You are on page 1of 30

Como montar

uma banca de
revistas

EMPREENDEDORISMO

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br


Expediente

Presidente do Conselho Deliberativo

Robson Braga de Andrade – Presidente do CDN

Diretor-Presidente

Guilherme Afif Domingos

Diretora Técnica

Heloísa Regina Guimarães de Menezes

Diretor de Administração e Finanças

Vinícius Lages

Unidade de Capacitação Empresarial e Cultura Empreendedora

Mirela Malvestiti

Coordenação

Luciana Rodrigues Macedo

Autor

Roberto Chamoun

Projeto Gráfico

Staff Art Marketing e Comunicação Ltda.


www.staffart.com.br
TOKEN_HIDDEN_PAGE

Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

1. Apresentação ........................................................................................................................................ 1

2. Mercado ................................................................................................................................................ 2

3. Localização ........................................................................................................................................... 3

4. Exigências Legais e Específicas ........................................................................................................... 4

5. Estrutura ............................................................................................................................................... 4

6. Pessoal ................................................................................................................................................. 5

7. Equipamentos ....................................................................................................................................... 5

8. Matéria Prima/Mercadoria ..................................................................................................................... 6

9. Organização do Processo Produtivo .................................................................................................... 7

10. Automação .......................................................................................................................................... 8

11. Canais de Distribuição ........................................................................................................................ 9

12. Investimento ........................................................................................................................................ 10

13. Capital de Giro .................................................................................................................................... 10

14. Custos ................................................................................................................................................. 11

15. Diversificação/Agregação de Valor ..................................................................................................... 12

16. Divulgação .......................................................................................................................................... 13

17. Informações Fiscais e Tributárias ....................................................................................................... 14

18. Eventos ............................................................................................................................................... 16

19. Entidades em Geral ............................................................................................................................ 16

20. Normas Técnicas ................................................................................................................................ 17

21. Glossário ............................................................................................................................................. 22

22. Dicas de Negócio ................................................................................................................................ 22

23. Características .................................................................................................................................... 23

24. Bibliografia .......................................................................................................................................... 23

25. Fonte ................................................................................................................................................... 25

26. Planejamento Financeiro .................................................................................................................... 25


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

27. Soluções Sebrae ................................................................................................................................. 25

28. Sites Úteis ........................................................................................................................................... 26

29. URL ..................................................................................................................................................... 26


Apresentação / Apresentação
1. Apresentação
Geralmente instaladas em centros comerciais, as revistarias oferecerem, além de
periódicos, produtos diversificados e conveniências (conforto, segurança).

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não
fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o
empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O
objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um
negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de
negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as
informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

A banca de revista funciona como uma loja comum, cuja essência é voltada para levar
informação, cultura e entretenimento aos lugares mais remotos do país.

Embora trabalhe no mesmo nicho de uma banca de jornal, uma Revistaria vende
jornais e revistas, oferecendo esses produtos de forma prática, segura e próxima a
outras opções de consumo.

Geralmente instaladas em empreendimentos comerciais, terminais de passageiros ou


centros financeiros de grande circulação, elas atraem freqüentadores e clientes que,
em busca de notícias, entretenimento ou informação, preferem adquirir jornais e
revistas usufruindo de maior espaço físico e conveniências (estacionamento,
banheiros, segurança, conforto, facilidades etc.) não disponíveis em bancas instaladas
em vias públicas ou calçadas ou mesmo em outros estabelecimentos.

As Revistarias não necessitam de Termo de Permissão de Uso para Bancas de Jornal


(instaladas em calçadas em vias públicas) que, na maioria das cidades do País, é
emitido pela prefeitura local e que dependem, muitas vezes, de licitação e sorteio
público.

Este documento não substitui o Plano de Negócio. Para elaboração do plano consulte
o SEBRAE mais próximo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 1


Apresentação / Apresentação / Mercado
2. Mercado
Conforme informações da Associação Nacional dos Editores de Revistas – ANER,
existem 23 mil pontos de vendas de revistas no país entre bancas, revistarias, pontos
alternativos, etc. (dados do site acessado em novembro de 2014).

Foram vendidos em 2012 (FIPP Word Magazine – Trends 2011/2012), mais de 10,6
bilhões de exemplares de revistas no mundo. O Brasil é o 6º maior mercado em
número de títulos chegando a 22 milhões de exemplares vendidos por mês.

