You are on page 1of 13

1

CONHECIMENTO MITOLÓGICO

DAIANE DA SILVA ANDRADE

ESTÉFANE DA SILVA CARDOSO

FABIANA GOMES DE ABREU BRANDÃO

GERLIANA ALMEIDA MELO MENDES DA SILVA

JHIENNEFFA OLIVEIRA VARGAS

KATIA DAYANA ALMEIDA ALVES NUNES

SIMONE DANIELE FERREIRA

MOZARLÂNDIA-GO
SETEMBRO/2018
2

DAIANE DA SILVA ANDRADE

ESTÉFANE DA SILVA CARDOSO

FABIANA GOMES DE ABREU BRANDÃO

GERLIANA ALMEIDA MELO MENDES DA SILVA

JHIENNEFFA OLIVEIRA VARGAS

KATIA DAYANA ALMEIDA ALVES NUNES

SIMONE DANIELE FERREIRA

CONHECIMENTO MITOLÓGICO

Trabalho acadêmico apresentado como


requisito parcial para obtenção de grau de
avaliação do curso Técnico em
Enfermagem da FAESPE, unidade de
Mozarlândia

Orientadora: Arilda Maria Keller Morloc

MOZARLÂNDIA-GO
SETEMBRO/2018
3

Dedica-se este trabalho aos nossos familiares, pelo apoio e


confiança que nos foram atribuídos, a instituição de ensino pela
oportunidade concedida e também a professora da disciplina
responsável pelo mesmo.
4

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO---------------------------------------------------------------------------------------- 05

CONHECIMENTO MITOLOGICO--------------------------------------------------------------- 06

CONCLUSÃO---------------------------------------------------------------------------------------- 12

REFERÊNCIA---------------------------------------------------------------------------------------- 13
5

INTRODUÇÃO

Este trabalho ressalta a fantástica forma de conhecimento através dos mitos.


Conhecimentos esses que existiram na sociedade humana primitiva e por quê não
dizer até os dias atuais.
O mito foi muito utilizado nas sociedades antigas, principalmente grego e
romano, isso porque busca retratar uma historia para dar sentido, ou seja ,dar um
fundo de verdade com um comprometimento ético e moral a determinado
acontecimento, representação de fatos, personagem reais, etc.
O conhecimento mítico é um jeito de explicar eventos por causas
sobrenaturais por esse motivo muito similar ao conhecimento religioso, porém de
uma forma mãos ampla; com exageros extremos podendo assim ser chamado de
uma narrativa. Contudo a credibilidade de uma narrativa mitológica salienta-se em
exemplos: Homero (escritor) com os livros de Ilídia e Odisseia
A esse mesmo respeito cita-se Hipócrates, pai da medicina daquela época
ao qual já se aplicava os cuidados de enfermagem aos doentes para seu
diagnostico, prognóstico e terapêutico.
É sem sombra de dúvida um tipo de conhecimento que busca o
entendimento da realidade, como dito anteriormente, com base no sobrenatural e na
tradição. Vale ressaltar que é uma narrativa simbólica, geralmente ligada a
cosmologia e relativa a deuses encarna dores ou das forças da natureza ou de
aspectos da condição humana.
6

TRANSCRIÇÃO DE CONHECIMENTO MITOLÓGICO


O conhecimento mitológico é aquele no qual é revelado algo sem
contestação. Isto porque trata-se de uma história construída para dar alguma forma
de razão aos acontecimentos históricos que se passam ou passaram, levando em
conta a limitação científica que possuíam.
Por isso, a existência de dezenas de deuses, a intervenção de semi-deuses
na Terra, atos 6 eroicos etc. Por isso, o conhecimento mitológico é uma narrativa,
como qualquer história.

CONHECIMENTO MITOLÓGICO
A credibilidade de uma narrativa mitológica se deve ao escritor. Homero é
um exemplo: com os livros Ilíada e Odisseia, o poeta relatou a Guerra de Tróia
(primeiro livro) e sobre a volta de Ulisses à sua terra natal, Ítaca (segundo livro do
poeta épico).

