You are on page 1of 36

ÍNDICE

INTRODUÇÃO – VANTAGENS DO DAYTRADE________________2

PERIODICIDADES_______________________________________3

ESCOLHA DOS ATIVOS PARA DAYTRADE___________________4

MUDANÇA DA TENDÊNCIA DE CURTO PRAZO_______________7

CANDLESTICK__________________________________________8

FIGURAS NO INTRADAY_________________________________14

GAPS_________________________________________________18

SUPORTE/RESISTÊNCIA, CANAIS E LINHAS DE TENDÊNCIA___19

INDICADORES NO INTRADAY_____________________________22

BANDAS DE BOLINGER__________________________________22

RECURSOS DO IFR_____________________________________24

DIDI INDEX____________________________________________25

MEDIAS MOVEIS_______________________________________26

ONDAS DE ELLIOT_____________________________________28

FIBONACCI___________________________________________29

KELTNER CHANEL_____________________________________32

OPERANDO COM 3 TELAS______________________________33

DICAS EM GERAL______________________________________36

Página 1 de 36
Introdução
O Day Trade consiste na operação de compra e venda ou venda e compra (venda a
descoberto) de um determinado ativo no mesmo dia. O objetivo dessa estratégia é
aproveitar a grande volatilidade do mercado de ações Brasileiro.

1- Vantagens do Day Trade

1- TRABALHAR ALAVANCADO; A maioria das corretoras concede limites de


100% a 500%, para operações de Day Trade, desta forma um ganho de 1% pode
representar em seu capital um ganho real de até 5%, além do que, hoje muitas
corretoras oferecem pacotes de corretagens que facilitam a obtenção de lucro no
Day Trade, Vejamos dois exemplos:
No primeiro exemplo, digamos que você tem um capital de R$10.000,00, e ao ver
uma boa oportunidade de compra da ação de Petr4 ao preço de R$33,30,
resolve entrar comprado, mas como seu capital é baixo você só consegue
comprar 300 ações, nesta operação Você espera conseguir pelo menos 5% de
lucro, então o valor da ação teria que alcançar R$34,96, ou seja, teria que subir
R$1,66 (você teria que esperar alguns dias e torcer para que nada no mundo do
petróleo aconteça e reverta a subida da ação, alcançando seu stop de perda).
No segundo exemplo, com os mesmos R$10.000,00 e vendo a mesma
oportunidade de entrada, mas agora usando uma alavancagem de 5x para o Day
Trade, Você tem R$50.000,00 e, portanto resolve comprar 1500 ações de Petr4 a
R$33,30, totalizando R$49.950,00, e para conseguir os mesmos 5% pretendidos
a ação teria que subir apenas R$0,33, aproveitando a grande volatilidade do
papel naquele dia.

2- DORMIR TRANQUILO E ACORDAR SEM SUSTOS; Quem nunca viu ou


ouviu falar de ações que de um dia para o outro abriram em Gaps enormes e que
acarretaram grandes prejuízos aos investidores é comum vermos gaps de
abertura com variações de 5% a mais de 30% (ETER3, EMBR3).

3- INDEPENDÊNCIA DA TENDÊNCIA PRINCIPAL; Uma das principais


vantagens do Day Trade é não ter que se preocupar com a Tendência principal
presente nos gráficos de Swing trade e Position, devido à alta volatilidade diária,
o que interessa a um Daytrader é aproveitar as oportunidades diárias do sobe e
desce das ações.

4- OPERAR COMPRADO E OPERAR VENDIDO; Outra grande vantagem do


Day Trade é poder comprar e vender e vender e comprar (Venda a descoberto),
com a mesma facilidade e mesmos custos, diferente de uma operação normal,
onde o aluguel de ações acarreta custos adicionais.
2- PERIODICIDADES

Os Períodos gráficos mais utilizados para operações Day trade são: 1, 5, 15 e 30


minutos, (em nosso curso focaremos o período de 1 minuto em ativos com altaPágina 2 de 36
volatilidade), mas aprenderemos também como identificar outros ativos para Day
Trade

A vantagem do gráfico de 1 minuto são as indicações menos atrasadas e a


formação de figuras que ficam ocultas nos gráficos com maior periodicidade. Veja
exemplos na figuras 1 e 1.1