O número de leitores de revistas no Brasil cresceu em mais de 30% em 2012,


comparado com 2011, atingindo 15,4 milhões de leitores. Dentre os leitores, 78% são
da classe A, 58% classe B e 61% classe AB. Outra informação importante é que o
meio Revista tem grande participação dos leitores jovens entre 10 e 19 anos, com
participação de 26% do mercado. (IPSOS Marplan). O Meio Revista foi considerado o
melhor para se informar e decidir sobre compra.

Em 2012, a circulação média de jornais pagos auditados pelo Instituto Verificador de


Circulação (IVC) chegou a 4,52 milhões de jornais no país, uma marca histórica. E, de
acordo com estimativa da Associação Nacional de Jornais (ANJ), a circulação nacional
bate 8,802 milhões de exemplares, incluindo gratuitos e não auditados pelo IVC.

Segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do


Ministério do Trabalho, o segmento de comércio varejista de livros, jornais, revistas e
papelarias alcançou em janeiro de 2010 um estoque de 122.290 empregos formais,
representando uma evolução de 5,9%, relativo a janeiro de 2007.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 2


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização
Normalmente, os clientes habituais da Revistaria são os freqüentadores do
estabelecimento onde estiver instalada (rodoviárias, aeroportos, shopping centers,
etc.), havendo diferenças entre as preferências dos consumidores conforme classe
social, sexo, idade, etc. Portanto, um bom conhecimento sobre o público freqüentador
e seus hábitos de leitura, poderá ajudar bastante no planejamento das compras e, por
conseqüência, nos resultados do negócio.

Uma das ameaças deste negócio é o aumento crescente dos leitores de revistas
eletrônicas, disponibilizadas em diversos sites e também pelas próprias editoras. O
acesso facilitado da tecnologia por meio de telefones celulares, fortaleceu muito as
consultas e leituras eletrônicas. Porém ainda o meio mais utilizado é a revista
impressa, portanto, agregar diferencias na revistaria pode fidelizar a clientela.

3. Localização
A escolha do ponto comercial é, seguramente, um dos aspectos mais relevantes para
o sucesso de uma Revistaria.

Para a definição do local o empreendedor deverá considerar diversos fatores


igualmente importantes tais como: concentração e poder aquisitivo dos potenciais
consumidores, proximidade de concorrentes e serviços complementares e não
concorrentes (bancos, farmácias, lanchonetes, etc.), segurança, estacionamento,
transporte, visibilidade, além de outras facilidades que possam tornar atrativa e
conveniente à sua gestão e o acesso dos consumidores ao seu estabelecimento.

A característica do público que circula no local também é de grande relevância, sendo


os locais com maior nível de permanência dos freqüentadores (rodoviárias, aeroportos,
hospitais, etc.) mais recomendados. Em geral, locais de grande circulação de pessoas,
tais como Shopping Center, Galerias Comerciais, Hipermercados, Aeroportos,
Rodoviárias, Estações de Metrô, Hotéis, Restaurantes de grandes Hospitais e
Universidades trazem bons resultados.

Ao se decidir pelo local o empreendedor deve especialmente atentar para os aspectos


de custo do imóvel, tal como: instalação (reformas e adaptações), manutenção
(aluguel, condomínio e taxas), infra-estrutura (fornecimento de energia, água, etc.),
determinantes na lucratividade e viabilidade do negócio. A localização e a estrutura do
imóvel deverão estar de acordo com o Plano Diretor Urbano - PDU do município. Para
maiores informações o empreendedor deve consultar a prefeitura de sua cidade, visto
que o PDU é, segundo a Lei Federal 10.257, obrigatório para todos os municípios

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 3


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura
brasileiros com mais de 20.000 habitantes.

4. Exigências Legais e Específicas


É necessário contratar um contador profissional para legalizar a empresa nos
seguintes órgãos:
- Junta Comercial;
- Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
- Secretaria Estadual de Fazenda;
- Prefeitura Municipal, para obter o alvará de funcionamento;
- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra (é
obrigatório o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal por ocasião da
constituição da empresa e até o dia 31 de janeiro de cada ano);
- Caixa Econômica Federal, para cadastramento no sistema “Conectividade Social –
INSS/FGTS”;
- Corpo de Bombeiros Militar.

Vale lembrar, que de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, o jornal ou


revista que publicar na capa matérias e fotografias prejudiciais à formação e
desenvolvimento moral dos menores de 18 anos deve ser comercializado em
embalagem lacrada e opaca. Os Revendedores em situações irregulares receberão as
sanções contidas no ECA.

