You are on page 1of 7

Francisco Galeno 9º ano

Literatura _____/ _____/ 2018

Atividade de revisão

1. A escola realista, que contou com nomes como Machado de Assis, Raul Pompéia e Aluísio
Azevedo, teve como principais características:
a) retorno aos ideais românticos defendidos pela literatura indianista de José de Alencar;
b) preocupação com a métrica e com a metalinguagem na arte literária;
c) retratar a sociedade e suas mazelas, em uma linguagem irônica e impiedosa sobre o homem
e suas máscaras sociais.
d) confronto direto com o ideário religioso, estabelecendo um paradoxo com a literatura barroca.
e) defesa da cultura popular brasileira, resgatando símbolos e arquétipos do folclore nacional.

2. O Realismo, escola literária cujo principal III- O país vivia o declínio da produção
representante brasileiro foi Machado de Assis, açucareira e o deslocamento do eixo
tem como característica principal a retratação econômico para o Rio de Janeiro em razão do
da realidade tal qual ela é, fugindo dos crescimento do comércio cafeeiro.
estereótipos e da visão romanceada que IV- Tem grande influência das teorias
vigorava até aquele momento. Sobre o positivistas originárias na França, onde
contexto histórico no qual o Realismo está também havia um movimento de intensa
situado, são corretas as proposições: observação da realidade e descontentamento
I- O Brasil vivia tempos de calmaria política e com os rumos políticos e sociais do país.
social, havia um clima de conformidade, V- Surgiu na segunda metade do século XX,
configurando o contentamento da colônia com quando no mundo eclodiam as teorias de
sua metrópole, Portugal. expansões territoriais que culminaram nas
II- Em virtude das intensas transformações duas grandes guerras. O Realismo teve como
sociais e políticas, o Brasil é retratado com propósito denunciar esse panorama de
fidedignidade, reagindo às propostas instabilidade mundial.
românticas de idealização do homem e da
sociedade.
Estão corretas: c) I, II e III estão corretas.
a) todas estão corretas. d) II, III e IV estão corretas.
b) apenas I e II estão corretas. e) I e V estão corretas.

3. Sobre o Realismo, é incorreto afirmar que: subjetividade, cuja estética contemplava a


a) Surge em um contexto econômico, social e metalinguagem e o ideal da arte pela arte.
político conturbado e de grandes d) Foi inaugurado por Machado de Assis,
transformações. tendo no escritor seu maior expoente,
b) Faz uma dura crítica ao Romantismo e à perpetuando a estética realista até os dias de
maneira idealizada com a qual o homem era hoje.
retratado pelos olhos dos escritores que se e) Influenciado pelos ideais positivistas, o
dedicaram a essa escola literária. Realismo negava a teoria metafísica,
c) Utiliza uma linguagem repleta de buscando explicação nas coisas práticas e
maneirismos, com predominância da presentes na vida do homem.

Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 1


4. O caráter naturalista nessa obra de Aluísio Azevedo oferece, de maneira figurada, um retrato de
nosso país, no final do século XIX. Põe em evidência a competição dos mais fortes, entre si, e estes,
esmagando as camadas de baixo, compostas de brancos pobres, mestiços e escravos africanos. No
ambiente de degradação de um cortiço, o autor expõe um quadro tenso de misérias materiais e
humanas. No fragmento, há várias outras características do Naturalismo. Aponte a alternativa em
que as duas características apresentadas são corretas.
O cortiço
Fechou-se um entra-e-sai de A Bruxa surgiu à janela da sua casa,
marimbondos defronte daquelas cem casinhas como à boca de uma fornalha acesa. Estava
ameaçadas pelo fogo. Homens e mulheres corriam horrível; nunca fora tão bruxa. O seu moreno
de cá para lá com os tarecos ao ombro, numa trigueiro, de cabocla velha, reluzia que nem metal
balbúrdia de doidos. O pátio e a rua enchiam-se em brasa; a sua crina preta, desgrenhada, escorrida
agora de camas velhas e colchões espocados. e abundante como as das éguas selvagens, dava-
Ninguém se conhecia naquela zumba de gritos lhe um caráter fantástico de fúria saída do inferno.
sem nexo, e choro de crianças esmagadas, e E ela ria-se, ébria de satisfação, sem sentir as
pragas arrancadas pela dor e pelo desespero. Da queimaduras e as feridas, vitoriosa no meio
casa do Barão saíam clamores apopléticos; daquela orgia de fogo, com que ultimamente vivia
ouviam-se os guinchos de Zulmira que se a sonhar em segredo a sua alma extravagante de
espolinhava com um ataque. E começou a maluca. Ia atirar-se cá para fora, quando se ouviu
aparecer água. Quem a trouxe? Ninguém sabia estalar o madeiramento da casa incendiada, que
dizê-lo; mas viam-se baldes e baldes que se abateu rapidamente, sepultando a louca num
despejavam sobre as chamas. Os sinos da montão de brasas.
vizinhança começaram a badalar. E tudo era um
clamor. (Aluísio Azevedo. O cortiço)

a) Exploração do comportamento anormal literárias exemplos de demonstração de


e dos instintos baixos; enfoque da vida e teses e ideias sobre a sociedade e o homem.
dos fatos sociais contemporâneos ao b) O Naturalismo usou elementos da natureza
escritor. selvagem do Brasil do século XIX para
b) Visão subjetivista dada pelo foco narrativo; defender teses sobre os defeitos da cultura
tensão conflitiva entre o ser humano e o meio primitiva.
ambiente. c) A valorização da natureza rude verificada
c) Preferência pelos temas do passado, nos poetas árcades se prolonga na visão
propiciando uma visão objetiva dos fatos; naturalista do século XIX, que toma a
crítica aos valores burgueses e predileção natureza decadente dos cortiços para provar
pelos mais pobres. os malefícios da mestiçagem.
d) A onisciência do narrador imprime-lhe o d) O Naturalismo no Brasil esteve sempre
papel de criador, e se confunde com a ideia de ligado à beleza das paisagens das cidades e do
Deus; utilização de preciosismos vocabulares, interior do Brasil.
para enfatizar o distanciamento entre a e) O Naturalismo do século XIX no Brasil
enunciação e os fatos enunciados. difundiu na literatura uma linguagem
e) Exploração de um tema em que o ser científica e hermética, fazendo com que os
humano é aviltado pelo mais forte; textos literários fossem lidos apenas por
predominância de elementos anticientíficos, intelectuais.
para ajustar a narração ao ambiente
degradante dos personagens. 6. São características da linguagem naturalista
exceto:
5. Assinale a alternativa que contém a a) Determinismo;
afirmação correta sobre o Naturalismo no b) Preferência por temas de patologia social;
Brasil. c) Objetivismo científico e impessoalidade;
d) Linguagem simples;
a) O Naturalismo, por seus princípios e) Subjetividade
científicos, considerava as narrativas

Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 2


7. Nessa passagem, quem fala é Quincas Borba, o filósofo. Suas palavras são dirigidas a Rubião,
ex-professor, futuro capitalista, mas, no momento, apenas enfermeiro de Quincas Borba. É correto
afirmar que a maneira como constrói esse discurso revela preocupação com:
“Supõe tu um campo de batatas e duas tribos vitória, os hinos, aclamações, recompensas
famintas. As batatas apenas chegam para públicas e todos os demais efeitos das ações
alimentar uma das tribos, que assim adquire forças bélicas. Se a guerra não fosse isso, tais
para transpor a montanha e ir à outra vertente, demonstrações não chegariam a dar-se, pelo
onde há batatas em abundância; mas, se as duas motivo real de que o homem só comemora e ama
tribos dividem em paz as batatas do campo, não o que lhe é aprazível ou vantajoso, e pelo motivo
chegam a nutrir-se suficientemente e morrem de racional de que nenhuma pessoa canoniza uma
inanição. A paz, nesse caso, é a destruição; a ação que virtualmente a destrói. Ao vencido, ódio
guerra é a conservação. Uma das tribos extermina ou compaixão; ao vencedor, as batatas.”
a outra e recolhe os despojos. Daí a alegria da
ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Quincas Borba. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997.

