You are on page 1of 14

Object 1

"Didaticando para ensinar"

terça-feira, 5 de outubro de 2010


Tendências pedagógicas na prática escolar
Texto 02

Segundo Libâneo (1990), a pedagogia liberal sustenta a idéia de que a escola tem por
função preparar os indivíduos para o desempenho de papéis sociais, de acordo com as
aptidões individuais. Isso pressupõe que o indivíduo precisa adaptar-se aos valores e
normas vigentes na sociedade de classe, através do desenvolvimento da cultura individual.
Devido a essa ênfase no aspecto cultural, as diferenças entre as classes sociais não são
consideradas, pois, embora a escola passe a difundir a idéia de igualdade de oportunidades
não levam em conta a desigualdade de condições.

Pedagogia Liberal
Principais características:
• Justificação do sistema capitalista.
• Ênfase na defesa da liberdade e dos direitos e interesses individualistas na sociedade.
• Forma de organização social baseada na propriedade privada dos meios de produção.
• Teoria não crítica (manutenção do "status quo").

Tendências Pedagógicas
A Pedagogia Liberal divide-se em quatro Tendências Pedagógicas:

• Tradicional
• Escola Nova Diretiva
• Escola Nova Não-diretiva
• Tecnicista
Tendência Tradicional ou Conservadora
Manifestação da Prática Pedagógica
• Predomínio: até 1930 Vertentes.
• Católica: monopólio jesuítico até 1759.
• Leiga: liberalismo clássico 1759 a 1930.

Papel da Escola
• Transmissão de conhecimentos.
• Não possibilita a mobilidade social, privilegiando as camadas mais favorecidas.

Função da Avaliação
• Classificatória.
• Valoriza aspectos cognitivos e qualitativos com ênfase na memorização.
• O aluno deve reproduzir na íntegra o que foi ensinado.
• Verificação, por meio de provas, interrogatórios orais, exercícios e trabalhos de casa.

Relação Professor - aluno


• O professor é o centro do processo, é autoritário.
• O aluno é passivo, submisso, receptivo e sujeito a castigo.

Técnicas de Ensino
Aula expositiva, com ênfase nos exercícios, cópias, leituras repetição e memorização de
conceitos e fórmulas com estímulo ao individualismo e à competição.

Método de Ensino - Método Expositivo


• Preparação: recordação da aula anterior.
• Apresentação: contemplação e apreensão do objeto da aprendizagem. O novo
conhecimento é colocado diante do aluno e cabe a ele assimilar.
• Generalização: o que é geral separa-se nos aspectos particulares concretos: os aspectos
gerais são unidos às idéias anteriormente adquiridas e ocorre a sistematização da
aprendizagem.
• Aplicação: o aluno demonstra o que aprendeu através das avaliações.

Tendência Escola Nova Diretiva


Manifestação da Prática Pedagógica
• 1932 – Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, encabeçado por Fernando Azevedo;
• 1934 – Constituição;
• 1940 – Psicologismo Pedagógico;
• 1950 – Sociologismo Pedagógico;
• 1960 – Economicismo Pedagógico.

Papel da Escola
• Proposta de Escola Democrática, proclamada para todos.
• Valorizar os conhecimentos que o aluno traz, estimular alunos diferentes e que
necessitam de estímulos diferentes.
• Ajustamento social por meio de experiências, em que a escola deve retratar a vida.

Função da Avaliação
• Valorização de aspectos afetivos - atitudes.
• Preocupação com a participação, interesse, socialização e conduta.
• Ênfase na auto-avaliação.

Relação Professor - aluno


• O professor é um facilitador da aprendizagem, que auxilia o desenvolvimento espontâneo
da criança. Ele não deve ensinar, mas criar situações para que os alunos aprendam.
• O aluno é o centro do processo de ensino-aprendizagem, um ser ativo.

Técnicas de Ensino
• Centros de interesse
• Estudo dirigido
• Método de projetos
• Fichas didáticas
• Contrato de ensino
As técnicas e os métodos exigem o uso de muitos recursos didáticos e são orientados por
três princípios: individualização, liberdade e espontaneidade.

