You are on page 1of 6

Pessoas generosas são mais felizes

(Atos 20:34, 35)


35
Em tudo eu lhes mostrei que, trabalhando arduamente assim, vocês devem ajudar os fracos e ter em mente as palavras
do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais felicidade em dar do que em receber. . .

*** cl cap. 30 p. 300 pars. 1-3 “Prossegui andando em amor” ***


Essas palavras de Jesus destacam uma verdade importante: o amor altruísta é recompensador em si mesmo. Embora
receber amor dê muita felicidade, há felicidade ainda maior em dar, ou demonstrar, amor a outros.
2 Ninguém sabe disso melhor do que nosso Pai celestial. Como vimos nos capítulos anteriores desta seção, Jeová é o
exemplo supremo de amor. Ninguém demonstrou amor de maneiras mais grandiosas ou por um período mais longo do que
ele. É de admirar, então, que ele seja chamado de “Deus feliz”? — 1 Timóteo 1:11.

*** w11 1/7 pp. 7-8 Uma vida significativa agora e para sempre ***
PRINCÍPIO BÍBLICO: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” — ATOS 20:35.
Muitos descobriram que fazer coisas por outros é extremamente gratificante e dá mais sentido à vida. Um exemplo disso
é quando dão de seu tempo e energia para ajudar outras pessoas numa hora difícil. Salomão escreveu: “Não negues o bem
àqueles a quem é devido, quando estiver no poder da tua mão fazê-lo.” — Provérbios 3:27.
Veja o caso de Ralph. Depois de se aposentar, ele começou a participar por tempo integral no serviço de evangelização
com sua esposa. Os dois dedicam certo número de horas todos os meses ensinando a Bíblia a outros. “Quando voltamos
para casa à noite, não estamos cansados só porque estamos ficando velhos, mas também porque demos tudo de nós no
serviço de nosso Pai celestial”, diz Ralph. “É um cansaço agradável!” Ele e sua esposa são felizes porque sua vida se
centraliza em ajudar outros.

*** bt cap. 21 p. 172 pars. 20-21 “Estou limpo do sangue de todos os homens” ***
apóstolo Paulo estava em nítido contraste com o daqueles que mais tarde se aproveitariam do rebanho. Ele trabalhava
para se sustentar a fim de não ser um fardo para a congregação. Seus esforços a favor dos irmãos não tinham por objetivo
obter riquezas. Paulo incentivou os anciãos efésios a demonstrarem um espírito abnegado. “Tendes de auxiliar os que são
fracos”, disse-lhes Paulo, “e tendes de ter em mente as palavras do Senhor Jesus, quando ele mesmo disse: ‘Há mais
felicidade em dar do que há em receber.’” — Atos 20:35.
21Assim como Paulo, os anciãos cristãos hoje são abnegados. Em contraste com os clérigos da cristandade, que tiram
proveito de seu rebanho, aqueles a quem se confia a responsabilidade de “pastorear a congregação de Deus” cumprem com
suas responsabilidades de modo altruísta. O orgulho e a ambição não têm lugar na congregação cristã, pois os que ‘buscam
a sua própria glória’ falharão a longo prazo. (Pro. 25:27) A presunção só leva à desonra. — Pro. 11:2.

1 - (1 Timóteo 1:11) 11 o qual está de acordo com as gloriosas boas novas do Deus feliz, que foram confiadas a mim.

*** w07 1/3 p. 17 Felizes de esperar por Jeová ***


Felizes enquanto esperamos
Podemos aprender de Jeová a atitude correta. Ele nunca deixou de ser o “Deus feliz”. (1 Timóteo 1:11) Ele fica feliz
enquanto espera, porque continua a trabalhar para cumprir seu propósito de elevar as pessoas que o amam à perfeição que
ele pretendia para os humanos quando os criou. (Romanos 5:12; 6:23) Ele vê os bons resultados de seu trabalho, ou seja,
milhões de pessoas foram atraídas à adoração verdadeira. Jesus disse: “Meu Pai tem estado trabalhando até agora e eu
estou trabalhando.” (João 5:17)

1 - (Tiago 1:17) 17 Toda boa dádiva e todo presente perfeito vem de cima, desce do Pai das luzes celestes, o qual não muda
como sombras inconstantes.

