You are on page 1of 25

Poder e Política

1
Poder e Política
 O Conceito de Poder
A palavra poder adquire muitos significados, mas aquele que estamos
procurando conceituar pode ser assim definido: poder é a capacidade de
exercer influência. Muitos autores definem-no de forma semelhante:

 Max Weber (1982) e Galbraith (1989): “Poder é a capacidade de alguém impor


sua vontade sobre o comportamento de outras pessoas”.
 Corrêa (1977): “Poder social é uma força que exerce influência na conduta
das pessoas” .
 Etzioni (apud CORRÊA, 1977): “Poder é habilidade de um ator para induzir
outro a seguir sua orientação”.
 Aguiar (1989), conceito da Psicologia Social: “Poder social é a capacidade
potencial do indivíduo de influenciar uma ou mais pessoas para agir em
determinada direção ou para mudar a direção da ação. Poder social é portanto
a capacidade de exercer influência interpessoal”.
 May (1981): “Poder é a capacidade de causar ou impedir mudanças”.
 Hampton (1992): “Poder é a capacidade de exercer influência”.
 Robbins (1999): “Poder refere-se à uma capacidade que A tem de influenciar
o comportamento de B, de modo que B haja de acordo com os desejos de A.
2
Poder e Política
 Comparando liderança e poder

 Os líderes utilizam o poder como meio de atingir os


objetivos do grupo.

 Diferença 1: compatibilidade de objetivos (poder é só


dependência)

 Diferença 2: liderança enfoca a influência descendente


do líder sobre o liderado.

3
Poder e Política
 AS BASES DO PODER
 Poder Formal – O poder formal baseia-se na posição que o indivíduo
ocupa dentro da organização. Ele pode emanar da capacidade de coagir
ou recompensar, da autoridade formal ou do controle sobre as
informações. São estes os pontos:
 Poder de recompensa – submissão obtida com base na capacidade de
distribuição de recompensas vistas como valiosas pelos outros.
 Poder coercitivo – baseado no medo, na capacidade do detentor de
distribuir punições e sanções.
 Poder legítimo – é o poder que uma pessoa recebe como resultado de sua
posição na hierarquia formal da organização.
 Poder da informação – influência baseada em habilidades específicas ou
em conhecimentos. Nas organização, as pessoas que detêm dados ou
conhecimentos que são necessários para os demais podem fazer com que
estes se tornem dependentes delas.

4
Poder e Política
 Poder Pessoal - não é preciso ocupar uma posição formal na
Organização para se ter poder. É aquele que emana de
características únicas individuais. Subdivide-se em:

 Poder do Talento: influência baseada em habilidades específicas


ou em conhecimentos.

 Poder de Referência: influência baseada na posse, por uma


pessoa, de traços pessoais ou recursos desejáveis. Se admiro e
me identifico com alguém, esse indivíduo exerce poder sobre mim,
porque desejo agradá-lo.

 Poder carismático: é uma extensão do poder de referência que


emana da personalidade e do estilo de uma pessoa. O líder
carismático consegue articular visões atraentes, corre riscos
pessoais, demonstra sensibilidade pelo ambiente e pelas pessoas.
5
Poder e Política
 Dependência: A chave do poder

 Se alguma coisa for abundante, sua


posse não aumentará o poder.
 Quanto mais você expandir suas opções,
menos poder vai colocar nas mãos dos
outros.

6
Poder e Política
 O que cria a dependência?

 A dependência aumenta quando o


recurso é:
4. Importante
5. Escasso
6. Não substituível

7
Poder e Política
 Importância: é preciso controlar algo considerado
importante para criar a dependência.

 Escassez: um recurso precisa ser percebido como


escasso para que possa gerar dependência.

 Não-Substituição: Quanto menos substituto um


recurso, maior o poder que seu controle proporciona.

8
Poder e Política
 Poder em grupo: as coalizões

 Um agrupamento informal gerado pela


busca de um único objetivo.
 Quanto mais rotineiro o trabalho, maior a
possibilidade de membros de um grupo
ou trabalhadores serem substituídos,
portanto, maior será sua dependência.

9
Poder e Política
 ASSÉDIO SEXUAL: Desigualdade de poder em
ambiente de trabalho.
 Aproximações indesejadas, pedidos de favores sexuais
e outras condutas físicas ou verbais de natureza sexual.
 Toques físicos indesejáveis
 Convites para encontros
 Ameaças coercitivas de perda de emprego
 Olhares ou comentários indesejados
 Piadas de baixo calão
 Objetos de cunho sexual (calendários com fotos de nus)

10
Poder e Política
 ASSÉDIO SEXUAL

 Como os colegas exercem o poder ?

 Oferecendo ou negando informações, cooperação, apoio.

 Muitos estudos confirmam que o conceito de poder é fundamental para


compreensão do assédio sexual.

 Tem a ver com um indivíduo controlando ou ameaçando o outro, podendo


ser praticado por homem ou mulher, chefes ou colegas de trabalho.

11
Poder e Política
 Política: o poder em ação

 Quando os empregados nas organizações


traduzem seu poder em ações, estão fazendo
política.
 Definição: Atividades que não são requeridas
como parte do papel formal na organização, mas
que influenciam, ou tentam influenciar, a
distribuição de vantagens e desvantagens dentro
dela.

