You are on page 1of 10

Efeito Estufa é um fenômeno natural que ajuda a manter a Terra aquecida.

Entretanto, com a intervenção do homem sobre a natureza, esse fenômeno está


aumentando e deixando o nosso planeta cada vez mais quente.

Imagine um carro que esteja com as janelas fechadas e debaixo do sol. Depois
de certo tempo, o interior desse carro vai ficar muito quente, não é mesmo? Isso
acontece porque os vidros do carro deixam o calor do sol entrar, mas não deixa
este sair. No efeito estufa acontece a mesma coisa.

Esse nome – “efeito estufa” – originou-se da ideia de uma estufa usada para
cultivar plantas. Nessas estufas, compostas por paredes e tetos de vidro, o calor
entra e não sai, ajudando o aproveitamento desse calor pelas plantas, que
passam a se desenvolver melhor.

Como funciona o efeito estufa?

Observe a figura abaixo:

Quando os raios solares atingem a Terra, parte deles é “rebatida”, já a outra


parte penetra, encontra a superfície terrestre e volta para a atmosfera. Dentre
esses raios solares que voltam, parte deles é novamente refletida para dentro da
Terra e parte vai embora para o espaço.

Naturalmente, esse processo é importante para a manutenção do calor na Terra.


Sem o efeito estufa, o nosso planeta seria muito frio e a vida humana
provavelmente não existiria.

Mas por que o efeito estufa é considerado um problema ambiental?

Esse fenômeno é considerado um problema ambiental porque o efeito estufa


está ficando muito mais forte e aumentando cada vez mais as temperaturas na
Terra. Se a camada de ozônio continuar diminuindo e o efeito estufa continuar
aumentando, no futuro a Terra ficará muito quente.

O principal poluente que causa o efeito estufa é o gás carbônico ou dióxido de


carbono (CO2). Porém, existem outros gases que também possuem uma grande
influência, como o óxido nitroso (N2O), o metano (CH4), o clorofluorcarboneto
(CFC), os Hidrofluorcarbonetos (HFCs) e o Hexafluoreto de enxofre (SF6).

Os gases do efeito estufa surgem, principalmente, das atividades humanas,


como a produção industrial, a queima de árvores, fumaças de automóveis e
outros equipamentos que utilizam a queima de combustíveis fósseis.

Segundo o IBGE, além de contribuir para o aquecimento da Terra, o efeito estufa


pode contribuir para a ocorrência de outros problemas:

a) alterações dos ecossistemas e extinções de espécies;

b) aumento da escassez de água, graças à diminuição das chuvas;

c) aumento da fome, porque a agricultura seria prejudicada pelo clima e pela falta
d’água;

d) elevação do nível do mar e inundações de cidades litorâneas por causa do


derretimento das geleiras;

e) proliferação de doenças, graças ao aumento do calor;

f) desequilíbrios climáticos.
Para combater o efeito estufa, nossas indústrias precisam se modernizar e
implantar técnicas de redução da emissão dos gases do efeito estufa. Além
disso, precisamos adotar medidas mais conscientes, diminuindo a poluição das
cidades, reduzir a produção de lixo, conter o desmatamento e aumentar o
número de árvores e, sempre que possível, economizar energia.
aumento das temperaturas dos oceanos e derretimento das calotas
polares;
- eventuais inundações de áreas costeiras e cidades litorâneas, em
função da elevação do nível dos oceanos;
- aumento da insolação e radiação solar, em virtude do aumento do
buraco da Camada de Ozônio;
- intensificação de catástrofes climáticas, tais como furacões e tornados,
secas, chuvas irregulares, entre outros fenômenos meteorológicos de
difícil controle e previsão;
- extinção de espécies, em razão das condições ambientais adversas
para a maioria delas.

responsáveis por afetar os ecossistemas de todo o mundo.

Embora as mudanças climáticas sejam naturais e estejam sempre


ocorrendo no planeta, o ritmo com que essas alterações têm
acontecido se acentuou consideravelmente nos últimos anos,
causando mudanças drásticas em diversos ecossistemas de todo o
mundo e levando à extinção de espécies animais e vegetais.
Consequências do aquecimento global
A consequência mais visível do aquecimento global é o degelo:
estima-se que este fenômeno já tenha provocado a redução de 40%
na espessura da camada de gelo do Ártico e de 15% de toda a sua
área. A Antártida, por sua vez, já perdeu mais de 3.000 km de
extensão.