*** w97 15/11 p. 11 par. 14 Apesar de provações, apegue-se à sua fé! ***
Jeová é o “Pai das luzes celestiais” — do sol, da lua e das estrelas. Ele nos dá também luz espiritual e a verdade. (Salmo
43:3; Jeremias 31:35; 2 Coríntios 4:6) Dessemelhante do sol, que faz as sombras mudar conforme se locomove e atinge o
zênite apenas ao meio-dia, Deus está sempre no seu auge em prover o que é bom. Ele certamente nos equipará para
enfrentarmos provações, desde que aproveitemos plenamente suas provisões espirituais supridas por meio de sua Palavra
e do “escravo fiel e discreto”
*** w93 1/12 pp. 28-29 O dador de “toda boa dádiva” ***
Mesmo na questão de dar, Tiago notou como Deus é diferente dos humanos. Os humanos podem dar bons presentes,
mas nem sempre o fazem. Tais presentes talvez tenham motivação egoísta, ou talvez sejam usados para tentar a pessoa a
fazer algo de mau. Com Jeová não há variação; ele não muda. Assim, a natureza de suas dádivas não muda. São sempre
puras. Sempre promovem o bem-estar e a felicidade da humanidade. São sempre bondosas e úteis, nunca destrutivas.
1 - (Romanos 1:19, 20) 20 Pois as suas qualidades invisíveis — isto é, seu poder eterno e Divindade — são claramente
vistas desde a criação do mundo, porque são percebidas por meio das coisas feitas, de modo que eles não têm desculpa.

*** it-1 p. 727 Divino ***


Por exemplo, embora a criação não revele o nome de Deus, ela realmente fornece evidência do seu “sempiterno poder”
— necessário para criar e sustentar o universo. A criação física também demonstra sua “Divindade”, o fato de que o Criador
deveras é Deus e digno da nossa adoração.

*** w13 1/1 p. 13 ‘Embora morto, ele ainda fala’ ***


As obras criativas de Jeová. É verdade que Jeová tinha amaldiçoado o solo, fazendo com que produzisse espinhos e
abrolhos, que atrapalhavam a lavoura. Mesmo assim, a Terra continuava a produzir generosamente o alimento que
mantinha a família de Abel viva. Além disso, Jeová não tinha amaldiçoado os animais, incluindo aves e peixes; nem os
montes, lagos, rios e mares; nem os céus, nuvens, Sol, Lua e estrelas. Para onde quer que olhasse, Abel via evidências do
imenso amor, sabedoria e bondade de Jeová Deus, o Criador de tudo que existe. (Romanos 1:20) Refletir com apreço
nessas coisas fortaleceu sua fé.

*** w11 15/6 p. 9 pars. 13-14 Boas novas de que todos precisam ***
13 Na carta aos romanos, Paulo apresentou duas razões pelas quais esse tipo de formação não podia — e não pode —
ser usado como desculpa. A primeira é que a própria criação atesta a existência de um Criador. (Leia Romanos 1:19, 20.)
Isso condiz com uma observação de Paulo ao escrever, de Roma, aos hebreus: ‘Cada casa é construída por alguém, mas
quem construiu todas as coisas é Deus.’ (Heb. 3:4) Esse raciocínio aponta para o fato de que existe um Criador que
construiu, ou trouxe à existência, o inteiro Universo.
14 Portanto, Paulo estava bem fundamentado quando escreveu aos romanos que qualquer pessoa — incluindo os

israelitas do passado — que prestasse devoção a imagens sem vida ‘era inescusável’. Pode-se dizer o mesmo dos que
praticavam atos sexuais imorais contrários ao uso natural dos corpos masculino e feminino. (Rom. 1:22-27) Referindo-se a
esse raciocínio, Paulo concluiu corretamente que “tanto os judeus como os gregos estão todos debaixo de pecado”. — Rom.
3:9.

