You are on page 1of 16

O Tarot

Hoje, o "Tarot" cartas estão pensados por muitos para ser "místico", "mágico",
o repositório da antiga Conhecimento Oculto, acessível apenas se sabe como
interpretar as cartas corretamente. Mas onde é que estes cartões estranho e
misterioso suas fotos vêm? Quem realmente colocar o "conhecimento oculto"
para as imagens vistas no baralho de Tarô? O conhecimento real, se for o caso,
que o baralho de tarô modernos contêm? Há muitos escritores, alguns séculos
de idade, alguns "New Age" que o pedido do Tarô veio do Egito antigo ou até
mesmo Atlantis, que é o melhor na especulação sem suporte simples, ou na
pior das hipóteses, um caso de "dizer qualquer coisa para vender um livro".
Em contraste há pessoas que estudam a história do jogo de cartas e estes
discordo com qualquer fonte de Atlântida ou egípcia, pois eles podem
acompanhar a evolução do tarô através do tempo, de volta às primeiras cartas
de jogar e fora da Europa. Uma vez que uma das imagens do Tarot Rider-
Waite Tarot Deck é o Ás de Copas, a Sociedade considera Ambrosia nosso
interesse real deve ser a compreensão do conhecimento esotérico contidos nas
imagens no moderno Tarot Cards. O conhecimento da história do Tarot e é
vários criadores, é no entanto muito útil para a compreensão das imagens.

cartões de papel Jogando parece ter sido inventado no século 10 ou 11 dC na


China, estes decks cedo chinês de cartões de transportar os números de todas
as 21 combinações de um casal chinês de dados e parecem ser os mais antigos
cartões conhecidos. Baralhos bloco de madeira foram impressas na China logo
após o processo foi usado para a primeira missa produzidos livros impressos.
Da China papel e cartas de baralho se espalhou para Índia e na Pérsia ao longo
da Rota da Seda e as rotas comerciais do oceano Índico. Da Pérsia e Índia,
jogando cartões de papel espalhado para o resto do mundo islâmico no Oriente
Médio, Norte da África para a Espanha islâmica. Fabricação de papel e
jogando cartas parecem ter entrado na Europa a partir de Espanha islâmica e,
talvez, o sultanato mameluco do Egipto.

Cartão de jogo chinês do século 11


o cartão mais antigo conhecido jogando

Jogando cartão historiadores acreditam que os antepassados dos modernos


cartões chegaram na Europa dos Mamelucos do Egipto, em finais dos anos
1300s, altura em que já tinha assumido uma forma muito semelhante ao que é
utilizado hoje. Em particular, o baralho com 52 cartas Mameluke constituído
por quatro "fatos": polo palitos, moedas, espadas e copos. Cada naipe continha
dez "spot" cards (cartões identificados pelo número de símbolos de terno ou
"sementes" que mostra) e três "tribunal" cartas chamado Malik (Rei), na'ib-
Malik (vice-rei ou vice-rei), e tha -ni-na-'ib (segunda ou vice-Under). Os
cartões tribunal Mameluke mostrou desenhos abstratos, não representando
pessoas (de acordo com a lei islâmica), embora eles tivessem sido os nomes e
as patentes dos militares. Esta plataforma de base, com uma mudança de
processos e os nomes do juiz Mamelukes ao europeu, Rei, Rainha e Jack, com
a adição de dois palhaços modernos é o Poker ocidental moderna e Jack Black
deck.

Mameluke carta de baralho, Ás de Copas, do século 14

Note, como os chineses e finas placas de mamelucos são comparados com os


cartões europeus.

No final do século 14, o uso de cartas de baralho se espalhou rapidamente por


toda a Europa. Os documentos que citam cartões data de 1371 em Espanha,
em 1377, na Suíça, e 1380 em vários locais, incluindo Florença, Paris e
Barcelona. A 1369 [decreto Paris sobre o jogo?] Não menciona os cartões,
mas a sua atualização de 1377 faz.

