You are on page 1of 19

Introdução

Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Educação Física, lecionada pela
docente Sónia, como elemento de avaliação para a disciplina dada a minha condição de saúde
física que me incapacita de participar nas aulas e com o objetivo de alargar e melhorar
conhecimentos.
O conteúdo deste trabalho de pesquisa explora, fundamentalmente, o conceito de andebol
e as suas regras.

História do Andebol
O andebol era já um jogo bastante difundido na Alemanha no século XIX. Em 1920,
Schellenz, professor da Escola Normal Superior de Educação Física de Berlim, lançou as bases do
andebol de 11, praticado num campo de futebol e inspirado nas suas regras, mas jogado com as
mãos. Nos países escandinavos e por razões climáticas, este desporto era praticado em recinto
coberto e com 7 jogadores.
Após a Segunda Guerra Mundial, a modalidade de 11 jogadores entrou em declínio,
enquanto a de 7 se impunha como um desporto europeu, sobretudo nos meios escolares. O
andebol masculino passou a fazer parte das modalidades olímpicas em 1972 e o feminino em 1976.
É hoje um dos desportos coletivos mais populares a nível mundial, e crê-se que é o segundo
desporto mais praticado em Portugal, a seguir ao futebol.
Em Portugal, o andebol de onze começou a ser praticado na cidade do Porto, onde foi
introduzido nos finais de 1929 pelo desportista alemão Armando Tshopp. A primeira apresentação
oficial de um jogo de andebol teve lugar em 31 de janeiro de 1931, no Porto, e ainda nesse ano foi
formada a Associação de Andebol de Lisboa, seguida, em 1932, pela Associação de Andebol do
Porto.
O andebol de sete foi introduzido em Portugal em 1949, por outro alemão, Henrique Feist,
residente no nosso pais. O primeiro torneio oficial da nova modalidade foi organizado por Feist na
vila de Cascais no Verão de 1949.
Objetivo do Jogo
O objetivo do jogo é fazer com que a bola entre na baliza adversária, marcando golos, e
evitar que o mesmo aconteça na sua baliza, ou que o adversário tome posse da bola. Esta pode
ser batida, empurrada, socada, parada ou passada com qualquer parte do corpo acima dos joelhos.
Ao guarda-redes que se encontra colocado dentro da área de baliza, onde nenhum outro jogador
pode entrar, é permitido usar qualquer parte do corpo para defender a entrada da bola.

Campo oficial de Andebol


O campo de Andebol tem 40 metros de comprimento e 20 metros de largura. Este campo
tem várias linhas que são: as linhas de 9 metros, de 7 metros e de 4 metros, a linha de meio-campo
e a linha lateral.
A baliza tem 3 metros de largura por 2 metros altura.

fig.1-O campo

A bola de Andebol
A bola de Andebol varia no perímetro e no peso, consoante os escalões que é jogada.
No escalão de seniores e juniores tem um perímetro de 58 a 60 cm. E um peso de 425 a
475 g.
Na classe das senhoras e no escalão dos juvenis tem um perímetro de 54 a 56 cm. E um
peso de 325 a 400 g.

fig.2- A bola

A bola só pode ser jogada com as mãos ou com qualquer parte do corpo acima dos joelhos.
Esta não pode ser agarrada durante mais de 3 segundos, com exceção dos jogos de iniciantes desta
modalidade. Os jogadores não podem dar mais de 3 passos com a bola na mão. No Andebol, é
obrigatório usar o drible com uma das mãos, e se a bola for agarrada durante o drible com as duas
mãos, o jogador terá imediatamente de passar a bola a outro jogador ou rematar (se estiver perto
da baliza).

É golo, só quando a bola ultrapassa completamente a linha de baliza.


Fig.3- O golo

 O equipamento dos jogadores são uns calções e uma camisola numerados, que
devem ser de cor diferente do equipamento da outra equipa. O guarda-redes
deve usar calças e uma camisola de cor diferente dos outros equipamentos.
(Fig.4)

fig.4 – O Equipamento

Características do Andebol
Número de jogadores 14: 6 efetivos, 1 guarda redes e 7 suplentes

Dimensões do campo 40 m. de comprimento p/20 m. de largura

Bola Perímetro: 4 a 60 cm. Peso: 325 a 475 g.

Baliza 3 m. de largura p/2 m de altura

Duração 60 minutos, divididos em 2 partes de 30 minutos

Juízes 2 árbitros, 1 secretário e 1 cronometrista

INÍCIO DO JOGO
O árbitro faz o sorteio da posse da bola ou da escolha do campo.
Ao apito do árbitro, o jogador da equipa que fica com posse da bola dá início ao jogo, com
o lançamento de saída e posicionado no centro da linha do meio-campo. Adversários a 3 m deste
jogador. Não pode resultar golo direto do lançamento de saída.
Após o intervalo, o lançamento de saída é feito pela equipa que não iniciou o jogo.

