You are on page 1of 17

Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO

Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

JUL 2003 NBR NM 43


Cimento portland - Determinação da
pasta de consistência normal
ABNT - Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13/28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (21) 3974-2300
Fax: (21) 2240-8249/2220-6436
Endereço eletrônico:
www.abnt.org.br Origem: NM 43:2002
ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados
NBR NM 43 - Portland cement - Determination of the normal consistency paste
Copyright © 2003, Descriptors: Consistency. Cement
ABNT–Associação Brasileira de Esta Norma cancela e substitui a NBR 11580:1991
Normas Técnicas
Printed in Brazil/ Válida a partir de 01.09.2003
Impresso no Brasil
Todos os direitos reservados Palavras-chave: Consistência. Cimento 8 páginas

Prefácio nacional

A ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo
conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalização Setorial
(ABNT/ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas
fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

O Projeto de Norma MERCOSUL, elaborado no âmbito do CSM-05 – Comitê Setorial MERCOSUL de Cimento e Concreto,
circulou para Consulta Pública entre os associados da ABNT e demais interessados, sob o número 05:01-NM 043.

A ABNT adotou como Norma Brasileira, por indicação do seu ABNT/CB-18 – Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e
Agregados, a norma MERCOSUL NM 43:2002.

Esta Norma cancela e substitui a NBR 11580:1991.


Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NORMA NM 43:2002
MERCOSUR Primera edición
2002-07-15

Cemento pórtland - Determinación de la pasta de


consistencia normal

Cimento portland - Determinação da pasta de


consistência normal

Esta Norma anula y reemplaza a la de mismo número del año 1995. /


Esta Norma anula e substitui a de mesmo número do ano 1995.

ASOCIACIÓN
MERCOSUR DE Número de referencia
NORMALIZACIÓN NM 43:2002
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002

Índice Sumário

1 Objeto 1 Objetivo

2 Definición 2 Definição

3 Reactivo 3 Reagente

4 Instrumental 4 Aparelhagem

5 Condiciones ambientales 5 Condições ambientais

6 Procedimiento 6 Procedimento

7 Resultados 7 Resultados

8 Repetibilidad y reproducibilidad 8 Repetitividade e reprodutibilidade


Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002

Prefacio Prefácio

La AMN - Asociación MERCOSUR de Normalización A AMN - Associação MERCOSUL de Normalização


- tiene por objeto promover y adoptar las acciones - tem por objetivo promover e adotar as ações para a
para la armonización y la elaboración de las Normas harmonização e a elaboração das Normas no âmbito
en el ámbito del Mercado Común del Sur - do Mercado Comum do Sul - MERCOSUL, e é
MERCOSUR, y está integrada por los Organismos integrada pelos Organismos Nacionais de
Nacionales de Normalización de los países Normalização dos países membros.
miembros.

La AMN desarrolla su actividad de normalización A AMN desenvolve sua atividade de normalização


por medio de los CSM - Comités Sectoriales por meio dos CSM - Comitês Setoriais MERCOSUL
MERCOSUR - creados para campos de acción - criados para campos de ação claramente definidos.
claramente definidos.

Los Proyectos de Norma MERCOSUR, elaborados Os Projetos de Norma MERCOSUL, elaborados


en el ámbito de los CSM, circulan para votación no âmbito dos CSM, circulam para votação nacional
nacional por intermedio de los Organismos por intermédio dos Organismos Nacionais de
Nacionales de Normalización de los países Normalização dos países membros.
miembros.

La homologación como Norma MERCOSUR por A homologação como Norma MERCOSUL por
parte de la Asociación MERCOSUR de parte da Associação MERCOSUL de Normalização
Normalización requiere la aprobación por consenso requer a aprovação por consenso de seus membros.
de sus miembros.

Esta Norma fue elaborada por el CSM 05 - Comité Esta Norma foi elaborada pelo CSM 05 - Comitê
Sectorial de Cemento y Hormigón. Setorial de Cimento e Concreto.