Os primeiros cartões europeus foram feitas à mão, como os destinados à


Charles VI, o que era muito caro. Impresso decks xilogravura surgiu no século
15. A técnica de impressão de gravuras para decorar a tela foi transferido para
a impressão em papel por volta de 1400 na Europa cristã, logo após o fabrico
de papel registrado pela primeira vez lá, enquanto na Espanha islâmica era
muito mais velha. O mais antigo datado de xilogravura Europeu 1418.
Nenhum exemplos de cartões impressos antes de 1423 sobreviver. Mas a
partir de cerca de 1418-1450, os fabricantes de cartão profissional em Ulm,
Nuremberg e Augsburg criado impresso decks. Jogando cartas ainda competiu
com imagens devocionais como os usos mais comuns para a gravura neste
período. A maioria das xilogravuras precoce de todos os tipos foram coloridos
após a impressão, à mão ou, de cerca de 1450 em diante, pelo uso de
estênceis.

O número de cartas de um baralho eo número de divisões (fatos) um baralho


foi dividido em não seguir sempre o terno de quatro, 52 cartões de regra, com
alguns decks precoce contendo apenas 36, 40, 48 cartões e alguns baralhos
continham mais de 52 cartas, uma dessas plataformas é o baralho de tarô que é
agora geralmente considerada como tendo 78 cartas.

O tarô (também conhecido como Tarocchi, Tarock ou nomes semelhantes) é


um conjunto de cartas tipicamente com 21 trunfos, o tolo, e um cartão de face
extra por naipe, além do terno usual (face e pip) encontrados em cartões
ordinário cartas de jogar. Os cartões de Tarot são usadas por grande parte da
Europa para jogar jogos de cartas de Tarot. O primeiro uso documentado de
cartas do tarô é para jogos, com as primeiras regras básicas que aparecem no
manuscrito de Martiano da Tortona (antes de 1425, texto traduzido), a
referência a seguir são do ano 1637. Na Itália, o jogo tornou-se menos
popular, uma versão chamada Tarocco Bolognese: Ottocento ainda sobreviveu
e ainda existem outros jogado no Piemonte, mas o número de jogos fora da
Itália é muito maior, especialmente em França, ligado ao Tarot e palavras
Bisca.

Estes jogos são agora Tarot jogado com um baralho de tarô especial "brincar".
O chamado "esotérico" plataformas usadas para a adivinhação são geralmente
mal adaptados para jogar, por exemplo, os símbolos de canto estão faltando,
portanto, há regular decks tocando em países onde Tarocchi é popular.

O baralho de tarô contém 78 cartas:

Um quatro naipes: dependendo da região, tanto os corações anglo-francês,


diamantes, espadas e paus ou os ternos original em latim de espadas, bastões,
taças e moedas, numerados de um a dez, mais quatro cartas da corte - um
macaco, um cavaleiro, uma rainha e um rei;
2 A 21 tarots, conhecido na adivinhação como os Arcanos Maiores, que
funcionam no jogo como um traje permanente de trunfos;
3 A Fool, também conhecida como desculpa, uma placa não-numeradas que
em algumas variações de desculpas do jogador depois do terno ou jogar um
trunfo, e em outros atos como o maior trunfo.

A 21 tarots e enganar, os chamados Arcanos Maiores são acreditados para ser


modelado em "Triumph" marchas da época medieval, que comemorou uma
vitória na guerra pelo rei ou para iniciar a celebração de um festival religioso,
ou o início de uma Feira Medieval. A palavra "Triumph em frente, como o"
trunfo "cartas que a classificação mais elevada e tem mais poder em jogar os
jogos de Tarot do que os cartões de valor inferior. O desfile Triumph
Medieval foi conduzido pelas ruas por um "bobo" ou bufão que era parte da
"Corte Real", mas não tinha qualquer posto lá, assim como o cartão de bobo
não tem posição fixa. Após o "bobo" no desfile, começando com a
classificação mais baixa, seria todo o "Royal" membros da corte e dignitários
da Igreja na área. Acredita-se por alguns, que o "cartão Tower", o cartão de
"Devil" e vários outros não eram os primeiros baralhos de Tarot, Muitos dos
quais parecem ter apenas dezesseis trunfos. Estes cartões particular foram
acreditados para ser adicionado à tarde Tarot decks pelos designers mais
Ocultismo e usuários do Tarot, por agora, estes cartões são considerados parte
de um baralho de tarô padrão.