Conhecimento Mitológico: O conhecimento mítico é um jeito de explicar


eventos por causas sobrenaturais. Assemelha-se ao conhecimento religioso,
entretanto, possui uma área mais ampla para reconhecer os eventos. Muito do
7

conhecimento mítico, hoje em dia, é representado como meras histórias e a maioria


do que é lembrado são apenas os mitos gregos. Entretanto, tanto como parte grega,
romanas e nórdicas todas essas histórias/mitos são de importância igual.
Um bom exemplo de mito é A Criação do Cosmo, na qual três deuses
primordiais, Caos, Nix e Érebo, dominavam. Quando Gaia surge, Nix engravida de
Érebo e assim nasce Éter e Hemera. Gaia também engravida e gera Urano, na qual
tem filhos com a mesma. Urano odeia os filhos que tem e os deixa no útero da mãe,
até que Chronos, seu filho mais novo, mata o pai. Chronos gera filhos, mas tem
medo que seja derrotado, então os devora. Reia, esposa de Chronos, esconde
Zeus, e depois de tempos, Zeus mata seu pai e liberta os filhos da barriga do
mesmo.

CARACTERÍSTICAS DOS MITOS:


As pessoas se voltam aos heróis deuses das forças da natureza são
personificados e deificado, ou são fantásticas histórias imaginativas conhecimento
mítico é baseado em uma observação cuidadosa da natureza não são racionais
suas epxplicaciones há justificativa para o show autor do mito é sempre
desconhecido grupo ocorre em contraste com as teorias científicas ou filosóficas,
8

têm um caráter tradicional e acrítico mitos são anônimos:. Mileto ESCOLA um grupo
de três filósofos que cicieron nesta cidade fundada pelos gregos Ionian TAL formado
por Anaximandro e Anaxímenes são considerados como os primeiros filósofos foram
os primeiros não satisfeito com a mitológica e buscar explicações de causas naturais
do que a observada na natureza – imaginativa e fantástica. Mito baseado na
vicissitudes tradicionais de deuses e heróis caótica arbitrária e, portanto, não sujeito
a qualquer lei define os logotipos de som baseadas em causas naturais a partir da
experiência e da observação crítica, situando-se a ordem no mundo é governado por
leis fixas e estáveis como Qual é a filosofia: o resultado de uma atividade é
diferentes maneiras de desenvolver esta atividade especial é a busca do
conhecimento, mas há algo que parece caracterizar a atividade se filosofiaca.
Racional porque se baseia em argumentos lógicos e, em menor medida em
observações da filosofia da experiência não se limita a observar que as coisas são
de certa forma, se ele tenta descobrir por que eles são muito bem-sistemática, uma
vez que exige que todas as reivindicações estão relacionadas e hierárquica – crítica
não suportam nada sem antes acional examenr todo o conhecimento deve ser
revista a Filosofia ea Ciência: são conhecimento racional e sistemático que a
retransmissão encontrar verdades universais sobre o mundo que compartilham a
mesma deestudio. Da filosofia mais incisivas críticas escândalo que foram feitas. A
falta de acordo a filosofia parece não obter resultados positivos como lelga ciência
questões e problemas que surgem são abertos e nenhuma solução final “Seu
caráter residual

ENTENDENDO A MITOLOGIA GREGA


Os gregos criaram vários mitos para poder passar mensagens para as
pessoas e também com o objetivo de preservar a memória histórica de seu povo. Há
três mil anos, não havia explicações científicas para grande parte dos fenômenos da
natureza ou para os acontecimentos históricos. Portanto, para buscar um significado
para os fatos políticos, econômicos e sociais, os gregos criaram uma série de
histórias, de origem imaginativa, que eram transmitidas, principalmente, através da
literatura oral. Grande parte destas lendas e mitos chegou até os dias de hoje e são
importantes fontes de informações para entendermos a história da civilização da
9