El texto-base del Anteproyecto de Revisión de la O texto-base do Anteprojeto de Revisão da NM 43:95


NM 43:95 fue elaborado por Brasil y tuvo como base foi elaborado pelo Brasil e teve como base a própria
la propia Norma MERCOSUR , siendo que para su Norma MERCOSUL, sendo que para sua preparação
preparación fueran consultadas las Normas: foram consultadas as Normas:

IRAM 1612:1961 Cemento pórtland – Método de IRAM 1612:1961 Cemento pórtland. Método de
determinación de la consistencia normal determinación de la consistencia normal

NBR 11580:1991 Cimento portland – Determinação NBR 11580:1991 Cimento Portland - Determinação
da água da pasta de consistência normal – Método da água da pasta de consistência normal - Método
de ensaio de ensaio

UNIT 513:1978 Cementos – Procedimientos para la UNIT 513:1978 Cementos - Procedimientos para la
obtención de pastas y morteros de consistencia obtención de pastas y morteros de consistencia
plástica plástica
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002

NP 49-11:1989 Cemento portland – Método de NP 49-11:1989 Cemento portland - Método de


determinación de la consistencia normal determinación de la consistencia normal

ASTM C 187:1998 Standard Test Method for Normal ASTM C 187:1998 Standard Test Method for Normal
Consistency of Hydraulic Cement Consistency of Hydraulic Cement

ISO 679:1989 Methods of testing cements - ISO 679:1989 Methods of testing cements -
Determination of strength Determination of strength

ISO 9597:1989 Cements - Test methods - ISO 9597:1989 Cements - Test methods -
Determination of setting time and soundness Determination of setting time and soundness

EN 196:1987 Methods of testing cements. Part 3 - EN 196 : 1987 Methods of testing cements. Part 3 -
Determination of setting time and soundness. Determination of setting time and soundness

Esta Norma consiste en la revisión de la NM 43:1995, Esta Norma consiste na revisão da NM 43:1995,
habiendose realizado alteraciones de forma y de tendo sido feitas alterações de forma e de fundo
fondo para su publicación como NM 43:2002. para sua publicação como NM 43:2002.
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002

Cemento pórtland – Determinación de la pasta de consistencia normal

Cimento portland - Determinação da pasta de consistência normal

1 Objeto 1 Objetivo

Esta Norma MERCOSUR establece el método de Esta Norma MERCOSUL estabelece o método de
determinación de la consistencia normal de la pasta determinação da consistência normal da pasta de
de cemento pórtland. cimento portland.

2 Definición 2 Definição

2.1 pasta de consistencia normal: Es la pasta 2.1 pasta de consistência normal: É a pasta na
en la cual la sonda de Tetmajer penetra una distancia qual a sonda de Tetmajer penetra uma distância
de (6 ± 1) mm de la placa base, en las condiciones de (6 ± 1) mm da placa base, nas condições
establecidas en la presente Norma. estabelecidas na presente Norma.

3 Reactivo 3 Reagente

Agua destilada. Água destilada.

4 Instrumental 4 Aparelhagem

4.1 Balanza 4.1 Balança

Que permita apreciar 0,1 g y que posea una Com resolução de 0,1 g e capacidade de 1 000 g.
capacidad de 1 000 g.

4.2 Mezcladora 4.2 Misturador

4.2.1 La mezcladora consta esencialmente de: 4.2.1 O misturador consta essencialmente de:

a) un recipiente de acero inoxidable de una a) uma cuba de aço inoxidável com capacidade
capacidad aproximada de 5 dm3, con la forma y aproximada de 5 dm3, tendo forma e dimensões
dimensiones de la figura 1 y equipado de forma de acordo com a figura 1 e sendo equipada de
que pueda ser fijado firmemente al bastidor de la forma que possa ser fixada firmemente ao
mezcladora durante el mezclado. La altura del misturador durante a operação de mistura. A
recipiente con relación a la paleta y por altura da cuba com relação à pá e, por
consiguiente, la separación entre paleta y conseguinte, a separação entre pá e cuba, deve
recipiente, debe ser ajustada y mantenida con la ser ajustada e mantida com a tolerância
tolerancia establecida en 4.2.2; estabelecida em 4.2.2;

b) una paleta de acero inoxidable, de la forma y b) uma pá de aço inoxidável, tendo forma e
medidas presentadas en la Figura 1, accionada medidas apresentadas na Figura 1, acionada
por un motor eléctrico de velocidad regulable, por um motor elétrico de velocidade regulável,
con movimientos de rotación sobre su propio com movimentos de rotação sobre seu próprio
eje, y con un movimiento planetario alrededor eixo e com um movimento planetário ao redor do
del eje del recipiente. Los dos sentidos de eixo da cuba. Os dois sentidos de rotação devem
rotación son opuestos, y la relación entre las ser opostos e a relação entre as duas velocidades
dos velocidades no debe ser un número entero. não deve ser um número inteiro.

