You are on page 1of 4

Alegra-te, ó Filha de Sião

Irmã Mary Ellen Smoot


Presidente Geral da Sociedade de Socorro.

As mulheres de todo o mundo serão atraídas à Igreja, se aperfeiçoarmos nossa vida e vivermos
verdades essenciais de modo a mostrar o caminho para que outras pessoas nos sigam.

Minhas queridas irmãs da Sociedade de Socorro, coloco-me humildemente diante de vocês com o
coração pleno de ilimitada gratidão. Testifico que nos últimos meses o Espírito do Senhor esteve guiando
as organizações desta Igreja. Senti sua influência orientadora ao trabalhar com minhas conselheiras
extremamente capazes, nossos dedicados consultores do sacerdócio, os membros da junta e nossa
prestativa equipe, orando sinceramente para que fôssemos orientadas ao levarmos este trabalho adiante.
Pesquisamos e analisamos cuidadosamente a melhor maneira de inspirar nossas irmãs, onde quer que
estejam servindo, no intuito de descobrir como cada uma de nós poderia compreender melhor o
magnífico potencial da organização da Sociedade de Socorro.
Oro para que o Espírito Santo as abençoe com uma visão maior de quem vocês são, por que estão aqui e
os dons especiais que possuem e que podem beneficiar a organização da Sociedade de Socorro. É minha
esperança que ao ponderarem as instruções que receberão esta noite da Primeira Presidência e de sua
presidência geral da Sociedade de Socorro, recebam um testemunho de que essa orientação realmente
veio do Senhor. Este é um momento histórico, de grande significado em nossa preparação para o futuro.
Em Zacarias 2:1011 lemos:
"Exulta, e alegra-te ó filha de Sião, porque eis que venho, e habitarei no meio de ti, diz o Senhor. E
naquele dia muitas nações se ajuntarão ao Senhor, e serão o meu povo, e habitarei no meio de ti e saberás
que o Senhor dos Exércitos me enviou a ti."
Reunimo-nos como irmãs de uma Igreja mundial, regozijando-nos nas bênçãos que o evangelho nos
proporciona. Este é realmente um dia que inspira nosso coração! Em primeiro lugar, acima de tudo,
regozijamo-nos em saber que o Pai Celestial ama cada uma de nós. Regozijamo-nos em nosso
testemunho de Jesus Cristo e de Seu sacrifício expiatório. Regozijamo-nos na restauração do evangelho e
do vigoroso trabalho realizado pelo Profeta Joseph Smith. Regozijamo-nos por viver em uma época em
que um profeta vivo, o Presidente Gordon B. Hinckley, destemidamente leva adiante o vigoroso trabalho
do Senhor. Regozijamo-nos no grande número de templos que estão sendo construídos, pelas novas
tecnologias da ciência da computação para pesquisar nossos antepassados e pelo entusiasmo pelo
serviço. Regozijamo-nos no grande número de missionários que estão sendo enviados a todas as partes
do mundo a fim de reunir os sinceros de coração. Regozijamo-nos em nossa vida pessoal e na
oportunidade que temos de fazer parte do grande plano de felicidade de Deus. Regozijamo-nos na
organização da Sociedade de Socorro e sabemos que as mulheres de todo o mundo serão atraídas à
Igreja, se aperfeiçoarmos nossa vida e vivermos verdades essenciais de modo a mostrar o caminho para
que outras pessoas nos sigam.
Citando as palavras do poeta Wordsworth:
"Nosso nascimento é como o sono e o esquecimento:
A alma que surge conosco, a estrela da vida,
teve outra habitação
e veio de longe.
Não em completo esquecimento
nem em plena nudez,
mas trilhando nuvens de glória,
viemos de Deus, que é nosso lar.
(Ode: Intimations of Immortality from Recollections of Early Childhood)
Nos últimos dois anos e meio de nosso serviço na presidência geral da Sociedade de Socorro, vimos que
as pessoas do mundo têm demonstrado interesse pela Sociedade de Socorro.
Procurando responder às perguntas que nos são feitas por pessoas de fora da Igreja e para lembrar-nos
das grandes bênçãos de sermos mulheres, apresentamos o seguinte, como presidência geral da Sociedade
de Socorro:
Somos amadas filhas espirituais de Deus, e nossa vida tem significado, propósito e
direção.
Como irmandade mundial, somos unidas em nossa devoção a Jesus Cristo, nosso
Salvador e Exemplo.
Somos mulheres de fé, virtude, visão e caridade que:
Aumentamos nosso testemunho de Jesus Cristo por meio da oração e do estudo das
escrituras.
Buscamos força espiritual seguindo os sussurros do Espírito Santo.
Dedicamo-nos ao trabalho de fortalecer o casamento, a família e o lar.
Consideramos nobre a maternidade e somos felizes por sermos mulheres.
Deleitamo-nos no serviço ao próximo e nas boas obras.
Amamos a vida e o aprendizado.
Defendemos a verdade e a retidão.
Apoiamos o sacerdócio como a autoridade de Deus na Terra.
Regozijamo-nos com as bênçãos do templo, compreendemos nosso destino divino e
esforçamo-nos para alcançar a exaltação.