Métodos de Ensino - Método da Pesquisa ou Método da Descoberta


1. Atividade: o ensino começa sempre com uma atividade, a qual pode suscitar um
problema.
2. Problema: alunos e professores devem resolver o problema.
3. Levantamento de dados: os alunos levantam dados através de livros, estudo de campo,
documentos, etc.
4. Formulação de hipóteses explicativas: os dados organizados pelos alunos servem de base
para a formulação de hipóteses.
5. Experimentação: os alunos testam as hipóteses.
Este método assume caráter "pseudocientífico" porque confunde ciência e ensino.
Tendência Escola Nova Não Diretiva
Manifestação da Prática Pedagógica
• Educação centrada no estudante.
• Prática pedagógica antiautoritária.

Papel da Escola
• Promover o autodesenvolvimento e a realização pessoal.
• Prioriza os problemas psicológicos em detrimento dos pedagógicos.
• Privilegia situações problemáticas correspondentes aos interesses do aluno.
• Enfoque no afrouxamento das normas disciplinares (as funções de professor e aluno se
confundem).

Função da Avaliação
• Atividades avaliativas: debates, seminários, elaboração de murais pedagógicos, relatório
das pesquisas experimentos e estudos do meio, trabalhos em grupo em que o educando
deve aprender a fazer fazendo e a pensar pensando.

Relação Professor - aluno


• O professor é um especialista em relações humanas.
• O relacionamento professor-aluno deve ser autêntico e pessoal.
• O professor tem que ser confiável, receptivo e intervir o mínimo possível na
aprendizagem do aluno, já que sua intervenção ameaça e inibe o aluno.

Técnicas de Ensino
• Contratos onde alunos e professor estabelecem níveis de aproveitamentos, tópicos e
conceitos (nota A, nota B).
• Grupo de facilitadores: um presidente e um relator que preparam as sessões de estudo
com o professor.
• Entrevista: criar no curso da entrevista uma atmosfera propícia para que o próprio aluno
escolha seus objetivos.
• Trabalhos em grupo, pesquisas, jogos/criatividade, observação, experiência, dinâmicas de
grupos, pesquisas.
Métodos de Ensino - Método Clínico de Rogers
1. Contato com a realidade: o contato com a realidade torna a aprendizagem significativa,
pelo vínculo das experiências e motivações do individuo.
2. Autenticidade ou congruência: o professor deve ser sentido como pessoa unificada,
integrada, congruente.
3. Aceitação positiva incondicional: o professor aceita os sentimentos do aluno, em toda
espécie de atitude.
4. Empatia: capacidade de captar o mundo do aluno como se fosse o seu, em todas as
reações ao enfrentar uma nova matéria.

Tendência Tecnicista

Manifestação da Prática Pedagógica


• Surge no Brasil em meados da década de 50, mas é introduzida efetivamente no final dos
anos 60, com predomínio a partir de 1978.
• As Leis 5.540/68 (ensino universitário) e 5.692/71 (ensino de 1º e 2º graus) são marcos
da implantação do modelo tecnicista.

Papel da Escola
• Articula-se com o sistema produtivo para aperfeiçoamento do sistema capitalista,
preocupando-se com a formação de indivíduos para o mercado de trabalho, de acordo com
as exigências da sociedade industrial e tecnológica.
• Valoriza aspectos mensuráveis e observáveis.

Função da Avaliação
• Ênfase na produtividade do aluno, mensurada a partir de testes objetivos.
• Realização de exercícios programados.
• Ocorre no final do processo, com a finalidade de constatar se os alunos adquiriram os
comportamentos desejados.
• Exagerado apego aos livros didáticos.

Relação Professor - aluno


• O professor é apenas um elo de ligação entre a verdade científica e o aluno, é o técnico
responsável pela eficiência do ensino.
• O aluno é um ser fragmentado, espectador que está sendo preparado para o mercado de
trabalho para "aprender a fazer".

Técnicas de Ensino
• Coloca a atenção em modos instrucionais que possibilitam controle efetivo dos
resultados: instrução programada, pacotes de ensino, módulos instrucionais, etc.

