You are on page 1of 53

Treinamento Rota Final PRF

CLAITON NATAL
VOZES VERBAIS

Voz ativa

Voz passiva

Voz reflexiva
Observações:

1) Em regra, voz passiva ocorre com VTD.

2) Na voz passiva, há VTD; mas não, OD.

3) Existem dois tipos de voz passiva: Analítica e Sintética


Características da voz passiva analítica:

1) A voz passiva analítica é formada pelos verbos auxiliares ser ou estar +


particípio.

2) Geralmente, virá com agente da passiva expresso.


Características da voz passiva sintética:

1) Pronome apassivador “se”.

2) Geralmente, virá sem agente da passiva.


Especialistas integram as Câmaras Temáticas.

As Câmaras Temáticas são integradas por especialistas

Integram-se as Câmaras Temáticas.


Partícula Apassivadora (PA) Índice de indeterminação do sujeito (IIS)

VTD ou VTDI VTI, VI, VL, VTD + OD preposicionado


Voz passiva sintética Voz ativa

Há sujeito passivo; mas não, OD. Sujeito indeterminado

O verbo pode ser flexionado no plural O verbo deve ser empregado na 3ª pessoa do
singular
Há impessoalização da informação desde que Há impessoalização da informação.
não haja agente da passiva
Sujeito indeterminado: quando não é possível identificar o agente da ação
verbal.

Existem três formas de se indeterminar o sujeito.

a) - Verbo na terceira pessoa do plural, sem referência a qualquer agente já


expresso nas orações anteriores.

Exemplo:

Eu acho que foi uma armadilha que armaram para mim.


APROFUNDANDO
Com o verbo na terceira pessoa do plural, fazendo referência a um termo
antecedente, o sujeito classifica-se como determinado. Observe o item abaixo

Por um lado, tenta-se fazê-la entrar no cálculo geral das provas, como se fosse
apenas mais uma: não é a evidentia rei; tal como a mais forte das provas, não
pode por si só implicar a condenação e tem de ser acompanhada por indícios
anexos e presunções, pois já houve acusados que se declararam culpados de
crimes que não cometeram.
(CESPE/EMAP/2018)
O sujeito da forma verbal “cometeram” (linha 4) é indeterminado

b) Verbo na terceira pessoa do singular + a partícula “se” (índice de


indeterminação do sujeito).

Exemplo:

Assiste-se aos jogos do Palmeiras com grande tensão.


EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Classifique a palavra “se” nos enunciados a seguir.

1) Conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo.

2) Aos deputados distritais aplica-se o disposto no artigo 21.


3) Sabemos que em outros países se vive de maneira mais tranquila.

4) Louva-se ao deputados pela criação de mais de 2 mil leis.

5) Lula se dá o direito de decidir tudo.


6) O Distrito Federal reger-se-á por lei orgânica.

7) Os benefícios aplicam-se indistintamente a todas as pessoas.

8) O professor se queixou da falta de empenho dos alunos.


9) O aluno se tornou disciplinado.

10) O inquérito policial se caracteriza pela discricionariedade do delegado.

11) A circulação far-se-á pelo lado direito da via.


