You are on page 1of 3

01/08/2018 Maik Elétrica Automotiva: Santana 1989 | Fuga de corrente

Fuga de corrente
   Num certo dia, geralmente quando você mais precisa do seu carro, você vai bater
arranque e percebe que o seu carro não funciona. O defeito pode ser alguma fuga
de corrente que esteja consumindo a bateria. Veja como foi resolvido o problema
desse Volkswagem Santana 1989. 
Como acontecia o defeito...
   O cliente começou a perceber o defeito quando estacionava o carro no seu
trabalho. Depois de ter trabalhado, ia pegar seu veículo para ir embora e a bateria
estava completamente descarregada. Então ele dava uma recarga na bateria e ia
para casa. Pela manhã acontecia o mesmo problema, a bateria estava sem carga de
novo... 
Como medir a fuga de corrente
  O motor deve estar desligado. Veja também se outros equipamentos estão
desligados (rádio, luzes internas....). Tire a chave da ignição e feche as portas do
veículo. 
   Os carros modernos possuem um sistema que se chama "Power Latch". Ele
mantém alimentado o sistema de injeção mesmo após ser desligado o motor. Isso
significa que ele mantém um certo valor de consumo. O tempo que ele fica
consumindo depende de cada carro, levando segundos até uma hora. Na dúvida,
deixe seu carro desligado por uma hora e depois faça o teste fuga de corrente.
Assim terá certeza de que não estará medindo erroneamente.
O multímetro...
   Essa será a principal ferramenta a ser utilizada, o multímetro na escala de
amperímetro. Nesse caso eu usei um multímetro bem básico um Minipa 1002. A
ideia do teste é abrir o circuito para que a correntedo carro passe
pelo multímetro. 
   Será necessário desconectar o terminal negativo. Procure manter as ponteiras já
conectadas ao cabo (-) e a outra ao borne da bateria (-).

http://maikeletrica.blogspot.com/2015/10/santana-1989-fuga-de-corrente.html 1/3
01/08/2018 Maik Elétrica Automotiva: Santana 1989 | Fuga de corrente

Os valores devem ser...   


   O valor medido de fuga de corrente não poderá exceder 0,05% da capacidade
(Ah) da bateria. Exemplo: você tem no seu carro uma bateria de capacidade 60 Ah.
A fuga admitida será de 40 mA ou 0,04 A. 
Veja na tabela abaixo a capacidade da bateria (Ah)  X fuga de corrente (A). 

Bateria 45 Ah--> máximo de fuga de corrente: 0,02 A ou 20 mA.


Bateria 50 a 70 Ah--> máximo de fuga de corrente: 0,04 A ou 40 mA.
Bateria 75 a 90 Ah--> máximo de fuga de corrente: 0,07 A ou 70 mA.

                                                                                                        Fonte: Bosch.com
Causador da fuga de corrente
   Digamos que você notou que o valor está bem acima do recomendado na tabela
acima. Deixe o multímetro conectado para medição de fuga de corrente e vá
desconectando alguns consumidores (rádio, modulo som, alarme...) e observe se ao
desligar um certo componente o valor de corrente normalize. Você pode seguir
esta ordem de importância dos componentes que podem estar "sugando"a
energia de sua bateria:

1. Lâmpadas internas (luz teto, porta luvas, porta malas)


http://maikeletrica.blogspot.com/2015/10/santana-1989-fuga-de-corrente.html 2/3
01/08/2018 Maik Elétrica Automotiva: Santana 1989 | Fuga de corrente

2. Acessórios não originais (rádio, módulo som, alarme, rastreador...)


3. Fusíveis (vá tirando cada fusível para ver se é algum sistema original)
4. Relés, botões diversos, alternador, arranque, módulos diversos (verifique
se estão quentes ou desconecte para ver se a corrente de fuga normaliza).     

   No caso do nosso Santana, foi preciso usar também um outro amperímetro mais
reforçado (Analisador Kita, modelo AN150). Pois a corrente de fuga era muito
elevada chegando a esquentar o outro multímetro. O defeito era o botão do vidro
elétrico do passageiro que trancava em uma posição gerando a fuga de corrente
elevada. A solução foi a troca do botão problemático.

http://maikeletrica.blogspot.com/2015/10/santana-1989-fuga-de-corrente.html 3/3