You are on page 1of 8

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE UM

PROJETO DE INVESTIMENTO
Rent-a-Bike

Miguel Carvalho
Carlos Miguel

Trabalho Elaborado para a Analíse e


Gestão de Projeto de Investimento

RESUMO: No Este trabalho consiste num projecto de viabilidade de abertura de uma


Rent-a-Bike

Campo de Milho, Novembro, 2018


RESUMO
Neste trabalho desenvolvemos um projeto de investimentos para verificar a viabilidade
da abertura de uma Rent-a-Bike em São Tomé. Como tal, vamos desenvolver a
demonstração de resultados com possíveis cenários uns mais positivos e outros mais
negativos, vamos também identificar o VAL, a TIR e o Payback .

Palavras chave: Demonstração de resultados; Cash Flow; VAL; TIR; Payback; ROI;
Taxa de desconto.

2
Índice

1. Introdução ................................................................................................. 4
2. Enquadramento do Projeto.........................................................................5
3. Revisão dos conceitos............................................................................... 6
4. Análise da viabilidade do projeto .............................................................. 7
5. Conclusão...................................................................................................8

3
1. Introdução

No âmbito da unidade curricular de Turismo sustentável propusemos analisarmos e


criar-mos um projeto de modo a aferirmos a viabilidade do mesmo. Assim, a nossa
proposta é a análise de viabilidade da possível Rent-a-Bike em São Tomé,
oportunidade de investimento que considerámos pertinente apesar da conjuntura
económica.
Nesse sentido, será apresentado um conjunto de quadros e mapas financeiros que
visam descrever e analisar o impacto do investimento e do seu financiamento, a que
acrescem os pressupostos considerados para a realização do projeto, assim como,
algumas informações julgadas pertinentes.

4
2. Enquadramento do Projeto
O projeto de investimento que iremos apresentar é a criação de uma Rent-a-Bike na
Cidade de São Tomé. Os serviços de aluguel de Bicicletas são,normalmente, negócios
que alugam bicicletas por curtos períodos de tempo (geralmente por algumas horas)
por uma taxa, a Rent-a-bike será vocacionada essencialmente para turistas.
Esta oportunidade de negócio vai de encontro a um nicho de mercado. Pois vai ao
encontro da necessidade de se realçar a nossa sustentabilidade, bem como a abertura
do primeiro setor de Aluguel de Bicicletas com passeios guiados. Muito embora
crescimento da economia nacional esteja estagnado o segmento que tem mantido
valores mais elevados é o segmento Turístico médio-alto essencialmente para
estadias de curta/média duração.
A rent-a-bike facultará bicicletas aos seus clientes e fará parcerias com algumas
empresas para providenciar serviços de publicidade. Relativamente às bicicletas
teremos na fase inicial apenas 1 tipologia: Bicicletas Urbanas.
Os artigos respeitantes às linhas de serviço não se irão diferenciar pela altura do ano
em que este é prestado: época alta ou época baixa.
O posicionamento da marca será de oferecer um serviço de qualidade, no centro de
São Tomé, estando no perto das atividades económicas mas também com a
possibilidade de fazer inúmeras atividades que só o centro de uma cidade cosmopolita
lhe pode oferecer.

Relativamente aos objetivos de médio-longo prazo para o projeto estabelecemos os


seguintes:
- Objetivo de rentabilidade do negócio e retorno do investimento
(ultrapassar o break-even point, obtenção de lucro) ROI >= 0
-Objetivo atingir uma média de 50% de ocupação de Bicicletas por semana
-Objetivo de satisfação das necessidades dos clientes
-Objetivo de criação de uma forte imagem da marca perante o mercado
relevante e distribuidores – bom posicionamento de mercado