QUESTÕES DE PROVAS

O debate se enquadra em torno de três principais ideias: bem-estar; liberdade e


desenvolvimento; e promoção de formas democráticas de participação. Autores
importantes do campo da ciência política e da filosofia política e moral se
debruçaram intensamente em torno dessa questão ao longo do século XX, e
chegaram a conclusões diversas uns dos outros. Embora a perspectiva analítica
de cada um desses autores divirja entre si, eles estão preocupados em
desenvolver formas de promoção de 16 situações de justiça social e têm
hipóteses concretas para se chegar a esse estado de coisas.
1- (CESPE/STJ/Técnico/2018)
Nos trechos “se debruçaram” (linha 3) e “se chegar” (linha 6), a partícula “se”
recebe classificações distintas.
Eles se julgam com o direito de impor o seu amor ou o seu desejo a quem não os
quer
(...)
É de se supor que quem quer casar deseje que a sua futura mulher venha para o
tálamo conjugal com a máxima liberdade, com a melhor boa-vontade, sem
coação de espécie alguma, com ardor até, com ânsia e grandes desejos; como é
então que se castigam as moças que confessam não sentir mais pelos namorados
amor ou coisa equivalente?
2 - (CESPE/STM/Analista/2018)
O vocábulo se recebe a mesma classificação em “se julgam” e “se castigam”.
No ambiente virtual, combinações de usuário e senha funcionam para dar acesso
a emails, celulares, redes sociais e cadastros em lojas online. Lidamos com tantas
combinações desse tipo, que já se fala de uma nova categoria de estresse: a
“fadiga de senhas”.
3 – (CESPE/Câmara/Consultor 2014)
A forma verbal “Lidamos” (R.9) poderia ser corretamente substituída por Lida-se.
A impossibilidade de manter silêncio sobre um assunto é uma observação que
pode ser feita a respeito de muitos casos de patente injustiça que nos enfurecem
de um modo até difícil de ser capturado por nossa linguagem. Ainda assim,
qualquer estudo sobre a injustiça também demanda uma enunciação clara e uma
análise arrazoada. A necessidade de uma teoria da justiça está relacionada com
a disciplina de argumentar racionalmente sobre um assunto.
Afirma-se, às vezes, que a justiça não diz respeito à argumentação racional.
É fácil ficar tentado a pensar nessa linha
4 - (CESPE/MPU/Analista/2018)
Na forma “Afirma-se” (linha 10), o emprego do pronome “se” indica que não
existe um agente responsável pela ação de afirmar.
Aqui, ousadamente, varriam-se de um golpe o sentimentalismo, o moralismo
superficial, a fictícia unidade da pessoa humana, as frases piegas, o receio de
chocar preconceitos, a concepção do predomínio do amor sobre todas as outras
paixões; afirmava-se a possibilidade de construir um grande livro sem recorrer à
natureza, desdenhava-se a cor local, colocava-se um autor pela primeira vez
dentro das personagens
5 - (CESPE/IRBr/Diplomata/2017)
Os sujeitos das formas verbais “varriam-se” (linha 4) e “afirmava-se” (linha 8)
estão elípticos, e seu referente é a obra Memórias Póstumas de Brás Cubas.
A Constituição de 1988 contém uma norma que protege os animais,
independentemente de sua origem ou classificação. Porém, a proteção que lhes
é garantida baseia-se em um argumento puramente utilitarista: os animais são
protegidos com a finalidade de garantir um hábitat saudável às atuais e futuras
gerações humanas
6 - (CESPE/TRF/Analista/2017)
Sem prejuízo da correção gramatical e do sentido original do texto, o trecho “são
protegidos” poderia ser substituído por protegem-se.
O pensamento do filósofo grego Sócrates, no século V a. C., marcou uma
reviravolta na história humana. Até então, a filosofia procurava explicar o mundo
com base na observação das forças da natureza. A partir de Sócrates, o ser
humano voltou-se para si mesmo.
7 - (CESPE/TRF/Técnico/2017)
O pronome na forma verbal “voltou-se” (linha 3) denota reciprocidade, aspecto
enfatizado pela expressão “para si mesmo” (linha 3)
Podemos definir duas grandes atitudes de navegação opostas, cada navegação
real ilustrando geralmente uma mistura das duas. A primeira é a “caçada”.
Procuramos uma informação precisa, que desejamos obter o mais rapidamente
possível. A segunda é a “pilhagem”. Vagamente interessados por um assunto,
mas prontos a nos desviar a qualquer instante de acordo com o clima do
momento, sem saber exatamente o que procuramos, mas sempre acabando por
encontrar alguma coisa, derivamos de site em site, de link em link, recolhendo
aqui e ali coisas de nosso interesse. A “pilhagem” na Internet pode apenas ser