Em 1540, Francesco Marcolini publicado em Veneza um livro fortuna que


pode ser considerado o primeiro documento conhecido sobre cartomancia. Os
cartões que foram usados no processo de adivinhação não eram cartas de tarô
e realmente desempenhou um papel bastante marginal, sendo usado como um
dispositivo aleatório para escolher uma página neste livro da sorte, a página
foi selecionado, em seguida, lê para revelar o futuro.

O século 18 viu um desenvolvimento ainda mais portentoso de Tarot, bem


além de seu uso para jogar cartas. Fortune dizendo com cartas de baralho
tinham desenvolvido a partir de seu uso como um dispositivo aleatório para
escolher uma página em um livro de fortunas no ano de 1500, através da
utilização de especial a fortuna dizendo-decks em 1600 e, finalmente, ao
ponto de ser regular decks um significado simbólico em 1700. A poucas
indicações dispersas desta aparecer no início do século, mas o primeiro livro
sobre cartomancia foi publicado em 1770. Foi escrita por "Etteilla", na
realidade, Jean-Baptiste Alliette (1738 - 1791) Etteilla é apenas um nome
escrito para trás o seu senhor. Ele é cartomancer o primeiro do mundo
profissional, que se tornou um dos fundadores do Tarot ocultismo. Em 1780
ele e dois outros escritores franceses (Antoine Fabre d'Olivet (08 de dezembro
de 1767, 25 março, 1825) e Antoine Court, que nomeou-se Antoine Court de
Gébelin (ca.1719 - 10 de maio de 1784) desenvolveu a maior parte do lore
ocultismo e adivinhação métodos que reinventar Tarot no final de 1800.

Esses três autores Tarot mudou para sempre. Nem saber nem se importar
muito sobre a história 350 anos-Tarot, o seu uso original e comum como um
jogo, ou o significado pretendido de seu ciclo alegórico, que interpretaram as
imagens livremente. Eles usaram o 22 trunfos como sinais de que designe a 22
letras do alfabeto hebraico. Estas correspondências recém-cunhada fez o
baralho de tarô em um sistema novo emblema para cabalístico magia e
misticismo. Estes dois usos esotérico, Cabala e adivinhação, tornou-se
permanentemente ligado ao Tarot. Os autores deste recém-inventado Tarot
também escreveu uma fantasia detalhada sobre a origem do Tarot e da
história, que envolve as iniciações egípcia, místicos judeus, ciganos e
vagabundo. Essas histórias ficcionais foram destinados para validar as
correspondências ocultistas tinha planejado, através de recurso a sabedoria
antiga alegado e tradições secretas.

Embora grande parte do terreno para oculto hoje lore Tarô foi criado no final
dos anos 1700, a única parte que se tornou popular durante o século seguinte
foi a leitura da sorte. Antes dos mitos mais elaborados e sistemas esotéricos
poderia tornar-se popular, oculto Tarot tinha de ser inventada uma segunda
vez. Isso aconteceu em meados do século 19. Novos sistemas de
correspondência foram inventados e camadas adicionais de legenda foram
sobrepostos. Esta invenção segundo veio apenas no momento direito histórico,
no início do renascimento do ocultismo vitoriana, e no final do século os
franceses e britânicos ocultistas tinha desenvolvido várias escolas que tiveram
as cartas de um jogo do século 15 para ser o Absoluto Key to Occult Science.

Eliphas Levi, nascido Alphonse Louis Constant, (8 de fevereiro de 1810 - 31


de maio de 1875) foi um escritor ocultista francês e mágico. "Eliphas Lévi," o
nome sob o qual ele publicava seus livros, foi sua tentativa de tradução ou
transliteração seus nomes dados "Alphonse Louis" em hebraico. Levi era filho
de um sapateiro em Paris, ele participou de um seminário e começou a estudar
para entrar no sacerdócio católico romano. No entanto, enquanto no
seminário, ele se apaixonou, e saiu sem ser ordenado. Ele escreveu uma série
de pequenas obras religiosas: Des Moeurs et des Doutrinas du Rationalisme en
France ("Dos costumes morais e as doutrinas do racionalismo na França",
1839) foi um trato no fluxo cultural da Contra-Iluminismo. La Mère de Dieu
("A Mãe de Deus", 1844) seguiram e, após deixar o seminário, dois setores
radicais, L'Evangile du Peuple ("O Evangelho do Povo", 1840) e Le
Testament de la Liberté ( "O Testamento da Liberdade"), publicado no ano das
revoluções de 1848, levou a duas penas de prisão breve.