FIGURA 1 - PETR4 – 1
MINUTO

FIGURA 1.1 – PETR4 – 15 MINUTOS


2.1 - ESCOLHA DOS ATIVOS PARA DAY TRADE
Duas Características são fundamentais para a escolha de um ativo para o
Day trade, são elas: Volatilidade adequada e Boa Liquidez.
Página 3 de 36
VOLATILIDADE; A Volatilidade está relacionada a diferença de preço que
um determinado ativo forma durante um determinado período de tempo, de
certa forma podemos dizer que a volatilidade é uma unidade de medida para
a velocidade do sobe e desce dos preços a cada pregão.
A Volatilidade geralmente é maior no inicio e no fim do dia, pois ao longo do
mesmo os preços buscam sua media e perdem a força de movimentação, por
isso a maior possibilidade de ganho está no inicio e no fim do pregão.
Uma Volatilidade adequada para o Day trade, seria a movimentação dos
preços para a formação de uma tendência definida.

Vejamos abaixo 2 exemplos de ativos diferentes, mas de mesma


periodicidade.
Figura 2 - KEPL3 – 15 minutos

Página 4 de 36

Note que é impossível definir qual a tendência deste ativo no Intraday e que
sua volatilidade é muito baixa, os preços se movimentão sem indicação.

Figura 2.1 – GOLL4 – 15 Minutos

Note que as tendências de curto prazo são claramente definidas neste ativo e
que as movimentações dos preços possuem indicações de compra e venda.

Página 5 de 36
LIQUIDEZ
Basicamente Liquidez é a capacidade que uma ação tem para ser convertida
em dinheiro, em outras palavras se você precisar vender uma determinada
ação ela deve possuir compradores interessados o suficiente para que não
seja necessário vende-la abaixo do valor de mercado.
Por isso é muito importante que antes de escolher um ativo para Day trade
deve-se verificar qual a media de liquidez para aquele determinado período;
Vejamos um exemplo:
João decide fazer um Daytrader na ação xxx5 – 15 minutos, como estava
alavancado em 500%, consegue comprar 10k (10.000 ações) a um preço de
R$12,00 cada, ao subir R$0,04, ele resolve vender tudo, (pois teria um lucro
de R$400,00), ocorre que o ativo tem poucos interessados (baixa liquidez), e
ninguém quer pagar R$12,04 por este ativo, depois de esperar por horas e a
ação já ter caído, no final do pregão João encerra seu trade a R$11,97,
amargando um prejuízo de R$300,00 mais os custos operacionais.
O que João não observou antes é que a media de negociação do ativo xxx5 é
de 10 negócios por dia e por isso fica muito concentrado nas mãos de poucos
investidores.

Página 6 de 36
2.2 - MUDANÇA DA TENDÊNCIA DE CURTO PRAZO
O Rompimento do preço mínimo anterior (Quando em tendência de alta) e do
preço Máximo anterior (Quando em tendência de baixa), é uma das principais
indicações de reversão de curto prazo dentro de uma tendência definida.
Vejamos os exemplos a seguir:

Figura 2.2. - Vale 5 - 1 minuto

Figura 2.3 – CYRE3 – 15 minutos

Página 7 de 36
3 - CANDLESTICK
Outra forma de identificar uma reversão de curto prazo é através dos
Candlestick (dentro de uma tendência definida), porém é preciso esperar o
rompimento deste para a confirmação da reversão.
Os padrões de Candlestick que mais aparecem no intraday são: Padrões
Altistas “Martelo, martelo invertido, engolfo de alta, Harami de fundo, doji e
estrela da manha”, Padrões Baixistas “estrela da tarde, estrela cadente,
enforcado, engolfo de baixa, harami de topo e nuvem negra”.

Figura 3 - CYRE3 – 15 minutos

Após o rompimento de um duplo martelo invertido o ativo sinalizou compra,


com saída no rompimento do padrão nuvem negra.

Figura 3.1 – PETR4- 1minuto

Durante uma tendência de baixa surge o padrão martelo, sinalizando uma


ótima compra

Página 8 de 36
Figura 3.2 – PETR4 – 1 minuto

Após um forte movimento de alta, surge o padrão “Estrela da tarde”


antecipando a indicação de queda do ativo.

Figura 3.3 – RDCD3 – 15 minutos

Após uma tendência de baixa (curto prazo), forma-se o padrão “Estrela da


manha”, e seu rompimento indicam uma ótima compra.

Página 9 de 36
Figura3.4 – EMBR3 – 15 minutos

Após um rápido movimento de queda aparece o padrão “Harami de fundo”


(mulher grávida), forte indicação de reversão.