4.2.2 La holgura indicada en la Figura 1 (3,0 ± 0,5) 4.2.2 A folga indicada na Figura 1 (3,0 ± 0,5) mm,
mm para paletas nuevas, que puede llegar hasta para pás novas, que pode chegar a 4,0 mm, com o
4,0 mm, con el desgaste natural de uso, se refiere a desgaste natural de uso, se refere à situação em
la situación cuando la paleta, en el recipiente vacío, que a pá, na cuba vazia, é levada o mais próximo
se lleva tan próxima a la pared como sea posible. possível da parede da mesma. Como a medida

1
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
Como la medida directa es difícil, deben ser direta é difícil, devem ser utilizados os calibradores
empleados los medidores sencillos de tolerancias “passa” ou “não passa”.
(“galgas de espesor”).

NOTA - Se recomienda comprobar periódicamente el límite NOTA - Recomenda-se verificar o limite da tolerância da
de la tolerancia de la holgura entre la paleta y el recipiente. folga entre pá e cuba periodicamente.

4.2.3 La mezcladora debe trabajar a las velocidades 4.2.3 O misturador deve trabalhar nas velocidades
indicadas en la Tabla 1. indicadas na Tabela 1.

Tabla 1 - Velocidades de la paleta de la mezcladora /


Velocidades da pá do misturador
Velocidad / Rotación / Movimiento planetario /
Velocidade Rotação Movimento planetário
-1 -1
min min
Lenta 140 ± 5 62 ± 5
Rápida 285 ± 10 125 ± 10

4.3 Espátulas 4.3 Espátulas

4.3.1 Espátula de caucho 4.3.1 Espátula de borracha

Consiste en una lámina de caucho semirrígida, Consiste em uma lâmina de borracha semi-rígida,
unida a un cabo. unida a um cabo.

4.3.2 Espátula metálica 4.3.2 Espátula metálica

De dimensiones adecuadas para el llenado del Com dimensões adequadas para enchimento do
molde con la pasta de cemento, confeccionada de molde com a pasta de cimento, confeccionada de
material inoxidable. material inoxidável.

4.4 Regla metálica 4.4 Régua metálica

Con un largo mayor que el diámetro del molde y Com comprimento superior ao diâmetro do molde,
confeccionada de material inoxidable. confeccionada de material inoxidável.

4.5 Molde (G) (figuras 2a y 2b) 4.5 Molde (G) (figuras 2a e 2b)

4.5.1 Destinado a contener la pasta. Debe tener 4.5.1 Destinado a conter a pasta. Deve ter forma
forma troncocónica y ser de un material no tronco-cônica e ser de material não absorvente e
absorbente y resistente al ataque de la pasta de resistente ao ataque da pasta de cimento.
cemento.

4.5.2 Debe tener las medidas siguientes: 4.5.2 Deve ter as seguintes dimensões:

a) diámetro interno: a) diâmetro interno:

· base mayor (80 ± 5) mm; · base maior: (80 ± 5) mm;

· base menor (70 ± 5) mm; · base menor: (70 ± 5) mm;

b) altura: (40,0 ± 0,2) mm. b) altura: (40,0 ± 0,2) mm.

NOTA - Se pueden utilizar moldes de metal, material plástico NOTA - Podem ser utilizados moldes de metal, matéria
u otro material, o bien de forma cilíndrica, siempre que plástica ou outro material, ou mesmo de forma cilíndrica,
tengan la altura especificada y siempre que se pueda desde que tenham a altura especificada e se possa
comprobar que proporcionan los mismos resultados de provar que proporcionam os mesmos resultados de ensaio
ensayo que el molde troncocónico especificado. que o molde tronco-cônico especificado.

2
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
4.5.3 Debe tener como base (H) una placa rígida, 4.5.3 Deve ter como base (H) uma placa rígida,
plana, no absorbente, de espesor uniforme y de plana, não absorvente, de espessura uniforme e de
medidas tales que permitan el apoyo de toda la dimensões tais que permitam o apoio de toda a
base del molde. base do molde.