Grécia Antiga. São histórias riquíssimas em dados psicológicos, econômicos,


materiais, artísticos, políticos e culturais.
Os gregos antigos enxergavam vida em quase tudo que os cercavam, e
buscavam explicações para tudo. A imaginação fértil deste povo criou personagens
e figuras mitológicas das mais diversas. Heróis, deuses, ninfas, titãs e centauros
habitavam o mundo material, influenciando em suas vidas. Bastava ler os sinais da
natureza, para conseguir atingir seus objetivos. A pitonisa, espécie de sacerdotisa,
era uma importante personagem neste contexto. Os gregos a consultavam em seus
oráculos para saber sobre as coisas que estavam acontecendo e também sobre o
futuro. Quase sempre, a pitonisa buscava explicações mitológicas para tais
acontecimentos. Agradar uma divindade era condição fundamental para atingir bons
resultados na vida material. Um trabalhador do comércio, por exemplo, deveria
deixar o deus Hermes sempre satisfeito, para conseguir bons resultados em seu
trabalho.

Os principais seres mitológicos da Grécia Antiga eram:

- Heróis: seres mortais, filhos de deuses com seres humanos. Exemplos: Herácles
ou Hércules e Aquiles.
- Ninfas: seres femininos que habitavam os campos e bosques, levando alegria e
felicidade.
- Sátiros: figura com corpo de homem, chifres e patas de bode.
- Centauros: corpo formado por uma metade de homem e outra de cavalo.
- Sereias: mulheres com metade do corpo de peixe, que atraíam os marinheiros com
seus cantos atraentes.
- Nereidas: mulheres jovens e belas (espécie de ninfas), que habitavam as
profundezas do Mar Egeu.
- Górgonas: mulheres, espécies de monstros, com cabelos de serpentes. Exemplo:
Medusa.
- Quimera: mistura de leão e cabra que soltava fogo pelas ventas.
Medusa: mulher com serpentes na cabeça

O Minotauro: É um dos mitos mais conhecidos e já foi tema de filmes,


desenhos animados, peças de teatro, jogos etc. Esse monstro tinha corpo de
10

homem e cabeça de touro. Forte e feroz, habitava um labirinto na ilha de Creta.


Alimentava-se de sete rapazes e sete moças gregas, que deveriam ser enviadas
pelo rei Egeu ao Rei Minos, que os enviavam ao labirinto. Muitos gregos tentaram
matar o minotauro, porém acabavam se perdendo no labirinto ou mortos pelo
monstro. Certo dia, o rei Egeu resolveu enviar para a ilha de Creta seu filho, Teseu,
que deveria matar o minotauro. Teseu recebeu da filha do rei de Creta, Ariadne, um
novelo de lã e uma espada. O herói entrou no labirinto, matou o Minotauro com um
golpe de espada e saiu usando o fio de lã que havia marcado todo o caminho
percorrido.
Deuses gregos : De acordo com os gregos, os deuses habitavam o topo do
Monte Olimpo, principal montanha da Grécia Antiga. Deste local, comandavam o
trabalho e as relações sociais e políticas dos seres humanos. Os deuses gregos
eram imortais, porém possuíam características de seres humanos. Ciúmes, inveja,
traição e violência também eram características encontradas no Olimpo. Muitas
vezes, apaixonavam-se por mortais e acabavam tendo filhos com estes. Desta união
entre deuses e mortais surgiam os heróis.

