You are on page 1of 1

 Geralmente não sentem excesso oleosidade

ALOPECIAS
 A queda pode ser normal ou aumentada
 Redução ou ausência de cabelos  Podem acontecer em níveis normais de DHT
- Quantitativa
ALOPECIA AREATA
- Qualitativa
 Áreas totalmente sem cabelos
CONGÊNITAS : Se manifestam desde o nascimento
 Doença crônica
ADQUIRIDAS: Desenvolvidas ao longo da vida por
 Acomete principalmente cabelos e barba
fatores diversos  Pele integra, sem lesões nem alterações de cor ou
espessura
LOCALIZADAS: Ficam restritas a algumas áreas
DIFUSAS: Se distribuem em todo couro cabeludo

CICATRICIAIS: Perda do folículo piloso ou de sua


função
NÃO CICATRICIAIS: Perda dos fios com preservação
do folículo piloso

ALOPECIA ANDROGENÉTICA MASCULINA:

PRESERVA OCCIPTAIS  Causa desconhecida: Teoria autoimune


 Fator gatilho: estresse
ENTRADA DE COROAS
Em placa única / Em placas múltiplas / Ofiásica

EFLÚVIO TELÓGENO

 Queda generalizada sem perda da espessura do fio


 Causada por estresse físico ou psíquico
 Perde-se de 20 a 50% dos fios
 Predominante no topo da cabeça (frontal,  Queda aumentada e perceptível dos cabelos
parietal, vértice e parte da temporal)  Os cabelos entram precocemente na fase telógena
 Miniaturização dos fios devido a um trauma
 Aumento da oleosidade  Pode estar associada a: DEFICIÊNCIA DE FERRO
 Não cicatricial
EFLÚVIO ANÁGENO
 Queda normal ou aumentada
 Tempo de fase quenógena aumentado  Causada por envenenamento ou quimioterapia
 Início 1 a 4 semanas da exposição ao agente
ALOPECIA ANDROGENÉTICA FEMININA  Queda dos fios que estão na fase anágena (90%)
 Ocorre pela interrupção do processo de mitose (divisão
celular)

ALOPECIA CICATRICIAL

 Destruição permanente do folículo piloso com


formação de fibrose residual
 Pode ser causada por: • Trauma • Queimaduras •
Não formam áreas Químicas capilares • Desordens congênitas •
totalmente calvas Inflamações • Infecções

TRICOTILOMANIA
Sem formação de entradas nem coroa É o ato compulsivo de extrair os cabelos ou pelos