Métodos de Ensino - Método Científico


• Preocupação científica que está baseada em princípios da tecnologia educacional.
• “Harmonização” entre as necessidades dos alunos e os valores sociais.
1. Objetivos instrucionais operacionalizados em comportamento observável e mensurável.
2. Procedimentos instrucionais.
3. Ênfase nos meios, na instrução programada, nas técnicas de micro ensino, nos recursos
audiovisuais.

Para Libâneo, a pedagogia progressista designa as tendências que, partindo de uma


análise crítica das realidades sociais, sustentam implicitamente as finalidades
sociopolíticas da educação.

Pedagogia Progressista
Principais características
• A escola é condicionada pelos aspectos sociais, políticos e culturais, mas
contraditoriamente existe nela um espaço que aponta a possibilidade de transformação
social.
• A educação possibilita a compreensão da realidade histórico-social e explicita o papel do
sujeito construtor/transformador dessa mesma realidade.

Teoria Crítica
• Sustenta a finalidade sócio-política da educação.
• Instrumento de luta de professores ao lado de outras práticas sociais.

Tendências Pedagógicas
A Pedagogia Progressista divide-se em três Tendências Pedagógicas:

• Libertária
• Libertadora
• Histórica-crítica

Tendência Libertária
Manifestação da Prática Pedagógica
Antiautoritarismo e autogestão são os princípios fundamentais da proposta pedagógica
anarquista (que abrange várias correntes: libertários, psicanalistas e sociólogos).

Papel da Escola
• Desenvolver mecanismos de mudanças institucionais e no aluno, com base na
participação grupal, onde ocorre a prática de toda a aprendizagem.
• Exercer uma transformação na personalidade do aluno no sentido libertário e
autogestionário.
• Resistência contra a burocracia como instrumento de ação dominadora e controladora do
estado.
Função da Avaliação
Não prevê nenhum tipo de avaliação dos conteúdos. Ela ocorre nas situações vividas,
experimentadas, portanto incorporadas para serem utilizadas em novas situações.

Relação Professor - aluno


• Professor e aluno são livres, um em relação ao outro e desenvolvem uma relação baseada
na autogestão e no antiautoritarismo.
• O professor é um orientador, um catalisador que realiza reflexões em comum com os
alunos. Cabe a ele: ajudar o grupo a desenvolver-se, auxiliando no desenvolvimento de um
clima grupal em que seja possível aprender e superar os obstáculos para aprender que
estão enraizados no indivíduo e no grupo, ajudar o coletivo a descobrir e utilizar os
diferentes métodos de pesquisa, ação observação e feedback, liberar as forças instituintes
do grupo, que funciona como analisadores das instituições.

Técnicas de Ensino
• Vivência grupal.
• Assembléias.
• Reuniões.

Métodos de Ensino
Faz o movimento do composto ao simples, do geral ao particular, do número à unidade, da
harmonia ao som, da regra ao fato, do princípio à aplicação.
• Vai do observado ao não-observado, do conhecido ao desconhecido.
• Método racional, experimental, científico: estimula a curiosidade, favorece a atividade
cerebral, se afasta da credulidade, coloca a razão e a memória no seu devido lugar.
• O exercício da liberdade pelo aluno tem que ser efetivo e real desde o início, com caráter
progressivo, manifestando-se plenamente nos últimos anos escolares.
• Interesse em crescer dentro da vivência grupal.
• Relevância da experiência, da atividade prática que é incorporada e utilizada em situação
nova.
• A participação grupal deve ser obtida através de assembléias, conselhos, eleições,
reuniões, associações, de tal forma que o aluno leve para a escola e para a vida cotidiana
tudo que aprendeu.
• A auto-gestão é o conteúdo e o método, resume tanto o objetivo pedagógico, quanto o
político.
• Escolhida uma matéria, o aluno é estimulado à pesquisa.

Tendência Libertadora
Manifestação da Prática Pedagógica
• Primeira experiência: Movimento de Cultura Popular no Recife (1964).
• Projeto de Educação de Adultos:
- círculo de cultura
- centro de cultura

Papel da Escola
Formação da consciência política do aluno para atuar e transformar a realidade.
• Problematização da realidade, das relações sociais do homem com a natureza e com os
outros homens, visando à transformação social.