2 - (Gênesis 1:26, 27) . . .” 27 E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

*** hl seção 3 Quem pode nos dar orientação confiável? ***


O que significa termos sido criados ‘à imagem de Deus’? — Gênesis 1:26, 27.
Deus nos criou com certa medida de suas próprias qualidades, incluindo a capacidade de amar, de ser sábio, justo e
criativo. Ele também nos deu a liberdade de escolha. Quando escolhemos refletir suas qualidades, nós o deixamos feliz.
(Provérbios 23:15) Como qualquer pai ou mãe, Deus quer se comunicar com seus filhos e ter um relacionamento
significativo com eles.

2 - (Filipenses 2:2-4) . . .. 3 Não façam nada por rivalidade nem por presunção; mas, com humildade, considerem os outros
superiores a vocês, 4 buscando não somente os seus próprios interesses, mas também os interesses dos outros.

*** it-3 p. 429 Respeito ***


Uma vez que cada cristão conhece suas próprias fraquezas e falhas melhor do que seus concrentes, é somente direito
que coloque os outros à frente de si mesmo, honrando ou prezando-os altamente devido ao seu trabalho fiel. (Fil 2:1-4)

*** cf cap. 3 p. 33 par. 20 ‘Sou humilde de coração’ ***


A chave, portanto, está no modo como encaramos os outros em relação a nós mesmos. Precisamos vê-los como
superiores e mais importantes do que nós

*** w00 15/12 p. 21 par. 7 Esteja de pé, completo, com firme convicção ***
Se no passado percebíamos rapidamente os pontos fracos de outros, será que já progredimos, não mais esperando que
eles sejam quase ‘perfeitos’? (Tiago 3:2) Agora, mais do que nunca antes, conseguimos notar — ou mesmo procurar ver
— em que sentido outros são superiores? ‘Tenho de admitir que esta irmã é superior a mim em ser paciente.’ ‘Aquele mostra
ter uma fé mais otimista.’ ‘Francamente, ele é um instrutor melhor do que eu.’ ‘Ela controla melhor o seu temperamento.’ É
possível que alguns colossenses tivessem de melhorar neste respeito. Dá-se o mesmo conosco?

*** w95 15/11 p. 23 Extinguiria você uma mecha fumegante? ***


Paulo não disse que devemos achar que nós mesmos não valemos nada. No entanto, devemos reconhecer que cada
pessoa é superior a nós em algum aspecto. A palavra grega traduzida aqui ‘superior’ sugere que o homem “desvia os olhos
dos seus próprios privilégios e contempla detidamente os dotes de outro em que este é superior”. Se fizermos isso e
considerarmos os outros superiores a nós, então os trataremos de forma humilde.
2 - (Tiago 1:5) 5 Portanto, se falta sabedoria a algum de vocês, que ele persista em pedi-la a Deus — pois ele dá a todos
generosamente, sem censurar —, e ela lhe será dada.

*** w06 15/3 p. 25 par. 16 “Cada um levará sua própria carga” ***
Uma grande ajuda ao tomarmos decisões é a oração. Podemos nos dirigir a Jeová em oração com confiança e pedir a
sabedoria e Generosidade necessária para tomar as decisões certas. Ao falarmos com o Deus verdadeiro sobre nossas
preocupações e buscarmos sua orientação, o espírito santo poderá nos ajudar a ter um entendimento melhor dos textos
bíblicos que estamos analisando e nos fazer lembrar daqueles que talvez tenhamos despercebido

“Jeová ama dividir as coisas”


*** w95 15/12 p. 18 par. 8 Alegres “cumpridores da Palavra” ***
Devemos orar fervorosamente, com inabalável confiança em que Jeová ouve as nossas petições e as atenderá no seu
próprio tempo e modo certo

JEOVÁ FICA FELIZ QUANDO SOMOS GENEROSOS


4 - (Efésios 5:1) 5 Portanto, tornem-se imitadores de Deus, como filhos amados. . .