4.6 Aparato de Vicat (Figuras 2a y 2b) 4.6 Aparelho de Vicat (Figuras 2a e 2b)

4.6.1 Consiste en un soporte (A) que lleva un vástago 4.6.1 Consiste em um suporte (A) que contém uma
móvil (B) de metal inoxidable, en uno de cuyos haste móvel (B) de metal inoxidável, em um de
extremos se encuentra la sonda de Tetmajer (C) y cujos extremos se encontra a sonda de Tetmajer
en el otro lleva una aguja desmontable (D). El (C), tendo em seu outro extremo uma agulha
vástago es deslizable, pudiéndose fijar en cualquier desmontável (D). A haste deve ser deslizante,
posición por medio del tornillo (E) que lleva un podendo ser fixada em qualquer posição por meio
indicador (I), el cual se mueve sobre una escala de um parafuso (E) que suporta um ponteiro
graduada en milímetros (F), solidaria con el soporte indicador (I), que se move sobre uma escala
(A). El aparato de Vicat también puede estar graduada em milímetros (F), fixada no suporte (A).
construido con el vástago no reversible, pero en O aparelho de Vicat também pode ser construído
este caso debe tener un dispositivo de compensación com a haste não reversível, porém deve ter, neste
de peso que permita cambiar la sonda por la aguja. caso, um dispositivo de compensação de peso que
Las secciones terminales de la aguja y de la sonda permita trocar a sonda pela agulha. As seções
deben ser planas y perpendiculares al eje del terminais da agulha e da sonda devem ser planas e
vástago. perpendiculares ao eixo da haste.

4.6.2 Las partes componentes del aparato de Vicat 4.6.2 As partes componentes do aparelho de Vicat
deben tener las siguientes características: devem ter as seguintes características:

a) conjunto formado por: el vástago móvil, la a) conjunto formado por: haste móvel, agulha
aguja (para la determinación del tiempo de (para determinação do tempo de início de pega
fraguado inicial o final), el indicador y la sonda ou do tempo de fim de pega), ponteiro indicador
con masa total de (300 ± 1) g; e sonda, tendo massa total de (300 ± 1) g;

b) sonda de Tetmajer cilíndrica con base plana, b) sonda de Tetmajer cilíndrica com base plana,
confeccionada con metal inoxidable (Figura 2c), confeccionada com metal inoxidável (Figura 2c),
teniendo: tendo:

· diámetro de (10,00 ± 0,05) mm; · diâmetro de (10,00 ± 0,05) mm;


· largo efectivo de (50 ± 1) mm. · comprimento livre de (50 ± 1) mm.

c) aguja de Vicat, para la determinación del c) agulha de Vicat, para determinação do tempo
tiempo de fraguado inicial confeccionada con de início de pega, confeccionada com metal
metal inoxidable (Figura 2d), de: inoxidável (Figura 2d), com:

· diámetro de (1,13 ± 0,05) mm; · diâmetro de (1,13 ± 0,05) mm;


· largo efectivo de (50 ± 1) mm. · comprimento livre de (50 ± 1) mm.

d) aguja de Vicat, para la determinación del d) agulha de Vicat, para determinação do tempo
tiempo de fraguado final, confeccionada con metal de fim de pega, confeccionada com metal
inoxidable, con accesorio anular, (Figura 2e), inoxidável, com acessório anelar, (Figura 2e)
de: com:

· diámetro de (1,13 ± 0,05) mm; · diâmetro de (1,13 ± 0,05) mm;


· largo efectivo de (30 ± 1) mm. · comprimento de (30 ± 1) mm.

NOTA - Las agujas de Vicat, si bien son parte integrante NOTA - As agulhas de Vicat, partes integrantes do aparelho
del aparato de Vicat, sólo son empleadas en la de Vicat, apenas são empregadas na determinação dos
determinación de los tiempos de fraguado. tempos de pega.

4.7 Dispositivo para medir el tiempo 4.7 Cronômetro

Debe tener un mecanismo de arranque y de parada y Deve ter um mecanismo de arranque e de parada e
debe permitir lecturas con una aproximación de 1 s. permitir leituras com aproximação de 1 s.

