You are on page 1of 3

Aeônicas e Heresia

Ordem dos Nove Ângulos

Traduzido por Fabius Maximus Sanguinus

A distorção do Nazareno/Magiana manifesta-se em muitos níveis - o


religioso, o político, o social e o psíquico. Este último é o mais
importante, embora ele tende a ser negligenciado. Os três primeiros são
essencialmente formas externas - isto é, um indivíduo pertencendo à
civilização do Ocidente (e assim um dos quais a herança psíquica* é o
ethos Ocidental) é condicionado por estes em termos de: educação, a
mídia, as Instituições e assim por diante. Ali tem crescido, durante os
últimos cinqüenta anos ou mais, o consenso de opinião sobre vários
assuntos, e este consenso atinge muitas formas políticas e todas as
formas de educação: cada Estado dentro das sociedades do Ocidente aderem
a este consenso. Havia a aparência de discórdia, más é apenas aparência,
lidando como o faz com não-essenciais - como o tipo particular de
governo, a natureza da economia e ssim por diante. Este consenso é
essencialmente 'liberal', isto é, baseado num tipo de 'mentalidade
escrava' (nota; liberal aqui não é usado como um termo diretamente
político, más uma expressão de um modo de vida: um modo derivando em
essência de idéias Nazarenas).

A Quarta manifestação mencionada acima - a psíquica - é uma expressão do


fato que as formas arquetípicas 'Nazarenas/Magianas" tem de certa forma
reposto aquelas naturais crescendo da energia do Aeon Ocidental. O
resultado disto deve ser óbvio. Se isto (e de certa forma a distorção
por si mesma) é o resultado do ato mágico deliberado de 'adeptos' das
tradições Nazarenas/Magianas é aberto para disputa, embora alguns
Adeptos da tradição sinistra acreditam ser assim. (Não há, no entanto,
nenhuma evidência direta disto.) Aqueles Adpetos acreditam que os
seguidores da tradição Magiana desejam cumprir certas profecias de dois
mil anos e criar um 'Reino Messiânico' na Terra. Para este fim, eles
cuidaram de espalhar a mentalidade escrava do Nazareno e estas idéias
derivando de crenças Nazarenas que são e tem sido tão prejudiciais para
o ethos do Ocidente e seu destino.

A distorção tem mudado a civilização Ocidental significamente: de uma


entidade pioneira, imbuída com valores elitistas e exaltando o caminho
do guerreiro (e assim consagrando uma 'moralidade-mestre') ela tem se
tornado essencialmente neurótica, voltado para o interior e obcecada (e
obcecada parcialmente com arquétipos anti-Ocidentais). Tem havido, de
fato, nenhuma espírito Prometeano/Luciferiano.

Parte desta mudança é devido ao isolamento que idéias dogmáticas (como a


fé Nazarena e seus desdobramentos políticos) criou: o ethos Ocidental é
para experimentar, através do élan da descoberta/exploração/conquista -
criando assim uma visão "Prometeana/pragmática" do mundo, uma filosofia
de vida que vitaliza. O ethos Magiano (que deu origem às crenças e
idéias Nazarenas) é para observação de fé e dogma - é essencialmente uma
atitude 'religiosa' (e compromisso para um dogma político é também uma
atitude religiosa), uma visão do mundo que não é produtiva de
experiência verdadeira: isto é, ela 'projeta' idéias abstratas na
realidade ao invés de procurar encontrar a essência escondida pelas
aparências.

Em termos práticos, a distorção equivale a ambas física e mental


tirânias - aqueles que opõem, abertamente, as idéias/dogma do consenso
são hereges, e em muitos países Ocidentais eles não só não são
tolerados, como a força cheia da 'lei' é usada contra eles. Eles, e
outros dissidentes, são sujeitos a 're-educação' e as visões que eles
expõem são consideradas quase sem exceção como o 'mal'.

O núcleo central da heresia é duplo: primeiro, igualdade; segundo,


identificação com arquétipos Ocidentais específicos e particularmente
com 'inspiração/energia/demônio' que propulsa a realização do destino
Ocidental (isto é, Império). É o primeiro destes que usualmente atrai a
maior atenção.

Essencial ao ethos Ocidental, e assim à realização deste destino, é a


crença na superioridade de seus povos e sua civilização. Esta crença,
apoiada pela 'minoria criativa' de todas as civilizações considerando
eles mesmos e sua própria civilização como uma parte essencial do
mecanismo de todas as civilizações, e ela sozinha permite a transmissão
do élan da civilização e assim a realização do Aeon mágico. É uma parte
natural da evolução, e falhar para entender isto significa um mal-
entendimento do mecanismo pelo qual energia acausal se torna uma
civilização: não há nenhuma 'moralidade' envolvida, nenhuma 'visão
política', meramente uma expressão dos trabalhos do cosmos
(particularmente como relata aos indivíduos não ainda Adeptos...), Esta
visão, tão importante para o entendimento do futuro (e assim para a
mágica Aeonica e tais mágicas futuras podem criar), é anatema hoje. O
dogma não-natural do Magiano, presenciado nas formas do Estado/governo,
tem feito a realidade da desigualdade racial um crime por lei. Aqui, as
fulminações abstratas dos Nazarenos e seus aliados estão no seu maior
perigo: eles tem distorcido não apenas o ethos do Ocidente más também a
própria realidade de acordo com seu próprio dogma amado. O resultado é
inevitável: o domínio das idéias Magianas/Nazarenas, uma civilização
Ocidental morrendo, e um severo mal-tempo naqueles que podem apreender a
essência e assim cumprir seu próprio destino. (Como mencionado noutro
lugar, a realização do Império Galático - a consequência da civilização
Ocidental seguindo seu próprio élan/arquétipos - é reconhecida como uma
pré-condição necessária para o próximo Aeon: o 'Novo Aeon' da 'mitologia
Oculta' quando a 'passagem do Abismo' se torna possível em larga
escala.)

Dado este entendimento, fica para cada e todo Adepto decidir o que e o
que não deve ser feito com relação à mágica Aeonica. Todo este
entendimento abre novas possibilidades para o futuro. Podem haver ritos
para ajudar a realização do destino Ocidental (por exemplo, 'missas
heréticas' onde a desigualdade racial triunfa e a igualdade Nazarena é
ridicularizada); ritos para desmembrar as imagens Nazarenas, repondo-as
com algumas sinistras más não diretivas (diretivas no senso do destino
Ocidental); ritos para criar novos arquétipos inteiramente; ritos para
abrir outro 'Portal', aspirando ao retorno dos Deuses Sombrios.....
* Um indivíduo, ao ser nascido dentro duma civilização é fisicamente
ligado ao ethos daquela civilização (e assim aos arquétipos naturais) se
aquele indivíduo é descendente do povo que criou aquela civilização e a
manteu/expandiu. Isto é, arquétipos aeonicos são ligados racialmente
(isto deriva da origem da civilização - como o elan é carregado através
dos séculos).

(Veja o simbolismo do Jogo Estelar para isto e a metamorfose. Também


outros MSS.)

** Aqui como em outros lugares, Prometeano é sinônimo com


Satânico/sinistro.