Em 1854, Lévi visitou a Inglaterra, onde conheceu o escritor Edward Bulwer-


Lytton, que estava interessado em Rosacrucianismo como um tema literário e
foi presidente de uma ordem menor Rosacruz. Com Bulwer-Lytton, Lévi
concebeu a idéia de escrever um tratado sobre magia. Isto apareceu em 1855
sob o título de Dogma et rituel de la Haute Magie, e foi traduzido para Inglês
por Arthur Edward Waite como Transcendental Magic, a sua Doutrina e
Ritual. Suas linhas famosa abertura do presente único tema essencial do
Ocultismo e dá um pouco do sabor do seu ambiente:

"Por trás do véu de todas as alegorias hieráticas e místicas de doutrinas


antigas, por trás da escuridão e provações estranhas de todas as iniciações, sob
a chancela de todas as escrituras sagradas, nas ruínas de Nínive ou Tebas,
sobre as pedras em ruínas de templos antigos e em o rosto enegrecido da
esfinge assíria ou egípcia, nas pinturas monstruosas ou maravilhosas que
interpretar para os fiéis da Índia, as páginas inspiradas dos Vedas, nos
emblemas enigmáticas de nossos livros velhos em alquimia, nas cerimônias
praticadas na recepção de todos os secretos sociedades, não são encontrados
indícios de uma doutrina que é a mesma em todos os lugares e em todos os
lugares cuidadosamente escondido. "(Introdução de Transcendental Magic, a
sua Doutrina e Ritual)

Em 1861, ele publicou uma seqüência, La Clef des Grands Mystères (A Chave
para os Grandes Mistérios). Outras obras mágicas por Lévi incluem Fables et
symboles (Histórias e Imagens), de 1862, e La Science des Esprits (A Ciência
dos Espíritos), 1865. Em 1868, ele escreveu Le Grand Arcane, or l'Occultisme
Dévoilé (o grande segredo, ou Ocultismo Revelado), o que, no entanto, só foi
publicado postumamente em 1898.

Lévi versão de mágica se tornou um grande sucesso, especialmente depois de


sua morte. Que o Espiritismo era popular em ambos os lados do Atlântico, de
1850, contribuiu para seu sucesso. Seus ensinamentos mágicos estavam livres
do fanatismo óbvio, mesmo que permaneceu bastante obscuro, ele não tinha
nada para vender, e não fingir ser o início de uma antiga sociedade secreta ou
fictícios. Ele incorporou as cartas do Tarot em seu sistema mágico, e como
resultado, o Tarot tem sido uma parte importante da parafernália dos magos
ocidentais. Ele teve um profundo impacto sobre a magia da Ordem Hermética
da Golden Dawn e, posteriormente, o ex-membro da Golden Dawn Aleister
Crowley. Foi em grande parte através da ocultistas inspirados por ele que Lévi
é lembrado como um dos fundadores principais do renascimento do século
XX de magia.

Eliphas Lévi

Durante o renascimento do ocultismo, que continuou no início do século 20,


houve uma grande revisão antropológica das tradições mais antigas. Arthur
Edward Waite, um místico cristão e estudioso do ocultismo, rejeitou
explicitamente o núcleo do Tarot ocultismo. Ele escreveu: "Eu não estou a ser
incluído entre aqueles que estão satisfeitos de que há uma correspondência
válida entre as letras hebraicas e os símbolos do Tarot Trump". Sua
interpretação própria novela dos trunfos baseou-se em muitas fontes
(incluindo os ocultistas) para criar uma representação eclética, mas totalmente
integrado da mística Filosofia Perene. A primeira metade dos trunfos ilustrado
uma descida involuntária, enquanto a segunda metade ilustrar uma subida
evolutiva, tudo isso foi em consonância com as idéias comuns da religião XIX
e início do século XX em relação comparativa ea universalidade do mito e do
misticismo. "Waite descreveu sua nova criação como" um verdadeiro Tarot
em um de seus aspectos "e não" oculto, mas mística. Além disso, ele foi o
primeiro a utilizar cartões de pip pictórica para facilitar a intuição de
adivinhos.
A. E. Waite