Figura 3.5 – CYRE3 – 5 minutos

Após uma tendência de baixa (curto prazo), surge o padrão “Engolfo de alta”,
indicando uma ótima compra.

Página 10 de 36
Figura 3.6 – PETR4 – 1 minuto

“Nesta figura vemos a importância de esperar o rompimento da máxima e


mínima do “padrão “ Doji”, confirmando compra e venda na hora certa.

Figura 3.7 – MRFG3 – 15 minutos

Após um forte Gap de abertura dando continuidade na alta anterior, surge o


padrão “Estrela Cadente”, indicando uma ótima venda no rompimento de sua
mínima.

Página 11 de 36
Figura 3.8 - BBDC4- 15 Minutos

Após uma tendência de alta (curto prazo), surge o padrão Harami de topo,
indicando uma ótima venda no rompimento do mesmo.

Figura 3.9 - BBDC4- 15 minutos

Após tendência de alta (curto prazo), surge o padrão Engolfo de alta


indicando ótima venda.

Página 12 de 36
Figura 3.1.1 - CSNA3 – 15 minutos

Após tendência de alta (curto prazo), surge o padrão “Enforcado” e o


rompimento deste indica uma ótima venda.

Página 13 de 36
4 – FIGURAS DO INTRADAY
São muitas as figuras que podem ser visualizadas no Intraday, porém
veremos aqui as que mais surtem efeitos sobre os preços.

Figura 4 – PETR4 – 1 minuto

Após uma forte tendência de alta (curto prazo), o preço cria uma resistência
que é tocada pela segunda vez, formando um padrão “Topo Duplo” que após
romper o seu suporte imediato, inicia-se uma forte correção.

Figura 4.1 – PETR4 – 1 minuto

Após fortes quedas, o preço forma suportes que ao tocar pela segunda vez e
romper seu topo imediato, forma o padrão “Fundo Duplo”, indicando ótima
compra.

Figura 4.2 – PETR4 – 1 minuto

Página 14 de 36
Após tentativa de subida o preço forma uma resistência e rompe seu suporte
imediato, formando o padrão “Triângulo”, dando continuidade na tendência de
baixa.

Figura 4.3 - RDCD3 – 15 minutos

Durante uma tendência de baixa (curto prazo), os preços vão lentamente


formando fundos mais altos até surgir o padrão “Fundo Arredondado”,
indicando uma ótima compra.

Página 15 de 36
Figura 4.4 – PETR4 – 1 minuto

OMBRO- CABEÇA- OMBRO INVERTIDO (OCOI), Forte indicador de


reversão, porém como todo indicador é preciso esperar o rompimento do
padrão para confirmação de entrada.

Figura 4.5 - RDCD3 – 15 minutos

OMBRO – CABEÇA – OMBRO, Forte indicador de reversão, indicando ótima


venda.

Página 16 de 36
Figura 4.6 – PETR4 – 1 minuto

Durante o mesmo pregão, podemos observar duas importantes figuras:


O padrão “Bandeira” e o já conhecido “Fundo Arredondado”, indicando ótimos
pontos de compra.

Figura 4.7 – PETR4 – 1 minuto

“Retângulo”, uma figura muito comum no intraday , formado após acumulação


horizontal e possui uma boa confiabilidade após seu rompimento.

Página 17 de 36
4.2- GAPS
No intraday dois tipos de gaps aparecem com grande freqüência e possuem
forte indicação de compra ou venda, conhecidos como gaps de abertura e de
continuação.

Gaps de abertura; Antes de começar cada pregão, ocorre um leilão onde


compradores e vendedores disputam os preços, formando assim o preço de
abertura e este quando diferente do preço de fechamento anterior, forma o
Gap de abertura, e operar em sua direção contraria pode indicar um bom
ponto de entrada, pois quase sempre este gap é fechado no mesmo dia.

Gaps de continuação; Dentro de uma tendência de alta ou de baixa, o


candle seguinte abre acima da máxima, (ou abaixo da mínima) do candle
anterior, quanto maior for o afastamento destes candles maior será a
impulsão de alta ou de baixa.