*** w15 15/5 p. 24 par. 1 Imite Aquele que promete vida eterna ***
JEOVÁ nos deu a capacidade de nos colocar no lugar de outros. Até certo ponto, conseguimos imaginar situações que
nunca vivemos

*** w15 15/5 p. 25 par. 5 Imite Aquele que promete vida eterna ***
Podemos imitar o amor (Generosidade) de Deus em nossos tratos com outros

*** w08 1/10 p. 15 “Tornai-vos imitadores de Deus” ***


Essas palavras expressam de maneira maravilhosa a confiança que Deus tem em seus adoradores. Como assim? Jeová
Deus criou o homem à Sua imagem, segundo a Sua semelhança. (Gênesis 1:26, 27) Isso quer dizer que Deus dotou os
humanos com qualidades que refletem as que ele mesmo possui. Dessa forma, quando a Bíblia incentiva os cristãos a ‘se
tornar imitadores de Deus’, é como se o próprio Jeová dissesse a eles: ‘Eu acredito em vocês. Sei que apesar de suas
imperfeições vocês conseguem ser como eu até certo ponto.’

*** w05 1/11 pp. 17-18 par. 10 Jeová é o nosso Pastor ***
Assim, Jeová sabe que, apesar da imperfeição, temos o potencial de cultivar as mesmas qualidades que ele demonstra
num grau elevado. Pense nisso: nosso amoroso Deus confia em que nós podemos ser como ele. Se seguirmos o seu
exemplo, ele nos guiará, por assim dizer, a agradáveis ‘lugares de descanso’. No meio de um mundo violento, ‘moraremos
em segurança’, desfrutando da paz que vem de saber que temos a aprovação de Deus. — Salmo 4:8; 29:11.

4 - (Salmo 104:24) 24 Quantas são as tuas obras, ó Jeová! Fizeste todas elas com sabedoria. A terra está cheia dos teus
trabalhos.

*** cl cap. 5 p. 55 par. 18 Poder criativo — “Aquele que fez o céu e a terra” ***
Um artista humano pode achar que às vezes esgota a sua criatividade. Em contraste, a criatividade de Jeová — seu
poder de inventar e criar coisas diversificadas — é obviamente inesgotável.

4 - (Salmo 139:13-16) 13 Pois tu produziste os meus rins; Mantiveste-me abrigado no ventre da minha mãe. 14 Eu te louvo
porque fui feito maravilhosamente, de um modo espantoso. Tuas obras são maravilhosas, Eu sei disso muito bem. 15 Meus
ossos não estavam escondidos de ti Quando fui formado em secreto, Quando fui tecido nas profundezas da terra. 16 Teus
olhos até mesmo me viram quando eu era um embrião; Todas as partes dele estavam escritas no teu livro Com respeito aos
dias em que foram formadas, Antes de existir qualquer uma delas.
*** cl cap. 17 p. 172 par. 9 ‘Ó profundidade da sabedoria de Deus!’ ***De fato, quanto mais aprendemos sobre o corpo
humano, mais nos maravilhamos da sabedoria de Jeová

*** w07 15/6 p. 21 pars. 3-4 Fomos ‘feitos maravilhosamente’ ***


Embora tenha vivido muito tempo antes da atual era científica, Davi se apercebia de que estava cercado de exemplos
maravilhosos da obra criativa de Deus.
Davi desenvolveu essa forte convicção por meio de meditação séria. Hoje, os currículos escolares e a mídia estão
repletos de teorias a respeito da origem do homem que minam a fé. Para termos fé como a de Davi, nós também
precisamos meditar com seriedade. Não podemos permitir que outros raciocinem por nós, em especial em assuntos tão
fundamentais como a existência e o papel de um Criador.
4 Além do mais, admirar as obras de Jeová aumenta nosso apreço por ele e nos dá confiança nas suas promessas para

o futuro. E isso talvez nos motive a conhecer ainda melhor a Jeová e a servi-lo. Portanto, vamos considerar como a ciência
moderna tem confirmado a conclusão de Davi de que fomos ‘feitos maravilhosamente’.

5 - (Mateus 20:27, 28) . . ., 28 assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida
como resgate em troca de muitos.”