comparada com o vagar em uma biblioteca-discoteca.
8 - (CESPE/TELEBRAS/2013)
Sem prejuízo para a correção gramatical e a coerência do texto, as formas verbais
na primeira pessoa do plural podem ser todas substituídas por formas verbais na
terceira pessoa do singular acompanhadas da partícula se.
Ao combater a febre amarela, Oswaldo Cruz enfrentou vários problemas. Grande
parte dos médicos e da população acreditava que a doença se transmitia pelo
contato com roupas, suor, sangue e secreções de doentes.
9 - (CESPE/ANVISA/2016)
Na linha 2, o termo “se” é um pronome apassivador e, caso sua colocação fosse
alterada de proclítica — como está no texto — para enclítica — que a doença
transmitia-se —, essa alteração incorreria em erro gramatical.
A violência urbana é uma enfermidade contagiosa. Embora acometa indivíduos
vulneráveis em todas as classes sociais, é nos bairros pobres que ela se torna
epidêmica. Os índices de preponderância variam de cidade para cidade e de um
país para outro. Como regra, a epidemia começa nos grandes centros e se
dissemina pelo interior. A incidência nem sempre é crescente; a mudança de
fatores ambientais pode interferir em sua escalada. Sabe-se também que os
genes herdados exercem influência fundamental na estrutura e função dos
circuitos de neurônios envolvidos nos mecanismos bioquímicos da agressividade.
10 – (CESPE DPF Escrivão)
Em “Sabe-se” (linha 9), o pronome “se”, além de ser índice de indeterminação
do sujeito, é um recurso que contribui para impessoalizar a informação dada.
Assim, entende-se que os indivíduos são mais afetados por questões próximas à
sua realidade do que por questões gerais como a ideologia, estando as pessoas
com realidades semelhantes — o que é mais comum quando vivem próximas
geograficamente — predispostas, no cenário eleitoral, a votar também de modo
semelhante. Em suma, deve-se atentar para o fato de que a existência de
referências comuns entre os indivíduos pode interferir em sua ação política,
direcionando-a em um mesmo sentido.
11 - (CESPE/TRE/2016)
A partícula “se”, em “deve-se” (linha 4), classifica-se como pronome apassivador.
Entende-se que a integridade pública representa o estado ou condição de um
órgão ou entidade pública que está “completa, inteira, perfeita, sã”, no sentido
de uma atuação que seja imaculada ou sem desvios, conforme as normas e
valores públicos.
12 - (CESPE/TCE/Auditor/2016)
O sujeito da oração iniciada por “Entende-se” (linha 1) é indeterminado.
A inclusão ou a omissão de uma letra ou de uma vírgula no que sai impresso
pode decidir se o autor vai ser entendido ou não, admirado ou ridicularizado,
consagrado ou processado.
13 - (CESPE/STM/Analista/2018)
A palavra “se” (R.5) classifica-se como conjunção e introduz uma oração
completiva.
Seguiram-se outras instituições extrajudiciais com funções semelhantes em
setores localizados, como as juntas de trabalho marítimo e o Conselho Nacional
do Trabalho, ambos de 1933.
14 - (CESPE TRT – 2013)
Em “Seguiram-se”, o pronome “se” indica que o sujeito do período é
indeterminado.
Quando se fala em sistema público de comunicação, pensa-se justamente em um
conjunto de mídias públicas (nos diversos suportes, como rádio, televisão,
Internet etc.) que operam de modo integrado e sistêmico, tendo como horizonte
o interesse dos cidadãos.
15- (CESPE EBC)
1 - Tanto em “se fala” (L1) quanto em “pensa-se” (L 1) o “se” indica a
indeterminação do sujeito da oração.
É evidente que a interlocução comunicativa permite o entendimento,
proporciona o intercâmbio de ideias e nos faz refletir e argumentar com maior
propriedade em defesa de nossos direitos e deveres como cidadãos.
16 – (CESPE/SEDF/2017)
Na linha 3, o pronome “nos” exerce a função de complemento da forma verbal
“refletir”.
Estabelecer o momento da morte é situá-la no tempo e, para situar um acontecimento
no tempo, é preciso que se tenha um conceito claro do que seja tempo. Fugindo das
conceituações matemáticas ou filosóficas de tempo, pragmaticamente aceitamos a
conceituação popular de tempo, isto é, a grandeza que se mede em minutos, horas,
dias, meses ou anos.

17 - (CESPE/SDS/PE/2016)
No texto CG1A01AAA, a partícula “se”, em “a grandeza que se mede em minutos, horas,
dias, meses ou anos” (linhas 6 e 7), classifica-se como
A parte integrante de verbo.
B pronome reflexivo recíproco.
C pronome apassivador.
D palavra expletiva.
E índice de indeterminação do sujeito