Figura 4.8 – PETR4 – 1 MINUTO

Figura 4.9- PETR4 – 1 MINUTO

Página 18 de 36
5 - SUPORTE/ RESISTÊNCIA, CANAIS E LINHAS DE TENDÊNCIAS
Diferentemente de gráficos diários e semanais, no intraday os suportes/
resistências, canais e linhas de tendência mudam frequentemente, mas assim
como em outras periodicidades, causam o mesmo efeito, e devem ser
verificados com cuidado para não causar entradas atrasadas ou saídas
precipitadas.

5.1- SUPORTE/ RESISTÊNCIA


Podemos observar que no intraday suporte vira resistência e resistência vira
suporte freqüentemente, contudo, quando rompidos ambos iniciam fortes
movimentos, indicando boas entradas.
Quanto mais um suporte for tocado, mas forte será o movimento após seu
rompimento, o mesmo ocorre com a resistência.

Figura 5- PETR4 – 1 minuto

Página 19 de 36
5.2- LINHAS DE TENDÊNCIA DE ALTA (LTA) E BAIXA (LTB)
As linhas de tendência são muito importantes no intraday, e podem
representar bons ganhos durante o pregão, além do que, facilitam a
movimentação do stop de perda e quando rompidas podem representar fortes
movimentos ao contrário de sua tendência.

Figura 5.1 – PETR4- 1 minuto - LTA

Figura 5.2 – PETR4- 1 minuto - LTB

Página 20 de 36
5.3- CANAIS DE ALTA E DE BAIXA
Os Canais de alta são formados por suportes ascendentes, enquanto os
canais de baixa são formados por e resistências decrescentes e ambos
fornecem bons pontos de entrada.

Figura 5.3 – PETR4- 1 minuto

Figura 5.4 – PETR4- 1 minuto

Página 21 de 36
6 - BANDAS DE BOLINGER
Formado por três linhas, uma media móvel simples (linha do meio);
O resultado da media móvel mais 2x o desvio padrão (linha superior);
O resultado da media móvel menos 2x o desvio padrão (linha inferior).
Criado para plotar os canais de alta e de baixa automaticamente, o indicador
Bolinger se mostra muito eficiente em tendências de alta e de baixa e em
acumulações oferece boas oportunidades quando rompido qualquer uma de
suas bandas.
Analisando as Bandas podemos observar que: A largura das Bandas de
bolinger varia de acordo com a volatilidade presente no ativo, volatilidade alta,
(Bandas distantes), baixa volatilidade, (Bandas estreitas)
Preço dentro da Banda superior (Tendência de alta)
Preço dentro da Banda inferior (Tendência de baixa)
Quando dentro de uma tendência, após o preço romper o limite de uma das
bandas, ele buscara sua media.

Figura 6 – GOLL4 – 15 MINUTOS

Página 22 de 36
DIVERGÊNCIAS COM BOLINGER
Um importante sinal que podemos observar nas Bandas de bolinger é a
divergência de baixa e de alta;
Divergência de alta: Quando em uma tendência de baixa, o preço começa
subir, mas a Banda inferior continua caindo.
Divergência de baixa: Quando em uma tendência de alta, o preço começa
cair, mas Banda superior continua subindo.

Figura 6.1- CYRE3 – 15 MINUTOS

Página 23 de 36
6.1 - RECURSOS DO IFR
É um dos indicadores mais utilizados na Analise técnica.
Sua função é medir a força entre compradores e vendedores.
O IRF trabalha entre 0% e 100%, entretanto os pontos mais utilizados são
entre 20 e 30 (zona de sobre vendido), 70 e 80 (zona de sobre comprado), em
nosso curso usaremos os valores entre 30 e 70.
No intraday buscaremos os sinais de compra na zona de super vendido e de
venda na zona de super comprado, além disso buscaremos um importante
sinal, “ Divergência do IFR com o preço da ação”.
Na figura 6.2, podemos observar algumas divergências do IFR, enquanto o
preço faz topos cada vez mais altos, o IFR faz topos mais baixos, mostrando
que a pressão compradora esta diminuindo antecipando uma forte correção
do ativo, enquanto na figura 6.3 vemos importantes pontos de entrada nas
zonas de sobre comprado e sobre vendido

Figura 6.2 – GOLL4 – 15 MINUTOS

Figura 6.3- PETR4 – 1 MINUTO

Página 24 de 36
6.2 – DIDI INDEX

Este modelo gráfico é composto por três medias moveis de 3, 8, 20 periodos,


a indicação que procuraremos neste indicador é conhecida como “Agulhada”,
é quando uma de suas medias cruza de cima para baixo ou de baixo para
cima mostrando o sentido que o preço devera seguir., porém no intraday isto
ocorre frequentemente, e os sinal só terá importância após algum período de
acumulação. Vejamos alguns exmplos:

Figura 6.4 – PETR4 – 1 MINUTO


6.3 - MÉDIAS MOVEIS

Eficiente e de simples aplicação, as medias moveis é um dos indicadores


mais utilizados na análise gráfica. Página 25 de 36
Existem vários tipos de medias móveis, mas em nosso curso trabalharemos
com as Médias Móveis simples.
Para ativos menos voláteis com períodos entre 5 e 30 minutos, recomendo
utilizar a “MS 13 períodos”, para os ativos com alta volatilidade (petr4, vale5),
trabalharemos com 3 medias moveis simples (MS13, MS60, MS65), esta
ultima no entanto MS65, é uma media móvel da media móvel MS60 e servira
como uma linha de sinal.
No intraday podemos utilizá-las tanto para entradas, quanto para saídas.
Nas figuras abaixo, podemos verificar que após a formação de uma tendência
de alta a “MS13” se torna suporte e que na tendência de baixa se torna
resistência, e durante os períodos de acumulação, os preços flutuam sobre
ela até rompê-la para a formação de uma nova tendência.

Figura 6.4 – CYRE3 – 15 MINUTOS

Figura 6.5 – ITUB4- 15 MINUTOS


Página 26 de 36
Figura 6.6- PETR4- 1 MINUTO

Figura 6.7- PETR4- 1 MINUTO


7 - ONDAS DE ELLIOT
Dividida em oito ondas, três de impulsão, duas de correção do movimento e
Página 27 de 36
três de correção da tendência, as Ondas de Elliot tem grande importância na
compreensão dos movimentos dos preços no Intraday.
Na figura 7 podemos notar em um único pregão que a ação ao entrar numa
tendência de baixa completou o ciclo das oito ondas antes da reversão da
tendência, que por sua vez também completou o ciclo de oito ondas em uma
tendência de alta.

Figura 7- PETR4 – 1 MINUTO


8 - FIBONACCI
A seqüência de Fibonacci também pode ser utilizada no intraday, pois mesmo
Página 28 de 36
em tendência de curto prazo se mostrou muito eficiente para identificar pontos
de entrada e saída; As porcentagens mais utilizadas no intraday são: 38,2%,
50% e 61,8%.
Na figura 8 após uma tendência de baixa, o preço começa subir, abre um gap
de impulsão e forma uma nova maxima, traçamos o fibonacci do ponto mais
baixo até o ponto mais alto e colocamos ordem de compra no rompimento
desta resistência, com stop na retração de 61,2%, espelhamos Fibonacci para
cima e colocamos nosso stop de ganho na expansão de 100%.
Na figura 8.1, em apenas cinco minutos o preço alcança nosso stop de ganho,
antes de começar uma nova correção.

Figura 8 - PETR4 – 1 MINUTO

Figura 8.1 – PETR4 – 1 MINUTO


Figura 8.2 – VALE5 – 1 MINUTO

Página 29 de 36

Na figura 8.2, vemos um pequeno movimento de alta no inicio do


pregão, antes do ativo ficar boa parte da tarde em acumulação, traçamos
o Fibonacci, espelhamos para cima e ao romper à máxima vemos o preço
atingir o objetivo de 100% ainda no mesmo pregão.
8.1 - PIVOTS

A partir das ondas de Elliot e das razoes de Fibonacci (0.618, 1, 1.618, 2.618 e
4.236), surgirão os Pivots de alta e de baixa. Página 30 de 36
Pivot de alta: Dentro de uma tendência de baixa é formado um fundo, um topo e um
fundo mais alto que o anterior.
Pivot de baixa: Dentro de uma tendência de alta é formado um topo, um fundo e um
topo mais baixo que o anterior.
Formado o Pivot de alta podemos utilizar as extensões de Fibonacci para projetar os
objetivos do movimento.
Utilizaremos as razoes de Fibonacci para projetar cinco objetivos, em nosso curso
esta ferramenta leva o nome de Retracement, pode ser que você utilize outro
software e o nome seja diferente, mas o que importa aqui são as razoes de
Fibonacci.
Na figura 8.3, após uma tendência de abaixa, podemos observar a formação de um
Pivot de alta e ver que ele cumpre os 5 objetivos, para na seqüência, figura 8.4,
formar um Pivot de baixa, e desta vez cumprir 4 objetivos.