CONHEÇA OS PRINCIPAIS DEUSES GREGOS


Zeus – deus de todos os deuses, senhor do Céu.
Afrodite – deusa do amor, sexo e beleza.
Poseidon – deus dos mares.
Hades – deus das almas dos mortos, dos cemitérios e do subterrâneo.
Hera – deusa dos casamentos e da maternidade.
Apolo – deus da luz e das obras de artes.
Ártemis – deusa da caça e da vida selvagem.
Ares – divindade da guerra.
Atena – deusa da sabedoria e da serenidade. Protetora da cidade de Atenas.
Cronos – deus da agricultura que também simbolizava o tempo.
Hermes – mensageiro dos deuses, representava o comércio e as comunicações.
Hefesto – divindade do fogo e do trabalho.

Os gregos contavam uma historia, para explicar a existência do mal.


Acreditavam que tinha havido um tempo em que os males e os problemas do mundo
11

estavam trancados numa caixa. Mais esses males escaparam quando pandora, a
primeira mulher, abriu uma tampa de caixa. Narrativas como está constituem os
mitos e o estudo delas, a mitologia.
Toda sociedade primitiva produz seus próprios mitos, que desempenham
importante papel na sua vida religiosa.

HISTÓRIA DA ENFERMAGEM NA GRÉCIA

Apolo, deus do sol e da saúde na mitologia Grega, tem um filho chamado


Ascelépios que é médico e seus filhos, organizam os sacerdotes-médicos,
chamados Asclepiades. Higéia, Panacéia e Meditria eram as deusas da saúde; a
primeira como conservadora, a segunda como restauradora e a terceira como
preservadora. Os centauros eram os mestres das artes médicas.

ANTES DE HIPÓCRATES

DEPOIS HIPÓCRATES

O PAI DA MEDICINA

Hipócrates: considerado pai da medicina. Nasceu 460ª.C. e pertencia a


geração de Asclepiades. Explicava aos seus discípulos a observação cuidadosa dos
doentes para seu diagnóstico, prognóstico e terapêutico (separou a medicina de
Maria e religião). \u201ca saúde á o equilíbrio entre sangue, linfa, bile branca, negra.
O desequilíbrio entre os humores é a doença. A causa do desequilíbrio podia ser o
ar viciado, trabalho excessivo, as emoções e as bruscas alterações de tempera
Terapêutica: não contrariar a natureza, mas auxilia-la a reagir. Conservou o
uso de massagens, banhos, ginásticas. Determinou dietas em diferentes casos e
também usava sangrias, ventosas, vomitórios, clisteres e purgativos. A mandrágora
era o calmante e ainda descreveu 236 plantas medicinais. Como medicamentos
minerais descreveu o enxofre, alumínio, chumbo e arsênio.
Teoria Humoral de Hipócrates: O Símbolo da Enfermagem é representado
pela lâmpada à óleo (forma de uma lamparina grega) acesa, uma cobra e a cruz
12

vermelha, donde juntas representam a profissão do zelo, do cuidado e do respeito: a


Enfermagem.

CONCLUSÃO

Diante de todas as pesquisas realizadas para composição deste trabalho foi


visto que o conhecimento mitológico é algo que não se contesta. E uma justificativa
para o inexplicável. É uma busca incessante para compreender o que a ciência não
explica.
De modo que diante de tudo o que o que foi dito destaca-se como exemplo
personagens da sociedade grega pois exemplificam bem tudo o que foi apresentado.
Tendo em vista que o ocorrido se dá a milésimos de anos a.c.
Assim sendo, conclui-se que o conhecimento mítico busca o entendimento
com base no sobrenatural, uma forma de interpretação humana para descrever ou
explicar o inexplicável.
13

REFERÊNCIAS

Disponível em: https://prezi.com/oz_wx4gdnjs2/conhecimento-mitologico. Acesso


em: 22 de setembro de 2018
Disponível em: http://pt.wikiteka.com/documento/conhecimento-mitologico. Acesso
em: 22 de setembro de 2018
Disponível em: https://www.suapesquisa.com/mitologiagrega. Acesso em: : 22 de
setembro de 2018
Disponível em: https://www.infoescola.com/biogafias/hipocrates. Acesso em: 22 de
setembro de 2018