Além do cumprimento das exigências anteriores, é necessário pesquisar na Prefeitura


Municipal a legislação aplicada ao negócio de banca de revistas.

O Sebrae local poderá ser consultado para orientação.

5. Estrutura
Embora o negócio possa ser operado em módulos ou quiosques, instalados em locais
de grande circulação de pessoas e com espaço reduzido de até 8m2, uma Revistaria
padrão, no entanto, requer um espaço de cerca de 40m2, organizado com prateleiras
para acomodar as revistas, porta-jornais e balcão de “check out”, com expositores para
os produtos de “compra por impulso” (chicletes, balas, doces, isqueiros, chaveiros,
etc.), além de cigarros, cartões telefônicos, bilhetes de loteria, etc.

O balcão de check out deve ser suficiente ainda para acomodar um terminal de vendas
(POS) ou uma caixa-registradora e estar disposto de forma a permitir a visão integral
da loja.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 4


Pessoal / Equipamentos
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
As instalações deverão possuir vitrines, onde serão afixados os jornais do dia e os
produtos em promoção.

A iluminação adequada pode potencializar o interesse dos frequentadores, valorizando


os produtos dispostos nas prateleiras e vitrines.

6. Pessoal
Uma banca de revistas de pequeno porte pode funcionar com dois vendedores.

Os colaboradores devem ter as seguintes competências, que devem ser focadas


durante o processo de seleção e contratação:
- vendedores: além de conhecer muito bem os produtos, a empresa e o mercado
específico, o vendedor deve também conhecer os hábitos e as expectativas dos
clientes. Estar atualizados sobre os livros mais vendidos, revistas mais procuradas,
lançamentos, críticas da mídia, etc. Deve adotar uma postura consultiva, oferecendo
soluções que atendam essas necessidades e desejos. Deve ter dinamismo, boa
comunicação, empatia, capacidade de percepção, bom humor, ser um bom ouvinte e
interessar-se pelo cliente.

Investir constantemente no aperfeiçoamento dos colaboradores através de cursos,


palestras, workshops que são oferecidos no mercado, ou em atividades de
desenvolvimento realizadas pela própria empresa, deve ser preocupação permanente
do empreendedor.

O empresário deverá participar de seminários, congressos e cursos direcionados ao


seu ramo de negócio, para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências do
setor.

Deve-se estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores no


Comércio Varejista, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das
relações trabalhistas, evitando, assim, conseqüências desagradáveis.

O Sebrae da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o


perfil do pessoal e o treinamento adequado.

7. Equipamentos
São necessários os seguintes móveis e equipamentos:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 5


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Mobiliário e equipamentos
- microcomputador completo 1 – R$ 1.349,00;
- impressora 1 – R$ 299,00;
- máquina ECF 1- R$ 1.540,00;
- telefones – R$ 64,00;
- Marcenaria: prateleiras, vitrines e balcão caixa– R$15.000,00 (o orçamento da
marcenaria dependerá dos acabamentos que serão escolhidos)

Total de Móveis e equipamentos – R$ 18.252,00

Fontes: www.walmart.com.br
www.americanas.com.br
www.pontofrio.com.br

8. Matéria Prima/Mercadoria
A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a
demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros,
os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o
capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido
em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.
Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em
menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice
de rotação de estoques. Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é
a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue
cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o
indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega,
isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou
serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de
venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque
ou não se poder executar o serviço com prontidão.
Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na
alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta
o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da
empresa.

O negócio de banca de revistas não possui matéria prima.

As mercadorias que uma banca de revistas poderá comercializar, em geral, são

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 6


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
jornais, revistas, livros e dvds, chicletes, balas, chocolates, e pequenos objetos.

Para a definição do mix dos produtos a ser oferecido, o empresário deverá visitar
concorrentes, ouvir permanentemente seus clientes e ir fazendo adaptações ao longo
do tempo. É muito importante se manter atualizado sobre os lançamentos, tendências,
e produtos mais procurados para compor o mix da Revistaria.

9. Organização do Processo Produtivo


Os processos produtivos de uma banca de revistas são divididos em:

Atendimento ao cliente e Vendas: Uma revistaria em geral irá abrir para o atendimento
ao público conforme o horário de expediente do estabelecimento em que estiver
instalada (seja ele um shopping center, terminal de passageiros, centro médico, etc.).
Embora muitas Revistarias adotem o modelo de auto-serviço e organização dos
produtos em seções o que facilita o atendimento, isto limita o relacionamento com o
cliente ao momento do fechamento da venda.