*** jy cap. 98 p. 229 par. 5 Os apóstolos mais uma vez buscam ter destaque ***
Já faz três anos que Jesus tem servido aos outros. E ele fará isso a ponto de morrer pela humanidade. Os discípulos
precisam cultivar a mesma disposição de Cristo, isto é, querer servir a outros em vez de ser servido, e ser como alguém
menor em vez de ter destaque.

*** w02 15/8 p. 14 par. 17 “Estabeleci o modelo para vós” ***


Enquanto na Terra, Jesus não esperava ser servido.
Jesus satisfazia humildemente as necessidades dos que ele instruía, gastando-se sem hesitação a favor deles. Percorreu
a Terra Prometida a pé, viajando centenas de quilômetros, no empenho de pregar ao maior número de pessoas possível. Ao
contrário dos orgulhosos fariseus e escribas, continuou a ser humilde e acessível. Todo tipo de pessoas — dignitários,
soldados, advogados, mulheres, crianças, pobres, doentes e até mesmo os rejeitados pela sociedade humana — chegava-
se a ele animadamente e sem medo. Embora Jesus fosse perfeito, ele era humano, sujeito ao cansaço e à fome. No
entanto, mesmo quando estava cansado, ou precisava de descanso ou de um tempo para orar, ele colocava as
necessidades dos outros à frente das suas próprias. — Marcos 1:35-39.
19 Jesus também estava disposto a servir aos seus próprios discípulos. Fazia isso por instruí-los com bondade e
paciência. Quando demoravam a entender algumas lições vitais, ele não desistia, nem ficava irritado com eles ou os
repreendia. Procurava outros modos de fazê-los compreender o ponto em questão. Por exemplo, reflita em quantas vezes
os discípulos discutiram sobre qual deles era o mais importante. Vez após vez, até na noite antes de ser executado, Jesus
encontrou novas maneiras de instruí-los a serem humildes uns com os outros. Nessa questão da humildade, como em todos
os outros assuntos, Jesus podia dizer corretamente: “Estabeleci o modelo para vós.” — João 13:5-15; Mateus 20:25; Marcos
9:34-37.
Jesus foi na Terra o maior exemplo de generosidade por dar a sua vida a favor da humanidade.

5 - (Filipenses 2:5-7) 5 Mantenham a mesma atitude que Cristo Jesus teve: 6 embora ele existisse em forma de Deus, não
pensou numa usurpação, isto é, em ser igual a Deus. 7 Pelo contrário, ele abriu mão de tudo que tinha, assumiu a forma de
escravo e se tornou humano.

*** w14 15/10 p. 32 par. 17 ‘Mantenha a mente fixa nas coisas de cima’ ***
Ele era humilde. A humildade o motivava a ser abnegado no ministério. Pregar a outros sobre as boas novas do Reino de
Deus era a coisa mais importante em sua mente. (Mar. 1:38; 13:10) Além disso, Jesus encarava a Palavra de Deus como
autoridade máxima. (João 7:16; 8:28) Ele se dedicava ao estudo das Escrituras Sagradas, e com isso podia citá-las,
defendê-las e explicá-las. Por sermos humildes e zelosos no ministério e no estudo pessoal da Bíblia, nosso modo de
pensar será mais parecido ao de Cristo.

*** it-2 p. 549 Jesus Cristo ***


O Filho de Deus aceitou de bom grado esta tarefa. Isto é evidente em Filipenses 2:5-8; ele “se esvaziou” da sua glória
celestial e da sua natureza espiritual, e “assumiu a forma de escravo”, submetendo-se à transferência da sua vida para o
plano terrestre, material e humano. A tarefa que tinha diante de si representava uma tremenda responsabilidade; havia tanta
coisa envolvida. Por permanecer fiel, provaria mentirosa a alegação de Satanás, registrada no caso de Jó, de que os servos
de Deus o negariam quando sob privações, sofrimentos e provas. (Jó 1:6-12; 2:2-6)