LANÇAMENTO LIVRE
Os livres devem ser marcados no local onde as faltas são praticadas.
Adversários a 3 m do jogador lançador.

O livre pode ser assinalado pelas seguintes faltas:


- Dar mais de três passos na posse da bola;
- Fazer dois dribles;
- Driblar incorretamente;
- Manter parado a posse da bola mais de 3 segundos;
- Tocar a bola abaixo dos joelhos intencionalmente;
- Calcar a linha de 6 m no remate (jogador atacante);
- Conduta irregular para com o adversário (empurrar, agarrar ou “rasteirar”);
- Retirar a bola, no momento em que se encontra em contacto com o solo, da
área de baliza por um jogador de campo;

LIVRE DE 7 M
O livre de 7 m verifica-se quando um jogador:
- Isolado (atacante) e em boa posição para realizar um remate com êxito, é empurrado, agarrado
ou sofre uma “rasteira”;
- Entra na sua baliza para defender intencionalmente;
- Passa a bola ao seu guarda-redes e este a defende, dentro da sua área de baliza;
- Sempre que o guarda-redes entrar na sua área de baliza com a bola nas mãos.
- O livre de 7 m: é direto à baliza;
- Nenhum jogador, exceto o marcador pode permanecer entre a linha de 6 m e a de 9 m;
- Ao apito do árbitro o jogador tem 3 segundos para o executar;
- O marcador não pode tocar ou ultrapassar a linha de lançamento livre de 7 m, antes de a bola
abandonar a sua mão.

LIVRE DE 9 M
Se as faltas forem praticadas entre a linha de 6 m e de 9 m, os lançamentos livres são
executados sobre a linha de 9 m e os jogadores contrários devem fazer a barreira na linha de área
de baliza (6m).
fig.5- Livre 9m

Faltas
Cartão Amarelo – Indica uma advertência. Quando um jogador incorre numa segunda advertência, não é
mostrado Cartão mas é sancionado com exclusão durante 2 minutos do recinto de jogo e não poderá ser
substituído por um companheiro.
Cartão Vermelho – É mostrado ao atleta que incorre numa terceira exclusão. É expulso de imediato e não
pode regressar mais ao terreno de jogo.

Fig.6- faltas
Faltas (adversário)
No Andebol, um jogador não pode agarrar, puxar, empurrar ou impedir o movimento de um adversário,
usando os braços ou as pernas.
Sempre que se verificar infração a esta regra, será assinalado um lançamento livre, marcado no local onde
ocorreu a falta.
Porém, se a falta for cometida entre as linhas de 6 e de 9 metros, a execução do lançamento livre será
efetuada imediatamente atrás da linha de 9 metros:
- Os adversários devem estar a uma distância mínima de 3 metros;
- O jogador dispõe de 3 segundos para executar o lançamento;
- Pode obter-se golo diretamente.
Se a falta for realizada sobre um jogador que se encontra em situação clara de poder marcar golo,
assinala-se um livre de 7 metros:
- O executante coloca-se atrás da marca de 7 metros;
- Os adversários colocam-se a 3 metros e atrás da linha de lançamento livre (9 metros);
- Os companheiros devem estar atrás da linha de lançamento livre;
Mas, não pode: - O jogador dispõe de 3 segundos para efectuar o remate directo à baliza.

Guarda-Redes e zona da baliza


O guarda-redes é o único jogador a quem é permitido permanecer dentro da área de baliza, podendo:
- Defender com qualquer parte do corpo, incluindo os pés;
- Movimentar-se com a bola na mão sem limitações.
- Sair da área de baliza ou nela entrar com a bola na mão (lançamento livre)
- Quando o guarda-redes não tem a bola na mão pode sair e entrar na área de baliza sem qualquer
restrição.
- Fora da área de baliza, é considerado como um jogador de campo.
- Nem os atacantes nem os defensores podem pisar a linha de baliza (penalização: lançamento livre).
-Não é falta cair no interior da área de baliza, se a chamada for feita antes da linha que a define e se o
remate foi executado antes de o jogador contactar o solo.
-Nenhum jogador pode passar a bola ao seu guarda-redes quando este está no interior da área de baliza
(penalização: lançamento livre).
Exclusão
(suspensão por 2 minutos)
Se um jogador voltar a cometer uma falta pela qual já foi advertido (cartão amarelo) ou se tiver uma
atitude anti desportiva como, por exemplo, não deixar a bola no solo, após o árbitro ter assinalado uma
falta.
Desqualificação
(mostrar o cartão vermelho, passados 2 minutos pode entrar outro jogador)
Se um jogador for excluído pela 3ª vez ou se tiver uma atitude anti-desportiva grave, por exemplo,
empurrar violentamente o adversário pelas costas, puxar o braço do remate, bater na cara do adversário
na disputa da bola, etc.
Expulsão

(levantar os braços cruzados, a equipa fica com menos um jogador até ao fim do jogo)

Sempre que há uma agressão.