3
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
5 Condiciones ambientales 5 Condições ambientais

El laboratorio debe ser mantenido a la temperatura O laboratório deve ser mantido à temperatura de
de (20 ± 2)°C y humedad relativa mayor que 50 %. (20 ± 2)°C e umidade relativa maior que 50 %.
Todos los materiales para ensayo y el agua de Todos os materiais para ensaio e a água de
mezclado deben estar a la misma temperatura del amassamento devem estar à mesma temperatura
laboratorio cuando son utilizados. do laboratório quando usados.

NOTA - Todas las temperaturas establecidas para la NOTA - Todas as temperaturas estabelecidas para a
ejecución de este ensayo pueden ser mantenidas en el realização deste ensaio podem ser mantidas no intervalo
intervalo de (23 ± 2)°C, (25 ± 2)°C o (27 ± 2)°C, en países de (23 ± 2)°C, (25 ± 2)°C ou (27 ± 2)°C, em países ou
o regiones de clima caliente, pero se las debe registrar en regiões de clima quente, porém devem ser registradas no
el informe del ensayo. relatório do ensaio.

6 Procedimiento 6 Procedimento

6.1 Preparación del aparato de Vicat 6.1 Preparação do aparelho de Vicat

Se ajusta el aparato de Vicat provisto de la sonda, Ajustar o aparelho de Vicat provido da sonda,
bajándola hasta que esté en contacto con la placa baixando-a até que esteja em contato com a placa
base que vaya a utilizarse y ajustando la puesta a de base que será utilizada e ajustar a marca zero
cero en la escala. Se levanta la sonda hasta la da escala. Levantar a sonda até a posição de
posición de espera. espera.

6.2 Preparación de la pasta 6.2 Preparação da pasta

6.2.1 Se pesan (500,0 ± 0,5) g de cemento (mc). 6.2.1 A massa de cimento (mc) a ser utilizada na
preparação da pasta deve ser de (500,0 ± 0,5) g.

6.2.2 La cantidad de agua (ma) se determina por 6.2.2 A massa de água (ma) deve ser determinada
tanteo, pesándose con una exactitud de 0,5 g. por tentativas e ser medida com exatidão de 0,5 g.

6.2.3 Con la mezcladora detenida y en posición de 6.2.3 Com o misturador parado, em posição de
marcha, se vierte el agua en el recipiente, se agrega iniciar o ensaio, verter a água na cuba, adicionar o
el cemento y se deja 30 s en reposo. cimento e deixar 30 s em repouso.

6.2.4 Se mezcla durante 30 s a velocidad lenta, se 6.2.4 Misturar durante 30 s em velocidade lenta,
detiene la mezcladora y toda la pasta adherida a la desligar o misturador e raspar as paredes da cuba
pared del recipiente se arrastra rápidamente hacia com a espátula de borracha, fazendo com que toda
el fondo con la espátula en 15 s. a pasta a elas aderida fique no fundo; realizar essa
operação em 15s.

6.2.5 Luego se mezcla durante 1 min a velocidad 6.2.5 Imediatamente misturar durante 1 min à
rápida. velocidade rápida.

6.3 Determinación de la consistencia 6.3 Determinação da consistência

6.3.1 Se coloca el molde con su base mayor apoyada 6.3.1 Colocar o molde com sua base maior apoiada
sobre la placa base y mediante el uso de la espátula sobre a placa base e, utilizando a espátula metálica,
metálica se llena rápidamente con la pasta preparada enchê-lo rapidamente com a pasta preparada
según 6.2. La operación de llenado se facilita segundo 6.2. A operação de enchimento do molde
sacudiendo el molde suavemente. Se quita el exceso pode ser facilitada sacudindo-o suavemente. Tirar o
de pasta mediante la regla metálica, colocándola excesso de pasta e rasar o molde com a régua
sobre el borde de la base menor del molde y se metálica, colocando-a sobre a borda da base menor
enrasa con movimiento de vaivén tratando de no e fazendo movimentos de vai-e-vém sem comprimir
comprimir la pasta. a pasta.

6.3.2 Se lleva el conjunto debajo del aparato de 6.3.2 Colocar o conjunto sob o aparelho de Vicat,
Vicat, se centra debajo del vástago (B), se hace centrar o molde sob a haste (B), descer a haste até
descender el mismo hasta que el extremo de la que o extremo da sonda (C) entre em contato com
sonda (C) tome contacto con la superficie de la a superfície da pasta e fixá-la nessa posição por

4
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
pasta y se fija en esta posición por medio del meio do parafuso (E). Após 45 s do término da
tornillo (E). A los 45 s de terminada la mezcla se mistura, soltar a haste, cuidando para que o aparelho
suelta el vástago, cuidando que el aparato no esté não esteja submetido a nenhuma vibração durante
sometido a ninguna vibración durante el ensayo. o ensaio.