5
3. Revisão dos conceitos
Ao efetuar um investimento procura-se com base na aplicação de um dado capital vir a
obter rendimentos a prazo. Antes da tomada de decisão da realização desse mesmo
investimento deve-se estruturá-lo, originando assim um projeto de investimento, que
por norma é apresentado a investidores, devendo efetuar a sua avaliação e análise de
modo a verificar se os custos são compensados por futuros benefícios. De salientar,
que para o financiamento dos projetos se recorre normalmente a dois tipos de meios
para o conseguir, o capital social (contribuições dos sócios) e/ou através de
empréstimos/financiamentos, neste caso iremos optar apenas pelas contribuições dos
sócios.
As técnicas de avaliação de projetos têm por base a análise de diversos fatores. Os
mais utilizados são o Cash Flow (CF), Payback, Valor Atual Líquido (VAL), Tax Interna
de Rentabilidade (TIR) e taxa de desconto. Perceber esses conceitos torna-se
fundamental para uma análise correta do projeto. O cash flow é a diferença entre o
montante disponível no início de um período e o montante no final desse mesmo
período. De uma forma simples, é o resultado da subtração dos recebimentos pelos
pagamentos. Por sua vez, o payback é basicamente o momento em que o Cash Flow
acumulado passa de negativo para positivo, ou seja, o período em que é recuperado o
investimento realizado. O VAL pode ser definido como a soma dos valores presentes
de todos os Cash Flow do projeto, incluindo o investimento inicial tendo em conta a
taxa de desconto da atividade da empresa. Deve aceitar-se se o VAL for maior do que
0 e deverá ser mais elevado para projetos de maior dimensão. A TIR, e é definida
como a taxa de desconto sempre que o VAL é igual a 0. Deve aceitar-se, se a TIR for
maior que a taxa esperada pelos investidores e deverá ser mais elevada para projetos
de menor dimensão. Quanto à taxa de desconto é o custo médio de capital ponderado,
sendo a taxa que se deverá pagar, em média, a todos os financiadores do seu ativo.
De forma prática pode considerar-se como o retorno mínimo que uma empresa deve
ganhar com base nos ativos existentes, de modo a satisfazer os seus credores,
proprietários, e outros fornecedores de capital (é o resultado da subtração do ativo
circulante pelo passivo circulante).
Na avaliação dos projetos são feitas análises de risco, de sensibilidade e de cenários.
Na análise de risco deve-se ter em conta o BETA, que mede o risco de um
investimento. O índice BETA é uma medida do risco a que um investidor, por exemplo,
está exposto ao investir num ativo particular em comparação com o mercado como um
todo. O BETA pode variar entre 0,5 e 1,5; sendo que 0,5 corresponde a um menor
risco e 1,5 a maior risco considerando-se assim 1 como o valor nulo. Outro ponto
essencialmente na análise de um projeto, são as análises de sensibilidade. Através de
pequenas variações dos pressupostos, quer a nível de um aumento dos custos ou
diminuição do volume de receitas, verificamos o impacto delas no valor das variáveis
atrás identificadas (cash-flow, VAL, TIR e ROI). Esta análise é fundamental para
argumentarmos favoravelmente os resultados do projeto.
Finalmente, é necessário realizar diversos cenários que representem a evolução futura
do projeto, de diferentes perspetivas, e através de cada cenário faz-se uma análise da
rentabilidade do investimento, conseguindo-se assim uma visão de como o projeto
pode evoluir.

6
4. Análise da viabilidade do projeto
4.1 Investimento
Relativamente ao investimento inicial estimamos um valor de 2000 Ndbs. Este
investimento o mobilizado.O mobilizado inclui toda a manutenção das bicicletas,e
materiais necessarios capacetes. Este valor irá ser financiado através de capital
próprio (CP). O CP será de 100% do investimento.

4.2 Viabilidade Económica o Projeto


A análise da viabilidade do projeto tem como pressuposto uma ocupação mínima de 5
bicicletas uma vez por semana.Ao nível de receitas temos um valor diferenciador por
número de pessoas e vamos pressupor que apenas aceitamos pronto pagamento.
Relativamente aos custos estes ainda não foram definidos(estima-se 5 € por passeio
guiado) , muito embora ainda não tenhamos iniciado a atividade.

7
5. Conclusão
Neste trabalho desenvolvemos um projeto para a abertura de uma Rent-a-bike
em São Tomé.
Sendo esta uma rent-a-bike e como todos desta tipologia, padece de poucos custos
com economias de escalas do mobilizado.
O projeto é pequeno e de baixos custos, porém é necessaria uma avaliação mais
coerente dos custos e se negociarmos melhor os custos e com uma diminuição de
10%, tanto o valor do VAL como da TIR aumentariam.