You are on page 1of 9

1.

Exemplos resolvidos
Exemplo 1: Emenda por traspasse de barras isoladas
Calcule o comprimento de traspasse sem gancho, a armadura transversal da emenda e estude a dis-
posição das armaduras longitudinal e transversalmente, a partir dos dados apresentados, considerando que
será necessário emendar todas as barras.
Dados:
ƒ As,calc = 7,5 cm² (armadura de tração de viga fletida);
ƒ As,ef = 4 φ 16 mm = 8,0 cm²;
ƒ aço CA-50, barras nervuradas (alta aderência) dispostas isoladamente (sem feixe);
ƒ aço CA-50 na armadura transversal;
ƒ fck = 25 Mpa;
ƒ bw = 18 cm; h = 45 cm (seção transversal da viga);
ƒ φl = 16 mm; φt = 6,3 mm

ƒ cnom = 25 mm
ƒ condição de aderência: boa
ƒ diâmetro máximo do agregado = 19 mm

Resolução:
ƒ Determinação da tensão de aderência (fbd)
fbd = η1 ⋅ η 2 ⋅ η 3 ⋅ fctd
η1 é igual a 2,25, uma vez que a barra de 16mm é de alta aderência;
η2 é igual a 1 para barras situadas em zonas de boa aderência;
η3 é igual a 1 para barras de diâmetro não superior a 32mm;
0,21⋅ 3 fck 2 0,21⋅ 3 25 2
fctd = = = 1,282 MPa
γc 1,4
Então:
f bd = η1 ⋅ η 2 ⋅ η 3 ⋅ f ctd = 2,25 ⋅ 1 ⋅ 1 ⋅ 1,282 = 2,885 MPa
ƒ Determinação do comprimento de ancoragem básico (lb)

φ f yd 1,6 435
lb = ⋅ = ⋅ = 60,3 ≅ 60 cm
4 f bd 4 2,885
ƒ Determinação do comprimento de ancoragem necessário (lb,nec)
Como não há gancho:
α1 = 1,0
Portanto:
⎧ 0,3 ⋅ l b = 0,3 ⋅ 60 = 18 cm
As,calc 7,5 ⎪
l b,nec = α 1 ⋅ l b ⋅ = 1,0 ⋅ 60 ⋅ = 56cm > ⎨ 10 ⋅ φ = 10 ⋅ 1,6 = 16 cm
As,ef 8 ⎪ 10 cm

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado
Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
Como será necessário emendar todas as barras, a disposição das barras na seção transversal recai na
situação de mais de uma camada, em virtude do espaçamento mínimo necessário, como mostrado:
⎧ 2 cm

ah ≥ ⎨ φ = 1,6 cm
⎪ 1,2 ⋅ d
⎩ max agregado = 1,2 ⋅ 1,9 = 2,28 cm

Em uma camada :
ah = (18 − 2 ⋅ 2,5 − 2 ⋅ 0,63 − 4 ⋅ 1,6) / 3
ah = 1,78cm
Em duas camadas :
ah = (18 − 2 ⋅ 2,5 − 2 ⋅ 0,63 − 3 ⋅ 1,6) / 2
ah = 3,47cm → Adotado!

Figura 1.1 - Emendas por traspasse - Seções transversais


A proporção máxima de barras emendadas numa mesma seção será de 50%, que é o percentual má-
ximo para o caso de barras de alta aderência dispostas em mais de uma camada sujeitas a um carrega-
mento estático;
Para 50% de barras emendadas na mesma seção:
α0t = 1,8
ƒ Determinação do comprimento de traspasse

As barras emendadas serão detalhadas justapostas entre si, ou seja, com distância menor que 4φ. En-
tão:
l 0 t = α 0 t ⋅ l b,nec ≥ l 0 t,mín
l 0 t = 1,8 ⋅ 56 = 101 cm
⎧ 0,3 ⋅ α 0t ⋅ l b = 0,3 ⋅ 1,8 ⋅ 60 = 32 cm

l 0t,mín ≥ ⎨ 15φ = 15 ⋅ 1,6 = 24 cm
⎪ 20 cm

∴ l 0t = 101 cm

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
ƒ Determinação da armadura transversal nas emendas