6.3.3 La pasta se considera de consistencia normal 6.3.3 A pasta é considerada como tendo
cuando la sonda se sitúa a una distancia de (6 ± 1) consistência normal quando a sonda se situa a
mm de la placa base a los 30 s de haber sido uma distância de (6 ± 1) mm da placa base após
soltada. Mientras no se obtenga este resultado se 30 s do instante em que foi solta. Caso não se
preparan diversas pastas de ensayo variando la obtenha este resultado, devem ser preparadas
cantidad de agua y utilizando cemento nuevo cada diversas pastas de ensaio variando a quantidade de
vez. água e utilizando uma nova porção de cimento a
cada tentativa.

NOTAS NOTAS

1 No está permitido efectuar más de un sondeo en la 1 Não é permitido efetuar mais de uma sondagem na
misma pasta. mesma pasta.

2 Se pueden utilizar otros dispositivos para la realización 2 Podem ser utilizados outros dispositivos para a realização
del ensayo, siempre que se asegure que los resultados do ensaio, desde que se assegure que os resultados
obtenidos no presenten diferencia significativa en relación obtidos não apresentem diferença significativa em relação
al equipamiento y al procedimiento establecidos en este ao equipamento e ao procedimento estabelecidos neste
método de ensayo. método de ensaio.

7 Resultados 7 Resultados

7.1 Cálculo 7.1 Cálculo

Se calcula el porcentaje de agua (A) necesario para Calcular a porcentagem de água (A) necessária à
la obtención de la consistencia normal de la pasta obtenção da consistência normal da pasta de
de cemento, utilizando la fórmula: cimento, utilizando a fórmula:

ma
A = x100
mc
donde: onde:

ma es la masa de agua utilizada para la obtención ma é a massa de água utilizada para a obtenção da
de la consistencia normal de la pasta de cemento, consistência normal da pasta de cimento, em
en gramos; gramas;

mc es la masa de cemento utilizada en el ensayo, mc é a massa de cimento utilizada no ensaio, em


en gramos. gramas.

7.2 Expresión de los resultados 7.2 Expressão dos resultados

El agua necesaria para la obtención de la A água necessária à obtenção da consistência


consistencia normal de la pasta de cemento debe normal da pasta de cimento deve ser expressa em
ser expresada en porcentaje, redondeado al décimo porcentagem, arredondada ao décimo mais próximo.
más próximo.

8 Repetibilidad y reproducibilidad 8 Repetitividade e reprodutibilidade

8.1 Repetibilidad 8.1 Repetitividade

La diferencia entre dos resultados individuales A diferença entre dois resultados individuais obtidos
obtenidos a partir de una misma muestra sometida a partir de uma mesma amostra submetida a ensaio,
a ensayo, por un operador empleando un mismo por um operador empregando um mesmo
equipo, en un corto intervalo de tiempo, debe ser equipamento, em um curto intervalo de tempo, não
como máximo 0,6% en valor absoluto. deve ser maior que 0,6 % em valor absoluto.

5
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
8.2 Reproducibilidad 8.2 Reprodutibilidade

La diferencia entre dos resultados individuales e A diferença entre dois resultados individuais e
independientes obtenidos a partir de una misma independentes, obtidos a partir de uma mesma
muestra sometida a ensayo por dos operadores, en amostra, submetida a ensaio por dois operadores
laboratorios diferentes en un corto intervalo de em laboratórios diferentes em um curto intervalo de
tiempo, debe ser como máximo 1% en valor tempo não deve ser maior que 1 % em valor absoluto.
absoluto.
Medidas en milímetros/
Dimensões em milímetros
200
~ 30

~ 16

5±1

~ 180
~ 13
~ 130
~6

8±1

Figura 1 - Recipiente y paleta de la mezcladora /


Pá e cuba do misturador

NOTAS

1 Las secciones indicadas en la Figura 1 pueden ser circulares./ As seções indicadas na Figura 1 podem ser circulares.

2 Se aceptan pequeñas diferencias en las dimensiones o en la forma de la paleta con relación al que se establece en la
Figura 1, siempre que se respeten los requisitos de 4.2 y siempre que se pueda comprobar que no interfieren en los resultados
del ensayo./ Podem ser aceitas pequenas diferenças nas dimensões ou no formato da pá em relação ao que estabelece a
Figura 1, desde que observados os requisitos constantes de 4.2 e desde que se possa comprovar que não interferem nos
resultados do ensaio.