a) A clareza e a objetividade, uma vez que visa à compreensão de Rubião da filosofia por ele
criada, o Humanismo.
b) A emotividade de suas palavras, dado objetivar despertar em Rubião piedade pelos vencidos e
ódio pelos vencedores.
c) A informação a ser transmitida, pois Rubião, sendo seu herdeiro universal, deverá aperfeiçoar o
Humanismo.
d) O envolvimento de Rubião com a filosofia por ele criada, o Humanismo, dada a urgência em
arregimentar novos adeptos.
e) O estabelecimento de contato com Rubião, uma vez que o mesmo possui carisma para perpetuar
as novas ideias.

8. Análise os trechos abaixo e marque a alternativa correta:


Capítulo CC mesma cousa. O Cruzeiro que a linda Sofia não
Poucos dias depois, [Rubião] morreu.... quis fitar, como lhe pedia Rubião, está assaz alto
Não morreu súbdito nem vencido. Antes de para não discernir os risos e as lágrimas dos
principiar a agonia, que foi curta, pôs a coroa na homens.
cabeça, — uma coroa que não era, ao menos, um ASSIS, Machado de. Quincas Borba.
chapéu velho ou uma bacia, onde os espectadores
palpassem a ilusão. Não, senhor; ele pegou em
nada, levantou nada e cingiu nada; só ele via a
insígnia imperial, pesada de ouro, rútila de Depreende-se do texto que:
brilhantes e outras pedras preciosas. O esforço que
a) ao narrar a agonia de Rubião, o narrador
fizera para erguer meio corpo não durou muito; o
corpo caiu outra vez; o rosto conservou deixa implícito que aquele merecia as
porventura uma expressão gloriosa. honrarias de um rei.
— Guardem a minha coroa, murmurou. b) a ambiguidade no título do romance,
Ao vencedor... A cara ficou séria porque a morte é Quincas Borba, justifica-se pelo fato de o
séria; dous minutos de agonia, um trejeito autor não conseguir definir-se por
horrível, e estava assinada a abdicação. homenagear o filósofo ou seu cão.
Capítulo CCI c) a afirmação que encerra o Capítulo CC
Queria dizer aqui o fim do Quincas revela um traço machadiano
Borba, que adoeceu também, ganiu infinitamente, característico: a ironia.
fugiu desvairado em busca do dono, e amanheceu d) a declaração de que Sofia não quis fitar o
morto na rua, três dias depois. Mas, vendo a morte
Cruzeiro revela a indiferença como matriz
do cão narrada em capítulo especial, é provável
que me perguntes se ele, se o seu defunto do estilo do autor.
homônimo é que dá título ao livro, e por que antes e) a linguagem empregada para descrever a
um que outro, — questão prenhe de questões, que morte de Quincas Borba revela a tendência
nos levariam longe... Eia! Chora os dous recentes do narrador a dar mais importância ao cão
mortos, se tens lágrimas. Se só tens riso, ri-te! É a do que a Rubião.

Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 3


9. O romance Memórias póstumas de Brás Cubas publicou-se num momento significativo da
literatura brasileira, tanto para a carreira de Machado de Assis, como para o desenvolvimento da
prosa no Brasil. Tornou-se um divisor entre:

a) a prosa romântica e a realista- d) o espírito conservador e o espírito


naturalista; revolucionário;
b) o romantismo e o cientificismo literário; e) a prosa finissecular e a imposição
c) os remanescentes clássicos e a necessidade renovadora da época.
de modernização;