*** cf cap. 3 pp. 29-30 par. 11 ‘Sou humilde de coração’ ***


Será que podemos imitar a humildade de Jesus por estar dispostos a aceitar designações de serviço que às vezes
parecem humildes? Por exemplo, nossa designação de pregar as boas novas do Reino de Deus pode parecer humilde
quando encontramos pessoas apáticas, hostis ou que nos ridicularizam. (Mateus 28:19, 20) Mas, se perseverarmos nessa
obra, poderemos ajudar a salvar vidas. De qualquer modo, aprenderemos muito sobre a humildade e seguiremos os passos
do nosso Mestre, Jesus Cristo.
5 - (1 Pedro 2:21) 21 De fato, para isso vocês foram chamados, porque o próprio Cristo sofreu por vocês, deixando um
modelo para seguirem fielmente os seus passos.

*** w15 15/2 pp. 5-6 par. 2 Imite a humildade e a ternura de Jesus ***
Jeová providenciou esse registro nas Escrituras Gregas Cristãs porque deseja que conheçamos bem seu Filho para que
possamos imitá-lo. (Leia 1 Pedro 2:21.) Na Bíblia, o exemplo deixado por Jesus é comparado a “passos”, ou pegadas.
É como se Jeová estivesse nos dizendo para andar atrás de Jesus e tentar pisar exatamente nas pegadas dele. É verdade
que Jesus deixou um exemplo perfeito, e nós estamos bem longe de ser perfeitos. Mas Jeová não espera que sigamos os
passos de Jesus com perfeição. O que ele espera é que imitemos seu Filho até onde nossa condição imperfeita permite.

*** w08 15/11 p. 21 Destaques das cartas de Tiago e de Pedro ***


2:21. Imitando nosso Exemplo, Jesus Cristo, devemos estar dispostos a sofrer até mesmo a morte para defender a
soberania de Jeová.

*** w08 1/12 p. 7 Jesus — o modelo perfeito a ser seguido ***


A vida exemplar de Jesus nos ensina que tipo de pessoas devemos ser.

*** w07 1/12 p. 29 par. 13 Você apóia a soberania de Jeová? ***


Note que nessa ocasião Pedro não mencionou o zelo de Jesus em pregar ou sua habilidade de ensinar, mas seu
sofrimento. Como testemunha ocular, Pedro sabia muito bem até que ponto Jesus estava disposto a sofrer para se sujeitar à
soberania de Jeová e provar que o Diabo é mentiroso, como de fato é. Então, de que maneiras podemos seguir os passos
de Jesus? Cada um de nós precisa se perguntar: ‘Até que ponto estou disposto a sofrer para apoiar e honrar a soberania de
Jeová? Será que mostro, pelo meu modo de viver e cumprir meu ministério, que apoiar a soberania de Jeová é a coisa mais
importante em minha vida?’ — Colossenses 3:17.

*** cf cap. 7 pp. 74-75 Considere de perto a perseverança de Jesus ***


‘Siga de perto os seus passos’
Pelo modo como lidou com as provações, Jesus deixou “um modelo”, um padrão a ser copiado. O registro de
perseverança que Jesus deixou pode ser comparado a “passos”, ou pegadas. Não podemos seguir esses passos de modo
perfeito, mas podemos segui-los “de perto”.
A palavra grega traduzida “modelo” significa literalmente “subscrito”. O apóstolo Pedro é o único escritor das Escrituras
Gregas Cristãs a usar essa palavra, que segundo certa fonte significa “‘um exemplo’ num caderno escolar, um modelo
perfeito de escrita para a criança copiar do modo mais exato que puder”.

*** w00 15/2 p. 11 par. 4 Chegamos a conhecer “a mente de Cristo” ***


4 Segundo, conhecermos a mente de Cristo nos ajuda a ‘seguir de perto os seus passos’. (1 Pedro 2:21) Seguir Jesus
não é meramente uma questão de repetir as suas palavras e copiar as suas ações. Visto que as palavras e as ações são
influenciadas por pensamentos e sentimentos, seguirmos a Cristo requer que cultivemos a mesma “atitude mental” dele.
(Filipenses 2:5) Em outras palavras, se realmente devemos agir como Cristo, temos de aprender primeiro a pensar e a sentir
como ele, quer dizer, fazer o melhor que pudermos como humanos imperfeitos. Portanto, com a ajuda dos escritores dos
Evangelhos, examinemos a mente de Cristo. Primeiro vamos considerar fatores que influenciaram o modo de Jesus pensar
e se sentir.