São atividades acessórias ao atendimento a organização do mostruário, registro da


venda (cobrança, abertura e fechamento do caixa) e embalagem do produto.

Como parte do processo de vendas é de vital importância realizar pesquisas sobre o


interesse e preferências dos freqüentadores do local e clientes do estabelecimento
(shopping, rodoviária, hospital, etc.) onde a revistaria está instalada. Essas
informações darão ao empreendedor condições de estabelecer quais as publicações
de maior interesse do seu público alvo e definir o mix de produtos da sua revistaria.

Compras e Gestão do Estoque: Antes de o jornal ou revista chegar às prateleiras da


loja existe um conjunto de tarefas-chave, essencial no trabalho de uma revistaria,
dentre elas a aquisição, transporte e controle dos produtos vendidos (estoque e
definição do mix de produtos).

Para que o empreendedor atue neste segmento é necessário se cadastrar junto às


editoras onde irá receber um código de identificação próprio. A Revistaria ou seu
proprietário são considerados consignatários, pois os produtos são retirados na forma
de "consignação". As editoras e os distribuidores fornecem o material e estabelecem
cotas para cada produto. Cada revendedor recebe um lote mínimo de produtos,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 7


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
definido em função de uma pré- avaliação do potencial/ localização. O consignatário
que retirar os produtos pela primeira vez, não poderá devolver todo o material que não
foi vendido (encalhe). As distribuidoras pré-determinam que alguns tipos de
publicações não fazem parte desse processo.

É fundamental o preparo de uma escala para visitas às editoras, levando em


consideração datas em que as edições estarão disponíveis. Essa providência é de
extrema importância porque, é nesse momento que se efetua a troca de publicações
antigas pelas novas . A retirada dos produtos junto às editoras e ou distribuidoras é
uma tarefa diária. Geralmente a coleta dos jornais é feita de madrugada nos pontos de
distribuição ou entregues diretamente na Revistaria quando negociadas previamente.
A coleta dos jornais pode ser realizada por equipe própria ou terceirizada com
carreteiros. Possuir veículo próprio, embora não seja fundamental, poderá ser de
grande utilidade nessa etapa das atividades. As solicitações de edições anteriores
deverão ser analisadas com cautela, pois se o cliente desistir da compra o
empreendedor ficará com mais um produto encalhado.

Administração: São as atividades inerentes a gestão do negócio, incluindo a limpeza


da loja, controle e pagamento de fornecedores, impostos e empregados,
relacionamento com o contabilista, distribuidores de jornais e revistas, etc.

10. Automação
Há no mercado uma boa oferta de sistemas para gerenciamento de pequenos
negócios. Para uma produtividade adequada, devem ser adquiridos sistemas que
integrem as compras, as vendas e o financeiro. Os softwares possibilitam o cadastro
de clientes e fornecedores, controle de estoque, serviço de mala-direta para clientes e
potenciais clientes, controle de contas a pagar e a receber, fornecedores, folha de
pagamento, fluxo de caixa, fechamento de caixa etc.

Existem pacotes específicos para automação de revistarias e bancas de jornais que


podem ser adquiridos diretamente dos fornecedores, entre eles:

- Banca de Revista – www.criasoft.com

- Banca Mais – www.bancamais.com.br

- Aldea / Magis – www.magis.com.br

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 8


Canais de Distribuição
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
- Banca Light – www.datavisioninformatica.com.br

- San Diego – www.sds.net.br

Na contratação do software é importante considerar alguns pontos, como custo


acessível e compatível com o porte da empresa, assistência técnica e o treinamento
dos funcionários.

Algumas distribuidoras Dinap (Abril) Editora Globo fornecem aplicativos que permitem
a integração com o revendedor, facilitando a automação de suas atividades
operacionais.

11. Canais de Distribuição


Embora já existam revistarias virtuais na internet, as lojas instaladas em shoppings,
aeroportos e galerias comerciais são a maioria neste segmento.

Nas lojas fisicas de o próprio ponto de venda é o canal de distribuição da revistaria.

