You are on page 1of 1

Breve comentrio sobre a exposio Gramtica Intuitiva, de Elida

Tessler
Caroline Souza
Um dos primeiros trabalhos com o qual o visitante se depara constitui-se de
uma parede repleta de palavras advrbios, em sua grande maioria que
acompanham a rampa do incio at seu fim. A inscrio de tais vocbulos
em cada uma das placas se d, contudo, atravs da ausncia de material,
do vazio. As letras tem sua forma e sua existncia condicionada pela
presena externa do metal, pelos limites e pelo contorno impostos por ele
impostos. O que elas so, em ltima instncia, o nada.
Em certo sentido, este constitui o cerne mesmo da prpria linguagem. As
palavras no possuem significado se suspensas no vazio, solitrias. Seus
sentidos so produzidos na alteridade, no confronto, na justaposio, na
diferena. So resultados dos dilogos entre os eixos paradigmtico e
sintagmtico. Sua arbitrariedade pode apenas ser minimizada na relao.
Do mesmo modo, na obra intitulada Toda pessoa, temos uma prateleira
com diversos vidros, sobre cujas superfcies inscrevem-se palavras. Em uma
das leituras possveis de se fazer, -nos proposto o fragmento um vidro
tnue entre mim e a vida. Mais uma vez, o principal gatilho de significao
se d na dicotomia dentro/fora. O que os recipientes guardam, na verdade,
o nada. Seu contedo o vazio. Interior e exterior