You are on page 1of 2

O Legado Cultural da Grécia

Introdução.

O estopo do tema Grécia abrange o estudo panorâmico do legado cultural grego, com
enfoque nos aspectos históricos. A contextualização histórica é de fundamental
importância no nosso estudo que tem por seu título: O legado cultural Grego.

Iniciaremos nossa contextualização pelo chamado O legado cultural grego, que tem por
fim abordar a sua ligação histórica.

O Legado Cultural da Grécia.

As principais características gregas era: que a religião era politeísta, mas não impunha
verdades absolutas.

Para a mitologia grega, Urano e Gaia surgiram do nada. Urano comia os próprios filhos e
foi destituído pelo mais jovem deles, Cronos. Este, por sua vez, passou a comer os
próprios filhos, até que Rea, sua esposa, salvou Zeus, o último deles, escondendo-o. Ao
crescer, Zeus obrigou o pai a devolver os irmãos e dividiu então o universo com eles. Zeus
assumiu o papel de mais importante dos deuses e casou-se com sua Irmã Hera. O mundo
subterrâneo ficou a cargo de Hades, enquanto o mundo dos oceanos coube a Poseidon.
Os heróis eram homens que se destacavam por seus feitos e ações gloriosas. O maior de
todos eles era Hércules. Outros foram Perseu, Teseu, Jasão.

As cerimônias religiosas eram importantes porque reuniam pessoas de todas as cidades


do mundo grego que peregrinavam até os santuários mais famosos. Dessa forma,
preservava-se a cultura, além de se incentivar o teatro, a música e a arte nos concursos
organizados nas festas.

As principais fases da filosofia grega são:

a) Pré-socrática ou cosmológica, preocupada com o problema da origem do mundo.


Seus filósofos principais são Tales, Pitágoras, Heráclito, Parmênides;
b) Socrática ou antropológica, aborda temas relacionados com os problemas do
individuo e da organização da humanidade. Preocupa-se com a justiça, o bem , o belo, a
virtude. Seus expoentes principais são Sócrates e Platão;
c) Sistemática, que tem em Aristóteles seu principal filósofo. Reflete sobre os mais
variados assuntos: plantas, animais, astros, pessoas.

O desenvolvimento da cultura Fenícia.


A região povoada pelos fenícios, que corresponde ao atual estado do Líbano e parte da
Síria, consistia em uma pequena faixa de terra estreita, comprimida entre o Mar
Mediterrâneo e as montanhas do Líbano. Vivendo praticamente "espremido" entre o mar e
a montanha.

Os fenícios fizeram da navegação e do comércio sua principal atividade econômica.


A organização política da Fenícia caracterizou-se pela descentralização administrativa; as
cidades jamais constituíram um estado unificado.
Cada cidade possuía seu próprio regime de governo, independente das outras cidades
fenícias. Por essa razão, as principais cidades - estados, Ugarit, Biblos, Sidon e Tiro,
criaram um sentimento de rivalidade e disputa pelo domínio das principais rotas
comerciais, formando um verdadeiro império marítimo. As viagens fenícias, ultrapassando
os limites do Mediterrâneo, contribuíram para o conhecimento das terras ocidentais.
A exploração destas terras a oeste e o contato com vários povos de línguas e costumes
diferentes determinaram o desenvolvimento da cultura fenícia.