10. Leia o trecho abaixo de Memórias póstumas de Brás Cubas e responda as alternativas abaixo:

Óbito do autor acompanhado ao cemitério por onze amigos. Onze


Algum tempo hesitei se devia abrir estas amigos! Verdade é que não houve cartas nem
memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se anúncios. Acresce que chovia - peneirava - uma
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a chuvinha miúda, triste e constante, tão constante e
minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar tão triste, que levou um daqueles fiéis da última
pelo nascimento, duas considerações me levaram hora a intercalar esta engenhosa idéia no discurso
a adotar diferente método: a primeira é que eu não que proferiu à beira de minha cova: - "Vós, que o
sou propriamente um autor defunto, mas um conhecestes, meus senhores, vós podeis dizer
defunto autor, para quem a campa foi outro berço; comigo que a natureza parece estar chorando a
a segunda é que o escrito ficaria assim mais perda irreparável de um dos mais belos caracteres
galante e mais novo. Moisés, que também contou que têm honrado a humanidade. Este ar sombrio,
a sua morte, não a pôs no intróito, mas no cabo: estas gotas do céu, aquelas nuvens escuras que
diferença radical entre este livro e o Pentateuco. cobrem o azul como um crepe funéreo, tudo isso é
Dito isto, expirei às duas horas da tarde a dor crua e má que lhe rói à natureza as mais
de uma sexta-feira do mês de agosto de 1869, na íntimas entranhas; tudo isso é um sublime louvor
minha bela chácara de Catumbi. Tinha uns ao nosso ilustre finado".
sessenta e quatro anos, rijos e prósperos, era ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de
solteiro, possuía cerca de trezentos contos e fui Brás Cubas.
Glossário - campa: sepulcro; galante: garboso, gracioso.

a) Explique porque se pode dizer que esse trecho é metalinguístico.

b) Explicite um trecho em que se encontre a famosa “ironia machadiana”.

c) Ao dizer “Onze amigos!”, o narrador mostra que é pequeno o número de pessoas com que se
pode realmente contar. Isso revela uma certa atitude do narrador diante da amizade e das relações
interpessoais. Que atitude é essa?

d) Qual a diferença que se pode estabelecer entre “autor defunto” e “defunto autor”?

11. No trecho a seguir, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmen-te um outro estilo de
época: o Romantismo.

Naquele tempo contava apenas uns quinze ou realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas;
dezesseis anos; era talvez a mais atrevida cria-tura mas também não digo que lhe maculasse o ros-to
de nossa raça e, com certeza, a mais volun-tariosa. nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita,
Não digo que já lhe coubesse a primazia da fresca, saía das mãos da natureza cheia daquele
beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a
não é romance, em que o autor sobredoura a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.
ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas

 A frase do texto em que se percebe a críti-ca do narrador ao Romantismo está na alternativa:


a) “... o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas ...”
Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 4
b) “... era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça ...”
c) “Era bonita, fresca, saía das mãos da na­tureza, cheia daquele feitiço, precário e eter­no, ...”
d) “Naquele tempo contava apenas uns quin­ze ou dezesseis anos ...”
e) “... o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

12. Essa é a abertura do famoso romance de Machado de Assis. Dentro desse contexto, já dá para se
ver o tipo de narrativa que será explorada. Assinale a alternativa correta a esse respeito.

Algum tempo hesitei se devia abrir estas levaram a adotar diferente método: a primeira é
memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se que eu não sou propriamente um autor defunto,
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a mas um defunto autor, para quem a campa foi
minha morte. Suposto que o uso vulgar seja outro berço; o segundo é que o escrito ficaria
co-meçar pelo nascimento, duas considerações me assim mais galante e mais novo.
Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis
a) A narrativa decorre de forma cronologi-camente correta, de acordo com a passagem do tempo:
infância, juventude, maturidade e velhice.
b) A linearidade das ações apresenta cenas de suspense, dado o comportamento inusi-tado dos
personagens.
c) Não há como prever o final da narrati-va, já que seu enredo é, propositadamente, complicado.
d) A ação terá, como cenário, os diversos centros cosmopolitas do mundo.
e) O autor usa o recurso do flashback devi­do a sua intenção de iniciar o romance pelo “fim”.