As imagens na "Rider-Waite" deck foram criados pelo artista Pamela Colman-


Smith, com as instruções do cristão místico e ocultista Arthur Edward Waite, e
foram originalmente publicados pela Companhia Rider em 1910. Esta
plataforma é considerada um simples, amigável, mas mesmo assim uma
imagem sua, em especial nos Arcanos Maiores, é complexo e repleto de
simbolismo esotérico. Os temas dos Arcanos Maiores são baseadas nas dos
primeiros decks, mas foram significativamente modificadas para refletir Waite
e visão de Smith de Tarot. Uma diferença importante de Marselha pavimentos
estilo é que Smith chamou cenas com significados esotéricos sobre os cartões
terno. No entanto, o Rider-Waite-Smith não foi o primeiro baralho para incluir
cartões terno completamente ilustrado. O primeiro a fazê-lo foi o século 15
Busca-Sola deck.
Pamela Colman Smith-

No final do século 20, Tarot foi amplamente adotado por vários adeptos da
Nova Era, neo-pagãos e, naturalmente, adivinhos, bem como pessoas que
estavam simplesmente interessados em usar a plataforma para a auto-
exploração, sem qualquer motivação espiritual ou mística . Uma vez mais foi
redefinido, em grande parte, nos termos da psicologia junguiana, mas com
empréstimos do ocultistas anteriores e de Waite. Este desenvolvimento foi
muito facilitada pelo conjunto de Waite Tarot mística, cujo trunfo e sementes
foram redesenhados de forma coerente com essa utilização. Esta Waite-Smith
Tarot serviu de modelo para centenas de plataformas derivados Tarot.

Como todos os decks mais Tarot as imagens criadas por Waite-Smith, em sua
versão do Tarot, são imagens da realidade cristã, que é fonte encontra-se em
cristãos europeus art. Waite foi um auto-descreveu "mística cristã", e este
baralho de tarô era para ser como Waite descreveu sua nova criação, "um
verdadeiro Tarot em um de seus aspectos" e não "oculto, mas a" mística.
Waite é frequentemente citado como o criador do Tarot Waite-Smith, mas ele
não era um artista, e ele encomendou Smith para desenhar o deck, porque ela
era uma artista talentosa e intuitiva. É mais correto ao crédito Smith como o
designer. Smith completou a arte para o deck, entre abril e outubro de 1909,
um período de seis meses. É duvidoso que Waite teria sido pendurado no
estúdio Smith todo esse tempo orientando cada movimento seu. No entanto,
este é um período curto de tempo para que um artista completo fotos e oitenta
(o número alegado por Smith em uma carta a seu negociante de arte Stieglitz
em 1909). As ilustrações foram provavelmente feitos no estilo típico de Smith
em caneta e tinta e colorido com a cor da água. Não há nenhuma maneira de
editar o trabalho, excepto para refazer uma ilustração e considerando o curto
período de tempo permitido para o projeto é improvável que Waite poderia ter
pedido isso muitas vezes. É mais provável que Waite descritos os desenhos
que ele desejava para cada um dos Arcanos Maiores completo com certos
símbolos que ele queria que eles contêm e, em seguida, recuou e deixou o
trabalho de Smith na sua forma habitual espontâneo e intuitivo. É provável
que, para o menor arcana Waite simplesmente forneceu uma lista dos
significados de cada cartão e deixar Smith criá-los. principais influências
Smith para seus projetos de tarô foram os trabalhos anteriores, o século 18
francês Tarot de Marselha, e no século 15 italiano Sola Busca Tarot.

Waite e Smith eram ambos membros da Ordem Hermética da Golden Dawn,


Smith se juntou em 1903 reunião Waite, nesse momento, em 1909 ela
começou a Tarot novo com Waite. Portanto, a questão torna-se então que a
Ordem Hermética da Golden Dawn saber o segredo sacramental por trás das
imagens de Waite e um cartão de Smiths "Tarot o Ás de Copas? Eu não acho
que isso pode ser provado de um jeito ou de outro. No entanto, a magia que
professavam o estudo e utilização, não parece ter qualquer relação com o
sacramento, ou os seus segredos. As principais influências sobre os conceitos
Golden Dawn e de trabalho incluem: a mística cristã, Kabbalah, Hermetismo,
a religião do Egito Antigo, Teurgia, maçonaria, alquimia, teosofia, Eliphas
Levi, Papus, Magia Enoquiana, e grimórios Renascença.