Figura 8.3 – VALE 5- 1 MINUTO


Figura 8.4 – VALE5 – 1 MINUTO

9 - KELTNER CHANEL
Formado por duas bandas e uma media móvel central, o Keltner Chanel é muito
parecido com a media móvel envelope e com as Bandas de Bolinger, porém depois
Página 31 de 36
de um longo período analisando os ativos petr4 e vale5 (1 minuto), percebi que este
indicador em especial trabalhava muito bem com a alta volatilidade desses dois
ativos, calibrado para o período de 200 minutos (longo prazo intraday) e coeficiente
12 (calculo das bandas), podemos tirar as seguintes conclusões:

1- Toda vez que o preço toca ou ultrapassa uma das bandas ele tende a buscar
sua média de 200 períodos;
2- Em uma tendência de alta, com o preço trabalhando acima da media, esta se
torna um bom suporte;
3- Em uma tendência de baixa, com o preço trabalhando abaixo da media, esta
se torna uma resistência;
4- Em períodos sem tendência, os preços convergem à media, fazendo
acumulações sobre a mesma.

Figura 9 – PETR4 – 1 MINUTO


9.1 – OPERANDO COM 3 TELAS

Agora que aprendemos os diferentes tipos de indicadores e suas funcionalidades,


vamos organiza-los de forma a facilitar a visualização e melhorar sua aolicação.Página 32 de 36
A operação com 3 telas facilita nosso estudo porque nos mostra com maior clareza a
junção de todas as ferramentas vista ate agora em nosso curso.
Utilizaremos dois tipos de layouts diferentes, para os ativos petr4 e vale5,
utilizaremos o seguinte layout:
Tela 1- Candlesticks, apenas para desenho de figuras, canais, Lt’s;
Tela 2 – Candlesticks, Bandas de Bolinger, IFR e Didi;
Tela 3 – Candlesticks, Keltner Chanel, e medias moveis de 13, 60 e 65 períodos.
Para os demais ativos, utilizaremos o seguinte layout:
Tela1 – Candlesticks, para desnho de figuras, canais e Lts:
Tela 2 – Candlesticks, MS 13, IFR e Didi índex;
Tela 3 – Bandas de Bolinger

Abaixo vemos as figuras ilustrando todos os indicadores na mesma tela e depois,


separados em 3 telas podemos perceber as diferenças.

Figura 9.1 – PETR4 – 1 MINUTO

Com todos indicadores na mesma tela, ficaria impossível operar qualquer ativo.

Página 33 de 36
Figura 9.2- PETR4 – 1 MINUTO – TELA 1

Figura 9.3 – PETR4 – 1 MINUTO – TELA 2

Figura 9.4 – PETR4 – 1 MINUTO – TELA 3

Página 34 de 36
Figura 9.5 – GOLL4 – 15 MINUTOS – TELA 1

Figura 9.6 – GOLL4 – 15 MINUTOS – TELA 2

Figura 9.5 – GOLL4 – 15 MINUTOS – TELA 3

Página 35 de 36
10- DICAS IMPORTANTES
1- Só opere Day trade, em ativos de boa liquidez e alta volatilidade, evite os
de baixa volatilidade ou os com volatilidade explosiva, (ações que de um
dia para o outro sobem 20%, 30%, para no dia seguinte ou até no mesmo
dia, caírem na mesma proporção.
2- Tente se especializar em um ou dois ativos para tirar o Máximo proveito.
3- Antes de operar Alavancado, opere reduzido até que sua técnica esteja
mais apurada e sua autoconfiança não seja abalada por pequenas perdas.
4- Mantenha a cabeça fria e confie somente no que você aprendeu opiniões
externas só iram atrapalhar
5- Só entre em uma operação se o stop de perda estiver dentro do planejado,
caso contrario, espere outra chance ou vá para outro ativo.
6- Faça revisões semanais em suas operações de Day trade, sendo elas de
perda ou de ganho, isso lhe trará mais conhecimento e fará com que seus
erros sejam menores e seus acertos maiores.
7- Em Day trade, não se deve ter um objetivo de ganho, controle seus stops
de perda que os ganhos serão conseqüência de boas operações.
8- Não sinta medo, controle sua ganância, seja o mais disciplinado possível,
o sucesso vira com certeza...

Página 36 de 36