13. Leia o trecho abaixo e responda as alternativas abaixo:

Capítulo III as pernas, até formar um X: decifra-me ou


O emplasto devoro-te.
Com efeito, um dia de manhã, estando a Essa ideia era nada menos que a
passear na chácara, pendurou-se-me uma ideia no invenção de um medicamento sublime, um
trapézio que eu tinha no cérebro. Uma vez emplasto anti-hipocondríaco, destinado a aliviar a
pendurada, entrou a bracejar, a pernear, a fazer as nossa me-lancólica humanidade. Na petição de
mais arrojadas cabriolas de volatim, que é privilégio que então redigi, chamei a atenção do
possível crer. Eu deixei-me estar a contemplá-la. governo para esse resultado, verdadeiramente
Súbito, deu um grande salto, estendeu os braços e cristão. (...)
Machado de Assis – Memórias póstumas de Brás Cubas
a) Relativo ao trecho lido, responda em que tipo de foco narrativo ele está estruturado?

b) Traduza a expressão anti-hipocondríaco, que aparece no 2º parágrafo.

c) Memórias póstumas de Brás Cubas utiliza recursos estilísticos extraordinários, como a digressão
e a metalinguagem. Defina-os.

d) A cronologia tradicional dos fatos, dentro da narrativa, faz com que a assimi-lação do enredo seja
mais fácil. Machado de Assis, em Memórias póstumas de Brás Cubas, rompe essa tradição e opta
por um início “às avessas”. Identifique esse recurso es­tilístico e explique-o, considerando a obra
citada.

Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 5


Respostas:
10. a) Pelo narrador fazer referências à obra que está produzindo, pode-se dizer que este trecho é
metalinguístico. Como exemplo: “Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou
pelo fim (...)”

b) A ironia consiste em um expediente linguístico que apresenta um enunciado que, semanticamente,


quer dizer o inverso do que está dito de fato, revelando uma atitude de humor sutil por parte do narrador.
O trecho em que melhor se percebe esse expediente é “que levou um daqueles fiéis da última hora a
intercalar esta engenhosa ideia no discurso que proferiu à beira de minha cova”, já que o discurso
proferido não tem nada de original ou engenhoso.

c) O narrador das “Memórias” é Brás Cubas, um defunto autor.

d) Autor defunto é aquele que escrevia em vida e morreu, defunto autor é aquele que morre e, em
seguida, torna-se autor (caso de Brás Cubas).

13. a) “Com efeito, um dia de manhã, estando a passear na chácara, pendurou sê-me uma ideia no
trapézio que eu tinha no cérebro.” Os pronomes “me” e “eu” deixam claro que é o próprio narrador
quem conta a história.

b) Como a “ideia fixa” do narrador era a de inventar um emplasto que eliminasse TODOS os males do
mundo, tal emplasto seria, por certo, anti-hipocondríaco, uma vez que o hipocondríaco tende a se
medicar muitas vezes mais do que o necessário. A medicação exagerada seria extinta com a invenção do
emplasto, portanto.

c) A digressão é o expediente usado pelo narrador para desviar o foco principal da história e introduzir
um comentário (crítico, literário, filosófico) alheio à narrativa de base. A metalinguagem, por sua vez,
consiste no fato da linguagem se debruçar sobre a própria linguagem, é quando o autor nos conta sobre o
processo narrativo, ou quando nos conta acerca das ideias que o cercavam para a construção do livro
dentro do próprio livro.

d) Esse recurso é identificado como Flashback ou, ainda, como mera “narrativa não-linear”, nele o autor
foge da estruturação clássica de “início, meio e fim” e coloca esses pontos aos acaso, sem se preocupar
com a ordem. Em “Memórias póstumas de Brás Cubas”, nosso defunto autor vai nos contando sua
trajetória através da morte e passando aleatoriamente pelas outras fazes da vida.

Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 6


Há 28 anos batendo forte no coração da cidade 7