Caso o empreendedor opte também pela venda virtual, será necessário preparar uma
estrutura de atendimento independente, de forma a atender com excelência seus
clientes virtuais.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 9


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
12. Investimento
Investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio
até o momento de sua auto-sustentação. Pode ser caracterizado como:
- investimento fixo – compreende o capital empregado na compra de imóveis,
equipamentos, móveis, utensílios, instalações, reformas etc.;
- investimentos pré-operacionais – são todos os gastos ou despesas realizadas com
projetos, pesquisas de mercado, registro da empresa, projeto de decoração,
honorários profissionais e outros;
- capital de giro – é o capital necessário para suportar todos os gastos e despesas
iniciais, geradas pela atividade produtiva da empresa. Destina-se a viabilizar as
compras iniciais, pagamento de salários nos primeiros meses de funcionamento,
impostos, taxas, honorários de contador, despesas de manutenção e outros.

Para uma banca de revistas o empreendedor deverá dispor de aproximadamente R$


47.752,00 para fazer frente aos seguintes itens de investimento:
- Construção e reforma de instalações – R$ 15.000,00
- Móveis e equipamentos – R$ 18.252,00
- despesas de registro da empresa, honorários profissionais, taxas etc.- R$ 3.500,00;
- capital de giro para suportar o negócio nos primeiros meses de atividade – R$
11.000,00

Total: R$ 47.752,00

13. Capital de Giro


Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter
para garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia
imobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de
caixa.
O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos
médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e
prazos médios concedidos a clientes (PMCC).
Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem,
maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos
regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a
necessidade de imobilização de dinheiro em caixa.
Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão- de-obra, aluguel,
impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao
prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de
capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 10


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implica
também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o lucro apurado da
empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta
necessidade do caixa.
Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores
que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para
pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar
para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos
de pagamentos futuros (fornecedores, impostos). Portanto, retiradas e imobilizações
excessivas poderão fazer com que a empresa venha a ter problemas com seus
pagamentos futuros.
Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na
empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as
variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com
precisão.

Embora grande parte das mercadorias destinadas à venda (revistas e jornais) sejam
consignadas, isto é, somente serão pagas ao fornecedor após a venda, reduzindo
significativamente a demanda por capital de giro em relação a outros segmentos de
negócio, a necessidade de um adequado controle financeiro não é eliminada. Isto
porque, é prática do setor o empreendedor ter que se comprometer com cotas mínimas
de vendas dos produtos fornecidos pelos distribuidores, além do que a gestão do
capital de giro de uma empresa envolve outros fatores, conforme descrito a seguir:
- variação dos diversos custos absorvidos pela empresa;
- altos níveis de estoques levando-se em consideração a quantidade de produtos
necessários para compor os itens para venda;
- aumento de despesas financeiras, em decorrência das instabilidades desse mercado;
- baixo volume de vendas;
- aumento dos índices de inadimplência;
- aumento do volume de vendas a prazo (prazos de recebimento maiores que os
prazos de pagamento).

No caso de uma banca de revistas, o empresário deve reservar em torno de 30% do


total do investimento inicial para o capital de giro.

14. Custos
São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão
incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como:
aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas e insumos
consumidos no processo de estoque e comercialização.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 11


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o
empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como
ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o
controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de
ganhar no resultado final do negócio.

Abaixo apresentamos uma estimativa de custos fixos mensais típicos de uma banca de
revistas.
1. luz, telefone, internet – R$ 500,00
2. salários, comissões e encargos – R$ 3.200,00
3. taxas, contribuições e despesas afins – R$ 400,00
4. transporte – R$ 330,00;
5. refeições – R$ 470,00;
6. seguros – R$ 180,00;
7. assessoria contábil – R$ 724,00
8. limpeza, higiene e manutenção – R$ 120,00.

Total: R$ 5.924,00

15. Diversificação/Agregação de Valor


Para o sucesso do negócio é fundamental um estoque com várias opções e o mais
diversificado possível.

Existem Revistarias que diversificam suas atividades prestando serviços de envio e


recebimento de emails, venda de produtos lotéricos, cigarros, doces, dentre outros
artigos. Porém, vale lembrar que uma característica marcante das Revistarias é a
especialização na venda de Revistas e Jornais (o que as diferenciam das vendas
destes artigos em supermercados e lojas de conveniência e lojas não especializadas).