Gestos Técnicos: Remate

Chapéu
A bola sai lentamente da mão do atleta, descrevendo uma parábola por cima do guarda-redes, que
este se encontra adiantado. Este movimento requer uma técnica apurada.

fig.7- Técnica Chapéu

Suspensão
O jogador salta e roda ligeiramente o tronco para trás. Quando atinge a altura máxima de
impulso, inclina o tronco e remata com o braço estendido e a máxima força.

fig.8 -Técnica suspensão

Em queda
O atacante inclina-se e posiciona o tronco paralelo ao solo. No momento do remate só tem
apoiada a perna contrária ao braço que segura a bola.

fig. 9- Técnica em queda

Apoiado
O jogador esconde a bola atrás do seu corpo e à altura da cintura, rodando de repetente e
rematando, surpreendendo, assim, a defesa baixa.

fig.10- Técnica apoiado


ÍNDICE

ÍNDICE ....................................................................................................1
INTRODUÇÃO .........................................................................................2
HISTÓRIA SOBRE ANDEBOL.....................................................................2
OBJETIVO DO JOGO…. ............................................................................3
CARACTERISTICAS DO TERRENO .............................................................3
MATERIAIS USADOS …………………………………………………………………………….3
INICIO DO JOGO …………………………………………………………………………………..4
TÉCNICA, GESTOS E FALTAS.......................................................................6
REGRAS FUNDAMENTAIS...................................................................... 10
CONCLUSÃO ......................................................................................... 11
BIBLIOGRAFIA ....................................................................................... 12

ANDEBOL
Trabalho realizado por: Diogo Martins nº 6 8º C
Técnicas
Ataque – Normalmente, a equipa organiza-se em duas linhas: uma junto à linha de 6
metros, com os dois pontas (direito e esquerdo) e o pivô ou um ponta de lança e dois pivôs, e uma
outra linha fora da linha dos 9 metros, com o central e os dois laterais.

Defesa – Existem vários tipos de defesa como:


Defesa individual – Normalmente usada quando se quer recuperar a bola rapidamente
Defesa 6x0 – Todos os jogadores se dispõem na linha dos 6m e defende uma zona
Defesa 5x1’ – 5 jogadores colocam-se na linha dos 6m e 1 avança para a linha dos 9m
Defesa 5x1 – São 5 jogadores na primeira linha e o outro a fazer marcação homem-a-
homem
Defesa 3x3 – 3 jogadores em cada linha
Defesa 4x2’ – Usada com equipas que tem especialistas no remate meia distância. 4
Jogadores na linha dos 6m e os 2 pontas na linha dos 9m
Defesa 4x2 – 4 jogadores na primeira linha e 2 a fazer marcação individual
Defesa 3x2x1 – 3 jogadores nos 6m, 2 jogadores dois passos à frente e 1 jogador nos 9m

Contra-ataque – Ao recuperar a bola, a equipa deve tentar atacar de surpresa ou em


superioridade numérica. O jogador que recuperou a bola deve tentar passá-la para um jogador
que esteja mais perto da baliza. O guarda-redes, após fazer uma defesa que lhe permita ficar com
a posse da bola deve ver se algum dos jogadores se desmarca e tentar passar-lhe. Normalmente
os jogadores mais predispostos e que saem mais rapidamente para o contra-ataque são os 2
pontas.

Passe e receção – A receção da bola deve ser feita com as duas mãos, para melhor
controlo, e o passe deve ser feito com uma mão. Na receção, as mãos estão abertas e os dedos
afastados e virados para a bola. No passe, a bola é agarrada pelos dedos e colocada ao lado da
cabeça com o braço afastado do corpo e fletido pelo cotovelo. O passe pode ser passe de peito,
passe picado ou passe de ombro o passe é a forma da equipa se deslocar coletivamente no
terreno.

Fig.11 – Passe picado


Drible – A bola é atirada sucessivamente contra o solo por uma ou outra mão e sem ser
agarrada. Os dedos devem estar afastados e colocados por cima da bola e empurram-na para
baixo. Depois de o fazer, só é possível passar ou rematar, não se pode voltar a driblar.

Fig.12 – O drible

Receção e remate – Pode ser feito em apoio, com os pés no solo e em salto ou suspensão.
Aqui a bola é recebida e o braço continua o movimento até se “armar” para o remate. O salto pode
ser feito apoiando-se um ou dois pés no solo, para se fazer a impulsão.