Função da Avaliação
• Prática emancipadora.
• Desenvolvimento e progresso do grupo a partir de um programa definido coletivamente
com o grupo.
• Prática vivenciada entre educador e educando s no processo de grupo pela compreensão e
reflexão crítica.
• Trabalhos escritos e auto-avaliação em termos do compromisso assumido com o grupo e
com a prática social.

Relação Professor - aluno


• Professor e aluno são sujeitos do ato do conhecimento.
• O professor é o coordenador de debates, adaptando-se às características e necessidades
do grupo.
• O aluno é sujeito ativo no grupo.

Técnicas de Ensino
Métodos e técnicas que se refazem na práxis: Grupos de discussões, debates, entrevistas.

Métodos de Ensino - Método Dialógico


• O método exige uma relação de autêntico diálogo, em que os sujeitos do ato de conhecer
se encontram mediatizados pelo objeto a ser conhecido.
• A problematização da situação permite aos alunos chegar a uma compreensão mais
crítica da realidade através da troca de experiências em torno da prática social.
• Deve possibilitar a vivência de relações efetivas.
• Dispensam-se programas previamente estruturados, bem como aulas expositivas, assim
como qualquer tipo de verificação direta da aprendizagem, formas essas próprias da
"educação bancária", portanto domesticadoras.
Tendência Histórico-Crítica ou Crítico Social dos Conteúdos
Manifestação da Prática Pedagógica

• A prática pedagógica propõe uma interação entre conteúdo e realidade concreta, visando
à transformação da sociedade (ação compreensão-ação).
• Enfoque no conteúdo como produção histórico-social de todos os homens.
• Superação das visões não críticas e crítico reprodutivistas da educação.

Papel da Escola
• Valorização da escola como espaço social responsável pela apropriação do saber
universal.
• Socialização do saber elaborado Às camadas populares, entendendo a apropriação crítica
e histórica do conhecimento enquanto instrumento de compreensão da realidade social e
atuação crítica e democrática para a transformação desta realidade.

Função da Avaliação
• Prática emancipadora.
• Função diagnóstica (permanente e contínua): configura-se como um meio de obter
informações necessárias sobre o desenvolvimento da prática pedagógica para a
intervenção/reformulação desta prática pedagógica e dos processos de aprendizagem.
• Pressupõe tomada de decisão.
• O aluno toma conhecimento dos resultados de sua aprendizagem e organiza-se para as
mudanças necessárias.

Relação Professor - aluno


• Relação interativa entre professor e aluno, em que ambos são sujeitos ativos.
• Professor e aluno são seres concretos (sócio-históricos), situados numa classe social -
síntese de múltiplas determinações.
• Professor é autoridade competente, direciona o processo pedagógico, interfere e cria
condições necessárias à apropriação do conhecimento, enquanto especificidade da relação
pedagógica.

Técnicas de Ensino
• Discussão.
• Debates.
• Leituras.
• Aula expositivo-dialogada.
• Trabalhos individuais e trabalhos em grupo, com elaboração de sínteses integradoras.
Métodos de Ensino - Método da Prática Social
Pressupostos do Método
• Decorre das relações estabelecidas entre conteúdo – método e concepção de mundo.
• Confronta os saberes trazidos pelo aluno com o saber elaborado, na perspectiva da
apropriação de uma concepção científico/filosófica da realidade social, mediada pelo
professor.
• Incorpora a dialética como teoria de compreensão da realidade e como método de
intervenção nesta realidade.
• Fundamenta-se no materialismo histórico: ciência que estuda os modos de produção.
• A relação de indissociabilidade entre forma e conteúdo pressupõe a socialização do saber
produzido pelos homens.
• Os fins a serem atingidos é que determinam os métodos e processos de ensino-
aprendizagem.
• Busca coerência com os fundamentos da Pedagogia, entendida como processo através o
qual o homem se humaniza (se torna plenamente humano).
• A prática é fundamento do critério de verdade e da finalidade da teoria.
• Incorpora o procedimento histórico como determinante da totalidade social.
• É na mediação entre o pensamento e o objeto (enquanto o pensamento busca apropriar-
se do objeto) que se desenvolve o método.
Passos do Método
• Prática Social (ponto de partida): perceber e denotar, identificar o objeto da
aprendizagem.
• Problematização: momento para detectar as questões que precisam ser resolvidas no
âmbito da prática social e que conhecimentos são necessários a serem dominados.
• Instrumentalização: apropriação das ferramentas culturais necessárias à luta social.
• Catarse: tomada de consciência.
• Prática Social (ponto de chegada): retorno à prática social, com o saber concreto pensado
para atuar e transformar as relações de produção - visão sintética.

