You are on page 1of 1

Portal do Governo Brasileiro (http://brasil.gov.

br)

ACESSIBILIDADE (/CELULARLEGAL/ACESSIBILIDADE)
ALTO CONTRASTE

CELULAR LEGAL
(http://www.anatel.gov.br/celularlegal/)
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

Português (/celularlegal/)

Buscar no portal 

Perguntas Frequentes (/celularlegal/?Itemid=523) Portal da Anatel (/institucional/) Contato (/institucional?


option=com_content&view=article&id=110&Itemid=132)

PÁGINA INICIAL (/CELULARLEGAL/) > A QUEM PROCURAR

 MENU

A quem procurar (/celularlegal/a-quem-procurar)


Publicado: Terça, 01 de Setembro de 2015, 14h14 | Última atualização em Terça, 18 de Outubro de 2016, 11h52

Se você consultou o IMEI do aparelho celular e foi informado da existência de alguma restrição, saiba abaixo o que fazer em cada situação.

 1) Se o IMEI informado está impedido por perda, roubo ou furto:

Nesse caso, o IMEI encontra-se registrado no Cadastro de Estações Móveis Impedidas – CEMI, a pedido do proprietário que teve seu aparelho
roubado, furtado ou extraviado.

O cadastro no CEMI contém aparelhos roubados, furtados ou extraviados no Brasil e em outros 44 (quarenta e quatro) países.

Quando o dono encontra o aparelho, é possível liberá-lo para uso novamente. Para tanto, é preciso procurar a sua empresa de telefonia para
saber como proceder.

 2) Se o IMEI informado apresenta irregularidade:

Nesse caso, o aparelho não possui certificação aceita pela Anatel.

Se você comprou um aparelho irregular, é importante saber que o Código de Defesa do Consumidor - CDC – Lei nº 8.078/1990 protege o
consumidor, mas para ter seus direitos garantidos e poder devolver o aparelho irregular, é recomendável ter a nota fiscal da compra e o termo
de garantia. Para evitar esta situação desagradável, recomenda-se, comprar produtos somente de lojas, fornecedores e fabricantes confiáveis,
que possam ser localizados em caso de problemas com o aparelho celular.

Nas compras fora do estabelecimento comercial (pela internet, por telefone), o consumidor tem um prazo de 7 dias, a contar de sua assinatura
ou do ato de recebimento do produto, para exercer seu direito de arrependimento e devolver o produto.

Em qualquer caso, porém a loja, ou fornecedor responde pela venda de produtos impróprios para o consumo, tais como produtos
deteriorados, alterados, adulterados, avariados, falsificados, corrompidos, fraudados, nocivos à vida ou à saúde, perigosos ou, ainda, aqueles
em desacordo com as normas regulamentares de fabricação, distribuição ou apresentação.

O prazo que o consumidor tem para reclamar no fornecedor é de 90 dias a contar da data da compra (para vícios aparentes) ou da data do
conhecimento do defeito (para vícios ocultos). 

Caso o seu aparelho tenha o selo da Anatel, mas a consulta retornou uma irregularidade, é aconselhável procurar a assistência técnica do
fabricante para análise de eventual adulteração no aparelho.

Importante: Em certos casos de adulteração de aparelho, o fabricante não poderá ser responsabilizado. São adulterações feitas
com permissão ou pelo dono do celular e que geram a perda de garantia. Nestes casos, se for possível reverter a adulteração, a
assistência técnica do fabricante poderá realizar este serviço.

registrado em: Orientações (/celularlegal/a-quem-procurar/135-orientacoes)