Nós, como presidência, regozijamo-nos nessa declaração, aprovada e endossada pela Primeira
Presidência e pelo Quórum dos Doze, que claramente estabelece princípios de atitude e ação que nos
conduzem de volta à presença de nosso Pai Celestial. Se individualmente colocarmos em prática esses
ensinamentos, alcançaremos a árvore da vida, tal como o pai Leí esperava. Lemos em 1 Néfi 8:12: "E
enquanto eu comia do fruto, ele encheu-me a alma de imensa alegria; portanto comecei a desejar que
dele também comesse minha família; porque sabia que era mais desejável que qualquer outro fruto".
Nós, como o pai Leí, temos a esperança de que em nossa jornada pela estrada da vida, partilhemos do
fruto encontrado neste evangelho de Jesus Cristo de modo pessoal e sintamos a alegria que enche nossa
alma de maior fé, esperança e caridade. Analisemos juntas algumas dessas qualidades e de como elas
podem afetar nossa vida.
Como irmandade mundial, somos unidas em nossa devoção a Jesus Cristo, nosso Salvador e
Exemplo.
Declaramos ao mundo que não é por acaso que aceitamos o evangelho de Jesus Cristo, mas por que ele é
verdadeiro! O grande plano, quando o ponderamos, coloca a vida na perspectiva correta.
Sabemos que sempre existimos e que sempre existiremos. Sabemos que fomos enviadas à Terra para
adquirir experiência e sermos provadas. As decisões que tomamos são vitais se quisermos alcançar a vida
eterna e a exaltação. Sabemos que este estado é importante e esse entendimento dá significado, propósito
e direção em nossa vida. Em resumo, todas desejamos aprender bem nossas lições e voltar para casa para
nosso amoroso Pai Celestial.
Aceitamos o Salvador como o Filho Unigênito de nosso Pai Celestial. Sabemos que por meio Dele
seremos redimidas e ressuscitadas. Portanto, "falamos de Cristo, regozijamo-nos em Cristo, pregamos a
Cristo". (2 Néfi 25:26)
Temos fé, virtude, visão e caridade.
Ao visitarmos diversas regiões do mundo, encontramos muitas irmãs da Sociedade de Socorro que estão
firmemente agarradas à barra de ferro. Temos fé que quando surgem as tormentas da vida e decidimos
manter-nos limpas e puras quando sofremos tentações.
Vemos uma fonte de caridade jorrando do coração de cada irmã que busca o "puro amor de Cristo".
(Morôni 10:47)
Dedicamo-nos ao trabalho de fortalecer o casamento, a família e o lar e consideramos nobre a
maternidade e somos felizes por sermos mulheres.
Sabemos que o lar é a unidade básica criada por Deus para nosso serviço e aprendizado. Essa
compreensão gera o compromisso de fazermos com que o tempo que passamos com a família seja a
nossa mais alta prioridade e olharmos dentro de nós mesmas para saber como nos tornarmos melhores
companheiras. Essas reflexões resultam em ações gentis, amorosas e tolerantes para com o cônjuge.
Vemos irmãs que realmente desejam que seus filhos partilhem o fruto do evangelho indo para a missão e
casando-se no templo, de modo que reservam um tempo para realizar noites familiares significativas,
para estudar as escrituras e orar em família, assim como para ir ao templo regularmente. A declaração
será um lembrete constante para que nos concentremos em nossas responsabilidades mais importantes.
Mas nem todas as mulheres geraram os filhos de quem são mãe.
O Presidente Joseph F. Smith ficou órfão quando tinha apenas treze anos de idade. Ele foi mais tarde
enviado a uma missão nas ilhas havaianas. Na ilha de Molokai, ele contraiu uma febre e ficou
gravemente enfermo por três meses. Uma maravilhosa irmã havaiana cuidou dele tão carinhosamente
como se fosse seu próprio filho.
Muitos anos depois, o Presidente Smith visitou as ilhas como Presidente da Igreja. Charles Nibley
carinhosamente descreve o que aconteceu:
"Era uma linda visão o profundo amor e carinho que aquelas pessoas sentiam por ele, a ponto de
verterem lágrimas. Em meio a tudo isso, notei uma mulher pobre, idosa e cega, já com passos vacilantes
por seus noventa anos de idade, sendo conduzida até ele. Ela trazia um belo cacho de bananas nas mãos.
Era tudo que tinha para oferecer-lhe. Ela estava chamando: 'Iosepa, Iosepa'. Assim que ele a viu, correu
até ela e a abraçou, deu-lhe vários beijos e acariciou-lhe a cabeça com tapinhas carinhosos, dizendo:
'Mama, Mama, minha querida velha Mama'.