6
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
Medidas en milímetros/
Dimensões em milímetros

Figura 2a - Vista lateral del aparato de Vicat com la Figura 2b - Vista frontal del aparato de Vicat, con la
sonda de Tetmajer, para la determinacíón de la aguja de Vicat, para la determinación del tiempo de
consistencia normal de la pasta de cemento / Vista fraguado / Vista frontal do aparelho de Vicat,
lateral do aparelho de Vicat com a sonda de com a agulha de Vicat, para a determinação do
Tetmajer, para a determinação da consistência tempo de pega
normal da pasta de cimento

Medidas en milímetros/
Dimensões em milímetros
50 ± 1

Ø ~ 6,4

30 ± 1

Ø ~ 3,3
50 ± 1

0,50

Ø 5,0
Ø 1,13 ± 0,05
Ø 10,00 ± 0,05 Ø 1,13 ± 0,05

Figura 2c - Sonda de Tetmajer Figura 2d - Aguja para determinar Figura 2e - Aguja y accesorio para
para determinar la consistencia el tiempo de fraguado inicial / determinar el tiempo de fraguado
normal / Sonda de Tetmajer para Agulha para determinação do final (vease figura 3) / Agulha e
determinação da consistência tempo de pega inicial acessório para determinação do
normal tempo de fim de pega (ver figura 3)

Figura 2 – Aparato de Vicat / Aparelho de Vicat

7
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
Medidas en milímetros/
Dimensões em milímetros

Ø~3,3

0,50±0,02

~6,4
5,0±0,2

Orificio de
salida de aire/
Orifício de
1,13±0,05
saída de ar

Figura 3 - Tolerancias orientativas para la fabricación y la verificación del accesorio para la


determinación del fraguado final / Tolerâncias orientativas para fabricação e verificação do
acessório de determinação do fim de pega

8
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003
NM 43:2002

ICS 91.100.10
Descriptores: cemento pórtland, consistencia
Palavras chave: cimento portland, consistência
Número de Páginas: 08
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002

NM 43:2002
(Projeto de Norma MERCOSUL 05:01-0440 e posteriormente Norma MERCOSUL NM 43:1995)

Cemento pórtland - Determinación de la pasta de consistencia normal /


Cimento portland - Determinação da pasta de consistência normal

INFORME DAS ETAPAS DE ESTUDO

1 INTRODUÇÃO

Esta Norma MERCOSUL estabelece o método de determinação da consistência normal da pasta de cimento
portland.

Esta Norma MERCOSUL foi elaborada pelo CSM 05 - Cimento e Concreto, fazendo parte da primeira etapa de
harmonização de normas desse Comitê Setorial.

O texto-base do Anteprojeto de Norma MERCOSUL 05:01-0440 foi elaborado pela Argentina e do Anteprojeto
de Revisão das NM 43:1995 foi elaborado pelo Brasil.

2 COMITÊ ESPECIALIZADO

Esta Norma foi elaborada pelo SCSM 01 - Cimento e adições, do CSM 05 - Cimento e Concreto e a Secretaria
Técnica do CSM 05 foi exercida pela ABNT.

Os membros ativos que participaram da elaboração deste documento foram:

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas


INTN - Instituto Nacional de Tecnología y Normalización
IRAM - Instituto Argentino de Normalización
UNIT - Instituto Uruguaio de Normas Técnicas

3 ANTECEDENTES

International Organization for Standardization (ISO)

ISO 9597:1989 Cements - Test methods - Determination of setting time and soundness

ISO 679:1989 Methods of testing cements - Determination of strength

Comitê Europeu de Normalização (CEN)

EN 196:1987 Methods of testing cements. Part 3 - Determination of setting time and soundness
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
Associação Brasileira De Normas Técnicas (ABNT)

NBR 11580:1991 Cimento Portland - Determinação da água da pasta de consistência normal - Método de ensaio