12
Poder e Política
 Tipos de comportamento

 Retenção de informações importantes para


os tomadores de decisão, denúncia de
colegas, arquivamento de reivindicações,
divulgação de boatos, vazamento de
informações confidenciais, troca de favores e
o lobby para favorecer ou prejudicar um
indivíduo ou uma decisão.

13
Poder e Política
 A importância da Perspectiva Política:
 Aquele que não reconhecem o comportamento político
tem uma perspectiva apolítica, em que os funcionários
trabalham em harmonia com os interesses
organizacionais, quando na verdade as Organizações
são sistemas políticos.
 A perspectiva política ajuda a explicar boa parte do que
parece ser um comportamento irracional, práticas
divergentes da busca por eficácia e eficiência nas
empresas.

14
Poder e Política
 Fatores que contribuem para o Comportamento
Político:
 Fatores individuais:
 Elevada capacidade de automonitoramento
 Centro interno de controle
 Alta conformidade
 Alternativas percebidas de trabalho
 Expectativa de sucesso.

15
Poder e Política
 Fatores Organizacionais:
 Realocação de recursos
 Oportunidade de promoção
 Baixo nível de confiança
 Ambigüidade dos papéis
 Sistema de avaliação de desempenho pouco claro
 Pressões par alto desempenho

16
Poder e Política
 Fatores que contribuem para o Comportamento Político:

 Fatores individuais: são aqueles fatores que cada indivíduo


possui, são mostrados através de seus traços de personalidade,
por exemplo. Podemos dizer que pessoas com automonitoramento
e centro de controle interno, são mais políticas. Não é
surpreendente, portanto, que a personalidade maquiavélica –
caracterizada pelo desejo de manipulação e de poder – sente-se
confortável em utilizar a política como meio de atender a seus
próprios interesses.

 Fatores organizacionais: a atividade política é, provavelmente,


mais uma função da cultura organizacional do que das diferenças
individuais.

17
Poder e Política
 Como as pessoas respondem à política na
organização? Redução da
satisfação
no trabalho
Aumento
da
Percepção
ansiedade
da política
e do
na
estresse
Aumento
organizaçã
da
o
rotatividad
e
Declínio de
desempenh
o
18
Poder e Política
 Como as pessoas respondem à política na
organização?

 Comportamento defensivo - são atitudes reativas e


protetoras para evitar a ação, a culpa ou a mudança. O
comportamento está associado com sentimentos
negativos em relação ao trabalho e seu ambiente.

19
Poder e Política
 Administração da Impressão:

 Processo pelo qual as pessoas tentam controlar a


impressão que os outros formam a seu respeito.

20
Poder e Política
 Administração da Impressão:
 Autodescrição – Declaração que uma pessoa faz a respeito de si mesma
para descrever características pessoais, habilidades, sentimentos e etc.

 Conformidade – Concordância com a opinião de alguém apenas para


conquistar sua aprovação. Ex.: “O senhor está absolutamente certo.
Concordo plenamente.”

 Justificativas – Desculpas ou outras explicações para anunciar a


consequência de um evento de maneira a minimizar a seriedade da situação
de mal-estar gerada. Ex.: “Não conseguimos colocar nosso anúncio no jornal
dentro do prazo, mas, tudo bem, ninguém responde a esses anúncios
mesmo.”

 Desculpas – Admitir a responsabilidade por um evento indesejado e ao


mesmo tempo pedir perdão. Ex.: “Sinto muito por ter cometido um engano no
relatório. Peço desculpas por isso.”

21
Poder e Política
 Aclamação – Anúncio de eventos favoráveis a fim de maximizar as
implicações positivas sobre si mesmo. Ex.: “As vendas em nossa
divisão praticamente triplicaram depois que fui contratado.”

 Bajulação – Elogiar os outros por suas virtudes em um esforço para


parecer perceptível ou amável. EX.: “Você lidou muito bem com a
reclamação daquele cliente! Eu não conseguiria agir tão bem.”

 Favores – Fazer algo simpático para alguém a fim de conquistar sua


aprovação. Ex.: “Tenho dois ingressos para o teatro hoje à noite,
mas não poderei ir. Fique com eles. Considere um agradecimento
por sua atenção comigo.”

22
Poder e Política
 Administração da Impressão:

 Eficácia – Poucos estudos foram realizados para testar


a eficácia das técnicas de administração da impressão,
e todos pretendiam essencialmente determinar se esse
comportamento está ou não relacionado com o sucesso
nas entrevistas de emprego.

23
Poder e Política
 A Ética no Comportamento Político
 As ações éticas têm que ser consistentes com as metas
da organização. Espalhar o boato de que existem
problemas de segurança em um produto lançado pela
sua empresa, com o propósito de prejudicar a equipe
que o desenvolveu, é antiético. Entretanto, não há nada
de antiético na troca de favores entre o chefe de um
departamento e o gerente de compras para que um
contrato importante seja agilizado.

24
Poder e Política
 Implicações para os Administradores

 Como um administrador que deseja maximizar seu


poder, será necessário aumentar a dependência das
pessoas em relação a ele

 O administrador eficaz aceita a natureza política das


organizações. Ao avaliar o comportamento segundo
uma perspectiva política, será mais capaz de prever as
ações dos outros e utilizar essas informações para
formular estratégias políticas que acarretem vantagens
para ele, e para sua unidade de trabalho.

25