A Ordem Hermética da Golden Dawn era uma ordem mágica do final do


século 19 e início do século 20, praticou uma forma de teurgia e
desenvolvimento espiritual. Foi possivelmente o único grande influência sobre
o ocultismo ocidental do século XX. Conceitos de magia e ritual que se
tornaram elementos centrais de muitas outras tradições, incluindo a Wicca,
Thelema, e outras formas de espiritualidade mágica hoje popular, são
elaboradas a partir da tradição da Golden Dawn.

Os três fundadores, Dr. William Robert Woodman, William Wynn Westcott,


Mathers e Samuel Liddell MacGregor eram maçons e membros da Societas
Rosicruciana in Anglia (SRIA), um órgão acessório a Maçonaria. Westcott,
também membro da Sociedade Teosófica, parece ter sido a força motriz inicial
da criação da Golden Dawn. O Lodge original foi fundada em 1888, como o
Templo Isis-Urania, em Londres. AE Waite juntou a Ordem Hermética da
Golden Dawn, em janeiro de 1891, tornou-se maçom em 1901, e entrou a
Societas Rosicruciana in Anglia em 1902. A Golden Dawn foi dilacerado por
brigas internas até a partida de Waite em 1914, mais tarde, ele formou a
Sociedade Rosa-Cruz, não deve ser confundida com a Societas Rosicruciana.
Nessa época existiam cerca de meia dúzia de ramificações da Golden Dawn
original e, como um todo, nunca se recuperou. O início da até então, a guerra
mais brutal na história (1 ª Guerra Mundial - 1914-1917) ainda mais
enfraquecida do interesse pela magia e pelo ocultismo e, basicamente,
terminou a revivescência do ocultismo vitoriana.

Desde os primeiros fundadores da Ordem Hermética da Golden Dawn eram


todos maçons, a questão torna-se então, que os maçons conhecem o segredo
do Sacramento antigo? A Maçonaria usa muitos símbolos esotéricos para
representar a Maçonaria e as idéias, a maioria destes são baseados em
instrumentos históricos usado por pedreiros real, ou provenientes de lendas de
origem maçônica. No entanto, a maioria dos símbolos esotéricos cristãos
parecem faltar na lista de símbolos da Maçonaria. Havia também um consumo
de vinho no reputado lojas maçônicas de 50 ou 100 anos atrás, porém não
tenho indícios de que este vinho não é nada alcoólico do vinho, que hoje é
proibido de mais Lojas Maçônicas Americanas. Posso estar errado, mas de
meus muitos anos de estudo das sociedades secretas e maçonaria, eu teria de
concluir que a Maçonaria não possui o segredo do Sacramento Ambrosia. Para
"Vós os conhecereis pelos seus frutos" Mt. 07:16 e, enquanto a maçonaria
nasceu muitos frutos, não suportar os frutos que vêm somente do uso
inteligente do Sacramento, como o Graal, o Ambrosia ou o pão vivo.