Há Revistarias que concentram ainda mais a sua oferta, especializando-se na


comercialização de revistas religiosas, concursos, revistas técnicas, de personagem ou
heróis de conteúdo nacional ou importado. Nos casos de opção pela especialização, o
empreendedor deve ter cuidado redobrado com a identificação das características do
público-alvo (volume de demanda, poder aquisitivo, preferências, etc.), já que a
rentabilidade virá de uma faixa muito estreita de consumidores, o que pode inviabilizar
o negócio. No caso das Revistarias especializadas em revistas de personagens e

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 12


Divulgação
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
heróis, o empreendedor pode optar pela comercialização de outros produtos referentes
aos personagens das histórias em quadrinhos como bonecos, livros, filmes, DVD's,
dentre outros itens. A opção pela diversificação ou especialização deve estar
embasada em um cuidadoso levantamento das necessidades e características do
público-alvo. Esta identificação pode dar-se por meio de uma pesquisa de mercado.
Produtos adicionais tais como sorvetes, cartões postais, cartões telefônicos e cigarros,
não dão lucro, mas atraem o cliente. Já os doces e chicletes, além de ajudarem no
fluxo, possuem uma boa margem de lucro.

A agregação de valor também se dá por meio da oferta de conveniências para o


consumidor (segurança, lazer, estacionamento, quiosque de banco 24 horas, cafeteria,
etc.).

É importante pesquisar junto aos concorrentes para conhecer os serviços que estão
sendo adicionados e desenvolver opções específicas com o objetivo de proporcionar
ao cliente um produto diferenciado. Além disso, conversar com os clientes atuais para
identificar suas expectativas é muito importante para o desenvolvimento de novos
serviços ou produtos personalizados, o que amplia as possibilidades de fidelizar os
atuais clientes, além de cativar novos.

O empreendedor deve manter-se sempre atualizado com as novas tendências, novas


técnicas, novos métodos, através da leitura de colunas de jornais e revistas
especializadas, programas de televisão ou através da Internet.

16. Divulgação
Os meios para divulgação variam de acordo com o porte e o público-alvo escolhido.
Podem ser usados anúncios em jornais de bairro, revistas locais e propaganda em
rádio.

Também podem ser distribuídas malas-direta, além da utilização de banners, displays


e informes publicitários nas proximidades do estabelecimento.

A fachada da loja deve ser atraente e convidativa ao consumidor. A disposição dos


produtos no interior da loja também tem fundamental importância, de modo a estimular
o cliente à compra. O layout da loja deve proporcionar circulação livre, iluminação
correta e cores adequadas, de modo a obter um ambiente descontraído e agradável à
permanência do cliente.

A divulgação através de site na internet deve ser considerada, pois o acesso de


pessoas à rede cresce permanentemente e em larga escala, atingido os mais diversos
públicos, desde os que possuem maior poder aquisitivo até os que estão na outra
ponta. Possibilita também o alcance de consumidores e lojistas em qualquer parte do
mundo. Ressalte-se que esse canal apresenta custo relativamente baixo e com forte e
crescente apelo popular.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 13


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
A construção de um site deve ser bastante estudada em razão das características do
negócio, como também é fundamental adicioná-lo em diretórios especializados para
empresas e motores de busca de inclusão manual como Google Adwords, Ask, Yahoo
Search Marketing, Microsoft Digital Advertising Solutions, Hot Words, dentre outros.

Um site requer bem mais do que um site bonito. Planejamento, estrutura de


atendimento ao cliente e divulgação são tão importantes quanto softwares e
tecnologia. É importante construir um site eficiente, com um layout limpo, sem poluição
visual e ter usabilidade (produtos e serviços fáceis de serem encontrados pelo
internauta).

17. Informações Fiscais e Tributárias


O segmento de BANCA DE REVISTAS, assim entendido pela CNAE/IBGE
(Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 4761-0/02 como a atividade de
comércio varejista de jornais e revistas, poderá optar pelo SIMPLES Nacional - Regime
Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME
(Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei
Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividade não
ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa R$
3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais) para empresa de pequeno porte e
respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições,


por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do
Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.f
azenda.gov.br/SimplesNacional/):

• IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);


• CSLL (contribuição social sobre o lucro);
• PIS (programa de integração social);
• COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
• ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços);
• INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa a parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 14


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
esse ramo de atividade, variam de 4% a 11,61%, dependendo da receita bruta auferida
pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo
SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de
atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número
de meses de atividade no período.

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder


benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse
imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá
ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), o


empreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderá
optar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual) . Para se
enquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme a
tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 - Anexo XIII
(http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/resolucao/2011/CGSN/Resol94.htm ).
Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores
fixos mensais conforme abaixo:

I) Sem empregado
• 5% do salário mínimo vigente - a título de contribuição previdenciária do
empreendedor:
• R$ 1,00 mensais de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias;

II) Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja de
um salário mínimo ou piso da categoria)
O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes
percentuais:
• Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;
• Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo receita excedente ao limite permitido superior a 20% o MEI terá seu
empreendimento incluído no sistema SIMPLES NACIONAL.

Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempre

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 15


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Fundamentos Legais: Leis Complementares 123/2006 (com as alterações das Leis


Complementares nºs 127/2007, 128/2008 e 139/2011) e Resolução CGSN - Comitê
Gestor do Simples Nacional nº 94/2011.

18. Eventos
Os principais eventos do setor são as Convenções e encontros patrocinados pelas
próprias distribuidoras com os revendedores afiliados.

19. Entidades em Geral


Relação de entidades para eventuais consultas:

Associação Nacional dos Revendedores de Revistas e Jornais – ANJ


www.anj.org.br

Instituto Verificador de Circulação - IVC


www.ivcbrasil.org.br

IVC/SP:
Alameda Santos, 200 Cj. 72 - Cerqueira César
Fone/Fax: (11) 3287-0028 / 3287-0042

IVC/RJ:

Rua do Mercado, 34 5º andar - Centro

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 16


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Fone/Fax: (21) 2263-7691 / 2263-7791

Associação Nacional dos Editores de Revistas – ANER


www.aner.org.br

Procurar na localidade:

Sindicato dos Proprietários de Bancas de Jornais e Revistas

Alguns Fornecedores

Editora Globo
www.edglobo.globo.com

Distribuidora Nacional de Publicações – DINAP (Abril)


www.dinap.com.br

Obs.: Pesquisa na internet indicará outros fornecedores de produtos para banca de


revistas, que poderão estar localizados mais próximos ao local de instalação do
negócio.

20. Normas Técnicas

Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um


organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes
ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau
ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 17


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada
por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa,
universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira de


Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1.Normas específicas para uma Banca de Revistas:

Não existem normas específicas para este negócio.

2.Normas aplicáveis na execução de uma Banca de Revistas:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 18


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
ABNT NBR 15842:2010 - Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos
gerais

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e


serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam
satisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de proteção por extintores de incêndio

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de


extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para
combate a princípio de incêndio.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 19


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
ABNT NBR 5410:2004 Versão Corrigida: 2008 - Instalações elétricas de baixa tensão

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas


de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento
adequado da instalação e a conservação dos bens.

ABNT NBR ISO IEC 8995-1:2013 - Iluminação de ambientes de trabalho Parte 1:


Interior

Esta Norma especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e os


requisitos para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente,
com conforto e segurança durante todo o período de trabalho.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 20


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
ABNT NBR 9050:2004 Versão Corrigida: 2005 - Acessibilidade a edificações,
mobiliário, espaços e equipamentos urbanos

Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do


projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e
equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 - Sistemas de alarme - Parte 1: Requisitos gerais -


Seção 1: Geral

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento


(controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de
alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade
e do ambiente.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 21


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
21. Glossário
Cabeça de página: Alto da página. Espaço nobre que deve ser reservado para
publicação de textos mais importantes, com título ocupando toda a largura da página.

Cabeçalho: É o nome que se dá à parte superior da Primeira Página de um jornal. Dele


constam logotipo e informações como data, número, ano, nome do diretor ou redator-
chefe e endereço da sede. Nas páginas internas, usa-se o fio-data.

Caderno: Cada um dos conjuntos de folhas dobradas, com no mínimo quatro páginas,
que compõem o jornal.

Encalhe: Número de exemplares não vendidos da tiragem de uma edição.

Fechamento: Conclusão do trabalho de edição. Quem fecha deve estar tão


preocupado com a qualidade da edição quanto com o cumprimento do cronograma
industrial. Deve se dispor a reabrir a edição sempre que um imprevisto relevante o
exigir, mas apenas com autorização da Secretaria de Redação. O atraso no
fechamento prejudica a impressão e distribuição do jornal.

Macarrão: Folha solta (simples, e não dupla) incluída em um caderno de jornal. Pode
ser programada com antecedência ou servir à necessidade de aumentar ou diminuir o
número de páginas previsto para uma edição.

Mancha: Espaço útil de impressão de uma página. A mancha da Folha mede 54 cm de


altura por 33 cm de largura.

Manchete: É a principal notícia do dia e deve receber o título mais importante da


Primeira Página.