Fig.13- remate em suspensão

Fintas para desenquadrar o adversário – As fintas podem ser feitas com ou sem bola.
Enganar ou iludir o adversário, através de movimentos de corpo ou de mudanças rápidas de apoio
dos pés, permite obter situações vantajosas para receber a bola ou rematar.

Fig.14 –Finta/mudança de direção

Acompanhamento do jogador sem bola – Em situação defensiva deve-se acompanhar o


adversário, que está perto e sem bola, para o impedir de a receber.
Acompanhamento e pressão ao jogador com bola – Se o adversário tem a posse da bola
deve-se tentar impedi-lo de driblar, passar ou rematar. Quando o adversário progride com o drible
deve-se tentar tirar-lhe a bola e se este tenta passar, deve-se colocar os braços e as mãos de forma
a impedi-lo de o fazer. Se vai rematar, faz-se um bloqueio para levá-lo a rematar deficientemente
ou sem força. Muitas vezes recorre-se a faltas para impedir o remate. Dependendo da zona e da
gravidade dão origem a livres de 9 ou 7m.

Reposição da bola em jogo – quando a bola sai fora do terreno de jogo tem de ser reposta
em jogo, esta reposição pode dar-se de 3 formas diferentes: se for rematada e sair pela linha final
é reposta em jogo pelo guarda-redes se sair diretamente ou se o próprio guarda-redes defender.
Se for um defesa a desviar a bola e esta sair pela linha de fundo a bola é reposta a partir de um
canto para a equipa adversária.
Em situação de jogo se a bola sair pela linha lateral é reposta em jogo por um jogador adversário
ao último jogador a tocar na bola antes desta sair.
Tanto no canto como no lançamento o jogador que efetuar o lance deve ter o cuidado de pisar a
linha do campo com um dos pés.
Conclusão
Concluo que todos os objetivos pretendidos foram concretizados.
Durante a pesquisa não houve dificuldades e toda ela foi muito interessante
enriquecedora.
Na minha curta passagem pelo andebol constatei todas as componentes aqui
apresentadas dando maior relevo à falta de jogos oficiais.
É um jogo com bastante contacto físico e muito intenso.

BIBLIOGRAFIA:
PT.WIKIPEDIA.PT
NOTA POSITIVA
SCRIBD
Regras fundamentais

O jogo tem início no centro após o apito do árbitro e o jogador que tem a bola pode passar em
qualquer direção. No início da 2ª parte é a outra equipa a recomeçar o jogo. Sempre que há um
golo, o jogo recomeça da mesma forma, pela equipa que o sofreu.

A bola pode ser agarrada ou tocada com qualquer parte do corpo acima dos joelhos mas não
pode ser socada ou tocar o corpo abaixo do joelho, mesmo que acidentalmente. Já o guarda-
redes pode defender com qualquer parte do corpo, mas não pode pontapear a bola de propósito.
Caso saia da área a regra do toque abaixo do joelho já se aplica, pois passa a ser um jogador
“normal”.

O jogador não pode driblar com as duas mãos em simultâneo e depois de parar o drible, não
pode voltar a driblar. Se o jogador tocar na bola no ar, tem de a deixar tocar no solo para poder
continuar o drible ou agarrá-la e durante o drible não pode colocar a mão por baixo da bola e
acompanhá-la, pois isso é ‘transporte’. O jogador também só pode dar 3 passos com a bola nas
mãos.

Os jogadores não podem pisar a linha dos 6 metros, a área de baliza, e o guarda-redes não pode
sair nem entrar na área de baliza, com a bola nas mãos pois assim passa a ser considerado um
jogador de campo. É falta se: o jogador entrar na área para se opor a um remate (esta é marcada
por um livre de 7m) ou quando um jogador empurra, faz rasteira, bate ou agarra o adversário.

Não é considerado falta se o jogador fizer a impulsão antes da linha e, no ar, tocar na bola ou
rematar e se o defesa entrar na área por descuido ou por ação do atacante e daí não retirar
proveito.
Exclusão
(suspensão por 2 minutos)

Se um jogador voltar a cometer uma falta pela qual já foi advertido (cartão amarelo) ou se tiver uma
atitude anti - desportiva como, por exemplo, não deixar a bola no solo, após o árbitro ter assinalado uma
falta.

Desqualificação

(mostrar o cartão vermelho, passados 2 minutos pode entrar outro jogador)

Se um jogador for excluído pela 3ª vez ou se tiver uma atitude anti - desportiva grave, por exemplo,
empurrar violentamente o adversário pelas costas, puxar o braço do remate, bater na cara do adversário
na disputa da bola, etc.

Expulsão

(levantar os braços cruzados, a equipa fica com menos um jogador até ao fim do jogo)

Sempre que há uma agressão.