A leitura de imagens Esotérica Cristã

O Tarot Rider-Waite-Smith contém efetivamente ocultismo oculto ou


esotérico "do conhecimento nas imagens, mas está em um contexto cristão
esotérico. O cristianismo tem dois lados, dois sistemas de crenças distintas
incorporada uma "religião" em essência, ele é esquizofrênico. Por um lado
existe a versão geralmente aceita de que o cristianismo promove um homem
milagroso nascer / Deus como o trabalho milagre, o rei de Israel e fundador da
religião cristã. Por outro lado, há os cristãos sacramental ou eucarística que
compreendem a história de Jesus como sendo sobre o Sacramento real, o
segredo final no coração do cristianismo. É esse lado do cristianismo, que
conhece os segredos do Sacramento e a partir deles, vem a história dos Santo
Graal e outros milagres que o sacramento produz. Este cisma na religião cristã
não é notado pela maioria dos seguidores do Homem versão Deus / que seja
impossível acreditar nas histórias contadas no texto (o lado de Deus) ou
desculpá-lo fora (do lado do homem). Em contraste, os cristãos sabiam
Sacramental os elementos da história que era impossível para um homem,
realmente descreveu o Sacramento / Deus. Claro que para o homem crentes /
Deus, o segredo dos segredos cristã é basicamente heresia em si mesma.
Então, nas sombras do "mainstream", a crença cristã, as vidas secretas,
gravadas em pedra nas paredes da Igreja antiga ou codificados em suas janelas
com vitrais, as imagens mostram o segredo para todos, mas somente aqueles
com olhos para ver, vai vê-lo . Que as antigas igrejas da Europa abundam nas
imagens codificadas do Segredo do Sacramento há evidência gráfica ampla.

Agora, quando a arte é codificado com um significado oculto, Art, que tem
sido copiado por gerações, isso não significa que os cortadores de pedra,
pintor, etc que realmente produziu a arte soube da mensagem secreta, nem
para que o assunto da "Igreja" mainstream que encomendou o trabalho.
Alguns destes motivos esotéricos arte cristã voltar muitos séculos, alguns são
até mesmo pré-cristã, que foram copiados e recopiados em Igrejas mais novas
para um longo tempo, e mesmo transplantados para as Américas, Austrália,
etc Cercado por artistas imaginário cristão, como Christian Smith e Waite
místico usado essas imagens esotéricas cristãs, como a imagem do Ás de
Copas. É claro que isso não significa que Waite e Smith compreendeu os
significados ocultos Sacramental da Ás de Copas imagem que pediram
inteiramente a partir da Igreja de trabalho etc pedra mais do que os cortadores
de pedra antiga que tinha copiado antes deles.
Na iconografia cristã, a pomba representa o Espírito Santo, quando a pomba é
representada descendente que está vindo para a terra, quando se levanta é
voltar para o céu. Na antiga mitologia grega pré-cristã, a Ambrósia foi trazida
para os deuses do Olimpo por pombas (Odyssey xii.62). A rodada de wafer
Eucaristia levada para a Terra do Céu pela pomba, é marcado com a cruz
equilátero, o símbolo da persa Magi da Grécia antiga para a China. A
Eucaristia é também chamado o "pão do Céu", o "pão de vida" e o "pão da
vida", entre outros nomes. Entenda que o "pão verdadeiro do céu" é realmente
"pão vivo" e é capaz de resurrecting de um estado de seca com a adição de
água em "três dias", ou menos.
Na arte cristã, o Cálice, como a bolacha Eucaristia é um símbolo da comunhão
entre Deus e o crente que envolve a "comer a carne e beber o sangue de
Jesus", que é lógico ou mesmo possível, se "Jesus" é o Sacramento
personificada . Agora, se a Amanita muscaria seca é usada em uma base
líquida no Sacramento, facilmente torna auto em casa em um barro, terra de
madeira ou chifre taça em três dias ou menos. Então adicione o pão seco
"viver do Céu" a um barro ou de madeira simples Cálice cheia de vinho
adoçado ou água e mel diluído em três dias ou menos, você acaba com um
copo de vida que pode fazer centenas de vezes seu volume em Ambrósia ao
longo do tempo. Assim, "a minha taça transborda" Sl 23:5, é representado
visualmente no Ás de Copas, cinco fontes pulando para cima e fora do cálice.
Neste quadro você pode ver uma impossibilidade diante de seus olhos, aqui
Mary apresenta um menino Jesus vivendo em um cálice! Esta pintura e muitas
outras como ela, apresentar muitas perguntas que o homem seguidores / Deus
não pode realmente explicar.

No entanto, para os cristãos que sabem que Sacramental " Pai Nosso que estás
no Céu" é realmente o céu e que "Maria, mãe de Deus" é, na realidade, a Terra
e que o grande "Jesus" é o sacramento, o cogumelo Amanita muscaria. Em
seguida, a imagem do bebê "Jesus" que vive em um Cálice, na realidade,
torna-se um símbolo codificado na verdade do Santo Graal e o segredo do
Sacramento que está no coração do cristianismo.