You are on page 1of 1

Resumo III - Paradigmas e Trajetórias Tecnológicas

Neste texto, Renata La Rovere disserta sobre a evolução dos conceitos de paradigma e
trajetória econômica no âmbito da teoria schumpeteriana e neoschumpeteriana de
inovação. Na introdução, a autora já começa diferenciando o processo de inovação da
teoria econômica tradicional, onde tal evento era visto como exógeno ao sistema econômico
e discutia-se se ele ocorria ou no lado da oferta ou ao lado da demanda.

Neoschumpeterianos mudaram essa perspectiva dicotômica e externa ao sistema,


passando a adotar uma abordagem mais holística e encarando a adoção de inovação como
um processo do crescimento econômico, tanto interno quanto externo ao sistema
econômico.

Em seguida, Renata passa a dissertar sobre os conceitos de paradigma e de trajetória


tecnológica. O paradigma tecnológico é definido como um modelo ou um padrão de
soluções de um conjunto de problemas de ordem técnica, selecionado a partir de princípios
derivados do conhecimento científico e das práticas produtivas. As escolhas de quais
procedimentos devem ser adotados entre as diversas alternativas de desenvolvimento
tecnológico cria uma trajetória tecnológica. Enquanto o conceito de paradigma tecnológico
ajuda a entender a geração e a adoção de inovações, o conceito de trajetória tecnológica
está ligado à difusão de inovações.

O próximo conceito que Renata aborda é o de paradigma tecnoeconômico, uma abordagem


que leva em consideração aspectos institucionais, combinando inovações de produto, de
processo, técnicas, organizacionais e administrativas, abrindo um leque de oportunidades
de investimento e de lucro.

A autora traz linhas do tempo explicando os paradigmas tecnoeconômicos ao longo da


história e traça um paralelo com o atual paradigma das TICs (Tecnologias de Informação e
Comunicação) no contexto da globalização, explicando como até o papel do Estado muda
num novo paradigma tecnoeconômico.

Em seguida Renata fala sobre as fases de um paradigma tecnoeconômico, a saber:

- Difusão inicial:quando surgem as inovações radicais em produtos e processos;


- Crescimento rápido prematuro e tardio: quando as inovações se firmam e se
difundem;
- Maturidade: quando a inovação encontra-se consolidada.

Na última parte do texto, Renata explora ideias do paradigma tecnoeconômico atual,


falando sobre o impacto da comunicação na globalização, o uso de softwares para o
processamento de informações, as mudanças na produção devido a evolução tecnológica
frenética e o impacto desses processos principalmente em países em desenvolvimento.