E com lágrimas correndo pelo rosto, ele voltou-se para mim e disse: 'Charlie, ela cuidou de mim quando
eu era rapaz e estava doente, sem ninguém que cuidasse de mim. Ela cuidou de mim e foi como uma mãe
para mim'".
(Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, pp. XVI e 192.)
Todas podemos estender os braços com muito amor para outras pessoas e conceder dádivas de
compaixão e carinho que somente podem fluir do coração de uma mulher.
Deleitamo-nos no serviço ao próximo e nas boas obras.
Há algumas semanas, um tornado atingiu Salt Lake City, deixando atrás de si uma trilha de devastação e
destruição. Na manhã seguinte, uma presidente de Sociedade de Socorro da estaca, cuja casa tinha sido
severamente danificada, preparou um relatório que forneceu informações a seus líderes do sacerdócio
para futuras visitas e avaliações.
A educação formal é outra maneira de ajudar as pessoas e mudar a vida delas para sempre. Uma
conselheira educacional compreendeu o seu papel. Ela convidou duas amigas e fizeram juntas um curso
sobre o ensino do inglês como segunda língua. Elas hoje ensinam inglês a uma maravilhosa família de
treze pessoas proveniente de Kosovo. A educação formal foi uma bênção tanto para a professora quanto
para os alunos.
Defendemos a verdade e a retidão.
Manifestamo-nos para impedir o avanço da imundície e corrupção que assolam nossa sociedade. As
irmãs sabem discernir o certo do errado e permanecem firmes no lado do Senhor, fazendo escolhas que
as diferenciam do restante do mundo ao avaliarem cuidadosamente os programas aos quais a família
assiste, vestirem-se com recato e deixarem de ver filmes que glorifiquem a violência e a imoralidade.
Apoiamos o sacerdócio como a autoridade de Deus na Terra.
Vemos irmãs nesta grande Igreja que reconhecem as bênçãos do sacerdócio restaurado. Regozijamo-nos
em cada bebê que é abençoado, cada criança que é batizada, ao tomar o sacramento e ser designadas a
chamados na Igreja e observar nosso marido dar uma bênção paterna. Somos gratas pelas bênçãos do
sacerdócio que iluminam nosso caminho e nos proporcionam orientação e esperança. Regozijamo-nos
pelos dignos portadores do sacerdócio e os apoiamos.
Regozijamo-nos com as bênçãos do templo, compreendemos nosso destino divino e esforçamo-nos
para alcançar a exaltação.
Vemos irmãs que se regozijam nas bênçãos do templo -- irmãs que procuram fazer e guardar seus
convênios, realizando o trabalho por seus antepassados falecidos e nesse processo sentem alívio de seu
próprio fardo e encontram mais forças para resistir às tentações.
Vemos filhas de Deus que compreendem seu destino eterno e seu potencial e se esforçam para sobrepujar
suas fraquezas.
Testificamos que cada uma de nós tem um papel vital, sim, uma missão sagrada a realizar como filha de
Sião. Este é um novo dia, o início de uma nova era. Este é o nosso tempo, e é nosso destino regozijar-nos
ao enchermos a Terra com mais bondade e gentileza, mais amor e compaixão, mais empatia e simpatia
do que jamais houve antes. É hora de dedicar-nos completamente ao Mestre e permitir que Ele nos
conduza a campos frutíferos, onde poderemos enriquecer um mundo cheio de trevas e miséria. Cada uma
de nós, seja quem for, precisa erguer-se e aproveitar ao máximo as oportunidades que surgirem.
Precisamos seguir o conselho que nos foi dado pelo Senhor e Seus servos e tornar nosso lar uma casa de
oração e um porto de segurança e paz. Podemos e precisamos aprofundar nossa fé, aumentando nossa
obediência e sacrifício. Nesse processo individual veremos um milagre acontecer. A Sociedade de
Socorro começará a expandir-se e alcançará os milhões de necessitados. Ela continuará a tornar-se uma
organização que proporciona auxílio e alegria. Isso acontecerá passo a passo, uma irmã a cada vez.
Iremos unir-nos em retidão e verdadeiramente partilhar do fruto da árvore da vida juntas. Os frutos de
nosso trabalho podem curar o mundo, e nesse processo, irmãs, curar-nos também!
É minha humilde oração que cada uma de nós saia desta reunião decidida a dedicar sua vida a Cristo.
Prometo que se assim fizerem, terão grande motivo para regozijar-se, "pois o Senhor [habitará] no meio
de ti". (Zacarias 2:11) Presto testemunho disso em nome de Jesus Cristo. Amém.