocar o colega de um
determinado espaço e
desequilíbrios, além de vivenciar
os golpes das lutas em materiais
como bexigas, colchonetes ou
bolas. Uma possibilidade de
organização da habilidade por
anos poderia propor
aprendizagens sobre lutas que os
alunos conhecem e fazem parte
do seu contexto social para lutas
menos familiares.