Instituto Argentino de Normalización (IRAM)

IRAM 1612:1961 Cemento pórtland. Método de determinación de la consistencia normal

Instituto Nacional de Tecnología y Normalización (INTN)

NP 49-11:1989 Cemento portland - Método de determinación de la consistencia normal

Instituto Uruguaio de Normas Técnicas (UNIT)

UNIT 513:1978 Cementos - Procedimientos para la obtención de pastas y morteros de consistencia plástica

American Society for Testing and Materials

ASTM C 187:1998 Standard Test Method for Normal Consistency of Hydraulic Cement

4 CONSIDERAÇÕES

O texto-base do Anteprojeto de Norma MERCOSUL 05:01-0440 foi elaborado pela Argentina, tendo origem nas
Normas IRAM 1612/61, NBR 11580/91, UNIT 513/78, NP 49-11/89, ASTM C 187 - 86, ISO 679:1989,
ISO 9597:1989 e EN 196-3.

Foi enviado aos organismos de normalização dos países integrantes do MERCOSUL para apreciação em sua
primeira versão, a nível de Comissão de Estudos, no período de 17/06/94 a 31/08/94, recebendo sugestões do
Brasil e do Uruguai.

Após a necessária troca de correspondências a respeito das sugestões formuladas, o Anteprojeto foi enviado
para apreciação em segunda versão no período de 04/01/95 a 12/03/95, recebendo sugestões da Argentina e
do Brasil, que tendo sido aceitas, geraram sua terceira versão.

O Projeto de Norma 05:01-0440 (3a. versão do texto), já traduzido para o idioma português e devidamente
adequado ao padrão de apresentação de Normas MERCOSUL, foi submetido a votação no âmbito do CSM 05,
no período de 22/05/95 a 22/08/95. Prazo prorrogado por solicitação da ABNT até 15/10/95. Recebeu votos de
aprovação sem restrições do IRAM (Argentina) e da ABNT (Brasil), bem como voto de aprovação com sugestões
de forma do UNIT (Uruguai).O INTN (Paraguai) absteve-se de votar.

As sugestões recebidas na etapa de votação do Projeto foram enviadas aos organismos de normalização para
serem analisadas e, tendo sido integralmente aceitas, foram incorporadas ao texto, gerando sua quarta versão,
que foi enviada à AMN em 18/10/95 para editoração e aprovação final, sendo então registrado como NM 43:1995.

Após cinco anos de vigência da Norma, a Secretaria Técnica do Comitê Setorial 05, exercida pela ABNT,
elaborou um texto-base para revisão da NM 43:1995. Esse texto foi enviado aos Organismos Nacionais de
Normalização dos Países Membros do MERCOSUL, como proposta brasileira, para apreciação no âmbito da
Comissão de Estudos MERCOSUL.

Cumpre salientar que durante o processo de preparação da proposta brasileira, a Secretaria Técnica do Comitê
recebeu solicitação do UNIT (carta Arch. 084/99, de 16/03/99), solicitando a revisão dessa Norma.

Durante o período de apreciação da primeira versão, encerrado em 25/08/99, o Anteprojeto de Revisão da


NM 43:1995 recebeu sugestões do IRAM e da ABNT. Após a necessária troca de correspondências para os
esclarecimentos sobre as alterações propostas para o método de ensaio, o Anteprojeto foi enviado aos ONNs
em segunda versão, recebendo voto de aprovação com sugestões de forma do IRAM e votos de aprovação sem
restrições da ABNT e do UNIT para ser enviado para votação no âmbito do CSM 05.
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO
Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 21/07/2003

NM 43:2002
O Projeto de Revisão da NM 43:1995 foi enviado para votação no período 01/09/00 a 30/11/00, recebendo votos
de aprovação com sugestões de forma da ABNT (Brasil), do IRAM (Argentina) e do UNIT (Uruguai). O INTN
(Paraguai) abstive-se de votar.

As sugestões recebidas na etapa de votação do Projeto foram analisadas e enviadas para conhecimento dos
organismos de normalização dos quatro países, sendo aprovadas por consenso.

O Projeto foi finalmente enviado à AMN, conforme determina o Procedimento para Elaboração de Normas
MERCOSUL, para editoração, aprovação final e publicação como NM 43:2002 em junho/2002.

Related Interests