Esta armadura deve concentrar-se nos terços extremos da emenda e ser capaz de resistir à força de
uma barra emendada. Como o aço da armadura transversal é o mesmo da longitudinal, Ast pode ser calcu-
lado diretamente por:
7,5
Ast = ⋅ 2,0 cm 2 = 1,88 cm 2 , adotaremos 5 φ 5.0mm (1,00 cm²) em cada extremidade da emenda.
8
C

B
A
33 33 33 33

5 Ø 5.0

101 20 101
C

B
A

Figura 1.2 - Emendas por traspasse - Esquema longitudinal

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
Exemplo 2: Ancoragem de feixes de barras
Calcule o comprimento de ancoragem e a armadura transversal de confinamento a partir dos dados a-
presentados.
Dados:
ƒ As,calc = 19,1 cm² (armadura de tração de viga fletida);
ƒ As,ef = 10 φ 16 mm = 20,0 cm²;
ƒ aço CA 50, barras nervuradas (alta aderência) dispostas em 5 feixes de 2 barras;
ƒ aço CA 50 na armadura transversal;
ƒ fck = 30 Mpa;
ƒ bw = 22 cm; h = 60 cm (seção transversal da viga);
ƒ φl = 16 mm; φt = 6,3 mm

ƒ cnom = 30 mm
ƒ condição de aderência: má (armadura negativa);
Resolução:
ƒ Determinação do diâmetro equivalente ( φ n ):

φ n = φ f ⋅ n = 16 × 2 = 22,6 mm
Como φn ≤ 25 mm, o feixe pode ser tratado como uma barra única, de diâmetro φn.
ƒ Determinação da tensão de aderência (fbd)
fbd = η1 ⋅ η 2 ⋅ η 3 ⋅ fctd
η1 é igual a 2,25, uma vez que a barra de 16mm é de alta aderência;
η2 é igual a 0,7 para barras situadas em zonas de má aderência;
η3 é igual a 1 para barras de diâmetro não superior a 32mm, no caso φ n = 22,6mm .
0,21⋅ 3 fck 2 0,21⋅ 3 30 2
fctd = = = 1,448 MPa
γc 1,4
Então:
fbd = 2,25 ⋅ 0,7 ⋅ 1⋅ 1,448 = 2,281MPa
ƒ Determinação do comprimento de ancoragem básico (lb)
φ n f yd 2,26 435
lb = ⋅ = ⋅ = 107,7 ≅ 108 cm
4 fbd 4 2,281

ƒ Determinação do comprimento de ancoragem necessário (lb,nec)


A adoção de ganchos não é recomendável no caso de feixes de barras (α1 = 1,0).
Portanto:
⎧ 0,3 ⋅ 108 = 32 cm
19,1 ⎪
l b,nec = 1,0 ⋅ 108 ⋅ = 103 cm > ⎨ 10 ⋅ 2,26 = 23 cm
20 ⎪ 10 cm

∴ l b,nec = 103 cm

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
ƒ Armadura transversal de confinamento
Como o diâmetro equivalente é menor que 32 mm, deve haver armadura transversal capaz de resistir a
25% do esforço de ancoragem de um feixe. Essa armadura deve estar disposta ao longo do comprimento
de ancoragem.
19,1
Ast = 0,25 ⋅ ⋅ (2 ⋅ 2,0 cm2 ) = 0,96 cm2 (reparar que o aço é CA 50 tanto para as armaduras transver-
20
sais quanto para as longitudinais).
Podem ser consideradas as armaduras transversais existentes ao longo do comprimento de ancora-
gem.