Abaixo um quadro exemplificando as tendências pedagógicas.


Crítica

De acordo com esses pontos teóricos de Libâneo, deduz-se que as tendências pedagógicas
liberais, ou seja, a tradicional, a renovada e a tecnicista, por se declararem neutras, nunca
assumiram compromisso com as transformações da sociedade, embora, na prática,
procurassem legitimar a ordem econômica e social do sistema capitalista. No ensino da
língua, predominaram os métodos de base ora empirista, ora inatista, com ensino da
gramática tradicional, ou sob algumas as influências teóricas do estruturalismo e do
gerativismo.

Já as tendências pedagógicas progressistas, em oposição às liberais, têm em comum a


análise crítica do sistema capitalista. De base empirista (Paulo Freire se proclamava um
deles) e marxista, essas tendências, no ensino da língua, valorizam o texto produzido pelo
aluno, a partir do seu conhecimento de mundo, assim como a possibilidade de negociação
de sentido na leitura.
Postado por Faby Cunha às
Reações:
Object 2

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar com o


Pinterest
4 comentários:

1.
ana paula Caldas4 de janeiro de 2014 23:25
Este comentário foi removido pelo autor.
ResponderExcluir
Respostas
Responder
2.
ana paula Caldas4 de janeiro de 2014 23:28
Olá pessoal! Este é um dos conteúdos que sempre cai em concurso da área de pedagogia
ResponderExcluir
Respostas
Responder

3.
Lizandra Almeida16 de agosto de 2014 23:04
Muito importante pra mim, bem executado e explicativo.
ResponderExcluir
Respostas
Responder

4.
JOAO BAPTIST Baptist19 de novembro de 2015 11:26
excelente
ResponderExcluir
Respostas
Responder

Adicionar comentário

Object 3

Carregar mais...
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Assinar: Postar comentários (Atom)

Seguidores

Object 4

Arquivo do blog

• ▼ 2010 (48)
• ► Novembro (12)
• ▼ Outubro (35)
• O que é Didática?
• Tipologia dos Conteúdos – Antoni Zabala
• O papel do professor na educação moderna
• Sinceridade
• Atitude, Preconceito e Estereótipo
• Talvez não amanhã...
• Preconceito nas escolas brasileiras
• O Ensino de Língua Estrangeira: História e Metodol...
• Alfabetizar é todo dia
• Identidade, intolerância e as diferenças no espaço...
• Habilidade e inclusão digital - o papel das escola...
• Inclusão digital na escola pública: inter-relacion...
• A inclusão da sala de aula
• Por que inclusão???
• Trabalhando com Projetos
• Um guia sobre o uso de tecnologias em sala de aula...
• Como utilizar ferramentas digitais para ensinar lí...
• Comênio - O pai da didática moderna
• A didática em suas dimensões
• Os DEZ mandamentos para bem planejar
• Ensinar bem é... saber planejar
• Não desperdice o tempo didático
• DIDÁTICA: ferramenta cotidiana do professor
• Conhecimento didático: a base da sala de aula
• Didática & Formação Docente: Algumas Reflexões
• Saberes e atitudes de alunos com deficiência
• Tema igual, aula diferente, com flexibilização de ...
• História das Idéias Pedagógicas
• Escola do futuro
• Profissão professor ou adeus professor, adeus prof...
• Didática??? Hã??? Como??!!
• A nova lógica do ensino na sociedade da informação...
• Os quatro pilares da educação
• A prática educativa de Antoni Zabala
• Tendências pedagógicas na prática escolar
• ► Agosto (1)

Quem sou eu

Faby Cunha

Visualizar meu perfil completo

Tema Marca d'água. Tecnologia do Blogger.