You are on page 1of 4

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 30ª VARA

DO TRABALHO DE SLAVADOR/BA

Processo: 0000495-37.2013.5.05.0030

INSTITUTO DE BELEZA AQUARIUS LTDA – ME, já devidamente nos


autos do processo em que contende com MANOELA ALVES DOS
SANTOS, por seu procurador infra-firmado, vem respeitosamente
perante V.Exa., com fundamento no artigo 884, da CLT, §§ 1º e 3º,
interpor os presentes EMBARGOS À EXECUÇÃO pelos seguintes fatos
e motivos:

Da nulidade dos atos praticados por ausência de citação da


embargante para pagamento

Sobreleva ressaltar Excelência que a Embargante somente tomou


conhecimento desta Execução, nessa oportunidade, quando finalmente
teve as suas contas bloqueadas por intermédio do BACEN JUD.

Em verdade Douto Julgador, quando analisamos detidamente o caderno


processual, constatamos de forma inequívoca que através da seq. 92.1
restou determinado pelo Douto Juízo que fosse notificada a Reclamada
para efetuar o pagamento, contudo, tal providencia não foi adotada pela
secretaria da vara, culminando, posteriormente, na penhora injusta dos
ativos financeiros da Embargante, sem qualquer notificação prévia para
que viesse a realizar o pagamento.

Diante do quanto exposto, podemos indubitavelmente salientar que o


posicionamento adotado pelo M.M. Juízo em determinar a constrição
das contas da Embargante, sem que antes houvesse a sua notificação
para realização do pagamento espontâneo da sua obrigação, feriu de
morte o quanto disposto no art. 5º inc. LIV da CF que diz que:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção


de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros
e aos estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à
igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos
seguintes:

LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus


bens sem o devido processo legal;

É nesse contexto Excelência que se impõe a declaração da nulidade


dos atos processuais a partir do momento em que se iniciou a
execução, por falta de citação válida da Reclamada para que realize o
pagamento espontâneo dos valores exigidos por esta Casa
Especializada, requerendo ainda, por imperioso ser, o IMEDIATO
desbloqueio das contas da Reclamada e restituição IMEDIATA dos
valores bloqueados e eventualmente transferidos para esta Vara,
quando então, deverá iniciar um novo procedimento executório da
forma menos gravosa para o Executado, devendo a
Demandada/Embargante ser citada para realizar o pagamento dos
valores que compõe a execução, sob pena de não o fazendo, estarmos
em sentido contrário ao quanto determina a nossa Carta Maior.

Do Excesso de penhora

Na remota hipótese de não ser reconhecida a nulidade dos atos


processuais a partir da execução, sem citação da Reclamada para
pagamento, se faz necessário seja declarado o excesso de penhora
havido nos autos.

É que se observarmos, a sentença proferida às fls. 16/17 destes autos,


condenou a Reclamada ao pagamento da importância de R$ 15.000,00
(quinze mil reais) a serem revertidos em favor da união, por suposta
simulação.

Na ocasião, inconformada com o ocorrido, interpôs a Reclamada


Recurso ordinário com deposito recur5sal devidamente comprovado às
fls. 54 dos autos no valor de R$ 7.058,11 (sete mil e cinquenta e oito
reais e onze centavos), contudo, fora a Demandada surpreendida nessa
oportunidade com a construção on line da importância de R$ 12.844,58
(doze mil oitocentos e quarenta e quatro reais e cinquenta e oito
centavos).

Da simples somatória dos valores, contemplando até mesmo a


atualização do valor recursal depositado, facilmente se conclui pelo
excesso de valores contidos nos presentes autos e necessários à
garantia da execução, motivo pelo qual se faz necessário a liberação da
quantia excedente, de forma IMEDIATA, sob pena de prejudicar
severamente as atividades empresariais da Reclamada, haja vista que
trata-se de pequeno salão de beleza e que não dispõe de largos recursos
financeiros para assimilar tamanha privação financeira.

Diante do exposto, requer-se a Vossa Excelência o recebimento e


provimento dos presentes embargos a execução para que seja declarada
a nulidade do processo a partir do início da execução, em razão da
ausência de citação válida da Reclamada para realização de pagamento
espontâneo da Obrigação, com liberação dos valores penhorados
injustamente por esta Casa Especializada, quando então deverá ser
dado início à execução nos moldes previstos no atual código de ritos,
requerendo ainda, na remota hipótese de não ser declarada a nulidade
dos atos processuais, que seja conhecido o excesso de penhora havido
in casu, com liberação da quantia excedente em favor da Reclamada,
quando então estaremos diante da promoção inequívoca da Justiça.

Nestes termos pede e espera


Deferimento!

Salvador, 08 de Março de 2017-03-08

MARCUS TADEU GALVÃO MENDES

OAB/BA 26050