*** w99 15/9 p. 22 pars. 4-5 O que Jeová requer de nós hoje? ***
Por que devemos seguir de perto os passos de Jesus? Porque por imitá-lo também imitamos a Jeová Deus. Jesus
conhecia intimamente o Pai, tendo passado bilhões de anos com ele no céu antes de vir à Terra. (Provérbios 8:22-31; João
8:23; 17:5; Colossenses 1:15-17) Enquanto Jesus estava na Terra, ele representava lealmente o Pai. Explicou: “Assim como
o Pai me ensinou, estas coisas eu falo.” Deveras, Jesus imitou o Pai de forma tão exata, que podia dizer: “Quem me tem
visto, tem visto também o Pai.” — João 8:28; 14:9.

*** w96 15/2 p. 28 Olhe para mais além! ***


Jesus foi em todos os aspectos o exemplo perfeito de viver como cristão.
Além das tribulações dos outros, Jesus via também as suas próprias. (Hebreus 5:7, 8) Mas tendo visão espiritual perfeita,
ele olhava para além delas, para ver a recompensa, de ser elevado para a vida imortal por seu proceder íntegro. Depois,
como Rei messiânico, ele teria o privilégio de elevar a humanidade afligida da sua condição degradante para a perfeição que
Jeová tencionava originalmente. Manter os olhos fixos nessas invisíveis perspectivas futuras ajudou-o a manter a alegria no
serviço divino, apesar das tribulações que via dia após dia. Paulo escreveu mais tarde: “Pela alegria que se lhe apresentou,
ele aturou uma estaca de tortura, desprezando a vergonha, e se tem assentado à direita do trono de Deus.” — Hebreus
12:2.Jesus nunca permitiu que dificuldades e situações provadoras o fizessem desesperar, desviar-se ou vacilar na fé. Nós,
como seus discípulos, temos de seguir de perto seu excelente exemplo. — Mateus 16:24.
6 - (Lucas 10:29-37) 29 Mas, querendo se mostrar justo, o homem perguntou a Jesus: “Quem é realmente o meu próximo?”
30
Em resposta, Jesus disse: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes, que lhe
arrancaram tudo, o espancaram e foram embora, deixando-o quase morto. 31 Por coincidência, um sacerdote descia por
aquela estrada, mas, quando o viu, passou pelo lado oposto. 32 Do mesmo modo, um levita, quando chegou ao lugar e o viu,
passou pelo lado oposto. 33 Mas certo samaritano, viajando pela estrada, o encontrou e, ao vê-lo, teve pena. 34 De modo que
se aproximou dele e enfaixou seus ferimentos, derramando neles azeite e vinho. Então o pôs no seu próprio animal, o levou
a uma hospedaria e cuidou dele. 35 No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse: ‘Cuide dele e, tudo o
que você gastar além disso, eu lhe pagarei quando voltar.’ 36 Qual desses três você acha que mostrou ser o próximo do
homem que caiu nas mãos de assaltantes?” 37 Ele respondeu: “Aquele que agiu misericordiosamente com ele.” Jesus lhe
disse então: “Vá e faça você o mesmo.”

*** w98 1/7 p. 30 Um samaritano mostra consideração com o próximo ***


O samaritano, ao contrário, vendo o viajante infeliz, “teve pena”. Jesus disse: “De modo que se aproximou dele e lhe atou
as feridas, derramando nelas azeite e vinho. Então o pôs no seu próprio animal e o trouxe a uma hospedaria, e tomou conta
dele.

*** w98 1/7 p. 30 Um samaritano mostra consideração com o próximo ***


Algumas hospedarias nos dias de Jesus, pelo visto, forneciam não só abrigo, mas também alimentação e outros serviços.
Jesus pode ter pensado neste tipo de acomodação, porque a palavra grega usada aqui é diferente daquela vertida
“alojamento” em Lucas 2:7.