22. Dicas de Negócio


- Observar atentamente o fluxo de pessoas que circulam nas proximidades da banca
de revistas para se ter uma idéia aproximada do publico consumidor, sua preferência e
potencial de consumo.
- Assegurar a regularidade no recebimento de todos os jornais e revistas, definindo
cotas adequadas junto às distribuidoras e negociando com cuidado as cotas e
devoluções.
- Motivar os funcionários, dando feedback e orientando-os para venderem melhor.
- Investir na qualidade global de atendimento ao cliente, ou seja: qualidade do serviço,
ambiente agradável, profissionais atenciosos, respeitosos e interessados pelo cliente,
além de comodidades adicionais como é o caso de estacionamento.
- Procurar fidelizar a clientela com ações de pós-venda, como: remessa de cartões de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 22


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
aniversário, comunicação de novos serviços e novos produtos ofertados, contato
telefônico lembrando eventos e promoções.
- A presença do proprietário em tempo integral é fundamental para o sucesso do
empreendimento, principalmente no início das atividades.
- O empreendedor deve ser criativo e ousado validando conceitos de comunicação
inovadores, de forma que consiga manter o empreendimento em evidência no mercado
e diante dos consumidores atuais e potenciais.

23. Características
O empreendedor envolvido com atividades relacionadas à banca de revistas precisa
adequar-se a um perfil que o mantenha na vanguarda do setor. É aconselhável uma
auto-análise para verificar qual a situação do futuro empreendedor frente a esse
conjunto de características e identificar oportunidades de desenvolvimento. A seguir,
algumas características desejáveis ao empresário desse ramo.
- Ter paixão pela atividade e conhecer bem o ramo de negócio.
- Pesquisar e observar permanentemente o mercado em que está instalado,
promovendo ajustes e adaptações no negócio.
- Ter atitude e iniciativa para promover as mudanças necessárias.
- Acompanhar o desempenho dos concorrentes.
- Saber negociar, vender benefícios e manter clientes satisfeitos.
- Ter visão clara de onde quer chegar.
- Planejar e acompanhar o desempenho da empresa.
- Ser persistente e não desistir dos seus objetivos.
- Manter o foco definido para a atividade empresarial.
- Ter coragem para assumir riscos calculados.
- Estar sempre disposto a inovar e promover mudanças.
- Ter grande capacidade para perceber novas oportunidades e agir rapidamente para
aproveitá-las.
- Ter habilidade para liderar a equipe de profissionais da banca de revistas.

24. Bibliografia
AIUB, George Wilson et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae,
2000.

ANDRADE, Patrícia Carlos de. Oriente-se: guia de profissões e mercado de trabalho.


Rio de Janeiro: Ed. Oriente-se, 2000.

BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto


Comercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 23


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Clio Editora, 2004.

BIRLEY, Sue; MUZYKA, Daniel F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São


Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004.

COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e


manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

DAUD, Miguel; RABELLO, Walter. Marketing de Varejo: Como incrementar resultados


com a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006.

DOLABELA, Fernando. O Segredo de Luisa. 14. ed. São Paulo: Cultura Editores
Associados, 1999.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. São
Paulo: Prentice Hall, 2000.

PARENTE, Juracy. Varejo no Brasil. São Paulo: Ed Atlas, 2000.

RATTO, LUIZ. Comercio – Um Mundo de Negócios. Rio de Janeiro: Ed. Senac


Nacional, 2004.

SEBRAE MG. Banca de Jornal. Série Ponto de Partida – Para Início de Negócio. Belo
Horizonte.

SEBRA PR. .Banca de revistas- Série Idéia de Negócios. Curitiba.

SILVA, José Pereira. Análise Financeira das Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

SINDICOMERCIARIOS, Sindicato dos Comerciários do Estado do Espírito Santo.


Cartilha da Convenção Coletiva de Trabalho 2009-2010. Disponível em acesso em 14
de janeiro de 2010.

Agenda de Eventos - ANER

http://aner.org.br/eventos/ Acesso em novembro de 2014

O Leitor e sua relação com a Revista Impressa e a Revista Eletrônica – Um Estudo de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 24


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /

25
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Panorama do Mercado Brasileiro de Revistas. Autores: Grupo de Trabalho ANER.

26. Planejamento Financeiro


Não há informações disponíveis para este campo.

Não há informações disponíveis para este campo.

Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br


caso – XXXII Encontro ANPAD – 2008

27. Soluções Sebrae


Data: Novembro 2012

25. Fonte
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /

26
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/Como-montar-uma-banca-de-
Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br


28. Sites Úteis

29. URL

revistas