Além de elevar o nível de mares e oceanos e atingir regiões costeiras


de todo o mundo, o derretimento do gelo pode levar à extinção de
milhares de espécies marinhas que dependem de uma temperatura
mais amena nas águas. Este desequilíbrio ambiental pode afetar as
atividades de pesca e, consequentemente, as condições de
alimentação da humanidade.

Outra consequência do aquecimento global é a desertificação. Uma


vez que as mudanças climáticas podem provocar a escassez de
chuvas em determinadas regiões, o fenômeno gera crises de falta de
água, grandes períodos de seca, redução da qualidade do solo e
proliferação de doenças como febre amarela, esquistossomose e
malária. Também pode acontecer o contrário: abundância de chuva
em regiões que nunca sofreram com inundações.
Gases com efeito de estufa
Alguns gases presentes na atmosfera terrestre funcionam como as
paredes de vidro de uma estufa, retendo o calor do sol e impedindo-o
de escapar para o espaço.

Muitos destes gases estão naturalmente presentes na atmosfera, mas


a atividade humana está a aumentar as concentrações de alguns
deles, em especial:

 dióxido de carbono (CO2)


 metano
 óxido nitroso
 gases fluorados

O CO2, o principal gás com efeito de estufa produzido pela atividade


humana, é responsável por 63 % do aquecimento mundial
antropogénico. A sua concentração na atmosfera é atualmente 40 %
mais elevada do que no início da era industrial.

Outros gases com efeito de estufa são emitidos em quantidades


mais pequenas mas retêm mais o calor do que o CO2, em alguns
casos cem vezes mais. O metano e o óxido nitroso são
responsáveis, respetivamente, por 19 % e 6 % do aquecimento
antropogénico.

Causas do aumento das emissões


 A queima de carvão, petróleo ou gás produz dióxido de carbono e
óxido nitroso.
 Abate de florestas (desflorestação): as árvores ajudam a regular o
clima absorvendo o CO2presente na atmosfera. Quando são abatidas,
esse efeito benéfico desaparece e o carbono armazenado nas árvores
é libertado para a atmosfera, reforçando o efeito de estufa.
 Aumento da atividade pecuária: as vacas e as ovelhas produzem
grandes quantidades de metano durante a digestão dos alimentos.
 Os fertilizantes que contêm azoto produzem emissões de óxido
nitroso.
 Os gases fluorados têm um efeito de aquecimento muito forte, que
chega a ser 23 000 vezes superior ao do CO2. Felizmente, são
libertados em pequenas quantidades e estão a ser gradualmente
eliminados ao abrigo da regulamentação da UE.

Aquecimento global

A atual temperatura média do planeta é 0,85º C superior à do


século XIX. Cada uma das três últimas décadas foi mais quente do
qualquer outra década desde 1850, ano em que começou a haver
registos.

Para os cientistas mais conceituados a nível internacional na área do


clima, as atividades humanas são, quase certamente, a principal
causa do aquecimento observado desde meados do século XX.

Um aumento de 2º C em relação à temperatura na era pré-industrial é


considerado pelos cientistas como o limite acima do qual existe um
risco muito mais elevado de consequências ambientais à escala
mundial perigosas e, eventualmente, catastróficas. Por esta razão, a
comunidade internacional reconheceu a necessidade de manter o
aquecimento global abaixo de 2.º C.
 Mudança na composição da fauna e da flora em todo o planeta.
 Derretimento de grandes massas de gelo das regiões polares, ocasionando o aumento do
nível do mar. Isso poderá levar a submersão de cidades litorâneas, forçando a migração
de pessoas.
 Aumento de casos de desastres naturais como inundações, tempestades e furações.
 Extinção de espécies.
 Desertificação de áreas naturais.
 As secas poderão ser mais frequentes.
 As mudanças climáticas podem ainda afetar a produção de alimentos, pois muitas áreas
produtivas podem ser afetadas.