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
2. Exercícios propostos
Exercício 1: Emendas por traspasse de barras isoladas com gancho
Calcule o comprimento de traspasse com gancho, a armadura transversal da emenda e estude a
disposição das armaduras longitudinal e transversalmente, a partir dos dados apresentados, conside-
rando que será necessário emendar duas das barras.
Dados:
ƒ As,calc = 11,5 cm² (armadura de tração de viga fletida);
ƒ As,ef = 4 φ 20 mm = 12,6 cm²;
ƒ aço CA 50, barras nervuradas (alta aderência) dispostas isoladamente (sem feixe);
ƒ aço CA 60 na armadura transversal;
ƒ fck = 30 Mpa;
ƒ bw = 25 cm; h = 50 cm (seção transversal da viga);
ƒ φl = 20 mm; φt = 5,0 mm

ƒ cnom = 30 mm
ƒ condição de aderência: boa

Respostas parciais:
l b = 66,8 ≅ 67 cm

l 0t = 1,8 ⋅ 43 = 75 cm
Ast = 2,40 cm 2

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
Exercício 2: Ancoragem de feixes de barras
Calcule o comprimento de ancoragem e a armadura transversal de confinamento a partir dos dados a-
presentados.
Dados:
ƒ As,calc = 23,0 cm² (armadura de tração de viga fletida);
ƒ As,ef = 8 φ 20 mm = 25,2 cm²;
ƒ aço CA-50, barras nervuradas (alta aderência) dispostas em 4 feixes de 2 barras;
ƒ aço CA-50 na armadura transversal;
ƒ fck = 28 Mpa;
ƒ bw = 18 cm; h = 50 cm (seção transversal da viga);
ƒ φl = 20 mm; φt = 6,3 mm

ƒ cnom = 30 mm
ƒ condição de aderência: má
Respostas parciais:
fbd = 2,178 MPa
l b,nec = 129 cm
Ast = 1,44 cm2

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
Referências Bibliográficas

1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Projeto de estruturas de concreto - Procedi-


mento. NBR 6118:2003.. Rio de Janeiro, RJ: 2003
2. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Projeto e execução de obras de concreto ar-
mado. NB-1/1978. Rio de Janeiro, RJ: 1978
3. FERNANDES, Rejane M. & EL DEBS, Ana Lúcia H. de C. A influência das ações repetidas na ade-
rência aço-concreto In: IV Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto. Anais. São Paulo, SP:
2000.
4. FUSCO, Péricles Brasiliense. Técnica de armar as estruturas de concreto. 1ª Ed. São Paulo: PINI,
1995. 382p.
5. LEONHARDT, Fritz. & MÖNNIG, Eduard. Construções de Concreto. 2ª Ed. Rio de janeiro: Interciên-
cia, 1977. Vol. 1 e 3.
6. MONTOYA Pedro J. & MESEGUER, Álvaro G., CABRÉ, Francisco M. Hormigón Armado. 14ª Edición.
Barcelona: Editora Gustavo Gilli, 2000.
7. SILVA, Reginaldo C. & GIONGO, José S. Ancoragem no apoio extremo em vigas de concreto arma-
do:análises teórica e experimental. In: 44º Congresso Brasileiro do Concreto - IBRACON. Anais. Belo
Horizonte, MG:2002.
8. SÜSSEKIND, José Carlos. Curso de concreto. 3ª Ed. Porto Alegre: Globo, 1983. 281p. Vol.1

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais
Ficha Técnica:

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 – Comportamento conjunto dos materiais
Coordenação Geral: Engº Rodrigo Broering Koerich
Autores: Engº Eduardo Klein
Engº Rodrigo Broering Koerich
Revisão Técnica: Prof. Dr. Lauro Modesto dos Santos
Revisão Ortográfica: Jornalista Berenger da Silva Ferreira
Roteirização: Engº Rodrigo Broering Koerich
Hipermídia: Jornalista Pablo Prudêncio
Juliana Diniz da Silveira
Rafael David Gonzaga
Rafael Silveira de Souza
Locução: Duran Silveira

AltoQi Tecnologia em Informática Ltda. ®

Curso sobre a NBR 6118:2003 – Concreto Armado


Aula 2 - Comportamento conjunto dos materiais